#

Nossa primeira troca de casal

1237 palavras | 1 |4.44
Por

Como já disse no conto anterior, que nossa fantasia sempre foi de sair com um casal, para transa no mesmo ambiente, mas se rolasse uma química entre os 4, poderia rolar uma troca, mas acabamos experimentando primeiramente um ménage masculino com o nosso velho amigo Júlio e que assim como nós, ele e a mulher também fantasiavam uma troca de casal.
No dia que brincamos os três, nosso amigo disse que iria conversar com a esposa dele para brincarmos os 4, assim eles realizariam a fantasia deles também e assim, passando uns dias. Ele me ligou, disse que havia contado tudo para a mulher dele e da intenção, de propor sair os quatros para brincarmos e assim faríamos as trocas de mulheres e assim que houvesse oportunidade e se topássemos poderíamos marcar um dia, era só avisar o dia e local. Gostei o entusiasmo dele, e acabou me confessando que não via a hora de poder estar com Eliza (minha mulher) novamente, pois a primeira experiência com ela foi maravilhosa, segundo ele.
Falei com Eliza e ela disse que poderíamos marcar para o final de semana no rancho, já que estava muito calor e seria um feriado prolongado e assim poderíamos unir o útil ao agradável, descansar, aproveitar piscina e brincar com o Júlio e Rose. Assim fiz, liguei para o Júlio e falei que estaríamos no rancho no final de semana e que não iria mais ninguém além de eu e Eliza, caso eles quisessem aparecer, poderíamos fazer uma gostosa festinha, no que ele concordou de imediato dizendo que iria informar a Rose e que ela entraria em contado com Eliza para combinar o que levar e tal.
Chegando em casa a tarde, Eliza me disse que Rose havia ligado pra ela para combinar o que levar para passar o final de semana no rancho com a gente, disse que o papo com Rose foi picante e que ela estava toda cheia de tesão, então o jeito foi acalmar as coisas e fomos tomar um banho para saciar o tesão de nós dois, só de saber o que poderia rolar no final de semana, foi uma transa comentada, ela falando o que poderia rolar entre eu e Rose e eu falando o que poderia acontecer entre ela e Júlio, gozamos como nunca… rsrs
Na sexta-feira a noite já rumamos para o rancho e posamos por lá, pois assim daria para cuidarmos dos preparativos para recepcionar nossos amigos. Eles chegaram um pouco depois do meio dia, a churrasqueira já estava no jeito com alguns beliscos já prontos. Eu e Eliza já estávamos tomando umas geladas, se juntaram a nós, assim que ajeitaram o quarto deles. Os quatros com a barriga cheia, descansamos um pouco com um bate papo, até que as duas percebendo que o sol já estava mais ameno, tomaram a inciativa de trocarem de roupas e foram para a piscina para refrescar e nós dois ficamos ali admirando as duas beldades.
Passamos a tarde ali conversando, beliscando e tomando umas geladas e com o passar do tempo o papo foi ficando mais solto e esquentando, até que Rose perguntou como foi a nossa brincadeira com o Júlio e se Eliza havia gostado de ter dado para o marido dela, e aí a foi ficando mais picante, Eliza contanto alguns detalhes da brincadeira e Rose falava que queria experimentar também e tal. Ela estava com tanta tesão, que começou a beijar o seu marido e é claro que o nosso tesão também foi ficando mais aguçado e já escurecendo, as duas resolveram atacar e começar o strip-tease, e como no papo, nós tínhamos falado que a maioria dos homens fantasiam ver suas mulheres se pegando, e Eliza elogiou os seios da Rose, que realmente são lindos, elogiando e já pegando neles e não durou muito tempo para as duas se abraçarem e se beijarem, e pronto, foi estabelecido que a festinha seria maravilhosa, uma tirando a calcinha do bikini da outra, ficando as duas peladinhas e se pegando, beijando, passando a mãos na xaninha da outra, nossa, que maravilha, eu e Júlio já quase não aguentando, rolas duríssima e tirei a minha fora da sunga e fiquei alisando vendo aquela brincadeira delas.
Não demorou muito para as duas darem o sinal do primeiro orgasmo das duas, saí da piscina para repor as cervejas para continuarmos a nos deliciar com aquela festinha particular, quando retornei, Eliza estava junto com o casal, Rose mamando uma das tetas da Eliza e Júlio na outra, Eliza com o pau do Júlio na mão, dando aquele trato no amigo.
Assim que entrei na água, Rose já veio para o meu lado e tirou minha sunga e começou a dar aquele trato em mim também, cada mulher cuidando do marido da outra. Não será necessário falar que rolou entre os quatro dentro da piscina, pegadas, mamadas e tudo que elas tinham direito de fazer com o marido da outra, nossa, pensa num tesão que não acabava mais. Uma folga para uma relaxada na hidromassagem da piscina e logo depois a retomada da festinha a 4, regada com umas geladas, beliscos e sexo. Coloquei Rose na borda da piscina e abri aquelas pernas lindas e cai de boca na xaninha lisinha dela, a medida que ela foi ficando próximo do gozo, ela apertava a minha cabeça como que pedindo para eu entrar naquela delicia de buceta, quando começou a gozar para valer, ela tremia toda e Eliza gozava com o pau do Júlio enterrado na xaninha dela.
Não tínhamos folga, parava para dar uma respirada e elas queriam mais, como havíamos feito uma DP em Eliza quando do ménage com o Júlio, Rose disse que seria a vez de ela ganhar de presente uma dp, chamou Júlio para deitar de barriga para cima e ela começou cavalga-lo e ofereceu aquela bundinha linda e deliciosa para mim, Eliza ajudou lubrificando com Ky o anelzinho dela e me cacete também, direcionando a cabeça do meu pau naquele orifício apertadinho, já que seria a primeira vez dela numa dp. Eliza veio por e literalmente sentou-se na boca do Júlio, oferecendo-lhe a sua xoxotinha toda melada de tesão, quando Júlio anunciou o seu gozo, foi quase que imediato, todos gozaram juntos, nunca havíamos experimentado tanto orgasmo nas nossas vidas.
Por conta do calor, a noite era uma criança em volta daquela piscina, eu e Júlio, já entregues, deixamos espaço para as duas se divertirem entre elas, que maravilha ver as duas se pegando pra valer. Fomos até tarde da madrugada, nos recolhemos para dormirmos, acordamos no domingo por volta das 12 hrs, ao invés do costumeiro café da manhã, acendemos a churrasqueira e preparamos algo para nos alimentarmos, pois a tarde prometia mais, segundo nossas mulheres e não deu outra, novas sessões de trepadas até o escurecer, e assim foi os quatro dias, na terça à tarde tomamos o último banho e viemos embora com a promessa de outras aventuras.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,44 de 9 votos)

Por #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Vantuil OB

    Isso sim é muito bom. Faltou detalhes. Mais explícito. Continua