#

Como minha vizinha Érica!

1170 palavras | 1 |4.06
Por

Minha vizinha precisava muito que alguém resolvesse seu problema, então fui ajudar!

Sou Gilson, vou partilhar com você como acabei comendo minha vizinha sem imaginar que aconteceria. Na frente da minha casa mora um amigo (Bruno) com sua esposa ( Érica) e sua filha de 5 anos. Nos conhecemos a seis anos e sempre ficamos próximos. Bruno trabalha com transporte interestadual e as vezes chega a ficar uma semana fora. Na semana passada Bruno chegou na minha casa me pedindo um favor, queria que eu o ajudasse a instalar um armário aéreo, sua esposa queria utilizar logo e ele estava de saída de viagem. Peguei uns materiais e fui auxiliar. Quando chegou a hora de marcar o lugar na parede onde fixar as buchas e parafuso, chegou seu colega para levá-lo até a empresa.
– Pode deixar que eu sou um jeito Bruno!
– Me faz o favor! Qualquer coisa a Érica te ajuda!
Érica estava colocando a roupa no varal e a menininha brincava no pátio. Para poder marcar onde furar, precisava de ajuda para segurar uma madeira de fixação do armário na parede.
Fui até a janela e quando Érica me viu.
– Precisa alguma coisa vizinho?
– Sim tenho que marcar na parede! Você segura para mim a madeira?
– Claro! Só espero fazer direitinho!
Érica estava com um shortinho bem colado ao corpo que evidenciava suas curvas, com 23 anos, 1,65, uma blusinha onde a barriguinha ficava de fora, seu cabelo preto abaixo dos ombros, seios médios, sua bundinha arredondada e suas coxas grossas. Ao caminhar parecia que desfilava gostosura.
– Oque eu faço vizinho?
Coloquei a madeira na parede e pedi que segurasse para mim furar com a furadeira. Ela se posicionou na minha frente com as pernas levemente abertas, meu pau ficou duro logo ao ver aquela bunda arrebitadinha quase tocando no meu pau.
– Preciso que segure firme!
Ao colocar a furadeira encostei meu pênis na bundinha dela. Érica não demonstrou resistência e ainda se ajeitou abrindo um pouco mais suas coxas. Liguei a furadeira e ela assustou-se, chegando contra mim e meu pau entre suas coxas.
– Te machucou?
– Não! O barulho me assustou! Kkkk desculpe tirei do lugar a madeira!
– Não tem problema! O teu cabelo vai ficar com poeira!
– segure a madeira pra mim prender meu cabelo!
Ela se arrumando e sempre sua bunda sendo encoxada, quando voltou a segurar ergueu um pouquinho mais suas nadegas e meu pau tocava sua buceta por cima do short.
– Vou ligar! Não tenha medo! Kkkk
– Pode deixar!
Ela firmou a cabeça no meu peito e seu corpo colado ao meu. Meu pau latejava forçando sua buceta e eu sentia sua respiração ofegante. Terminei o trabalho com a furadeira e agradeci a ela continuando junto do seu corpo e ela quieta. Então a segurei por baixo dos seios e disse no ouvido dela.
– Quer descansar os braços?
– AH sim! Tu já terminou?
– Falta agora botar os parafusos Érica !
– Vou ver minha filha onde está e já volto!
Enquanto ela verificava que sua filha brincava no pátio eu coloquei as buchas. Érica voltou e se posicionou novamente com as mãos na parede segurando a madeira, arrumei o meu pau fora da cueca deixando solto dentro do calção fino, ao colocar os parafusos voltei a encoxar ela e fui apertar os parafusos com a chave de fenda, conforme eu enroscava os parafusos fazia um vai e vem deslizando por toda a extensão da xaninha dela. Érica suspirava e forçava a bunda contra mim me fazendo sentir meu pau dividindo seus grandes lábios.
– Logo termino vizinha!
Ela virou o rosto em direção ao meu rosto com uma carinha de puta e sorriu. Para experimentá-la parei o vai e vem e segui trabalhando com meu pau forçando sua bucetinha. Érica estava tão excitada que começou a rebolar sem falar nada.
– queres relaxar os braços?
– mas dá para largar já? – respondeu ofegante!
– se você quiser! Foi maravilhosa a tua ajuda! – falei ao pé do ouvido e senti Érica se arrepiar, aquilo me deu muito tesão que acabei beijando seu pescoço. Nisso ouvimos.
– Mãe que tu tá fazendo?
– Ajudando o vizinho! Porque?
– Tu vai demorar mãe?
– só um pouco!
Com isso percebi que ela queria seguir naquele esfrega esfrega. Segurei ela pelos seios massageando, ela virou o rosto e a beijei buscando sua língua oque ela correspondeu. Levei a Mão e baixei seu short e como ela forçava a bunda contra mim, meu calção desceu junto. Quando ela sentiu meu pau tocar entre suas coxas ergueu a bundinha de modo que a cabeça do meu pau ficou a entrada da buceta e voltou a rebolar então meu pau foi deslizando para dentro da vagina apertada.
– Huum ! Come!
– Com prazer vizinha!
Comecei bombar forte que minha púbis batia palma na bunda dela. Érica já não segurava seus gemidos e eu a beijava forte para que sua filha não escutasse. Não demorou e Érica se amoleceu toda num orgasmo. Sem tirar meu pênis de dentro dela a conduzi até sua cama, com ela de quatro fodi mais um pouco e ela delirava apertando o lençol entre suas mãos. Quando eu estava perto de gozar, coloquei ela de barriga para cima, abri suas pernas e penetrei sua buceta novamente.
– Aaaii! Que gostosooo! Fode! Fode bastante vizinho!
Ela se abraçou no meu pescoço e me beijava enlouquecida enquanto eu fodia rapidamente sua buceta.
– Sempre te desejei, mas não imaginava que fosses tão gostosa!
– Que bom que gosta de me comer! Você come diferente!
– Como assim!
– O Bruno é muito pacato, não me come forte assiiim! Vai! Vou gozaaar !
A abracei forte, ela tramou as pernas atrás de mim é gozamos deliciosamente. Nós estávamos em transe, eu ainda curtindo aquela buceta comprimindo meu pau .
– Mãe! Onde tu tá?
Rapidamente nos recompomos e sua filha entrou na porta.
– Ah! Tu tá aí! Que tava fazendo?
– O vizinho estava fazendo uma coisa com a mamãe!
– Que coisa?
– É uma coisa que já era para ter feito! Mas vamos lá, que a mamãe tem que terminar de estender a roupa.
– É eu vou embora! Espero ter feito direitinho Vizinha!
– Com certeza! Apareça mais vezes!
Como a filha dela já tinha saído do quarto, dei-lhe um beijo ao que fui correspondido.
– Muito obrigado vizinho por tudo! Kkkk.
Dois dias depois Bruno me ligou.
– Vizinho, muito obrigado pelo favor que me fez! A Érica sempre inventando coisas!
– Capaz meu amigo! Sempre que quiser me chama vou adorar servir!
Após esse dia eu e a vizinha tivemos tivemos outros encontros, depois relato algo mais.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,06 de 17 votos)

Por #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Vantuil OB

    Que beleza. Gostei