# # #

As ninfetas evangélicas defloradas – Capítulo 3 – Os gritos de Melissinha, pregas estouradas

1852 palavras | 2 |3.13
Por

Hum…hum, então vou querer foder ela junto com a Melissa, duas crentinhas, branquelas e virgens, meu prato preferido…

Indicamos lerem o capítulo Um e o Dois para entenderem melhor esta série de contos.

Estávamos eu, o Nego e o Nelson tomando umas geladas como sempre, no intuito de observar as delicinhas evangélicas da igreja que ficava ao lado no bar e quem sabe papar mais algumas cabacinhas.

O Nelson estava ansioso para a chegada da Melissa e comentou:

Carlão, não sei não, mas acho que a Emanuele não pisa mais nesta igreja hem, nem a Tamires e a minha rabuda da Melissa, que estou louco para engatar no cuzinho, apareceram essa semana e olha que estou de olho o dia inteiro e nada delas.

Ri um pouco da frustração do Nelson e respondi:

Que nada amigo, logo elas aparecem sim, também depois da enterrada que o Nego deu na Emanuele, a bucetinha dela deve ter ficado dolorida por dias e pelo que fiquei sabendo, mais tarde tem ensaio de dança delas e garanto que vão vir, mas se não virem hoje, olhem aquelas três que estão chegando, a loirinha eu conheço, se chama Laura e fiz um serviço na piscina da casa dela, seus pais são rígidos demais, dei sorte no dia e vi ela de biquíni.

(Não se esqueçam, no blog julydelicias.blogspot.com tem muitas fotos e vídeos deste conto, muito bom).

Fui falando e o Nelson com o Nego ficaram babando de olho nela.

Continuei:

Ela é toda branquinha e parece até ser muda, quase não fala e se pudesse, acho que seus pais colocariam um cinto de castidade nela; neste dia que eu estava lá, observei que ela tem uma bocetinha pequena com os lábios bem justos e contraídos, deve ter uma racha muito estreita e a bundinha não é grande, mas tem um formato muito atrativo e os seios bem durinhos e médios.

O Nego riu e respondeu:

Se usar esse cinto eu estouro com os dentes e depois enterro a tora nas entranhas dela e arrebento as pregas desse rabinho branquelo.

Também ri e disse:

Já vi ela várias vezes com a Melissa, acho que é uma das poucas amigas dela.

Nisso o Nelson resmungou:

Hum…hum, então vou querer foder ela junto com a Melissa, duas crentinhas, branquelas e virgens, meu prato predileto hahaha…

Na mesma hora eu retruquei:

Calma aí amigo, aqui agente divide o lanche, você me disse que queria foder a Melissa primeiro que nós e eu respeitei, mas agora já quer a Laura junto, vamos devagar que não é assim que funciona, eu e o Nego também somos tarados pela Melissa e eu não dei o bote nela aquele dia por respeito à você, então não gostei dessa sua atitude e agora se vire, ajeite ela sozinho se quiser, pois agora eu também vou querer fode-la primeiro.

O nego concordou comigo, mas pediu calma, enquanto o Nelson ficou com uma cara de cu e não disse mais nada e achando que a Melissa não viria naquele dia, falou que iria resolver uns problemas e saiu.

Foi o babaca do Nelson sair e minutos depois chegou a Melissa e ficou conversando com a Laura e o Nego acenou para ela, que deu um riso meio forçado e mais nada.

O Nego assim como eu, estava tarado para foder aquelas crentinhas, mas bem mais atirado, chamou Melissa dizendo que precisava falar urgente com ela.

Ela, além de ser muito deliciosa e linda, também era muito educada, veio na nossa direção para ver oque o Nego queria com ela e ele se aproximou dela, cumprimentou-a pegando em suas mãos e foi puxando delicadamente para dentro do bar, ficando longe da visão de Laura e das outras crentinhas que estavam curiosas olhando para nossa direção.

Melissa era uma delicia de garotas, as poucas vezes que ia na academia, deixava todos babando de vontade penetra-la, seu rabo era seu cartão de visita e ela sabia bem disso e adorava provocar.

Voltando naquele dia, o Nego foi levando ela aos fundos e dizendo que precisava falar com ela num lugar tranquilo e chegando próximo da entrada que dava em seu apartamento, disse:

Melissa, minha linda, estou muito preocupado, oque houve com a Emanuele, pode me dizer?

Ela fez uma cara de espanto e respondeu:

Ah, você sabe bem oque aconteceu, ela não está nada bem.

Nego:

Nossa, ela te falou que transamos?

Melissa:

Af, disse sim, mas não gosto de falar dessas coisas.

A partir desse momento, o malandro do Nego começou a forçar o papo e mentir sobre como ele tinha descabaçado a Emanuele.

Nego:

Poxa Melissa, não sei como ela contou como foi, mas ela ficou louca de vontade e pediu para ver o tamanho do meu pau, eu mostrei, ela achou bem grande e aí ela começou a chupar.

A Melissa começou a ficar inquieta com aquela conversa, mudou o semblante e falou:

Af, nossa, pare de explicar oque aconteceu, não gosto de ouvir essas coisas, outro dia vocês conversam e resolvem tudo.

Nego:

Eu entendo Melissa, mas não quero que você pense que ela não queria, pelo contrário, foi ela que pediu para eu enfiar nela e ela delirou de tanto tesão quando fui penetrando a boceta dela e eu até falei para ela que era melhor eu foder só o cuzinho, pois aí não teria problema quanto a virgindade dela.

Melissa ouviu essas últimas palavras dele e ficou inquieta e na curiosidade perguntou:

Como assim, atrás dela não teria problema?

Nego, sentindo que estava ficando mais próximo de inaugurar o rabicó da Melissa e socar os feijões daquele rabão virgem, respondeu:

Sim, muitas mulheres, principalmente as certinhas como você, apenas chupam e dão o rabo, pois a virgindade continuará intacta, me entende?

Melissa:

Af, coisa esquisita, deve doer muito.

Nisso o Nego notou que melissa estava ficando muito curiosa, abriu a porta do apartamento e puxando ela, disse:

Entra um pouquinho aqui, vamos conversar numa boa, depois você vai.

Ela um pouco relutante, disse:

Meu ensaio começa daqui a quarenta minutos, preciso ir.

Nego:

É rapidinho, entra só um pouquinho, por favor.

Ele a puxou com um pouco mais de força, entraram e ele travou a porta.

Já no quarto, se sentaram na cama e ele foi para cima dela, que virou seu rosto não deixando ele beijar sua boca, mas ele começou a chupar seu pescoço e enfiar sua língua adentro do seu ouvido, tirando os primeiros gemidos da Melissa, que resmungava, dizendo para ele parar e ele abaixou sua bermuda e botou seu jegue para fora, dizendo:

Olha aqui Melissa, você acha muito grande?

Ela estalou os olhos, boca aberta, respondeu:

Nossa, guarda isso por favor, nem vou falar nada, oque eu estou fazendo aqui.

Nego:

Responde se já tinha visto um assim, gostou?

Ela sem tirar os olhos do jegue do nego, não conseguia nem disfarçar, respondeu:

Não, nunca vi de nenhum tipo, nunca.

Nego vendo que o momento para estourar as pregas da melissa era aquele, apelou e jogou pesado numas mentiras, dizendo:

É o seguinte Melissa, faz só uma chupetinha pra mim agora, sei que vai gostar, senão suas amigas da igreja vão saber que uma cara já andou pegando você no matinho, entendeu:

A boca da melissa era suculenta e deliciosa, assim como sua rabada, qualquer um adoraria socar o cacete nelas.

Melissa, mudou novamente o semblante, ficou raivosa e exclamou:

Oque ele te falou, não aconteceu nada, não fiz nada, vou embora.

Ela foi se levantando e ele a agarrou por trás, dizendo que o cara tinha filmado tudo.

Ela ficou pasma, não sabia oque fazer por segundos e nisso o Nego jogou-a na cama, encostou o pau na boca, segurando a cabeça dela, foi fazendo ela engolir e sem saber como fazer, teve que aprender a chupar.

Ela foi chupando meio que na repulsa, com o Nego adorando aquilo, já de olho no cuzinho e sem preder muito tempo, deitou-a na cama e começou a chupa-la freneticamente, fazendo com que Melissa gemesse loucamente e delirasse com a língua dele, hora na boceta e hora lambuzando o cuzinho, deixando-o bem molhadinho para facilitar o rompimento das pregas quando o jegue penetrasse fundo.

Não demorou e o Nego à deixou de quatro, começando a abrir caminho, mas aproveitando que ela estava mole e delirando de tanto tesão, também achando que poderia não ter outra chance como aquela, socou logo na boceta e foi tirando gritos altos dela, que nada mais podia fazer, pois a estocada foi fatal, enterrando e bombando sem parar.

Melissa, vinte aninhos e tendo sua boceta arregaçada por um pau negro, era um cabacinho, ela delirava, gritava e gemia, tinha esquecido até do ensaio, bastou apenas uma faísca se aproximar para a crentinha se soltar e pegar fogo na vara e é como eu penso, as crentes, aquelas que demonstram-se toda certinha, essas são fáceis fáceis de botar pra dentro, enterrar até no cuzinho, basta apenas uma oportunidade e um pouco de boa lábia, porque pau elas querem dia e noite.

Depois de meter fundo na pepeka da Melissa, o nego disse para ela ficar tranquila, que ele iria por apenas a cabeça no cu dela, mas se acha que ele fez isso? Que nada, após enfiar a cabeça, mesmo com os gritos dela, engatou a quinta e foi até parar nas bolas, o cuzinho virgem dos vídeos e fotos acima, estava completamente com todas as pregas estouradas e ela dizia:

Aí, Aí, tá doendo meu cuzinho, para, para!!!

Mas ele socava a tora com força e se lambia por estar fodendo a Melissinha, uma jovem que muito e muitos queriam foder.

Ele fez a refeição completa, com tira gosto, almoço e sobremesa e após acabarem, ela ficou suspirando e com cara de envergonhada, mas ele para acalma-la disse:

Fica fria amor, isso aqui é segredo nosso, vou querer te foder outras vezes com certeza e quando quiser um suco com as amigas, pode vir que é por minha conta sempre e aproveitamos para conversar; e outra coisa, tenho certeza que você gostou de dar para mim e isso aconteceu porque tinha que aconteceu, sua virgindade nunca será mais importante que sua felicidade, entende? Muitas vezes você se guarda durante anos para um homem que jamais irá te merecer, então seja feliz meu amor.

Ela ficou um pouco mais calma, tomaram uma ducha juntos, mais foda na bocetinha dela e foi atrasada para o ensaio.

Esse conto fica por aqui, veja as fotos abaixo aqui no blog e escolha duas crentes virgens para estarem perdendo seus cabaços no próximo capítulo, agradecemos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,13 de 8 votos)

Por # # #

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Arthur

    Que bosta de conto, você não pega nem coronavírus, mentalidade de moleque, unica coisa que deve fazer, e muito mal, é bater punheta.

  • Responder Anônimo

    Nao achei o blog tem outro lugar?