# # #

tal pai tal filha

579 palavras | 3 |3.93
Por

Quando Mércia descobriu a bissexualidade do marido resolveu dar um tempo na relação pois queria preservar Marli única filha do casal que ainda era muito jovem e numa separação consensual se tornaram bons amigos.
Então ele foi morar numa chácara, a cerca de cento cinquenta quilômetros de sua casa , e mantinham contato pois Marli era muito apegada a ele.
Dez anos depois após Marli ter se casado e que foi revelado este lado do seu pai , mas adulta e consciente ela não dava a mínima importância para tais fatos.

E Marli sempre que podia ia visita-lo e nunca tocara neste assunto com ele, e no ano seguinte ela engravidou e após o nascimento do bebe suas visitas ficaram cada vez mais escassas, tornando-se raras.
Aos vinte e três anos ela se tornara uma encantadora mulher com um corpo que parecia ter sido moldado e seus cabelos cor de mel aqueles olhos azuis cheios de mistérios com certeza ela deixará de ser menina.
Ao aproximar o final de ano ela resolveu fazer uma surpresa para seu velho, seu esposo ficaria fora por mais dez dias, então ela deixou seu bebe que já estava caminhando aos cuidados da avó e foi passar o final de semana com seu pai como a muito ela não o fazia.

Logo ao chegar percebeu que seu pai tinha visitas pois três carros estavam no caminho que levava ate a casa , caminhou por cem metros.
O som estridente de um rock rol metálico que seu pai tanto curtia soava dentro da casa , ao chegar na porta ela parou e ficou estática com a cena que deparou.
Era algo espantoso mas nenhum detalhe escapou do seu olhar, um cara deitado de barriga pra cima tinha a bunda sobre o braço do sofá suas pernas estavam levantadas e seu pai estava dentro dele atras de seu pai que quase estava de quatro um negro enorme com jeito de boxeador peso pesado enrabava ele que erguia o corpo e punhetava o cara que estava debaixo dele esfregando o pau em sua barriga enquanto revesava as chupadas nos dois paus que estava a sua frente que tinhas seus sacos mamados pelo cara que estava em baixo dele do lado um outro negro sentado em uma poltrona bebericava num copo se masturbando admirando a cena, foi seu próprio pai que percebeu sua presença e ate tentou se desvencilhar daquela posição mas o negro o subjugou e castigou ainda maus seu rabo impedindo dele se mexer ele gemeu choroso sentindo as esticadas profundas dentro dele.
Marli se afastou e saiu dali como se estivesse embriagada caminhou tropeça ate seu carro deu partida e saiu levantando poeira.
Mas a alguns metros a frente parou pois sentiu que estava desfalecendo.
Encostou na estradinha deserta soltou o cinto e sem perceber introduziu sua mão entre as pernas e se masturbou sentindo um gozo profundo tomar conta do seu ser.
Sentiu-se envergonhada quando percebeu seus mamilos entumecidos ásperos se esfregando involuntários no tecido da sua blusa sentiu um calor abrasador por todo o corpo e chorou compulsivamente num misto de vergonha êxtase e desejo como uma autômata , instintivamente lambeu seus dedos encharcados com sua seiva deu um uivo animalesco manobrou seu veículo e retornou possessa ate adentrar novamente para o lar do seu pai sentindo sua buceta em brasa

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,93 de 15 votos)

Por # # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Carlos

    Delícia sinto muito tesão por menina criança tenho vontade de arrombar uma bucetinha infantil cel ccruzsilva

  • Responder Beto liberal

    Muito bom.
    Queria ver a filha e o pai servindo a todos esses machos o fim de semana todo.

  • Responder Pachecao

    Continue não demore a publicação quero ver esta Putinha fudendo muito gostoso