# # #

Iniciando a minha afilhada! (Continuação)

1611 palavras | 9 |4.33
Por

Depois de acariciar minha afilhada prporcionando-lhe um orgasmo, passou o tempo e tivemos a oportunidade de partilhar mais prazer!

Me chamo Gilson, e vou continuar a relatar para vocês como revelei para Gabi as maravilhas da sedução. Desde a festa de casamento, eu e minha afilhada não tivemos muito tempo de contato, nos viamos rapidamente e conversávamos pouco pela correria que eu estava pelo final de ano. Mas apesar de pouca, nunca deixei de dar atenção à Gabi. No mês retrasado quando voltamos a ter mais intimidade, logo após completar 16 anos. Estávamos preparando nossa confraternização de ano novo e aconteceria no sítio da minha irmã que tem uma área linda de lazer e também um lindo riacho com água cristalina e bem tranquilo. No dia 31 de dezembro colocamos nossas coisas no carro e partimos no meu carro estavam duas sobrinhas (um de dez e outra de 13 anos) e uma amiga delas de 12 anos, no banco de trás e a Gabi sentada ao meu lado no banco da frente. Minha esposa, meu genro e minhas filhas foram no outro carro. No deslocamento ao falar com minha afilhada eu tocava na coxa dela que muito sorridente aceitava. Seu shortinho deixava suas coxas expostas me causando tesâo e logo fiquei excitado. No sítio tinha mais uns parentes que nos aguardavam e preparavam o almoço. Ao chegar me incumbiram de cuidar a garotada no riacho, pois quando viram a água ficaram agitados. Minhas filhas não demonstraram interesse pelo riacho, pois no sítio tem uma piscina. Então convidei a Gabi para me ajudar.
– Padrinho! Eu não sei nadar! E se elas forem para a parte funda?
– Aí você deixa comigo! Mas vamos controlar até onde podem ir!
Como faltava mais de hora para o almoço, fomos com as crianças para o riacho, levamos uma bola para brincarem nágua. As crianças brincavam felizes na parte baixa do riacho, eu e a Gabi só olhávamos.
– Você quer aprender a nadar?
– O senhor me ensina? Sério?
– Claro meu anjo!
Minha afilhada estava com um biquíni que realçava suas curvas e seu peitinho firmezinho. A peguei pela mão e levei ela para um lugar onde a água cobria seus seios. Preocupada ela segurava forte no meu ombro.
– Você tem que procurar se manter sobre a água!
– Como eu faço?
Peguei ela em meus braços e a coloquei de bruços segurando-os acima dos seios dela e a outra mão no seu ventre.
– Enche os pulmões de ar, movimenta tuas pernas para te manter em com d’água e com os braços puxa a água por baixo de você!
Ela tentou e suas pernas afundaram, então passei meu braço entre suas coxas com a mão na barriga dela. Quando Gabi mexia as pernas sua bucetinha roçava no meu braço, tanto ela como eu ficamos excitados. Ela treinou um pouco e pegou o jeito. Quando a soltei para ver se ela nadava sozinha ela se assustou e abraçou meu pescoço entrelaçando suas pernas na minha cintura.
– Me segura padrinho!
– Calma! Eu te cuido! – abraçando-a falei no seu ouvido apertando-a contra mim, e meu pau enrijecido precionava sua vagina. Beijei seu pescocinho e fiquei segurando-a.
– Comigo você está segura!
Ao sentir meu pau precionando entre seus lábios vaginais sobre seu biquíni, ela ficou quietinha com a respiração ofegante e deixou escapar um gemidinho de prazer. O movimento da água fazia com que nossos corpos balançassem nos dando muito prazer.
– Aqui me sinto segura! É gostoso ficar abraçada no senhor!
– Eu estou adorando! Ficaria aqui para sempre! Kkkk
Meu pau empurrava seu biquíni para dentro dela, então a suspendi um pouco segurando-a por baixou da bundinha e meu dedo tocou o cuzinho dela arrancando um gemido.
– Padrinho!
– Fale!
– O senhor disse que iria me dizer oque é orgasmo! Pois tive outro dia e me assustei! E acho que vai acontecer denovo!
Com essa afirmação meu pau pulou mais ainda. Eu quase não raciocinava mais, louco para cumer a Gabi e fazer esse orgasmo acontecer.
– Orgasmo é o resultado de carícias e toques íntimos que fazem o corpo da mulher manifestar um máximo prazer.
– Hum! Eu sinto quando estou no seu colo! Mas só quando seu pinto fica tocando minha pepeka! Kkkk
– Quando você tiver um namorado e ele te acariciar, e penetrar na tua pepeka vai ser melhor ainda!
– Sério? Melhor?
– Sim!
– Padrinho! Dói muito fazer sexo? Minha mãe disse que sim!
– Se for feito com carinho! Devagarinho, é muito prazeroso! Tu vais ver quando tiver alguém que goste de você e que te cuide!
Como as crianças já estavam se dando conta que a Gabi estava demorando no meu colo, a desci e fui conduzindo-a abraçado em sua cintura.
– Foi boa a aula de natação Gabi?
– Maravilhosa! Só preciso treinar mais! Mas foi nelhor ainda quando o senhor cuidou de mim!
– Você teve um orgasmo? – falei olhando nos olhos dela!
– Hoje não! O Senhor se afastou antes!
-E que o certo é você fazer com quem ama! Namorado ou marido!
Ela rindo chegou no meu ouvido dizendo:
– Então pode ser com o senhor! Eu lhe amo!
– Também te amo, mas sou teu padrinho!
– Minha mãe disse que é muito vergonhoso sentar no colo de algum homem, mas eu gosto do seu colo!
– Eu te dou colo, mas ninguém pode saber a partir de hoje!
– combinado! – E me deu um selinho.
Eu estava decidido cumer aquela ninfetinha, mas ali com as crianças não tinha como. Brincamos um pouco mais com as crianças e seguimos para as casas, que eram uns dez minutos de caminhada. Minha afilhada se enganchou no meu braço.
– Gabi, vamos evitar ficar muito juntos na frente do pessoal! Coloca teu short não quero que pensem que fizemos algo errado!
– Mas não fizemos nada errado! Ou fizemos?
– Não! Não fizemos! Temos que ter cuidado porque quanto experimentamos carinhos íntimos, queremos estar sempre junto e as vezes as pessoas vêem maldade!
– Sim! Mas não posso ficar no seu colo?
– Só quando ninguém estiver perto!
– Tá bom!
Eenquanto ela vestia o short por cima do biquíni eu imaginava como faria para transar com ela, pois tinha muita gente no sítio. A noitinha o pessoal se reuniu na beira da piscina, bebiam e se divertdivertiam. Eu beijava o copo e passava adiante, não demorou muito estavam todos bem alcoolizados. Já fazia tempo que eu estava sentado e quando minha afilhada chegou perto me levantei.
– Vou espichar um pouco as pernas! Quem quer dar uma caminhada?
Gabi deu um sorrisinho, perguntando.
– Posso ir junto Madrinha?
– Pode! Minha filha! Teu padrinho te cuida!
Ela saiu saltitando na minha frente. Quando estávamos fora da visão deles, peguei na mão dela e fui em direção a um carramachão, onde tem churrasqueira, uma mesa com dois bancos.
– Que legal isso aqui padrinho!
– Sim! E bem sucegado ! Kkkk
Gabi se abraçou em mim ficando bem juntinha, ela estava com um vestidinho curto, brinquei com meu nariz no dela, quando ela fechou os olhos e me beijou com sua linguinha explorando minha boca. Levei minha mão apertando a bundinha dela, fazendo com que meu dedo deslizasse pelo seu cuzinho.
– Humm! Delícia!
– Te amo Gabi!
Determinado, coloquei ela sentada na mesa e fui com muita sede até sua bucetinha, afastei a calcinha e chupei com muito prazer, lambendo seu clitóris e toda a extensão.
– Aiii! Que gostoso padrinho!
– Vou fazer você sentir muito prazer!
Ela colocou suas coxas nos meus ombros e dobrava suas pernas, seus calcanhares forçavam- me contra sua grutinha. Depois de saborear bastante, deixando ela em êxtase, passei a lamber seu cuzinho, que piscava excitado, fui forçando e aos poucos o penetrava com minha língua, sem muita demora ela cerrou suas coxas num orgasmo com muitos gemidos. Levantei em sua frente e com o meu pau duro, pedi que ela chupasse.
– Então me diz como, pois eu nunca fiz isso!
Fui orientando ela e logo ela já chupava e lambia muito gostoso. Sua boquinha sedenta punhetiava maravilhosamente até que senti que iria gozar.
– Vou gozar meu anjo!
Gozei no rostinho dela atingindo seus lábios, Gabi passou a língua em volta da boca sorvendo meu esperma.
– Que gostoso! Adorei!
Pegando na base do meu pau voltou a chupar deixando limpinho e acariciando minhas bolas. A levantei beijando seus lábios carnudos, virei ela de costas, introduzi meu pênis entre suas coxas roçando na bucetinha dela, com suas mãos firmando na mesa ela arrebitada a bunda como querendo ser penetrada. Então coloquei meu pênis na entradinha e formei precionando o grelinho, Gabi deu um gemido forte e extremesseu gozando, jogou seu corpo para trás e quando entrou a cabeça do meu membro eu recuei gozando na entradinha. Apertei ela nos meus braços e ficamos um tempo curtindo em transe enquanto meu esperma escorria nas coxas dela.
– Padrinho, quero sentir teu pênis dentro de mim!
– Na próxima vez eu penetro na tua bucetinha! Agora vamos que já devem estar nos procurando!
Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 30 votos)

Por # # #

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Lidi

    Amei

  • Responder docboy

    excitante. conte mais.

  • Responder Rafaella

    Bonzinho.. Beijos !!!

  • Responder Mauro Campos

    Mto bom !

    • Cibele

      Mauro me fala teu novo tel.

  • Responder Beto

    Delicia ! Me lembrei da minh afilhada na piscina… BetoV75

  • Responder Ingrid Inigualável

    Uau!!!!!!!!!! Amei!!!!!!!! Muitíssimo excitante mesmo! Fiquei toda meladinha e toda tesuda!

    • Beto

      Muito excitante mesmo!

    • Edesio

      Posso fazer com vc ?