# #

Tirei a virgindade da melhor amiga da minha filha!

1675 palavras | 6 |4.25

Tudo na minha vida começou a mudar quando eu tinha 31 anos, na época eu e minha esposa estávamos nos divorciando, nossa filha que tinha 15 anos (fui pai bem cedo, rsrs), ela sempre foi muito apegada à mim e ficou comigo.

Até aí tudo normal, essas coisas acontecem, mas o “problema” é que minha filha tinha uma amiga de 17 anos, a Bruna, que era muito bonita e gostosa, magrinha com seios grandes e bundinha empinada, e ela era muito safada. Aquela menina vinha aqui todos os dias, e quase todas as noites dormia aqui com minha filha, isso desde que tinha 13 anos, sempre que via ela aqui em casa, tava usando roupas curtas, tipo shortinhos curtinhos, saias curtinhas e mini-blusas.

Foi ali, vendo aquela pré-adolescente fogosa e bem gostosinha já que eu ganhei um puta tesão nela, que tinha peitos bem grandes já, eram do tamanho de pêras, ela era meio magrinha, mas tinha uma bundinha bem grande também, era um verdadeiro aviãozinho. Mas como eu era cassado ainda, nunca sequer olhava pra ela, pois amava minha mulher, até o dia que ela me traiu e nos divorciamos, a partir dali, a amiga da minha filha que tava com 16 anos, passou e me provocar sempre que vinha aqui.

Eu sempre conseguia me controlar, pois ela era amiga da minha filha além de ser só uma adolescente com fogo na buceta, mas a danada era muito safada e esperta também, ela sabia como excitar um homem.

Um dia, eu tava na sala, deitado no sofá e assistindo o jogo de futebol do meu time, eram 20 minutos do primeiro tempo quando a Bruna apareceu dizendo que queria ver o jogo comigo. Aí eu me ajeitei e sentei com as costas no braço do sofá, ela sentou de frente pra mim, e sentou logo com os pés no sofá e toda aberta, logo notei que a safada tava sem calcinha, pois tava de saia, eu fiquei excitado, meu pau cresceu bem rápido e eu nem fiz questão de disfarçar.

Um tempo depois a safada começou a se masturbar, como se já tivesse feito aquilo na minha frente várias vezes, eu fiquei um te só olhando pra buceta dela, aí eu tirei meu pau pra fora pela perna do meu short, (pois eu tava sem cueca), e comecei a me punhetar enquanto olhava nos olhos daquela ninfeta que gemia baixinho.

Tava tudo indo bem, até que minha filha aparece na sala chamando Bruna pra ir pro quarto, eu na hora coloquei uma almofada no colo e fiquei olhando pra TV, Bruna baixou sua saia e foi pro quarto com minha filha. Depois que elas foram, eu continuei me masturbando por mais uns 20 minutos, e o tempo todo tava imaginando a Bruna peladinha na minha frente, eu gozei muito gostoso naquela noite, foi de longe a melhor punheta da minha vida.

Uns dias depois, eu tava na sala vendo notícias na TV e pensando na Bruna, que do nada apareceu em minha casa, ainda com o uniforme do colégio, ela sentou no meu lado e ficou olhando pra mim com aquele sorrisinho encantador. Um tempo depois ela se aproximou de mim e continuou me olhando, até que pegou minha mão e à colocou em seu peito esquerdo, por cima da blusa, eu apertei ele de leve, aí ela pegou no meu pau por cima do short e falou – Não paro de pensar em ti. Eu respondi – Eu também não. Ela – Eu matei aula hoje só pra te ver, rsrs. Eu – E minha filha? Ela matou aula também? (Perguntei pois elas eram da mesma sala). Ela – Sua filha nunca mata aula, rsrs.

Aí ela sentou no meu colo de frente pra mim e me beijou, em seguida começou a rebolar sua bunda no meu pau, em seguida ela tirou sua blusa e seu sutiã, eu não perdi tempo e comecei a mamar naqueles melõezinhos lindos. Um tempo depois levei ela pro meu quarto, lá ela me empurrou na cama, em seguida montou em mim, encaixou meu pau bem no meio da sua bunda e ficou esfregando ela nele, enquanto isso eu alisava e mamava nos seus peitos.

Aí aquela ninfeta de 17 anos enfiou sua mão dentro de sua calça e de sua calcinha e ficou se masturbando, logo tava gemendo igual uma puta, depois ela se deitou ao meu lado e tirou a calça legging que usava, tirou também sua calcinha. Aí ela deitou de bruços ao meu lado e abriu sua bunda, eu logo fiquei de joelhos em cima das pernas dela, coloquei meu pau na entradinha da bucetinha dela, que virou o rosto pra mim e falou – Vai devagar que eu ainda sou virgem tá?. Eu – Sério?. Ela – Aham, rsrs. Eu – Deixa comigo Bruna.

Aí eu comecei a enfiar, fui bem devagar e logo cheguei no cabaço dela, que se contorcia todinha e gemia baixinho, eu continuei enfiando, fazendo aquela ninfeta gemer um pouco alto agora, ela agarrou o lençol da minha cama e soltou um gemido bem longo. Aí eu parei, mas ela pediu pra continuar, disse que desde que me conheceu queria perder a virgindade comigo, então eu continuei, dei umas 3 estocadas lentas, depois dei uma forte e rasguei o himém dela, que gritou bem alto.

Aí eu parei de novo, depois de uns 5 minutos eu iniciei o vai-e-vem, fui devagar no começo, mas a pedido dela eu acelerei, fiquei uns 10 minutos socando forte na bucetinha daquela ninfeta, que gemia bem alto. Um tempo depois senti que ela tava gozando, aí fiquei metendo ainda mais forte, logo senti ela gozando e deixando meu pau todo melado, em segundos eu senti que tava gozando também, aí eu tirei meu pau, virei ela de frente, enfiei meu pau na boca dela e gozei.

Ela engasgou um pouco, mas abriu a boca, mostrou sua língua e ficou sorrindo, a safada engoliu tudinho, em seguida abocanhou meu pau, que tava mole e ficou chupando ele, que em segundos tava duro de novo. Um tempo depois a safada ficou de 4 na minha frente e abriu a bunda com as duas mãos, eu sorri e falei – Tá com fogo hein… Acabou de perder a virgindade e quer mais. Ela – Quero que você foda o meu cuzinho. Eu – Vai ser a primeira vez dele ou Já deu?. Ela – Já dei meu cuzinho já… E muito, rsrs.

Aí eu comecei a enfiar o meu pau no cuzinho dela, que engoliu ele todinho, de uma vez, logo que tava tudo dentro daquele cuzinho apertadinho, eu comecei a foder o cuzinho daquela ninfeta, que gemia bastante. Em poucos minutos eu senti que tava gozando, aí acelerei e quando não dava pra segurar, eu dei uma última e forte estocada e gozei bem no fundo do cuzinho dela, que ficou cheio com meu leitinho quentinho.

Depois ficamos deitados um do lado do outro, ela logo começou a me beijar, ficamos um bom tempo nos beijando, mas aí me telefone tocou, quando atendo era minha filha dizendo que tinha saído e era pra eu buscar ela. Eu e Bruna arrumamos o quarto, depois tomei banho, aí falei pra ela ir pra casa, pra minha filha não desconfiar de nada, ela me beijou e foi embora, enquanto eu peguei as chaves do meu carro e fui pra escola pegar minha filha.

Depois daquele dia eu e Bruna transamos várias vezes, muito porque ela queria, eu também queria, mas vivia dizendo pra gente não fazer mais, pois as pessoas poderiam perceber e isso poderia dar merda, pelo fato dela ser menor. Aí quando ela fez 18 anos, ela passou a dormir comigo, dizendo que iria dormir com minha filha, que tava começando a desconfiar de nós 2, e um dia eu dei um basta com a Bruna, disse que não queria magoar minha filha.

Mas aí ela disse que estava apaixonada por mim, que queria se casar comigo, que queria ter filhos comigo e tals, eu fiquei sem reação, pois eu sentia muito tesão e um pouco de amor por Bruna, aí a gente continuou com nossa relação confusa e muito gostosa, mas sempre escondido da minha filha.

A gente transava todos os dias, aquela menina tinha um fogo do cacete (tem até hoje), mesmo muito nova já era muito boa na cama, (muito melhor que minha ex mulher), além disso Bruna é muito safada, faz um boquete delicioso adora beber meu leite e ama dar o cu, coisas que minha ex odiava e nunca fazia.

Há uns meses atrás nós assumimos o nosso relacionamento pra minha filha, que, por incrível que pareça, aceitou de boa, ficou um pouquinho chateada no início, mas no fim ela ficou até feliz por ver eu feliz de novo, pois desde que me divorciei da mãe dela, andava meio triste. Hoje tenho 35 anos, Bruna tem 21 pra 22, ela é minha nova mulher, fugiu da casa dos pais pra morar comigo e ser madrasta da melhor amiga, (é muita doideira, rsrs) e nós estamos planejando nos casar em breve, rsrs.

Essa menina é mesmo muito safada, todo dia to eu lá no meu trabalho, quando do nada recebo uma foto dela pelada ou um vídeo dela se masturbando, em alguns deles ela tá na sala de aula. Sempre que chego do trabalho recebo um delicioso boquete dela, aos sábados e domingos quando tô em casa, ela só usa roupas curtas e shortinhos folgados pra que quando tiver cozinhando ou lavando louça eu possa foder ela facilmente, rsrs.

E o melhor disso tudo é que Bruna e minha filha continuam melhores amigas, quase todas a noite as duas saem juntas pra se divertir e eu gosto de ver elas se divertindo juntas.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,25 de 28 votos)

# #

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Isadora

    PQP !!!
    Tem conto, que do segundo parágrafo pra frente, não dá pra continuar…e este conto, é um desses.

  • Responder Ian Moone

    Sim ela era ninfomaníaca? Chegou no pai da amiga e quis dar do nada? Outra coisa, em “eu também não” é o contrario de “Não paro de pensar em te” e não a concordância em comum, certo só pra você saber.

    • Observador

      Não sabe escrever e nem pontuar e quer ensinar ? Porra, fica na sua…

  • Responder Pachecao

    Gostei continue não demore a publicação

  • Responder Vantuil OB

    Legal. Continua. E come a filha também. Só te cuida. Como ela já dava o cuzinho, pode também estar metendo com outro.

  • Responder Sem nome ( e melhor)

    Muito bacana a história. Legal