#

Dona Elizabeth a empregada da minha avó

2369 palavras | 2 |3.33
Por

Relato de um menino solitário que vivia com a avó, que trabalhava fora, e contratou Elizabeth um coroa para ser sua empregada domestica.

Eu estava com apenas 10 anos, quando minha mãe me entregou pra minha avó, depois de ter se separado do meu pai, que sumiu no mapa, ela arrumou outro homem e me deixou com minha avó, que vivia sozonha numa chacara cercada de empresas, longe de tudo, numa rodovia, só tendo de vizinhos empresas barulhentas, a chacara era grande, cercada por muros altos e com lanças, minha avó saia de carro as 5 da madruga, me deixava na escola, a qual eu chegava bem cedo e ficava dormindo sentado num banco até a aula começar, depois ela passava la me buscava na hora do almoço e me deixava em casa, onde eu ficava trancado, ficava no video game a tarde toda, ou na tv, ou no computador, quando tava muito sol ficava na psicina, mas a solidão era horrivel, a casa ficava muito bagunçada, pois eu não fazia nada, a não ser ficar nas coisas que me distraiam, devido isso ela contratou D. Elizabeth, uma coroa de 50 anos, loira, de estatura mediana, magra, era bonita, barecia muito comigo, pois eu bem branco, cabelo meio vermelho, por isso o apelido Mandruva, ela tambem bem parecida comigo, ja minha avó bem diferente, Elizabeth foi contratada pra cuidar da casa, fazer comida, e iria dormir la tambem, e ela veio justamente quando minhas ferias escolares começaram, no ano de 2010, certa vez eu estava na sala no video game, e as duas no sofá assistindo novela, as duas falavam sobre a vida de D. Elizabeth, que disse que nunca teve nenhum homem, passou a vida cuidando dos avós, depois dos pais, e nunca teve tempo pra viver sua propria vida, e agora nem onde morar tinha, ainda bem que estava ali, minha avó disse que iria pegar no turno da noite e iria dormir duranteo dia, no soton, assm ninguem a incomodaria, pois la era a prova de som, no dia seguinte, eu acordei as 8:00hs, fui pra cozinha tomar café, D. Elizabeth falou, se quiser pode tomar em frente a tv, qualquer coisa eu limpo tudo, ela era muito boa comigo fazia coisas gostosas, era muito bom. eu ja batia algumas punhetinhas, pois na escola os meninos la batiam, ficavamos tentando ver as calcinhas das meninas, mas nunca pensei em tentar ver a de uma coroa, nem me passava pela cabeça, mas certa vez estava calor, eu coloquei um short e fui pra piscina, peguei uma boia e la fiquei brincando sozinho de pular e passar por dentro da boia, ai amarrei umacorda de um lado ao outro dapiscina e ali fiquei tentando atravessar equilibrando, minha avó havia viajado a trabalho só voltaria dois dias depois, foi quando eu vi D. Elizabeth saindo de dentro de casa e indo em direção a piscina, ela levou sorvete, me chamou pra tomar, eu fui tomamos e ela tira o vestido ficando só de calcinha e sutiã, e fala, Vou dar uns mergulhos, ta calor demais, ai caiu na agua, eu fui atraz, eu havia prendido a nadar sozinho, vendo videos de aulas, ai ela me pediu pra ensina-la eu usei a bóia e fui ensinando ela, muito bom, passamos a nadas sempre juntos, mas ela de calcinha quando molhava aparecia os pelos da buceta, coisa que eu só havia visto em filmes pornos, aparecia tambem os bicos dos peitos, eu olhava, sem disfarçar, afinal, era curioso em saber mais, mas ai veio uma semana de frio, não havia como entrar na piscina, eu ficava curioso em saber mais, ver ela só de calcinha e sutiã, comecei a bater punheta pensando nela, ficava tentando ver ela tomando banho, mas não havia como, a não ser pelo vitro do banheiro, que tinha um furo no vidro, mas era alto, eu comecei a vasculhar na garagem e achei um escadinha de uns 5 degraus era o suficiente, levei a escadinha pra debaixo da vitro do banheiro, como ela tomava banho a noite era só eu tomar cuidado pra não encostar muito na senão era podia me ver, aproveitei ela se preparar pra tomar banho, e assim que ela entrou eu fui e coloquei a escadinha, subi e vi ela tirando a roupa, que delicia, ai ela colocou a calcinha no box, o sutia tambem e começou a se banhar, eu olhando vi a buceta dela bem peluda, os bicos dos seios, uma delicia, ai ela começou a se secar eu me preparei pra descer da escada que era de aluminio, escondi a escada e entrei em casa, ela saiu, pegou a calcinha e o sutia que havia lavado e pendurou no varal, na época aidna era o celular de tecla, mas ja dava pra filmar eu peguei o meu e ja deixei preparado, no dia seguinte eu filmei tudo, foi muito bom, passou a ser as inspirações de minhas punhetas, o calor voltou e a gentevoltou a nadar de novo, era muito bom, mas ai teve um dia que ela passou o dia todo fazendo faxina, eu brinquei sozinho a noite quando ela foi tomar banho, eu me preparei e comecei a ver e filmar, mas dessa vez deixei o celular ligado filmando dentro do banheiro escondido, e vi ela tirando a calcinha mas deixou pendurada na fehcadura da porta, tomou banho se secou, e o telefone tocou, ela se vestiu e saiu pra atender, eu imediatamene entrei e peguei a calcinha que ela havia deixado, e levei comigo, entrei em meu quarto e cheirei, estava bem humida, com cheiro forte de buceta, eu nunca havia sentido, mas gostei, bati uma boa punheta, lambi, foi muito bom, o tempo foi passando as aulas voltaram, eu sempre que tinha oportunidade filmava, e mandava tudo pro meu e-mail, aquele ano foi muito bom, viajei com D. Elizabeth, pois minha avó pagou pra ela me levar a praia, era muito bom, mas eu sempre querendo mais, ja havia visto ela pelada muitas vezes, ja tinha varias calcinhas dela comigo, e comecei a devolver aos poucos, pois ela acabaria pegando, e ficaria ruim, enfim chegou as ferias de 2011/12, minha avó que era enfermeira estava trabalhando num hospital que era mais longe, assim ficava alguns dias fora, mas ai ela volteou numa sexta feira cançada, e pediu pra eu ajudar a descarregar o carro, eu fui, havia muita bebida alcolica, conhaque, cerveja, vinhos, varias marcas de cachaça, D. Elizabeth falou, que estava sentindo falta de tomar umas, isso ja deu a entender que ela gostava muito, mas havia tambem muito refri sorvete, guloseimas, elas ja pegaram as cervejas que estavam geladas e começaram a beber, ai colocou mais no friser, e começaram a fazer alguns comes e bebes, terminaram com duas latas de cerveja, e ja começaram num vinho, terminaram, pois bebiam rapido demais, e logo estavam de volta a cerveja, depois começaram a beber outra bebida, não demorou e estavam cambaleando, as duas falava coisa com coisa, minha avó ja capotada no sofá, só resmungando D. Elizabeth ainda falava mas nem conseguiamais ficar de pé, ai ela ajudou minha avó a chegar na cama, e depois voltou a sala, perguntou da bebida dela, que estava bem na frente dela e ela nem via, ai eu peguei e coloquei mais vinho, coloquei outra bebida doce, acho que martini, ainda coloquei outra la que nem me lembro ela bebeu, eu coloquei mais ela bebeu, e ja nem sabia mais adireçã odo quarto, eu a conduzi,chegando la ela deitou, eu abria a calça dela, e tirei, pois era de pano fino, e folgada, a deixando de calcinha, fiz esforço mas tirei sua calcinha, e vi a buceta dela, inchada, cabeluda, abri as pernas dela cheirei, beijei, enfiei a lingua, lambi, enfiei o dedo, começou a sangrar, eu me apavorei, fiquei em panico tentei limpar, até que parou, coloquei a calcinha nela, a calça, sem conseguir subir direito, a cobri e voltei a sala, arrumei tudo, e fui dormir, até pesadelo eu tive, no dia seguinte, as duas morrendo de dor de cabeça, mal conseguiu fazer o café, eu tive que ajudar, ai tomei café, ajudei ela a tomar tambem, depois ela voltou a dormir, e levantou na hora do almoço, minha avó comprou comida, almoçamos e estavam melhor, no dia seguinte, minha avó foi chamada pra trabalhar e iria ficar alguns dias fora, estava tudo bem. foi quando D. Elizabeth me chama, Vem aqui quero falar com você, Eu percebi que ela estava séria. ai ela falou. Olha vc foi atrevido demais, nessa idade você ja é um estuprador, eu estava bebada, e você se aproveitou de mim. e agora. tua avó vai saber. Eu implorei a ela, chorei, tremi, até desmaiei, pois ela me assustou dizendo que eu iria pra cadeia, me tranquei, mas ai ela veio falar comigo, Olha esquece o que eu disse, você tambem não tem nem com quem brincar, é sozinho aqui, eu te entendo. não vou falar nada. mas você me promete que não fara de novo. Eu prometi, e voltamos a ser amigos, a nadar juntos, se passaram umas duas semanas, o dia ficou chuvoso, ai sentamos na sala, e ela me falou. O que você fez comigo naquele dia que bebi. você me penetrou? Eu disse que não. só havia cheirado e colocado o dedo. Ela. Foi bom? o que você sentiu. Eu sem jeito de falar. fiquei de cabeça baixa. ela pediu pra eu falar, eu me neguei e ela começou a passar a mão no meu rosto. e me beijo na boca. eu correspondi, um boca grande, carnuda, foi bom demais, ja havia beijado algumas meninas, mas só celinho, agora foi um beijo de lingua gostoso, ela disse que queria fazer a tempo, só não tinha coragem. foi muito bom, ela disse que erasegredo nosso, disse que ela seria mesmo presa se alguem descobrisse, e minha avó a mandaria embora, e ela iria ficar na rua, eu disse que ninguem jamais saberia, ai ela falou entao você vai ser meu namorado, escondido, ta bom? Eu é claro que concordei, ai ela falou agora você vai fazer outra coisa. quer cheirar agora mesmo? Eu. Claro que sim. Ela abriu as pernas estava de saia. tirou a calcinha, colocou dentro do sutia, e falou. Vem se ajoelha ai no chão. eu ajoelhei. e vi aquela buceta delicia. depilada. lisinha, ela falou. enfiaa lingua e lambe bem, eu enfiei a lingua ela falou. que gostoso, vai lambe eu ficava passanod a lingua e ela falou. Lambe bem esse pontinho ai. eu lambia muito e fui pegando mais o frelinho e chupando elagemendo hurrando de prazer eu lambia ela seguranço firme minha cabeça, eu lambendo, o pescoço ja doendo, ela me apertou mais, minha cabeça quase entrou dentro dela, eu ja quase sem ar, ai ela me solta, eu todo vermelho. ela com as mão cheias de cabelos que arrancou de mim, ela molhada de suor, ficou um tempo ali com os olhos fechados, ai se levantou foi ao banheiro me chamou, eu fui, ela lavou meu rosto, e me beijou, ai mesmo ali, me fez chupar seus seios, ai depois fomos pro quarto dela, onde ela me chupou, foi muito bom, eu senti algo saindo do meu penis, foi a primeira vez que ejaculei. e foi na boca dela, foi muito bom mesmo, a noite dormimos juntos eu a chupei por horas, aipassou a ser todos os dias eu achupando elame chupava asvezes, nos beijavamso direto, eu chupava os seios dela, tomavamos banho juntos todos os dias, aquele ano foi muito bom, eu ja nem sabia mais o que era dormir sozinho, no ano seguintea mesma coisa, muito bom, e quando eu completei 13 anos, ja viciado em sexo, penetrava ela de todas as formas, era muito bom, na escola eu pegava algumas meninas, quando fiz 14 anos eu ja bem alto, transando com D. Elizabeth a qual ja dormiamos juntos como marido a mulher todos os dias, pois minha avó nem se importava, devido o trabalho estava sempre bem ocupada. na escola, eu namorando com uma garota a qual ja estava comendo tambem, pois as vezes matavamos aula e iamos a sua casa, pois ela ficava sozinha, fiz 15 anos, e ainda com as duas, mas ai certa vez Jéssica a menina que eu namorava, pegou em meu celular a foto de Elizabeth. e fez um escandalo. filha da puta, ta me traindo. e terminamos. eu falei com ela que era somente a empregada, mas ela não acreditou, Jéssica que ja tinha 16 anos, costumava pegar a honda bis do pai dela pra andar e acabou indo a chacara de minha avó. Elizabeth a atendeu, e a deixou entrar, Jéssica disse que era minha namorada, mas Elizabeth não sabia, quando Jéssica mostrou imagens da gente transando Elizabeth a agrediu, eu fui separar e acabei apanhando tambem, Elizabeth virou o bicho, me ameavaça dizendo que iria matar minha avó, caso eu a deixasse, caso eu a traisse, eu passei a ter que faze só com ela, todos os dias, ela ameaçou Jessica tambem, a fez ficar calada, senão ela iria sofrer, Jéssica certa vez ligou dizendo que sua mãe ja estava sabendo, falou bem pra Elizabeth, eu nem a reconhecia mais, era outra pessoa, só sei que ela falou que Jéssica iria sofrer, e a mãe de Jéssica apareceu morta, foi alvejada com um tiro de 38. a policia investigou mas ninguem acusado, não havia prova de nada, Jéssica ficou até depressiva, ja eu e Elizabeth, esta zuado, ela me batia e me ameaçava, ameaçava minha avó, me obrigava a chupar sua buceta a noite toda, eu dormia chupando ela, ela me acordava, me obrigavaa fazer mesmo sem eu querer mais, me chupava forte, me mordia, ameaçava cortar fora. tudo passou a ser horrivel, ficamos assim por um ano, até que ela teve um ataque e morreu. hoje eu sou casado com Jéssica e somos felizes.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,33 de 9 votos)

Por #

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Paulo

    Seu conto é muito bom e bem detalhado, pena sua vida ter se transformado numa tragédia momentânea , mas agora está tudo bem , felicidades ao casal.

  • Responder Anon

    Começou bem e terminou uma bosta.