# #

eu e minhas alunas pobres- conhecendo Ingrid

655 palavras | 0 |2.63
Por

Agora tratarei de um assunto, em que uma menina de 12 anos muito sapeca ficar mostrando a calcinha e a buceta para os homens.

Eu continuava dando aulas na escola e em casa, levando os alunos ao passeio.
Até que numa sexta-feira Monique me pede:
Isa: Professor, posso convidar minha vizinha para ir ao passeio semana que vem.
Professor: Se alguém não puder ir pode, mas vamos ver isso na segunda.
Isa e Monique, ficaram felizes de eu ter permitido que a vizinha(Ingrid) vá ao passeio.
Na segunda-feira, Isa e Monique ficaram esperando para ver se teria algum lugar vago.
Eu cheguei na sala e fui recebendo as autorizações, e percebi que três alunos não poderia ir por motivos familiares.
Então, chamei Isa e Monique e falei:
Professor: Podem chamar a Ingrid ela pode ir ao passeio.
Meninas: Obrigado, professor vamos logo avisar a Ingrid.
Com a menina avisada, era hora de ver se ela também gostava de ser bolinada e chupada lá embaixo.
Um dia depois das aulas, chamei Isa e Monique e perguntei:
Professor: Meninas a Ingrid, também gosta de fazer o que faço em vocês?
Meninas: Sim, ela faz com o pai dela.
Professor: Ela faz alguma coisa a mais?
Meninas: Sim, ela adora mostrar a cor da calcinha e a vagina para os meninos e os pais deles no nosso prédio.
Professor: Vocês também mostram?
Meninas: Não, nunca imagina só professor lá tem câmera.
No dia do passeio pedi para Isa, Monique e Ingrid irem sem calcinha assim não teriam problemas em fazer xixi, no mato no meio da viagem.
No meio do trajeto o ônibus para no acostamento, e eu falo:
Professor: Turma paramos, para fazer xixi e depois seguirmos viagem.
Todo mundo aproveitou a parada para fazer xixi, mesmo sem ter vontade e fizeram um monte de xixi, já no ônibus de novo continuamos a viagem ate chegarmos ao destino final em Gramado, onde vivemos a história da colonização alemã no Brasil.
Lá paramos num hotel com piscina, e lotamos um andar do hotel.
Na hora da janta percebi que Isa, Monique e Ingrid, haviam sumido então eu sai a procura delas e as encontrei dentro do castelinho.
Falei:
Professor: Meninas, nunca mais saião sem me avisar, aqui só responsável por vocês.
Meninas: Professor, estamos aqui por isso e me mostraram que queriam que eu passasse só a mão, por enquanto.
Então, mandei Isa vir passei a mão, depois veio Monique também passei a mão, e por fim veio Ingrid e passei a mão mas por ela estar sentindo essa sensação pela primeira vez até mijou em minhas mãos.
Limpei ela e fomos jantar lá no restaurante do hotel.
Depois no auditório do hotel, falei:
Professor: Crianças, amanhã quero todo mundo sem calcinha e sem cueca, vamos visitar um lugar onde a quase cem anos as crianças viviam nuas e só entra lá pelado(a).
Assim fomos para esse local e os adultos podiam entrar vestidos, mas crianças só pelados(as) regras do local.
Lá o xixi era feito em qualquer lugar fora da casa, lá dentro eles tinham aula de como é o corpo delas e elas de como é o corpo deles.
E na hora da saída cada menina recebe uma passada de mão na bucetinha, daí podem se vestir um menino e uma menina.
Voltando ao hotel, as meninas me levaram ao castelinho e eu tive lamber lá embaixo era trato e eu cumpri.
Voltamos pra cidade e eu voltei a minha rotina dando aulas na escola e em casa e aplicando provas, trabalhos, temas e relatórios dos passeios e vivências da história.
Num próximo passeio o pai de uma aluno quis ir junto, aceitei agora terei alguém para apagar o fogo de meninas/alunas safadinhas.
Na parte 5, contarei sobre o passeio e Igor pai de aluno que foi junto.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,63 de 8 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos