# #

Minha priminha de 7 anos – A iniciação

3422 palavras | 3 |4.21
Por

Me chamo Mateus, tenho 22 anos, tenho uma prima de 2° grau chamada Sofia, ela tem só 7 aninhos é filha da minha prima Bruna de 25 anos e ela é uma menina muito linda e fofa demais.

Bom… Tudo começou no começo do mês de Setembro, era umas 14hs, eu tava assistindo TV, até que ouço a voz dessa minha prima Sofia me chamando, ela logo entra e senta na minha cama do meu lado, e logo que viu o meu celular, pegou ele e ficou tentando desbloquear, mas como não sabia a senha não conseguiu.

Enquanto isso, eu que era bastante safado e já vinha ganhando um certo tesão proibido por ela, coloquei minha mão em sua coxa e fiquei à alisando, aí fui subindo até chegar no shortinho que ela tava usando e fiquei forçando meus dedos contra ele. Aquela foi a primeira de muitas vezes que eu profanei o corpinho da minha priminha, e naquele dia só tentei aquilo, pois meus pais ficavam entrando em casa a todo momento. Se eu ficasse fazendo “carinhos” em minha priminha o tempo todo, acabaria me esquecendo que não tava sozinho em casa. Aí seria flagrado por meu pai ou minha mãe abusando de minha priminha de só 7 aninhos, e se isso acontecesse eu taria muito fodido, rsrs.

Um dia essa minha prima veio aqui com Luara, sua priminha de 7 anos, que também era minha prima, também de 2° grau, (eu já tentei algo com Luara também, mas não deu certo, aliás, quase que da M). Uma vez fui amarrar o laço do shortinho dela, aí eu todo excitado, abri o zíper do shortinho dela, depois desci o shortinho um pouquinho e toquei de leve em sua bucetinha, na hora senti que tava um pouco úmida. Aí eu olhei pra ela que fez uma carinha linda de prazer, mas aí ela falou pra eu tirar a mão e que se eu fizesse aquilo de novo iria contar pra mãe, aí eu vesti o shortinho, dei o laço e nunca mais toquei nela de novo.

Bom… Aquelas 2 menininhas ficaram me aterrorizando o dia todo, elas eram umas verdadeiras pestinhas, principalmente a Luara, ela era invocada, rsrs, mas eu gostava delas, elas me faziam rir muito, rsrs. Tudo tava indo tranquilo até que Sofia num gesto inocente ficou dando tapinhas na região da bucetinha de Luara, que tava deitada bem ao meu lado. Aquela cena de minha priminha de 7 anos batendo na bucetinha de minha outra prima mais nova, me deixou muito excitado, mas me controlei e falei – Não pode fazer isso Sofia. Ela – Ela gosta disso primo.

Nisso meu tesão foi a mil, aí eu disfarçadamente levei minha mão até meu pau e comecei a me masturbar, mas logo parei, pois os meus pais estavam em casa, na varanda. Um tempo depois, ainda brincando, Sofia pegou Luara pela cintura e a colocou contra a parede, isso bem na minha frente, eu logo comecei a massagear meu pau por cima do meu short, foi aí que Sofia falou – Essa doida gosta de me beijar quando faço isso, rsrs. Aí eu cheio de tesão falei – Então beija ela Luara, rsrs.

Pensei que iria negar, pois ela não gostava muito de mim, mas ela logo aproximou seu rosto do de Sofia e encostou seus pequenos e delicados lábios nos lábios de Sofia e a beijou. Foi só um selinho bem rápido, mas o fato de ter visto 2 crianças, 2 meninas super novinhas se beijando, me fez ficar de pau duro na hora, eu nunca tinha ficado tão excitado como naquele instante. Aí eu usei a desculpa de estar apertado pra me masturbar no banheiro, se eu não tivesse ido me aliviar com certeza teria atacado aquelas menininhas lindas, inocentes e bem sapekinhas já.

Um outro dia, vi Sofia se balançando na rede, fui até a varanda e fiquei à olhando, logo eu tirei meu pau pra fora e comecei a me masturbar, como naquele dia só estávamos eu e meu pai em casa, e ele tava na rua, eu continuei. À princípio fiquei me masturbando escondido, pois tava com receio da reação dela, pois se ela me visse com o pau pra fora e falasse “Por quê tá com o pinto de fora Mateus?”, ou algo parecido eu estaria ferrado, porquê o meu pai tava bem do lado dela, mas do outro lado do portão, que tava fechado.

Um tempo depois eu taquei o “foda-se”, e logo tava me masturbando com a certeza de que minha priminha tava vendo, ela tava à uns 5/6 m de distância e não disse nada quando viu meu pau, talvez não sobesse o que eu tava fazendo, sei lá. Vez ou outra eu me escondia dela sem motivo, aí ela falava “Olha pra mim Mateus, tô me balançando”, aí eu voltava a me punhetar na frente dela, que quando me vê fala – Olha como me balanço rápido. Nesse momento ela vê eu com meu pau pra fora, e ficou olhando pra ele e sorrindo, mas não diz nada, então continuei, aí ela começou a se exibir, ficou de bruços e dizia – Olha tô voando Mateus. Aí eu ficava olhando fixamente praquela sua bundinha linda e me punhetava deliciosamente, imaginando eu roçando meu pau nela.

Um tempo depois ela vem caminhando até mim, e fala – Vamos brincar de pique esconde. Eu – Vamos. Nós estávamos há menos de 1M de distância e ela ficou olhando pro meu pau enquanto eu me punhetava e fazíamos pedra, papel ou tesoura pra ver quem começava contando, e eu ganhei, mas na hora que ela foi contar, ouvimos minha tia (vó dela) a chamando e aí ela foi pra casa. Confesso que fiquei o dia todo com o coração na mão, achando que ela tinha contado que viu eu com o pau pra fora, e se isso tivesse acontecido, eu taria mais que fodido, mas que bom que ela não contou nada, rsrs.

No dia seguinte ela já tava na rede se balançando, aí eu fui e me deitei com ela, e enquanto alisava suas coxas falei – Você não contou que viu meu pinto não né Sofia?. Ela – Não! Por quê?. Eu – Não é nada… Ah, você pode perguntar pra sua mãe se tu pode dormir comigo hoje. Ela sorri e fala – Posso?. Eu – Se tua mãe deixar… Pode sim. Ela me abraçou e falou – Vou lá perguntar agora. Aí ela foi, 2 minutos depois ela tava de volta e tava com um lindo sorriso no rosto, aí fala – Minha mãe deixou. Eu – Sério?. Ela – Aham. Eu – Então vem aqui depois que tu jantar lá tá. Ela – Tá bom.

De noite quando era umas 20h ela chegou aqui em casa, entrou no meu quarto, deitou comigo, em seguida pegou meu celular e começou a jogar nele um pouquinho. Mais tarde eu fui tomar meu banho, saí do banheiro só de toalha e fui pro no meu quarto, quando entro encontro minha priminha deitada de barriga pra cima, já dormindo, só com um shortinho fininho e uma blusinha. Aí eu tranquei a porta e tirei a toalha, em seguida deitei na minha cama pelado, eu logo tirei toda a roupa dela e deixei aquela menininha de 7 aninhos só de calcinha na minha cama.

Aí eu comecei a alisar seu corpinho todo, comecei em suas pernas, depois eu fui subindo por suas coxas até chegar em sua bucetinha por cima da calcinha dela, que eu logo retirei. Um tempo depois peguei meu celular, aí cobri o rostinho dela com o lençol tirei uma foto dela pelada e outra da bucetinha pequenininha dela, eu também tirei várias fotos e fiz vídeos deu alisando a bucetinha dela, que sentia estar quentinha e um pouco úmida. Depois eu deitei na frente dela com minhas pernas pra fora da cama, aí coloquei o celular pra gravar e fiquei segurando com a mão, depois dei um beijinho na bucetinha dela, depois dei outro e mais outro.

Eu fiquei dando vários beijos naquela bucetinha deliciosa, até que comecei a lamber, e enquanto lambia fazia carinho nos biquinhos dos peitinhos dela, que dormia feito uma pedra. Depois de uns 10 minutos me deliciando com o doce, amargo e delicioso sabor da bucetinha da minha priminha, eu parei um pouquinho, pois minha língua tava começando a ficar dolorida, rsrs. Aí eu tirei mais umas fotos da bucetinha dela, que tava tão meladinha que até brilhava quando o flash da câmera acendia, tirei também fotos do meu pau bem na entradinha da bucetinha dela e do meu dedo enfiado nela.

Aí eu posicionei o meu pau na entradinha da bucetinha dela e fiquei forçando, mas eu não tinha a intensão de penetrar meu pau que tem 15 cm e é um pouco grosso, eu só queria ficar ali simulando uma foda, que já era super gostoso. Depois fiz virei ela de bruços e tirei fotos da bundinha empinadinha dela, eu também fiz alguns vídeos deu esfregando meu pau bem no meio da bundinha dela, deu dedando aquele cuzinho apertadinho e simulando uma deliciosa foda no seu anelzinho.

Depois de uns 20 minutos eu gozei e melei a bundinha dela, aí eu voltei a chupar sua bucetinha, e seu cuzinho também, quando o meu pau ficou duro de novo eu voltei a simular uma foda até gozar de novo. Aí eu voltei a chupar e lamber a bucetinha da minha priminha, que pra minha felicidade dormia feito uma pedra, eu fiquei um tempão chupando, lambendo e esfregando meu pau em sua bunda e bucetinha.

Uns 15 minutos depois, continue simulando uma foda, esfregando meu pau na bucetinha dela, em poucos minutos eu gozei pela terceira vez e melei toda a bucetinha dela. Aí eu dominado pelo tesão comecei a lamber a bucetinha dela de novo, antes juntei a minha porra na fendinha da bucetinha dela e aí dei uma única lambida de baixo pra cima e engoli minha própria porra, rsrs. Depois fiquei mais uns minutos lambendo minha priminha, até que o sono chegou, aí eu vesti minha priminha, em seguida me deitei ao lado dela, eu cobri a gente e em 5 minutos eu apaguei.

Mas eu não dormi por muito tempo, acordei de madruga ainda, olhei no relógio e eram 3h ainda, e eu já tava com meu pau duro de novo, aí virei minha priminha de lado, em seguida me encaixei atrás dela e fiquei simulando uma foda. Depois tirei a roupa dela e deixei ela peladinha, em seguida comecei a chupar e lamber sua bucetinha, eu fiquei aquela madrugada TODA chupando, lambendo e esfregando meu pau na bucetinha deliciosa da minha priminha. Eu chupei e lambi tanto aquela bucetinha, que de manhã minha língua e boca estavam dormentes e doíam muito, aquela foi uma noite de sono pra ela e de muito prazer pra mim, rsrs.

No dia seguinte, era 10 e pouca da manhã quando acordo, de pau duro como sempre, rsrs, aí eu comecei a alisar a bucetinha de Sofia por cima da calcinha dela. Fiquei alisando ela por uns 2 minutos, até que minha priminha acordou, aí eu falei – Deixa eu ver ela? (falei apontando pra bucetinha dela). Ela com voz de sono diz – Não pode. Eu – Quem disse isso?… Foi sua mãe?. Ela – Foi!. Eu – Olha Sofia… Você pode deixar eu ver… Só não pode contar que deixou eu ver. Ela – Porque?. Eu – Por que é feio contar essas coisas pra outras pessoas.

Aí eu cheguei mais perto dela, fiquei brincando com o meu dedo na barriguinha dela e falei – Olha… Se você deixar eu ver ela, eu deixo você jogar no meu celular sempre que você vier aqui… Tá bom?. Aí ela sorriu de modo bem suave e falou – Tá bom… Mas não conta pra minha mãe tá. Eu – Prometo não contar. Aí ela mesma desceu o seu shortinho, aí eu tirei meu pau pra fora e comecei a me masturbar, aí Sofia falou – O que você tá fazendo Mateus?. Eu – É carinho Sofia.

Aí ela desceu sua calcinha até o meio das coxas, nisso pude ver sua linda e pequenina bucetinha, nisso peguei o meu celular nela e filmei aquela bucetinha linda. Em seguida filmei eu me masturbando com a bucetinha dela em segundo plano, fiquei me masturbando e filmando minha priminha, que mantinha seus olhos fixos na minha punheta, rsrs. Até que ouço a Luara chamado por ela, então eu guardei meu pau e vesti ela, que logo se levantou e foi pra rede se balançar na rede com a Luara.

Um outro dia, ela veio aqui em casa outra vez, ela tava com um vestidinho lindo, aí sentou na cama ao meu lado e pegou meu celular pra jogar, e lá fui eu alisar as coxas dela de novo, fiquei assim por 10 segundos apenas, mas foi tempo o suficiente pra me deixar muito excitado. Eu logo tava com meu pau doendo de tão duro, e como tava só com um short bem folgado, minha barraca ficou de pé bem rapidinho, eu logo notei que minha priminha ficava olhando na direção do meu pau de vez em quando, mas não falava nada.

Aí eu parei por uns segundos, pois ouvi passos vindo na nossa direção, mas não era ninguém, então eu continuei alisando Sofia, eu fiquei alisando a coxa dela com mão direta, enquanto com a esquerda alisava as pernas dela, eu também ficava fazendo cócegas na sola dos pézinhos dela, que ria bastante. Logo eu comecei a subir pela perna dela, como se tivesse andando com os dedos, aí quando eu cheguei na coxa dela dei um beliscãozinho de leve, fazendo ela dar um gemidinho e se contorcer de dor, em seguida eu voltei a alisá-la.

Um tempo depois enfiei minha mão pela perna do shortinho dela e fiquei alisando sua bucetinha por cima da calcinha com meu dedo indicador, Sofia fingiu que eu não tava fazendo nada e continuou jogando no meu celular, ela suspirava lentamente enquanto eu alisava sua pequena bucetinha. Até que a sua respiração começou a ficar acelerada e forte, logo ela, que tava encostada na cabeceira da minha cama, foi escorregando e em segundos tava deitada na cama. Aí eu continuei alisando sua bucetinha, fazendo ela soltar uns gemidinhos bem baixinhos, ao mesmo tempo ela jogava a cintura pra cima e fazia uma carinha de prazer muito linda.

Eu fiquei alisando a bucetinha dela por bastante tempo, mas novamente ouço um barulho e aí eu parei de alisá-la, só que não era ninguém de novo, então eu continuei, aí eu falei – Posso brincar na sua bundinha Sofia?. Ela – Como Mateus?. Eu – Deita aqui de ladinho e vira pra frente. Aí ela deitou, e eu ajeitei ela, deixei ela com a cabeça deitada no meu anti-braço, e meu pau ficou exatamente na sua bundinha, aí eu comecei a esfregar o meu pau na bundinha de Sofia. Ela tava com a respiração acelerada de novo, e enquanto eu encoxava minha prima, fazia carinhos no rostinho dela, que tava com a boquinha aberta e olhinhos quase fechados, e ela já não tava jogando no meu celular.

Um tempo depois eu tirei meu pau pra fora e coloquei ele no meio das coxas de Sofia, que falou – O que é isso Mateus?. Eu – É o meu pinto Sofia!. Ela sorrindo fala – Ele é quentinho e duro, rsrs. Aí eu comecei o vai-e-vem, e em menos de 1 minuto eu gozei e melei as coxas de minha priminha e o lençol da minha cama também. Aí eu limpei ela com o mesmo lençol, depois eu tirei o lençol da cama, em seguida levei até o banheiro e coloquei no cesto, e em seguida lavei meu pau.

Uns minutos depois eu tava deitado na cama com Sofia novamente, e enquanto ela tava jogando no meu celular, eu ficava alisando meu pau, que em segundos tava duro de novo. Aí eu tirei meu pau pra fora e comecei a me masturbar, ao mesmo tempo fiquei alisando as pernas de minha priminha, aí eu falei – Sofia quer brincar com meu pinto? Ela – Quero. Eu – Senta aqui no meu colo. Aí ela foi e sentou, eu fiz ela ficar sentada bem em cima do meu pau, em seguida levei minhas mãos até a cintura dela e fiz ela ficar se esfregando no meu pau, que esfregava-se na calcinha dela e eu senti que sua bucetinha tava bem úmida de novo.

Um tempo depois fiz ela ficar de joelhos, em seguida, posicionei meu pau pra cima e fiquei roçando a cebeça dele na bucetinha de Sofia, ainda por cima da calcinha dela, que tava ficando bem meladinha. Depois fiz ela sentar nas minhas coxas de novo, em seguida eu peguei na mãozinha dela e coloquei fechada em meu pau, fiz uns movimentos de vai-e-vem, aí eu peguei meu celular e comecei a gravar, depois falei – Agora faz igual eu fiz. Ela – E quando eu paro?. Eu – Só quando eu gozar. Ela – O que é isso?. Eu – Você vai ver já já.

Sofia logo começou a me masturbar, me fazendo sentir um prazer que nunca havia sentido antes, ela ficou me masturbando por um tempão, enquanto isso ficava alisando suas pernas, logo eu gozei de novo. Eu gozei muito, mandei uns 7 esporros pro alto, um deles foi no rostinho dela, rsrs, que nem se incomodou e continuou me masturbando, aí eu falei – Já pode parar. Ela – O que é isso?. (Disse me mostrando sua mãozinha toda meladinha). Eu – É o meu leite Sofia… Pode lamber se quiser. Ela – Isso é leite?. Eu – Aham. Aí ela lambeu, fez cara de novo e falou – É ruim. Eu – É que precisa de açúcar, rsrs… Vem, vamos nos limpar.

Em seguida eu levei ela pro banheiro, lá lavei a mão dele e meu pau também, depois voltamos e deitamos na cama, logo tava alisando as coxas delas de novo, em segundos meu pau tava duro. Aí Sofia falou que iria no banheiro e foi, depois de uns 15 segundos fui atrás dela, pra minha felicidade ela deixou a porta aberta, aí eu entrei e fiquei penteando meu cabelo, enquanto isso ficava exibindo meu volume pra Sofia, pois tava sem cueca.

Minha priminha ficava olhando pro meu volume e ria, assim que ela terminou seu xixizinho, eu abaixei a tampa da privada e fiz ela sentar na mesma, em seguida tirei seu shortinho e sua calcinha. Depois fiquei esfregando meu pau em sua xoxotinha, ainda por cima do short que eu tava usando, aí peguei meu celular da mão dela e comecei a gravar um video.

Um tempo depois eu tirei meu pau pela perna do short e continuei esfregando ele na xoxotinha de minha priminha, meio que simulando uma penetração, eu fiz um vídeo de uns 2 minutos, que era só pra eu me masturbar deliciosamente mais tarde.

Em seguida comecei a me masturbar, logo minha priminha levou sua mãozinha até a sua bucetinha e começou a se “masturbar” junto comigo, assim nós ficamos até eu gozar em cima da bucetinha dela. Aí eu lavei a bucetinha dela, depois lavei meu pau, e em seguida voltamos pra minha cama, assim que sentamos ouvimos minha prima Julia (tia dela) à chamando.

Aí ela foi embora, mas antes eu peguei na mãozinha dela e falei – Você promete que não vai contar pra ninguém o que a gente fez hoje?. Ela – Aham. Eu – Então tá bem… Tchau. Ela – Tchau Mateus, eu te amo. Eu – Eu também te amo priminha, rsrs.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,21 de 19 votos)

Por # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Tonho

    Que amor

  • Responder Rola grande

    Delícia eu tenho muita vontade de arrombar a bucetinha de uma criança Caralho tel Ccruzsilva

    • Victor

      Já fiz isso com duas, uma de oito e outra de nove. Naquela época, a de oito ainda comi mais duas vezes, e a de nove mais uma, depois mudei daquele quintal. Cinco anos depois, encontrei a mais nova por acaso num shopping, e foi ela que me reconheceu. Conversamos um pouco, e fiquei sabendo que a mãe da outra menina, pegou ela no flagrante dando pro filho do dono das casas do quintal, e deu um barulho da porra, mas ela não contou nada de mim, pensaram que foi o pivete que tirou o cabacinho dela. Perguntei se ela deu tbm, ela disse que pra ele não, mas que tinha dado pro carinha da van escolar. Convidei-a pra tomar sorvete, e depois arrastei ela pra minha casa. Como já estava mais desenvolvida de corpo, tirei até as preguinhas dela naquele dia, depois nunca mais a vi.