#

Bêbado e vulnerável

2888 palavras | 7 |4.39
Por

Eu, carente, com o tesão a mil e sozinha… Meu amigo, bêbado e vulnerável…

Olá pessoal!…

Me chamo Jenny e tenho 22 anos. Vou descrever um pouco sobre mim antes de documentar esse conto que fez parte do final da minha adolescência e início da vida adulta.
A história é real, por isso tem muitos detalhes que podem não agradar aqueles que gostam de um conto curto…

Tenho 1.62 cm de altura, sou branca, cabelos negros e lisos até a altura dos mamilos, tenho seios médios e firmes, apesar de ser bem branca, tenho auréolas morenas e pequenas, mas com mamilos pontudos…
Sempre cuidei deles pois acho a parte mais sensual do corpo de uma mulher se ela souber como explorar…

Tenho 94 cm de quadril e não gosto de marcas de biquíni, por isso sou bem branquinha. Minha bunda é levemente arrebitada.
Gosto do formato da minha bunda… Pois quando fico de quatro, meu quadril empina e parece um coração, se vendo toda a extensão da minha boceta lisinha (isso foi o que me disseram)… Rsrsrsrsrsrs…

Quando fiz 17 anos, terminei meu segundo grau e tive que me mudar para outra cidade. Pois escolhi fazer faculdade no RJ… E como morava em Belo Horizonte – MG, não daria pra estudar em um lugar tão distante. Meu pai alugou um apartamento na Barra da Tijuca que ficava a 30 min. da faculdade e eu achei legal dividir com uns amigos, e como tinha mais dois amigos que vieram comigo para estudar também, ficamos de rachar todas as despesas…

Um deles era o Rafael, meu amigo de infância… Sempre tive uma queda por ele, mas por ser muito tímida, nunca me adiantei. Ele é branco, cabelos negros, másculo de academia, deve ter uns 1,90 cm altura, tem olhos azuis, e uma boca linda. A outra era a Fernanda. Ou Fehr como nós a chamamos. Loura, cabelos longos e lisos, corpo tipo mignon, peitos maiores que os meus e olhos verdes.

Mas essa história aconteceu com meu amigo Rafa…

Nas primeiras semanas que vivemos juntos, foi tudo muita zoeira. Como não temos praia em MG saíamos quase todos os dias pro posto 2 da Barra e passamos boa parte do dia lá… Conversando e curtindo o sol…
Algumas das vezes que eu ficava deitada na esteira, eu reparei que o Rafa olhava pro meu corpo me secando e eu ficava igual a um tomate de vergonha, ele nunca tinha me visto de biquíni, e meu pai fez o favor de colocar vários biquínis cortininha na mala… Todos claros e com poucas estampas!…

Depois que eu fui me molhar, ficou tudo transparente e dava pra ver todo o contorno da minha boceta. (Na hora lembrei de comprar outros por isso)…

A noite, o Rafa era mais descolado e sempre puxava e Fehr pras baladas. Disso eles conhecem bem. Porque em MG todos mundo sai a noite pra curtir. E ele queria ver como era a vibe do RJ.
Nos primeiros dias, a Fehr já arrumou um cara moreno lindo pra ficar, e quase nunca dormia em casa pra poder transar com ele de boa. O Rafa sempre chegava de madrugada depois da curtição e caía na cama desmaiado. E eu… Como era muito tímida, ficava em casa vendo tv e escrevendo. A Fehr reclamava muito porque dizia que eu sou muito bonita pra ficar em casa parada…

Mas fazer oque…

Numa dessas noites que o Rafa saiu, ele chegou muito tarde e bêbado de cair. Nossos amigos trouxeram ele carregado e ele tava muito mal. Eles disseram que ele tomou algo mais pra animar, mas não aguentou. Fiquei preocupada e pedi para que seus amigos entrassem e o deixassem na minha cama…
Quando foram embora entrei no quarto e o Rafael estava dormindo, muito bêbado. Não podia deixar ele assim e tentei tirar sua roupa pra lhe dar um banho. Era uma blusa azul e branca listrada de botões, e como ele estava deitado, facilitou tirar. Porque o Rafa é musculoso e tem um corpão todo grande …

Quando puxei sua calça, a rola dele tava meia bomba e me assustei com o volume dentro da sua sunga, mas não deixei de olhar… Tava maior do que na praia… Meio duro… Pensei em deixá-lo só com a sunga e dar um banho nele, mas a curiosidade falou mais alto e acabei que coloquei a mão por cima… Só pra sentir…
Tava quente, e mesmo meio duro tinha mais que um palmo da minha mão…

Dei uma apertada e de imediato aquilo começou a dar sinal de vida. Sei que era errado o que eu estava fazendo, mas eu nunca tinha visto um pênis, muito menos segurado um duro assim daquele jeito… E eu tava ficando muito excitada por fazer isso.
Fui até a porta e a tranquei jogando a chave no sofá, voltando logo pro meu quarto…
Ainda com tesão. Tirei minha roupa e fiquei apenas com uma calcinha rosa de dormir pequena e semi transparente e soutien pra aproveitar a situação o máximo possível…
Uma cabeçona inchada e rosa tava saindo por cima da sunga e vendo isso, comecei a me tocar passando a mão por cima daquela coisa dura…

Estava tão excitada que não me contive e baixei sua sunga pra ver como é que era o pau todo dele…
Nossa! Vocês meninas devem se lembrar a sensação de ver um caralho grande e duro pela primeira vez na sua frente (ainda mais por sua causa!). Levei a mão na minha boceta e na mesma hora Senti ela melar.
Segurava aquele caralho e me sentia poderosa! Dona do pedaço!… Pegava com uma mão e sobrava muita pica, e com as duas mãos sobrava dois dedos antes da cabeça. Olhei pro Rafa e ele ainda tava desmaiado de bêbado. Foi o que me deu mais coragem de continuar com minha brincadeira secreta.

Me abaixei na beirada da cama e comecei a masturbá-lo devagar. Abri minhas pernas e com a outra mão, coloquei minha calcinha de lado e ficava alisando a entrada da minha boceta. Tenho bem poucos pêlos negros só na parte de cima do púbis, parecendo uma boceta de adolescente… Meus grandes lábios são carnudos, mas minha boceta é pequena. No clitóris e em baixo eu sou toda lisinha e fico com os pequenos lábios inchados quando me excito… Por só ter transado 1 só vez até então, eu me melava muito fácil… Tava escorrendo e quase gozei quando meti o dedo na entrada…

Tava ficando difícil de agüentar aquela coisa e no meio do desespero, acelerei os movimentos da minha mão no pau dele e aquilo engrossou mais ainda na minha mãozinha aparecendo todas as veias… E logo foi soltando muitos jatos de porra pro alto!…
A sensação foi maravilhosa gente… Gozei como nunca tinha gozado em nenhuma das minhas masturbações noturnas…

Espalhou porra por todo abdômen saradinho dele e ainda veio um pouco no meu rosto… Quentinha. Me atrevi a passar a língua nos lábios pra provar o gosto e achei bom… Uma porra meio doce, meio salgada…
Quando olhei pro seu pau, ele ainda estava meio duro e pulsando. Não sabia que um cacete fazia aquilo…
E minha vontade ainda não tinha acabado…

Levantei do chão e deitei na cama de bruços parando com o rosto bem perto da sua pica. Deitei minha cabeça na sua barriga, segurei seu pau e virei ele de lado, colocando a cabeça melada bem perto da minha boca e antes de tentar fazer o que eu queria, olhei pro rosto do meu Rafa e vi que ele estava no sono dos justos… nem imaginado o que sua amiguinha gostosa e inocente iria fazer…

Lambi a cabeça da rola e uma onda elétrica invadiu meu corpo, aquela porra era boa demais (em todos os sentidos!).
Veio um gosto de pica quente e melada de gozo na minha boca… fechei meus olhos e mamei, deixando de lado minha vergonha…

Passei ela pelo meus lábios sentindo aquele melado, lambi a ponta do cacete, dava beijinhos e abocanhei a cabeça que tava muito inchada até aonde podia pra sentir ela pulsando… Senti seu pau endurecendo novamente e isso me deixou empolgada de novo…

Caprichei na mamada lembrando os filmes eróticos que via de madrugada no meu notebook… Segurei a pica pela base, coloquei só a cabeça na boca, passei a língua nela deixando bem babada, masturbava e batia com ela no meu rosto, quase até ele gozar de novo… Tirei o pau da boca na hora e deixei ele gozar no meu rosto… Queria ver de novo como é uma pica soltar leite bem de perto.

Segurei na base e soltou jatos fortes dessa vez. Espirrando bem pro alto e nos meus seios… Enquanto saía, eu apertava a rola pra sentir ela pulsando e esfregava nos meus mamilos. Isso fazia o jato pegar mais pressão! Acho que até apertei demais, porque o Rafa gemeu de dor quando fiz isso… Fiquei com medo que ele acordasse, mas quando olhei pra ele, vi que ainda estava desmaiado…

Depois dessa gozada pensei… Acho que vou parar agora… Mas ainda tava com tesão e tinha que experimentar aquela rola em mim…

Sentei em cima do Rafa e coloquei sua pica entre os lábios da minha boceta. Comecei a fazer movimentos leves sentindo toda a extensão da pica deslizar na minha xotinha melada… Eu ainda não tinha gozado, e meu tesão tava a toda naquela hora. A buceta tava muito inchada e sensível e só de sentir aquela coisa grossa no meu grelo já era motivo pra eu me gozar inteira… Nunca tinha feito essas coisas com ninguém. Mas acho que o fato dele estar a minha mercê todinho pra mim me deixava a vontade pra realizar minhas fantasias sem ninguém me julgar.

Deixei minha vontade rolar me requebrando toda em cima dele. O mais gostoso era quando eu empinava o bumbum pra trás e deixava meu grelo bem em cima da pica pra foder… Segurava seu peito forte e mexia só o quadril, como se estivesse dançando funk. Sentia aquela pica quente na boceta deslizando… Passando a cabeça no clitóris… Putz…

Depois de quase uns 5 minutos de esfregação a pica começou a ficar dura de novo e eu deixei o meu gozo vir…

Gente, me gozei toda nessa hora. A pica dividia minha xana gostoso, não parei de requebrar nem um segundo, até que eu desfaleci em cima dele com aquela rola grossa na portinha e eu mordiscando ela com a xota…

Depois que me recobrei… minha última loucura (eu pensei) foi levantar de pernas abertas e ficar esfregando a rola bem na entrada da boceta… A cabeça tava muito inchada e tava difícil colocar pra dentro, mas a vontade de foder era maior que a dificuldade de fazer, por isso não parei…
E a cada esfregada, eu sentava mais…
Quase colocando dentro…

Minhas coxas começaram a doer e acabei sentando em cima dele de novo, deixando a pica com a cabeça já na entrada… Mas ainda sem coragem pra enfiar ela toda. Abaixei o corpo e deitei no Rafa pra recobrar minhas forças… O cheiro do seu corpo tava me deixando muito zonza. Era um cheiro de macho muito gostoso, perfumado, misturado com a bebida que ele tomou…
Queria ficar deitada ali a noite inteira sentindo ele…
De repente sinto suas mãos nos meus quadris segurando forte e me assusto… Quando olho pra ele, vejo que ele está acordado e me olhando com uma cara de safado…
Cheguei a ficar com medo…
Tento me levantar, mas ele me segura forte e fala:

– Pô Jenny. Se queria minha pica, porque não pediu ela comigo acordado?

Eu falei:
– Ra-Rafa!?? Vo-você estava acordado!??

Ele:
– Acordei quando Senti você se esfregando em mim. Agora vamos terminar isso, vamos…

Mal falou isso e forçou a entrada da rola que já estava com a cabeça dentro me alargando toda.
Gemi baixinho e tentei me mexer. Não pra sair fora, mas pra me ajeitar e aceitar a varada eminente…
Ele com jeitinho foi forçando a entrada e como eu já estava totalmente relaxada de tanto esfregar, colocou toda aquela puta pica dentro de mim… 21cm (ele me disse depois). Senti isso tudo até o talo me comendo devagar, segurando meu rabo, controlando os movimentos e passando o dedo melado no meu cuzinho… Instintivamente, eu empurrava minha boceta pra frente, na direção daquela coisa… Pra entrar tudo… Me encher completa… Sentia umas coisas nas pernas que não sei explicar… Uma vontade de ficar mexendo elas… Arreganhá-las aos máximo pra ele foder… Sei lá… Só sei que fiz isso…

E ele me fodendo e falou:
– Ta vendo Jenny? Tu me fez gozar antes e agora vou poder foder você de boa sem gozar…

Fui nas nuvens com aquela rola. Nunca imaginei que foder seria tão gostoso… Quando é bem feito e com quem se tem tesão.
Ele me pegava de um jeito que eu gozava só dele mexer.
Ele me virou deitada e me colocou de bunda empinada se ajeitando atrás de mim…
Beijou minha bunda, abriu meu reguinho e ficou passando a língua de leve no meu cu indo direto pra boceta. Rebolava na cara dele pedindo mais e ele enfiava a língua lá dentro, mordia meu rabo e voltava a brincar com meu cuzinho…

Quando tava começando a curtir, ele sobe em mim e mira aquela cobra enorme novamente na minha xana… Ele ficava esfregando a cabeça no meu rego e deslizava ela gostoso. Tava tão melada que numa só enfiada ele colocou tudo na xotinha e começou a foder forte. Me pegando pelo quadril e socando gostoso…
Eu não queria mais parar… Naquela hora eu era só corpo, boceta, cu e vontade de dar até morrer.
Ele percebia isso e me tratava como uma puta safada… E eu gostava… (Acho que toda mulher gosta de uma boa foda cheia de putaria com seu macho).

Ele metia fundo, e quando enfiava tudo me arranhava os quadris puxando pra direção dele…
Tão gostoso que eu me empinava mais ainda… Numa dessas empinadas, ele segurou minhas pernas e me puxou pra ficar de quatro, jogando minha cara no travesseiro. A pica de tão grande só saiu a metade e quando eu levantei ele fez o favor de meter ela toda de novo…

Ele metia e falava:
– Adoro mulher assim. Rabo redondo, gostoso…

Comecei a rir e ele tirou a pica e pincelava ela no meu buraquinho rosa que já estava muito melado pelo tesão… Numa dessas, ele colocou o dedão no meu cu. Eu nunca tinha enfiado nada dentro do meu rabo, e até estranhei o dedo dele ter entrado tão fácil… E passei a gostar da dedada. Ele me fodia e metia o dedo no meu cu.

Até que ele falou:
– Gata, vou gozar nesse rabo gostoso!

E antes que eu pudesse falar algo ele já saiu tirando da minha boceta e colocando a cabeça da rola melada de boceta no meu cu lisinho e virgem… Pensei que ia me arrombar toda, mas acho que meu tesão tava tão grande e seu dedo me laceou tanto que só senti prazer quando ele deslizou a rola, sem muito esforço ela tava dentro (minhas amigas sempre falaram que a primeira vez é dolorosa, e fazer anal é pior ainda, mas graças ao clima inicial, comigo não foi assim).

Ele se curvou encostando o peito nas minhas costas e colocou a mão na minha boceta. Sua mão era tão grande que segurou minha xota inteira com ela. Me socou dois dedos dentro e começou a bombar a rola no meu rabo.

Pessoal, é uma coisa louca quando a gente quer foder… Tudo dá tesão e nada é proibido. Ele socava a pica e eu delirava quando sentia ela inteira dentro e pulsando. Ele mandava eu piscar o cuzinho, e quando eu piscava, a rola latejava… ele me segurava pelo rabo e empurrava a pica inteira pra dentro, até que numa dessas ele jogou no fundo do meu cuzinho seu leite bem quentinho…

Não conseguia acreditar como ele gozava tanto e ainda tava de boa com aquela pica dura pra mim. Ele disse que tinha tomado uma parada na balada e por isso tava tão ligado pra foder…

Deitei um pouco de bruços pra relaxar as pernas e ainda sentia aquela pica escorregando de porra melada pelo meu cu. O Rafa ficava sugando meus mamilos e me enchia de carinhos querendo mais, e eu também…

Mas vamos deixar a continuação dessa noite pra outro conto…

Beijos e espero que tenham gostado…

Aguardo seus comentários!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,39 de 18 votos)

Por #

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Supertech

    Delicioso conto!
    @TecnoMan78

  • Responder Yankee Lorran

    Show jenny. Tesão do Caralho me deu seu conto

  • Responder Gio

    Conto delicioso, adorei os detalhes, escreva mais! 😘

  • Responder Anônimo do Sul

    Eu fiquei com tesão já quando ela se descreveu no início, sonho de mulher

  • Responder Vantuil OB

    Excelente. Bem contado. Espero que continue

  • Responder MC

    Belo conto ! Parabéns !

    • Moraes

      Delícia gozei gostoso aqui desejando esse seu cu