# #

As Aventuras da Eduarda Parte 03

1557 palavras | 6 |3.83
Por

Era manhã de domingo eu acordo com o telefone tocando, era a mamãe para me dar os parabéns e saber que horas dindo me levaria para casa, conversamos um pouco me levantei eu fui para o banho e deixei ela conversando com ele no telefone.
Quando entro no banheiro o Tio Mauro estava no chuveiro logo que me viu me chamou para entrar no banho com ele.

– Bom dia gatinha.

– Bom dia tio.

– Parabéns pelo seu aniversário princesa.

Antes mesmo deu poder agradecer, ele me puxa e me beija o rosto e começa a percorrer o meu corpo com as mãos até alcançar minha bundinha e aperta-la com força, me fazendo ficar colada ao corpo dele, então sinto o dedo dele indo em direção a minha bucetinha, começando a massagear meu grelinho por trás.
Naquele instante sinto o pau dele totalmente duro e começo a gemer baixinho com o toque dele, então ele me vira de costa para ele me empurrando contra parede, ele abaixa abre minha bundinha e começa a lamber meu cuzinho até chegar na minha raxinha.
Eu delirava com as lambidas dele ora no cuzinho, ora na bucetinha, comecei a sentir uma quentura pelo meu corpo, as vezes eu queria parar, sair dali, más! o tesão falava mais forte.
Tio Mauro, se levanta fecha o chuveiro, manda eu me apoiar na beira da banheira, sinto ele forçando o dedo no meu cuzinho.

– Aiii!! tá doendo tio.

– Calma bebe relaxa.

Então ele pega o tubo de KY e começa a passar em volta do meu cuzinho e sinto que ele força o dedo para entrar.
Chego a impulsionar o corpo para frente, ficando só nas pontas dos pés.

– Aiiiiiii!!!! doeu.

– Calma, calma relaxa.

Ele começa um vai e vem com dedo dentro de mim, tentando alargar meu cuzinho para receber o cacete dele.
Ele com uma mão me segura pela cintura e com a outra começa a pincelar aquele cacete todo babado e louco para entrar o meu buraquinho, sinto que ele força e a cabeça entra.

– Aiii!!!! ahmmmm!! calma tio devagar.

Sinto ele enterrando todo dentro de mim, chegando a encostar as bolas na minha bundinha.
Nisso Dindo entra no banheiro e fala:

– Mauro não acredito que você já está fodendo a Duda logo de manhã.

– Desculpa, mas estava louco para comer o cuzinho dela desde ontem, e saber se realmente ele é guloso como você mesmo disse.

Dindo solta uma gargalhada me olha e fala:

– Agora que você sabe que é guloso, termina com isso logo, porque eu preciso levar ela embora para casa dela.

Os dois conversavam normalmente, enquanto eu estava ali, sendo enrrabada, sendo usada como um objeto.
O dindo sai do banheiro deixando nos dois ali, tio Mauro começa um vai e vem frenético, fodendo meu cuzinho como um animal, eu gritava e gemia como uma cadelinha, a cada estocada sentia o cacete dele bater no meu intestino, até que ele me segurou com força, me apertando contra ele para sentir o mais fundo possível e começa a gozar, enchendo meu rabinho de porra.
Terminamos o banho, saio me troco colocando o presente da minha mãe e calcinha de renda que o dindo me deu.
Chegamos em casa, fico sabendo da surpresa da festa, tinha vários convidados entre eles alguns amigos e amigas do colégio, passamos uma tarde de domingo divertida apesar de ainda estar sentindo um pouquinho de dor em baixo e atrás.
Nas semanas seguintes não vi o dindo nem um dia, nós só nos falávamos por telefone, apesar da vontade de foder com ele ser grande eu precisava dar um descanso para minha bucetinha e pro meu cuzinho, afinal estava chegando o feriado de 04/06 íria cair numa quinta-feira e na sexta seria dia ponte no colégio, como meu pai trabalha dando plantão ele entraria na quinta a noite e só sairia na sexta a noite e minha mãe tinha parto marcado para sexta-feira então eles só poderiam viajar para o sítio no sábado de manhã, sendo assim eu teria dois dias para aproveitar bastante com o Dindo.
Na quinta logo de manhã ele chega em casa para me pegar para irmos para o sitio, chegamos la por volta de umas 10hs entramos e como sempre já tirei minha roupa dentro do carro mesmo.
Minha vontade de sexo era grande que nem bem entramos na casa já me ajoelhei na frente dele e comecei a fazer um delicioso boquete nele, eu queria sentir o sabor da porra dele, eu precisava engolir, aquilo era como um estimulante, eu bebia a gala dele e me sentia com muito mais tesão, eu deixava de ser a Duda e passava ser a putinha dele, ficava pronta para servir ele como um objeto sexual não me importando como, nem onde ele iria me usar.
Fiquei ali chupando ele sem parar, colocava o cacete dele todo na minha boca, sentindo ir até minha garganta, as vezes eu engasgava , chegava a babar e os olhos a lagrimejar, mas eu queria mais e mais até que, por fim ele não aguentou e me deu o tão esperado gozo, eu engolia aos poucos, queria sentir aquela gosma na minha boca, saborear cada gotinha, não queria perder nem uma só.
Ele me olha por uns instantes.

– Duda, cada dia que passa você esta mais putinha hem menina.

Olho e sorrio, passando o dedo pelo canto da minha boca e levando ele ate minha língua.

– Sou sua putinha dindo, sua cadelinha, seu brinquedinho sexual, vem brincar com seu brinquedinho, me mostra quem manda.

Ele me olha, me pega pelos braços me joga de bruços no apoio lateral do sofá me deixando de bundinha para cima com o cuzinho exposto para ele e me fala: você quer saber quem manda? Então eu vou te mostrar quem manda, vou te mostrar para que você serve, ele encosta a cabeça do pau dele na entradinha do meu cuzinho e sem dó começa a forçar a entrada a seco. Eu começo a gritar de dor, as lágrimas começam a escorrer, ele me olhava e empurrava mais, eu sentia o pau invadindo meu cuzinho, aquilo ardia como fogo, eu gritava e gemia. Aiii!! hummm!!!! ahmmmm!! tá ardendo Ohhhhh!!!!, ele só repetia fique quietinha cadelinha seu cu é meu vou foder ele como eu quero e do jeito que eu quero, e fazia movimentos entrando e saindo, tirava tudo e colocava novamente, as vezes ele intercalava as enterradas entre o cuzinho e minha bucetinha, apesar da dor eu não pedia para parar, eu queria mais, e pedia para ele colocar com mais força, ele ouvia e dizia: Quer mais forte putinha, então toma…toma…toma, ele falava e me dava palmadas fortes na bundinha que eu chegava a berrar.
Ele me pega forte segurando o pau dele todo no fundo da minha bucetinha e começa a ficar ofegante e sinto que ele enche minha bucetinha de leitinho quente, sinto as jorradas batendo no meu útero,
Ele sai de dentro de mim, senta na minha frente no sofá e manda eu limpar o pau dele como minha boca, e começo a chupar, ainda debruçada no apoio, sinto que a gala dele começa a escorrer pelas minhas pernas.
Exausta me deito no tapete por um tempo recuperando as forças para levantar, depois de um tempo saimos para a parte externa da casa, próximo a piscina, tem um quiosque com algumas poltronas para deitar e relaxar um pouco fui deitei e acabei pegando no sono.
Não sei quanto tento eu dormi, lembro, de esta sonhando, que estava sendo lambida, aquela sensação estava gostosa eu não queria acordar, mas de repente sinto uma lambida mais forte e acabo acordando assustada e quando olho vejo o Thor próximo a minha poltrona, com o focinho entre as minhas pernas fico sem entender, olho para o lado, dindo estava sentado me olhando rindo.

– O que foi amor se assustou? Não gostou dos carinhos do Thor?

Fico olhando sem saber o que responder e ao mesmo tempo sem ação.

– O que aconteceu aqui dindo?

– O Thor estava fazendo carinho em você.

– Como assim fazendo carinho, o que você está falando?

– Duda era ele quem estava lambendo você, enquanto você dormia, eu fiquei aqui olhando e pelo jeito você estava gostando.

Quando ele fala, eu sinto o pouco de vergonha da situação, mas sinto que eu estava realmente molhada, chego a passar a mão na minha bucetinha e levar até o nariz para sentir o cheiro, apesar de eu não lembrar direito o que tinha acontecido, confesso que quando dindo me fala que era o Thor que estava me lambendo me deixou um tanto excitada e pensativa.

Mas essa parte vai ficar para o próximo, espero que gostem e conto com o voto e comentários de vocês.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,83 de 6 votos)

Por # #

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder 23cm69

    Adorei linda, talvez um dia conte como comi a minha sobrinha 😏

  • Responder Darkness

    Pessoal, nao esqueçam de conferir desde o inico, so procurarem A iniciaçao da eduarda…. vcs nao vao se arrepender

  • Responder Moço_BR

    Acho que tá faltando o dindo dela mandar ela pra casa com um plug anal e deixar até o outro dia!

  • Responder Pachecao

    Deixa eu dar uma lambidinha gostosa na sua Bucetinha no lugar do Thor.Continue não demore a publicação.

  • Responder Rafaella

    Duda virando cadelinha MESMO !!! Beijos !!

  • Responder Adailton

    Muito bom esse seu relato