# # #

Matando a saudade de dar pro meu papai (Parte 2)

1765 palavras | 1 |4.25
Por

Depois do que aconteceu entre eu e meu pai na sala, eu fui pro meu quarto, entrei e tranquei a porta, tirei minha roupa toda e deitei na minha cama peladinha. Aí eu coloquei o travesseiro no meio das minhas pernas e fiquei esfregando minha buceta nele, enquanto imaginava meu pau me fodendo.

Isso até que foi bem fácil, pois eu lembrei dele me fodendo quando eu tinha 11 anos, e nesse momento o meu coração até começou a bater mais acelerado, rsrs. Eu a todo momento dizia putarias como “É tão gostoso dar pra você papai”, “Me fode mais rápido paizinho”, “Mete no meu rabo e goza em mim todinha”.

Dali em diante eu não conseguia não pensar no meu pai quando tava me masturbando, e quando tava transando com meu irmão as vezes imaginava meu pai no lugar dele. Uma vez eu tava em cima do meu irmão, cavalgando enquanto ele apertava meus peitos, até que, eu sem querer deixei escapar um “como é gostoso cavalgar em ti papai”.

Meu irmão parou na hora, aí me segurou pela cintura e perguntou – O que você falou irmã?. Eu fiquei meio envergonhada, mas falei – Você ouviu né, rsrs. Ele – Você transa com nosso pai também?. Eu – Infelizmente não, rsrs. Ele – Eu posso te ajudar com isso se você quiser, rsrs. Eu – Como assim?. Ele – Ainda não sei, rsrs.

Aí no dia que meu pai voltou da viagem que fez, eu fui até o meu irmão, que tava na varanda, aí falei – Goza em mim irmão. Ele – Como assim?. Ele – Goza em mim que vou no quarto do meu pai, rsrs. Ela – Ah, entendi, rsrs… Sua danadinha.

Aí ela tirou seu pau pra fora e eu comecei a chupar ele, que logo começou a foder minha boca, aí avisou que tava gozando, tirou o pau da minha boca e ficou se masturbando na minha frente até gozar. Meu irmão gozou muito, e gozou em mim todinha, gozou na minha cara e nos meus peitos, pois eu tirei minha blusa, ele me deixou toda gozadinha, rsrs.

Aí eu fui correndo pro quarto do meu pai, e assim que entrei tirei minha roupa toda, em seguida sentei na cama do lado dele, e o acordei, quando ele abriu os olhos e me viu toda gozada falou – Quê isso filha?. Eu nada falei, apenas lancei meu sorriso de putinha, em seguida levei minha mão até o pau dele por dentro do short dele, aí eu tirei ele pra fora e iniciei uma punheta de leve no meu pai, que tava sem reação nenhuma, em seguida eu me posicionei na frente dele e comecei a chupar seu pau.

Um tempo depois eu montei nele, coloquei seu pau na entrada da minha buceta e fiquei rebolando, esfregando a minha buceta na cebaça do pau do meu pai, fui fazendo igual nos vídeos hentai que eu assistia, rsrs. Até que eu desci, e desci de uma só vez, aí soltei um gemido um pouco alto e fiquei paradinha olhando pro meu pai, que levou suas mãos até minha cintura e ficou me segurando enquanto olhava nos meus olhos.

Um tempo depois ele tirou a mão e eu comecei a cavalgar, mas eu fiquei assim por alguns segundos apenas, pois logo ouvimos minha mãe chamando por ele. Meu pai ficou muito assustado na hora, aí ele me tirou de cima e me deitou na cama, em seguidaí ele se cobriu e virou pro outro isso da cama. Enquanto isso eu fiquei deitada por cima do cobertor, pelada mesmo, segundos depois minha mãe entra no quarto e quando me vê pelada ao lado do meu pai falou – Tá fazendo o que pelada na cama com teu pai filha?.

Eu fiquei uns segundos sem falar nada, aí olhei pro meu pai e sorri, aí olhei pra minha mãe e falei – Nada mãe… Eu sou a filhinha dele né, rsrs. Ela – Mas essa filhinha não é mais criança né, rsrs. Eu – E se eu ainda for, rsrs?. Aí ela não falou mais nada e foi pro banheiro do quarto, enquanto isso eu olhei pro meu pai e falei – Foi por pouco né, rsrs. Ele – Foi sim… Agora vai apagar esse teu fogo com teu irmão vai.

Uns dias depois, eu, meu pai e meu irmão estávamos na sala, aí eu olhei pro meu irmão e pisquei pra ele, em seguida levei minha mão até seu pau e tirei ele pra fora. Aí eu comecei a masturbar ele, que parecia estar nervoso, também, era a primeira vez que a gente fazia aquilo na frente do nosso pai, e logo que viu olhou pra mim e sorriu.

Um tempo depois eu sentei no colo do meu irmão, de frente pra ele e beijei ele, aí eu comecei a rebolar no colo dele, esfregando minha buceta no pau dele, pois eu tava de saia e sem calcinha, rsrs. Enquanto isso eu olhava pro meu pai, que ficava apertando o seu pau por cima do seu short enquanto olhava pra gente se esfregando um no outro. Aí eu saí de cima do meu irmão e me ajoelhei na frente dele, em seguida comecei a chupar seu pau enquanto olhava pro meu pai, que já tava com seu pau pra fora e se masturbando.

Depois de uns 5 minutos eu parei de chupar meu irmão e fui até meu pai, eu fiquei de joelhos na frente dele com as mãos em seus joelhos, ficava mordendo meu lábio inferior enquanto olhava ele nos olhos. Até que ele parou de se masturbar e apontou seu pau na minha direção, aí eu sem perder tempo, coloquei seu pau na minha boca e comecei a chupar, fazendo o meu pai gemer de prazer, e enquanto eu chupava seu pau, ele ficava acariciando os meus cabelos e me chamava de “minha filhinha gostosinha”.

Fiquei chupando meu pai por mais de 10 minutos, em seguida eu me levantei e fiquei olhando pra ele e pro meu irmão, que falou – Vem cá irmã… Cavalga em mim um pouquinho, rsrs. Aí eu subi no colo do meu irmão, desci minha buceta no pau dele e comecei a cavalgar, e enquanto cavalgava nele, ficava olhando pro meu pai, que tava se masturbando de novo.

Um tempo depois eu gozei, aí eu me abracei no meu irmão e fiquei paradinha por um tempinho, aí eu olho pro meu pai, vejo ele se levantar e se posicionar em pé atrás de mim, eu senti ele colocar seu pau na entradinha do meu cu, ele ficou uns segundos só pincelando. Aí eu parei e olhei pra ele, que enfiou seu pau de uma só vez, eu soltei um gritinho de dor, mas continuei paradinha pro meu pai foder meu cu, mas ele continuou parado.

Enquanto isso o meu irmão me ergueu um pouco e começou a socar com força na minha buceta, meu pai continuou parado por mais uns minutos, e lentamente começou a foder meu cu. Aí ele se abraçou em mim, ele gemia bem no meu ouvido, e a todo instante dizia “você é tão gostosinha minha filhinha, é uma delícia”, “sua buceta é tão gostosa de foder”.

Enquanto meu pai dizia aquilo eu olhava pro meu irmão toda alegre e aí beijava ele, que logo gozou e encheu minha buceta, o meu pai continuou metendo no meu cu, aí virei pra ele e falei – Quero cavalgar em ti papai. Ele – Agora não… Primeiro eu vou encher esse cuzinho com meu leite, sua safadinha.

Aí ele puxou meu cabelo e começou a me foder com força, eu gemia bastante enquanto olhava pro meu irmão, logo senti a cabeça do pau dele encostar na minha buceta, aí eu olhei pra ele e falei – Enfia irmão… Fode tua irmã safadinha mais um pouquinho.

Ele então enfiou seu pau na minha buceta e ficou metendo por mais uns minutos, logo gozou de novo, meu pai gozou junto com ele, deixando meu cu todo cheio com seu leite. Em segudia eu me joguei no sofá ao lado do meu irmão e fiquei olhando pro meu pai, que evitava olhar pra mim, aí eu falei – Que foi pai? Não gostou de me foder?.

Ele não falou nada, mas deu um sorrisinho e eu entendi aquilo como um sim, então eu, com um espírito de uma verdadeira putinha falei – Vamos gravar um vídeo pôrno pai?. Meu irmão sorriu e falou – Tá fogosa hein irmã, rsrs. Eu olhei pra ele, sorri de volta e falei – Vamos gravar um vídeo de nós 3 transando, rsrs… Só pra gente. Meu irmão parece ter gostado da idéia e falou – Vamos pai… Vai ser daora… Vamos gravar um vídeo nosso fodendo essa cadelinha, rsrs. Eu – Cadelinha irmão?. Ele – Não gostou?. Eu sorri e falei – Claro que sim… É que você nunca me chamou assim, rsrs.

Aí eu e meu irmão olhamos pro meu pai e falamos quase ao mesmo tempo – Vamos pai. Aí olhamos um pro outro e começamos a sorrir, em seguida olhamos pro nosso pai, que falou – Tá bom. Eu – Ebaaa. Meu pai – Mas que a tua mãe nunca veja esse vídeo, hein. Meu irmão – Deixa isso comigo pai. Meu pai – Vão lá pro meu quarto. Eu – Vão na frente e arrumem tudo lá, rsrs… Eu já vou. Aí eu me vesti rapidinho e fui pra rua chamar meu irmãozinho, rsrs, até pensei em ligar pra minha amiga e chamar ela também, mas o meu pai não iria gostar, rsrs.

Assim que cheguei na rua, chamei meu irmão, que veio e falou – É aquilo de novo?. Eu – É!. Ele sorriu e falou – A Letícia vai brincar também?. Eu – Infelizmente não… Mas que vai ser muito melhor, rsrs. Ele – Como assim?. Eu – O papai e nosso irmão vão participar também, rsrs… Mas relaxa o papai não vai brigar com você, vamos?. Ele – Tá bom.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,25 de 8 votos)

Por # # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Rafaella

    Muito bem contado.. beijos !