# #

Eu vi um estupro

698 palavras | 3 |3.27
Por

Sobre um abuso que eu vi quando era garoto

Olá a todos!Me chamo Fernando,tenho 43 anos e vou relatar aqui um episódio que,pra bem ou pra mal,marcou toda minha vida e a visão do sexo desde então.Eu morava com a minha mãe e uma irmã numa casa alugada,que na verdade eram um conjunto de quatro casas alugadas que estavam num mesmo terreno,era um casarão enorme cujos donos originais morreram e a filha a transformou em quatro casas menores,eu morava na parte de cima,embaixo morava uma mulher e sua filha,chamada Viviane.Viviane tinha 13 anos na época,era uma menina branca,cabelos pretos cacheados,baixinha com a bundinha bem redonda e peituda, ela tinha um tipo de paralisia do lado direito do corpo que não sei qual nome é,o braço direito vivia recolhido,o pé direito ela praticamente arrastava ao andar,tinha uma cicatriz de cirurgia no calcanhar,caminhava idêntico áquelas pessoas que sofrem um derrame. No meio tinha uma pequena área aberta e a casa da frente era como um sobrado,na parte de cima estava vazio e embaixo morava um rapaz com sua irmã,eles eram gaúchos,eu simplesmente o chamava assim,gaúcho.Com o tempo,peguei amizade com ele,e vez por outra,após chegar da escola(eu estudava de manhã)ia até a casa dele bater papo.Ele era um rapaz bem magro,cabelos castanhos bem escuros,o peito bem peludo,e sinceramente,nada atraente de rosto.Tinha 45 anos.Um dia estava chegando da escola e vi uma vizinha conversando com minha mãe sobre ele,entrei mas fiquei atento ao que falavam,minha vizinha relatou á minha mãe que a própria irmã dele falou que ele tinha fama de tarado,quando minha mãe entrou ela falou pra eu ter cuidado com ele até pois vivia indo na casa dele.Um dia voltei mais cedo da escola,e fui falar com ele sobre uma revista que tinha emprestado.Não o encontrei e já estava me preparando pra subir pra minha casa quando comecei a escutar alguns gemidos vindos da casa da Viviane.Fui andando sorrateiro até a porta,fiquei escutando e ouvi ela falando “aiai gaúcho,pára!Tá doendo!
Admito que aquilo me excitou,fui olhar pelo vitrô pra ver o que estava acontecendo,e vi com meus próprios olhos o gaúcho comendo a bunda da menina,que reclamava de dor e tava chorando até,pedindo pra ele parar e ele só xingava ela e falava pra ela ficar quieta,ele tava abraçando forte ela por trás e enfiava o pinto todo na bunda dela,o pinto dele era grande,devia ter uns vinte centímetros,e ele colocava ele todo e tirava,confesso que fiquei louco de tesão vendo aquilo a ponto de gozar sem me masturbar,ele ficou uns 5 minutos abusando dela até gozar,aí ele tirou o pau pra fora,limpou a bunda da menina com a própria camiseta e falou pra ela ficar quieta e não contar pra ninguém.Eu corri pra minha casa ,era uma quarta,minha mãe estava no grupo da igreja que ela fazia parte e fiquei sozinho o resto da tarde.Depois do ocorrido,notei que ele estava meio ressabiado comigo,ele deve ter ouvido eu subir as escadas correndo no dia do abuso,eu criei coragem e perguntei pra ele,ele negou ,falei pra ele que não ia contar pra ninguém aí ele admitiu que comeu sim a menina,aproveitou que ela ficava sozinha em casa e fodeu sim com ela,ele falou que pegou ela sem passar nada pra lubrificar,nem cuspe pois falou que pra comer bunda de mulher tinha que ser assim mesmo.A menina ficou vários dias sem sair de casa,a mãe ficou desconfiada mas ela era muito medrosa,ela tinha medo do sujeito e só repreendeu a filha por ter permitido aquilo acontecer,um tempo depois,elas se mudaram.Depois de um tempo o gaúcho e sua irmã mudaram também.
Este é meu relato ,aconteceu numa quarta feira de Agosto de 1991

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,27 de 22 votos)

Por # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Reinaldo

    Lucasdantasy

    Adc la teleg hehe

  • Responder Selayaran Afonso

    Gostei do conto eu vi um estupro imagino a cena o gaúcho arrombando aquele cuzinho virgem e a Viviane chorando na rola do gaúcho enquanto seu cuzinho era bravamente arregacado pela tora insaciável de um homem maduro e com enorme prazer naquela menina ainda muito jovem e com o corpo pedindo pra ser usado se fosse eu ainda ia botar ela sentada no meu colo de frente pra mim e ia fazer ela cavalgar enquanto eu mamava naquelas tetinhas sei que ela ia viciar na minha piroca e ela mesmo ia me procurar pra ser enrabada e eu também ia arregaçar sua bucetinha com muita calma mas seu cuzinho ia ser meu depósito de porra ela ia ser minha putinha

  • Responder anonimo

    que nojo