# #

Iniciação da Eduarda Parte 02

1044 palavras | 7 |4.40
Por

Lembrando que eu terminei contando a vocês na parte 01, que o meu Dindo me fez comer num churrasco um pão de alho regado de porra dele e do tio Mauro.
Aquilo realmente foi muito estranho, mas ao mesmo tempo prazeroso, quando comecei a comer tive ânsia de vomito; mas como disse também foi um misto de vergonha com pura submissão, pois apesar dos meus 11 anos, já estava me tornando totalmente escrava dos desejos dele.
Eu já não conseguia mais falar não para ele, sua voz grossa me fazia tremer, mesmo que me pedisse as coisas mais simples do dia a dia como por exemplo: Duda pega uma caneta para o Dindo, aquilo ressoava em meus ouvidos como uma ordem; e naquele momento já não era mais eu a Duda e sim uma escravinha que esta ali para atente-lo como e onde ele ordenasse.
O tempo foi passando, as brincadeiras dele e dos amigos eram constantes, quando completei 12 anos, começei a imaginar como seria um homem pelado na minha frente, pois até então apesar de eu viver peladinha na casa dele, ele o Tio Mauro e o Tio Sergio nunca andaram nus na minha frente, até que um dia eu parei na frente dele e perguntei.
“ Dindo! você me disse que na sua casa existe regras, que aqui não usa roupa, porque só eu fica pelada? você o tio Sergio e o tio Mauro nunca ficaram.”
Então ele me olhou e deu um sorrio malicioso, me deu três palmadinhas de leve na minha bundinha e respondeu.
“Você está ficando safadinha já né menina? Não seja por isso a partir de hoje nem eu nem o Mauro nem o Sérgio vamos usar roupas mais, tão bom assim para você?
“Agora está Dindo”
Eu ria como uma criança que tinha acabado de ganhar um doce, então ele levantou e começou a tirar a roupa na minha frente, aquilo foi o máximo para mim, quando comecei a ver ele tirando o shorts e baixando a cueca, foi como se eu tivesse ficado hipnotizada vendo aparecer aquele “piru” ( na época eu chamava assim depois que ele falou que eu devia chamar de cacete, de pau mesmo) eu não tinha noção do tamanho mais era enorme, minha vontade na hora era de pegar sentir como era, fiquei parada um tempo olhando até que consegui voltar a si e perguntei.
“Dindo! Posso colocar a mão?”
“Pode minha bb, vem, pega, senti ele.”
Quanto peguei nele, senti uma sensação sem tamanha, não sabia o que era, mas cheguei a me molhar em baixo, até olhei para ver se eu tinha feito xixi, de repente fui sentindo ele crescer e ficar duro, minha mãozinha mal conseguia fechar nele, foi quando Dindo me olhou.
“Ta vendo Duda, 22cm de puro cacete que um dia você vai sentir aqui.”
E tocou minha bucetinha, fazendo eu me contorcer e soltar um gemedinho pela primeira vez na minha vida.
Fui embora para casa, mas naquela noite não conseguia para de pensar no que eu tinha visto, tentava dormir a imagem vinha a minha mente e novamente eu me sentia molhando a calcinha.
No dia seguinte acordei, fui tomar banho para ir para colégio, mas não via a hora de chegar o final da aula para o Dindo ir me pegar.
Quando entrei no banho, aquela cena vinha na minha cabecinha de criança, não conseguia entender o porquê aquilo não me deixava em paz, enfim tomei meu banho, e quando fui colocar o meu sutiã, percebi que meus peitinhos apesar de ainda estarem em desenvolvimento, naquela manhã , eles estavam um pouquinho mais inchados e sentia um leve desconforto, estavam meio doloridos, terminei de me troca e fui para o colégio.
Na saída o Dindo estava lá como sempre, corri até o carro, dei um abraço gostoso e lembro de ter falado.
“Vamos dindo quero chegar logo em casa.”
“O que aconteceu princesa, está tudo bem?”
“Tá só quero ir embora logo”
Chegamos ele parou o carro na garagem, eu já fui tirando minha roupa como eu fazia todos os dias quando chegávamos, de repente senti uma vontade louca de fazer xixi, sai correndo em direção ao banheiro sem nada dizer, foi quando eu dei um grito de pavor.
“Dindo…. socorro”
Começei a chorar.
Dindo ouviu e entrou desesperado no banheiro e me pegou sentada no vaso chorando falando sozinha “eu to morrendo, o que está acontecendo comigo”.
“Duda o que foi? porque esse escândalo, o que aconteceu?”
“Eu to sangrando Dindo, eu vou morrer”.
“Como assim Duda sangrando.”
“Olha”
Abro as pernas, mostrando para ele o sangue, ele pálido parado na minha frente, me olha por alguns instantes e começa a rir.
“Não acredito que esse escândalo todo é por isso”
“Mas eu estou sangrando você não está vendo?
“Calma Duda você virou mocinha, só isso, sua mão não disse para você que isso ia acontecer uma hora? – não precisa chorar isso é normal, vem entra no banho enquanto o Dindo vai até a farmácia aqui na esquina comprar absorvente e já volto.
Ainda assustada, entrei no banho enquanto ele foi até a farmácia.
Não demorou ele voltou, eu ainda estava no chuveiro.
Eu saí ele veio e me enxugou.
“Vem o Dindo vai ensinar você a usar o absorvente, você já deve ter visto sua mãe usando ne?”
“Já vi dindo”
“O Dindo pegou calcinha nova na sua gaveta, veste ela até perto das coxas, agora solta essa fita e coloca ele aqui, bem meio da calcinha, isso assim mesmo, pronto esta resolvido, precisou fazer esse escândalo todo?
A primeira menstruação é normal não ser tão regular os cinco dias, descia um, ficava 01 sem descer e foi assim até o final do ciclo.
Durante uma semana ficamos sem fazer nada.
Passou um tempo e os meus pais precisaram viajar para um congresso eles são médicos e eu fiquei uma semana na casa do Dindo.
Mas… essa aventura só vou contar na próxima parte.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,40 de 15 votos)

Por # #

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Will

    Conto delicioso e esta ficando mais interessante, aguardo continuação

    Mulheres e melinas que quwrem falar sobre desejos e prazer chama no telegram
    @Will_town

  • Responder Darkness

    Ja com a pipoca feita para as outras partes

    • @Mrfeenanda

      Delícia de mais. @Mrfeenanda chama la

  • Responder Menina_Levada

    Só para esclarecer, quando faço a narrativa da situação, eu tentei colocar a minha reação daquele exato momento, que eu sabia que isso uma hora iria acontecer é claro que sabia, minha mãe sempre conversou comigo sobre isso .pois uma coisa é você saber outra é acontecer e cada uma reage de uma maneira diferente diante da situação.

    • Will

      Parabéns ficou bem claro todas as narativas e situações entre o saber e viver cada experiência nova, continue

  • Responder Rafaella

    Bem contado como a primeira menstruação é.. mas pena que sua mãe, sendo médica, não lhe explicou nadinha sobre isso ! Pelo jeito a pessoa quem escreve é do sexo masculino. Beijos !

    • Pode crê

      Tive a mesma impressão.