# #

Relatos reais de deflorações femininas com vídeos e fotos – Luana

932 palavras | 1 |4.25
Por

quando num biquíni, era possível ver o relevo da sua pepeka, gordinha e com uma pequena boquita, demonstrando nunca ter recebido visitantes…

– Mantém o loló virgem ou recebe a sonhada promoção? –

(Vídeos e fotos exclusivas do conto em julydelicias.blogspot.com vale a pena conferir)

Luana, 20 anos, uma ninfeta que trabalha como vendedora numa grande rede de lojas.

Uma garota branca, evangélica por opção, olhos castanhos, cabelos pretos/castanhos, corpinho muito sexy, que quando num biquíni, era possível ver o relevo da sua pepeka, gordinha e com uma pequena boquita, demonstrando nunca ter recebido visitantes.

Possui seios médios, não muito volumosos e bem firmes. Coxas atraentes e bem torneadas.

A bundinha era sua atração principal. não é grande, pelo contrário, é pequeno e demonstra ser muito delicado e durinho. Poupas firmes e quando usando shorts ou biquíni, pode até se confirmar que sua boquita dos fundos não engoliu nenhum pepino ou mandioca, ainda!

Tudo na vida dela corria normalmente, até que seu gerente Luiz, à chamou em sua sala.

Luiz era uma homem de quarenta e poucos anos, casado, mas nem por isso era um cara sério, pois vivia cantando e comendo as estagiárias e algumas das vendedoras da loja e ele já tinha até dado umas investidas pra cima da Luana, mas ela não deu chances para ele. Resumindo, ele era homem de meia idade metido à playboy.

Luana, entrou em sua sala e ele pediu que ela fechasse a porta e já foi direto e reto falando para ela:

É o seguinte Luana, temos uma vaga para gerência aqui e pensei em você, oque me diz?

Ela toda contente, respondeu:

Nossa Sr. Luiz, estou muito feliz, que bom que me escolheu!

Ele continuou:

Olha Luana, vou ser bem direto com você; sabe que eu sou casado, mas desde que você entrou trabalhar aqui conosco, eu sempre tive vontade se sair contigo, pois te acho uma garota muito especial e nunca escondi isso de você e nunca te vi com nenhum cara e isso as vezes me faz pensar que não curti homens, me entende?

Ela fez uma cara de espanto e respondeu:

Não Sr. Luiz, eu apenas não estou preparada para namorar ninguém, penso apenas em estudar e trabalhar primeiro e quanto a sair com o Sr., sei lá, acho estranho e sei que vai querer coisas que não poderei te dar.

Ele respondeu:

Que nada Thais, como sabe que não pode me dar se eu não pedi nada para você? Pelo contrário, eu estou é lhe oferecendo uma grande promoção que irá triplicar seu salario e peço apenas que saia jantar comigo hoje, para conversarmos mais e isso não é nada demais, certo?

Ela ficou meia tensa, mas topou o convite e ficou dele pegar ela na esquina da sua casa, no horário que combinaram.

Ela se arrumou e ficou perfeita como sempre, com um vestido peto e bem justo naquele corpo maravilhoso.

No horário combinado ele à pegou e foram para um restaurante em numa cidadezinha próxima e lá jantaram e ele pediu vinhos e fez com que ela tomasse e mesmo ela recusando no início, acabou tomando e por não ser acostumada a beber álcool, ficou tontinha e cheia de risos.

Luiz notando o estado dela, pediu a conta e foi em direção de uma motel, onde entrou e vendo ela já sonolenta, pediu para que ela descesse para tomar um refrigerante, lavar o rosto que dai eles voltariam para casa.

Levou ela com delicadeza, mas ao entrar no quarto e trancar as portas, ele se transformou, mudou o semblante de mocinho para estuprador e partiu para cima dela, agarrando, beijando e passando as mãos em sua bundinha e enfiando por baixo de seu vestido, tocando sua pepeka, com ela entrando em pânico, e tentando conter ele, exclamou:

Para Sr. Luiz, oque está fazendo, por favor não precisa fazer isso, vamos embora, eu não posso fazer essas coisas, me solta, eu te perdoo por isso, mas pare, vai me machucar!

Ele estava fora de si, não parou e não disse nada, apenas rasgou a calcinha de Luana e levantou seu vestido com brutalidade.

Ela bem que queria gritar, sussurrar, mas ficou com medo de causar uma situação ainda pior, seu emprego e sua moral estavam em jogo, então foi levando até quando deu.

Ele pegou ela por traz, com ambos sem as roupas e a colocou de quatro na cama e sem perder tempo, cuspiu no seu pau e começou a forçar a entrada, dizendo com furor:

_Essas suas pregas aqui, valem sua promoção!

_Nossa, seu cofrinho nunca levou pau mesmo hem!

_Imaginei que ele fosse todo apertadinho e bati muita punheta e comi muitas lá da loja, pensando nesse biluzinho aqui!

_Amanhã sua promoção já estará valendo, mas agora afrouxa um pouco e pare de contrair ele, deixa eu entrar!

Luana, vendo que não adiantaria fazer mais nada, apenas implorou para ele não enfiar na sua pepeka e para enfiar só um pouquinho na sua bunda.

Ele ficou ainda mais enlouquecido e começou abrir caminho pela grutinha dela.

Dai por diante, foi enterrando cada vez mais e emso ela implorando para ele parar, ele enterrou tudo sem pena alguma de Luana e meteu fundo naquele cuzinho por mais de uma hora.

E assim foi a promoção da Luana, que hoje continua firme e forte gerenciando a loja.

Nessa série de relatos reais, os contos serão mais curtos e com capítulo único.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,25 de 8 votos)

Por # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Sophie

    Ai que delicia de conto fiquei molhadinha 😋🤤