#

A vizinha de 9 aninhos – o cuzinho e um pouco mais

3457 palavras | 15 |4.69
Por

Uma delicinha de 9 aninhos com um rabo descomunal, um vizinho experiente que não brincava com nenhuma menininha há anos.

Bom, depois de um longo tempo sem escrever mas não mais sobre mim e Taís. Já nos resolvemos, neste momento estamos namorando e numa relação bem aberta, portanto o que vou contar aqui ela tem pleno conhecimento e apoia.

Depois que nos entedemos, resolvi voltar a morar no Brasil e em Minas. Vim morar num condominio em uma cidade proxima a BH. O condomínio q eu moro tem muita menina nessa faixa de 9 a 12 anos que são de deixar qualquer marmanjo louco. Mas tem uma que se destaca entre todas pelas pernas e bunda, que delícia que são!

Ela de rosto não é tão bonita como algumas aqui que são lindas de morrer, mas em compensação o rabo! Puta q pariu, que rabo do caralho! Nem a Taís e nem a prima tinham rabo tao perfeito! O dela é grande e empinado e ela não é gordinha, tem corpo ate esguio mas é muito rabo mesmo, já perdi as contas de quantas punhetas bati pra ela antes.

Bom, tudo começou com o carro q eu comprei eu chegava de carro e ela viajando olhando… Um dia ela tava mais próxima e eu sai do carro e travei as portas olhando pra trás e falei pra ela:

– Lindo o carro ne?
– Sim, é lindo msm… – e sorriu pra mim

Então ficamos nisso uns dias um sorrindo pro outro. Até que um dia eu tava entrando no meu predio e vi uma delicia subindo as escadas de shortinho, mas até então achei q fosse mulher mesmo pelo tamanho do short e o corpo. Que rabo, caros leitores! Resolvi subir atrás pra ir vendo aquele rabo subindo rebolando. Subi uns lances de escadas quando de repente acho que ela ouviu os passos, parou e se virou olhando pra mim. Meu queixo caiu:

– Oiii.
– Oi gatona, tudo bem?
– Sim.
– Menina, você subindo essas escadas com esse shortinho, que loucura!
– O que tem meu short?
– Se eu falar, você não vai ficar com raiva?
– Não.
– Promete que não vai contar pra ninguém?
– Prometo.
– Eu achei q fosse outra pessoa! Por isso que desisti de ir de elevador.
– Como assim, não entendi?
– É porque eu só vi de relance, não vi que era você! Vi uma mulher com uma bunda maravilhosa e você tava subindo e eu não prestei atenção vi atras devagarinho só olhando sua bunda mas não sabia q era você! Porra você tem uma bunda de deixar qualquer um doido. Eu mesmo fiquei!

Ela sorriu e começou a dar gargalhadas:

– Você não é o primeiro que me diz isso. Que eu tenho a bundona.
– O que me chamou atenção é que ela é bem durinha, diferente da bunda das mulheres.

Ela virou de costasbe disse:

– Você acha?
– Acho e acho melhor a gente sair daqui porque se alguém ver a gente aqui pode pensar besteira, mas vai andando na frente que eu vou atrás, agora quero ir admirando – disse sorrindo.
– Você mora no oitavo né?
– É.
– Quer que eu vá até la com vc!

Eu não esperava a pergunta e fiquei parado olhando pra ela.

– Você quer?
– Você iria?
– Sim. – disse rindo.
– Então vamos.

Meu pau ficou duro na hora! Que vontade de meter nela ali mesmo, mas me contive e a safada ainda tem uma puxadinha pra cima que o short deu uma atolada gostosa naquele rabão.

– Caralho, que loucura.
– O que?
– Sua bunda. É muito grande pra sua idade. E parece ser bem durinha. Oh, vontade de apertar.
– Sério?
– Porra, nem me fale!

Ela vira de costas e me olha:

– Eu acho q você não é igual esse adultos daqui do condomínio que são bem idiotas porque eu não vejo você andando com ninguém daqui.
– Eles são idiotas como?
– Já peguei elevador com um que ficou me perguntando se eu tinha namoradinho, se eu sabia beijar.
– Mas continuo sem entender qual o problema.
– É porque ele anda com meu pai se eu disse que sim ele ia dizer.
– Ta mas e aí? Não entendi qual a sua intenção. Porque ta me falando isso?
– Ahh porque você falou que queria pegar, se eu deixar eu sei que você não vai contar nem a meu pai e nem a ninguém porque você não anda com ninguém aqui.
– Mas você vai deixar eu pegar?
– Tá, eu deixo.

Na hora eu dei uma bela apalpada e depois com as duas mãos eu fiquei meio que abrindo a bunda dela.

– Se eu te falar uma coisa promete q vai ficar de boa? Não conta pra ninguém?
– Claro.
– Eu to muito excitado.
– O que é isso?
– To com mta vontade.
– Vontade de que?
– Ta me dando tesão.
– Ah, você ta de pau duro? – disse virando pra olhar pro meu pau.
– Sim. – disse segurando o pau por cima da calça.

Ela deu risada e ficou olhando.

– Quer pegar?
– Eu não.
– Porque?
– Porque não.
– Desculpa não queria q você ficasse com raiva. Acho melhor eu ir pra casa e você pra sua.
– Eu não tô com raiva. Vc não quer mais q eu suba com você?
– Na verdade eu queria baixar minha calça, ficar só de cueca esfregando meu pau na sua bunda. – disse rindo e arriscando minha última cartada.
– Mas você quer que eu tire meu short?
– Você quer tirar?
– Não sei.
– Não vai ficar chateada ou com raiva?
– Com raiva de que?
– De eu pedir pra você tirar o short.
– Quer que eu tire? – disse segurando o elástico do short.
– Quero – falei ja baixando minha calça.

Ela então abaixou o short. Que rabo maravilhoso!!! Fiquei admirando, pegando, alisando, beijei… A calcinha não era pequena mas tava bem cavadinha por conta do tamanho do rabo. Então coloquei ela um degrau acima e puxei ela de encontro ao meu pau e comecei a sarrar gostoso! Que encoxada maravilhosa… Meu pau latejava!

A medida que eu ia encoxando a calcinha ia entrando mais e mais naquele rabão ate que ficou quase que uma tirinha no meio. Ela tava bem empinada e rebolava bem sincronizada com meus movimentos. Dei uma conferida e vi que ela tava curtindo tanto quanto eu, pois estava com os olhinhos fechados e a boca entreaberta numa respiração um pouco ofegante e cortada. Que delicia de visão!

Então dei um passo a mais e baixei a cueca deixando meu pau tocando a pele dela. Que sensação maravilhosa! Que rabooo! Ela de repente deu uma parada e perguntou:

– Você tirou ele pra fora?
– Não consegui me controlar, tirei da cueca. Eu vou guardar. Desculpa.
– Não precisa, era só pra saber.

Segundos depois ela se virou do nada de frente pra mim e eu recuei.

– O que foi?
– Nada. Você se assustou?
– Assustei ne? A gente ta na escada do condomínio. Olha a loucura.
– Mas quase não passa ninguem aqui. Ainda mais esse horário.
– Como você sabe?

Então ela me olhou e sorriu. Vi que ficou meio vermelhinha.

– Você curte uma escada ne danadinha?
– É legal.
– Legal quando é com gente da sua idade. Que idade você tem?
– 9.
– Imagina a encrenca que daria pra mim se alguem visse.
– Você quer parar?
– Pra falar a verdade não.
– Eu também não.
– Foda que pra continuar aqui é perigoso mas eu quero muito gozar.
– Eu sei o que é gozar!!!! – disse rindo
– Fala baixooo, ta doida?
– Tem gente na sua casa?
– Não. Você quer ir pra la?
– Vamos.

A gente resolveu parar na escada porque tava muito arriscado e resolveu ir pro meu ap. Assim que cheguei la, já me encostei na porta, peguei ela pela cintura e puxei a bunda dela de encontro ao meu pau

Ela já veio empinada e começou a rebolar empurrando a bunda dela contra meu pau! Tava uma delícia aquela encoxada. Aproveitei e disse no ouvido dela:

– Tava mais gostoso na escada do jeito que a gente tava antes.
– Assim? – Disse ela tirando o short junto com a calcinha.
– Sssssss, que delícia! Sua bunda é tão quente. – Falei gemendo e ja com o pau pra fora colado no rego da bunda.
– O seu pau parece ser gostoso, não é tão grande.
– Parece ser gostoso? Não é tão grande?
– Sim.
– Tô achando q você quer experimentar ele…
– Como assim?
– Ah tá, vai dizer q não tá entendendo o que eu quero dizer…
– Eu não – disse ela rindo.
– Você tá doidinha pra sentir ele aí dentro né?
– Dentro de onde?
– Dessa bundona.

Ela sorriu e balançou a cabeça negativamente.

Perguntei a ela se ela tinha tentado antes e então ela começou a me contar umas coisas que eu já desconfiava.

– Eu namorava o Joaquim, do terceiro andar e a gente na morava na escada e…
– O Joaquim ja botou o pau dele dentro da sua bunda? – Falei interrompendo ela.
– Calma, eu vou falar.
– Tá bom.
– Eu namorava o Joaquim e a gente namorava escondido aqui na escada. Meus pais não podiam saber pq eu sou muito nova, só tenho 9 anos e o Joaquim tem 15. Mas a gente se gostava e namoramos 6 mesea e só terminamos porque ele foi embora. Mas teve um dia…
– Mas ele meteu na sua bunda?
– Sim.
– Nossaaa e gozou dentro?
– Sim. E na minha buceta também.
– QUE? É SÉRIO? Achava q você era virgem ainda – disse rindo.
– É que você não deixa eu terminar.
– Tá, termina.
– Um dia a gente tava na escada e ele tava metendo em mim e daí…
– Ele tava metendo onde?
– Nessa hora era na bunda, porque ele tava metendo de novo porque ja tinha gozado na minha buceta, quando o pai da Ana passou. Sabe a Ana do último andar?
– A gordinha?
– Sim. O pai dela goza na boca dela todo dia, ele já tentou meter varias vezes na bunda dela mas ela não aguenta.
– Caralho, não sabia.

Então nessa hora parei pra me recompor e ouvir a história dela bem atentamente.

– Quando o pai da Aninha passou a gente tomou um baita susto porque a gente não esperava e ele apareceu sem fazer barulho. Assim que ele chegou de cara pra a gente o Joaquim tirou o pau de mim e ele acabou vendo q ele tava com o pau na minha bunda.

– E ele falou alguma coisa?
– Sim. Ele deu uma bronca na gente e disse que ia falar com o pai do Joaquim e com meu pai e mandou o Joaquim pra casa e disse q ia me levar até minha casa. Mas assim que o Joaquim saiu e ele ouviu o barulho do elevador, daí começou meu desespero.
– Mas porque porra ele tava indo de escada se ele mora no último andar?
– Ele toda noite vai pra academia e sobe de escada pra se aquecer. Pelo menos foi o que a Aninha falou.
– Mas você contou a Ana? Como que vc sabe dela?
– Porque no dia que ele fez anal de verdade com ela a primeira vez, ele me levou até lá pra meter em mim na frente dela e mostrar que se eu conseguia ela também conseguia.
– Caralhooo, que filho da puta! Mas então o pau dele é grande?
– É muito. Bem maior que o do Joaquim. Doía muito pra entrar e doía até ele gozar. Tanto que
ele metia em mim eu ficava uns 3 dias sem deixar o Joaquim meter na minha bunda.
– Mas o do Joaquim era grande?
– Um pouco menor que o seu.

Nessa hora eu peguei ela de novo pela cintura e apertei contra meu pau e falei:

– É por isso q vc então topou fácil vim até aqui comigo né?
– Não entendi.
– Você tá sentindo falta disso aqui. – falei passando saliva na cabeça do pau e no cuzinho dela.

Então coloquei a cabeça bem no cuzinho e forcei a entrada. Assim que ela sentiu, arfou e empurrou a bunda pra trás, fazendo meu pau deslizar pra dentro. Então, pra provocar, tirei a o pau de dentro da bunda dela.

– Calma mocinha, vc ta muito apressada!
– Bote dentro vá.
– Boto mas antes quero brincar um pouquinho com você.
– Brincar de que? Eu quero meter seu pau na minha bunda.
– Temos muito tempo pra isso. Primeiro isso aqui. – Falei ficando de joelhos e caindo de boca naquele rabo maravilhoso

Ali abri a bunda dela e comecei a chupar gostoso. Parei depois de um tempo e perguntei se ja tinha feito isso antes e ela falou que não mas q era muito gostoso. Então resolvi levar ela pra minha cama. Deitei ao lado dela e nos beijamos bastante. Ela não tirava a mão do meu pau, pegando, apertando e dizendo que ela era bem gostoso. Pediu pra chupar e eu assenti. Então enquanto ela ia chupando eu ia perguntando:

– Faz tempo q você fode? Eu tive 2 outras garotas da sua idade mais ou menos. Com uma até cheguei a brincar mas a outra me aproveitava dela dormindo.
– Nossa e onde elas estão agora? – Perguntou voltando a chupar.
– Já são adultas, tem muito tempo isso.
– Então é por isso. Aqui no condomínio tem mais 4 que namoram e que transam também. Mas são um pouco mais velhas. A mais nova sou eu e depois de mim a Ana com 11. Mas a Ana só faz com o pai dela. As outras duas tem 12.
– Pois é, tá bem adiantadinha vocês.
– Eu acho que só é ruim quando é forçado, como o pai da Aninha. Mas se for querendo é bom.
– Você tem um rabo descomunal pra sua idade.
– Todo mundo diz isso.
– Eu quero gozar nele. Voce deixa?
– Vai gozar lá dentro?
– Você gosta q goze dentro?
– Ah, eu adoro.
– Então eu vou enterrar e gozar bem lá no fundinho dessa delicia de rabo.

Ela abriu um sorriso lindo e parou de chupar.

Então pela primeira vez, não fazia o uso da velha pomada anestésica. Apenas cheguei mais pra trás na cama e pedi pra ela virar se costas pra mim e sentar nele. Ela que ia guiar. A safadinha foi além da minha imaginação. Ela virou de costas como pedi mas ao invés de sentar com o cu no meu pau, ela posicionou ele na buceta e olhando pra trás falou:

– Eu só vou sentir ele um pouquinho aqui tá?
– Faça o que você tiver vontade de fazer.

Então senti todo aquele calor q emanava da sua bucetinha q sequer tinha dado tanta atenção. Assim, senti meu pau deslizar naquela buceta que mesmo novinha, babava de tesão como buceta de mulher grande. Então ela começou uma cavalgada frenética, mas no ritmo dela. Ela não tava ali pra me satisfazer mas sim pra SE satisfazer. E depois de um tempo num ritmo alucinante que também tava me deixando louco e prestes a gozar, ela me perguntou se podia gozar no meu pau. Falei que sim, que ela podia fazer o que quisesse. Foi então que presenciei uma das gozadas mais maravilhosas da minha vida.

Ela gemia parecendo gente grande! Ofegava e mexia o corpo de maneira descontrolada como se quisesse buscar um prazer no infinito. E eu ali parado me deliciando com aquela imagem. Quando terminou apenas ae jogou pra frente deixando à mostra todo aquele rabo delicioso. Entao olhou pra mim e disse:

– Fazia tempo não sentia isso. Acho que pelo tempo que nao fazia nada foi até mais forte. Eu transei com o Joaquim pela primeira vez ano passado e transamos quase todos os dias até o dia que o pai da aninha nos pegou na escada. Depois o Joaquim se mudou e eu fiquei transando com o pai da aninha mas ele só fazia na minha bunda e eu nao gostava porque era grande e doía. Mas ficou só um tempinho comendo e já faz quase 3 meses q não faço nada.
– Você quer continuar?
– Claro que quero.
– Quer descansar primeiro?
– Não. Eu quero sentir você gozando dentro de mim na minha bunda.

Então tirei meu pai ainda duro feito uma barra de ferro e direcionei pro cu dela q ainda estava com o corpo jogado pra frente.

Quando sentiu meu pau, ela levantou e arqueou o corpo pra trás, fazendo meu pau entrar até o talo no cu dela. E ali ela começou uma cavalgada bem cadenciada, como se tivesse incomodando alguma coisa. Então perguntei:

– Tá doendo?
– Não muito, mas é mais pra me acostumar q no início sempre dá uma dorzinha mas depois passa.
– Se doer a gente para, não tem problema. Você ja menstrua?
– Nãooo, tá doido? – Disse ela rindo.
– Então, não tem problema eu encher sua buceta de porra.
– Não, eu quero q você goze dentro da minha bunda.
– Quer experimentar outra posição?
– Qual?

Então, coloquei ela na posição que mais gosto. Deitei ela de ladinho e já encostei atrás. Nem precisou de mto esforço. Qdo ela sentiu meu pau ali duro, no mei do rabo dela, ela se empinou e eu so fiz deslizar cu a dentro até sentir meu ovo colar nas nádegas dela. Eu estava inteiro, completo, dentro daquele rabo descomunal pra uma garotinha de 9 anos. A sensação era incrível.

Segurei ela firme trançando meus braços nos ombros dela e metendo vigorosamente, eu tirava quase o pau todo e enterrava tudo de volta novamente. Uma foda cadenciada, ela curtindo, arfando e rebolando no meu ritmo e aos poucos fomos aumentando até que como dois loucos, numa dança frenética, não consegui me segurar e gozei fartamente dentro da bunda dela.

Ficamos ali os 2 abraçadinhos. Eu ali sentindo o calor do seu corpinho, sua respiração ofegante, o cheirinho enebriante de menina. Ela sentindo meus braços a envolvendo, meu suor e o calor da minha porra quente no seu cuzinho. Podia ficar eternamente ali. Aos poucos fui deixando o pau sair de dentro do cu dela e fomos nos recompondo e voltando pra a realidade.

– Nossa, achei q so fosse gostar de fazer com um adulto quando fosse adulta.
– E você gostou de fazer comigo?
– Gostei muito. Você faz muito gostoso.
– Que parte você mais gostou?
– Quando você começou a fazer mais forte e quando você gozou. Deu pra sentir seu pau mexendo bem la dentro.
– Eu também adorei você.
– Eu fui a melhor?
– Sem dúvidas.
– Vc n é casado? Não tem filhos, namoradas?
– Namorada fixa não, mas vez ou outra fico com algumas mulheres.
– Ah ta. Quero ser uma dessas. – Disse ela sorrido.
– Uma dessas não. A partir de agora você vai ser a única.
– A gente vai namorar?
– A gente vai fazer melhor.
– Como assim?
– Vamos fuder até você enjoar de mim.
– E se eu não enjoar?
– Então vamos ser dois velhinhos rabugentos, fudendo igual a loucos.
– Então vamos.

Nos beijamos pela última vez, ela se vestiu e eu a levei até a porta, com a promessa de nos vermos em breve. Desde então, ja fazem 3 meses q fudemos igual a louco quase todos os dias.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,69 de 45 votos)

Por #

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder yan

    Sempre tenho contato com 3 novinhas quem quiser saber mais manda email ou telegran

  • Responder givaldo

    Adorei porque não foi nada forçado ela deu porque quis e satisfez a ambos só esperava que ela ia levar as outras para dar também valeu foi muito gostoso

  • Responder Nobody

    Caracas mto bom essa fantasia toda e colocando ainda como uma personagem nessa descricao ficou ótimo de bom.. Top 10!!!

  • Responder Isadora

    Nove anos ???
    Tá de brincadeira né ?
    É impossível uma guria de NOVE ANOS, dialogar com um adulto nestes termos.
    Vá mentir assim, lá na pqp…
    Digo isso, pq convivo diarimente com meninas e meninos com idades entre 7 e 10 anos. Sim, tem aqueles que são mais tímidos, fechados, e tem tbm os que são, digamos, desenrolados, mais safadinhos/nhas. E mesmo sendo assim, não possuem um vocabulário tão extenso para dialogar com um adulto quase de igual pra igual.

    • betinha

      desculpa entao vc nao conhece favela eu desde pequena dou e muito e comecei a falar sacanagem bem cedo pq so convivi com putaria,hj minha irmazinha segue o mesmo caminho

    • Caraloko

      Talvez eles não falam para você, a uns 8 anos atrás tinha um menina de 9 anos que era vizinha, um certo dia ela brincando na frente de casa, ela subiu na área e do nada falou não vejo a hora de dar minha bucetinha, eu fiquei espantado, sem reação pois aquilo para mim foi como um convite, mas não tive coragem de falar que eu poderia ajudar ela, simplesmente sai e entrei dentro de casa

  • Responder Hshskej

    Legal né hihigu

  • Responder putinhaa

    uma criança de 9 anos com uma una grande? kkkkkkkkkkk deve ser imensa de gorda fanfiqueiro do caralho, sabe nem inventar fic decente e tem gente que ainda gosta mdss.

    • lolita

      eu com 9 anos tinha a bunda grandona, algumas pessoas tem por genética ue

  • Responder Rafaella

    Bem contado…. Beijos !!

  • Responder Putão

    Se beijaram pela ultima vez? Então depois vc ficou fudendo ela sem beijar é isso?

    • Plinio

      Merecia era um tiro na cabeça pedófilo nojento

  • Responder Tatá

    Putinha safada

  • Responder Ian Moone

    Apesar do conto ser muito “tudo de mão beijada” é gostosinho pq a bicha era rodada e pelo titulo parece uma coisa q ela fosse virgem e ingênua, mas cara é tudo muito providêncial: quer subir? quero. quer chupa? quero. quer da a bunda? quero… Sabe, não tem um enredo um climax nada, é como aqueles filmes porno pay e buffo.

  • Responder Anónimo

    Maravilhoso conto muito bom nota 10
    Não pare de contar para nós o que aconteceu depois
    Muito Bom

    PDR18S