# #

Aline, um amor de Sobrinha (1)

1220 palavras | 12 |3.41
Por

Olá, hoje irei relatar como em um tempo atrás, ensinei para a minha Sobrinha como a vida é prazerosa, e ela gostou demais de saber.
Antes vou me apresentar, meu nome é Cláudio tenho 27 anos, sou pardo, olhos castanho claro, tenho 21cm e sempre tive fama de nunca negar fogo, tipo NUNCA mesmo kkkk. Atualmente moro no interior de Minas, sou viúvo minha esposa faleceu muito nova, dois anos após nos casarmos, mas isso não vem ao caso. Eu sou formado em arquitetura, mas não estou exercendo, porque eu trabalhava na cidade de Minas, e após o fato que contei a vocês anteriormente vim para o interior para a fazenda de minha familia.
Antes de vim para cá, morava aqui meus pais, uma das minha duas irmãs, e meu irmão que estava lá um tempo porque estava brigado com a mulher. Mas sempre tinha outros familiares lá na fazenda também.

Eu sou o mais novo dos irmãos, e sempre fui bastante mimado, mas isso nunca atrapalhou em nada a relação com meu irmão e irmãs, minha irmãs tinha filhos, um menino cada, e meu irmão tinha um casal, o Pedro e a Aline.. Ah, Aline que saudades hein..

Então, a primeira vez que tudo aconteceu foi em um Carnaval, toda a familia se reuniu na fazenda, por ser uma fazenda enorme, tinha espaço para a familia toda, mas nem todos foram, ao total foi 15 pessoas, contando com os que já moram na fazenda, vou parar de enrolar e ser mais direto.

Em um dos dias do Carnaval todos quiseram se reunir para ir a cidade comprar algumas fantasias de pra passar nos blocos que tem todo ano próximo a fazenda, ao total foram três carros completos, e ficou três pessoas na casa, Eu, minha tia e minha sobrinha, a Aline.
Eles foram e ficamos nós lá, a minha tia resolveu ir se deitar pelo fato de está cansada por ter preparado o almoço do dia, e ainda a noite ter que preparar o jantar também. com isso ficou somente eu e a Aline na casa(é fazenda, mas irei chamar de casa pra ficar mais fácil.)

Antes de fato começar vou falar da Aline, ela é uma morena, tem 12 anos, com um corpo desenhado mesmo tão nova, sempre ela me chamou atenção mas nunca por um lado na malicia, mas sempre me chamou a atenção.

Quando todos saíram para comprar as coisas, ela na hora já correu para a piscina e ficou lá um certo tempo, eu fui ver se estava tudo bem e perguntar se ela queria algo..

Assim que cheguei lá perguntei:
– Aline? Você está precisando de alguma coisa?
– Não tio. tô bem.
– Tem certeza?
– Sim.. pera aí..
– Tá vendo, sabia que queria algo haha
– Entra aqui na piscina comigo, a água tá super gostosa
(falando isso ela subiu e se sentou na borda da piscina)

Daí notei algo estranho, ela estava com a parte de baixo do seu biquíni completamente enfiada no cu, na hora tomei um susto, porque meu irmão não comprava biquínis assim, e assustado perguntei:
– Aline, você está com o seu biquíni no bumbum?
(na hora ela tomou um susto como se tivesse esquecido, e na hora pulou de volta para a piscina)

fui até a borda e falei:
– Não precisa pular de volta eu vi, porque você colocou assim, você gosta? Não minta para mim.
– Ah tio, não gosto de mentir para o senhor, eu gosto sim, eu vejo minha primas mais velhas usarem, minha tias, até minha mãe.. então resolvi experimentar e gostei, mas não conta para o meu pai por favor, faço o que o senhor quiser.

Essa frase: “faço o que o senhor quiser.” me deu um calor por dentro, subiu um negocio que nunca sentir, na hora já rebati..

– Tudo que eu quiser?
– Tudo tio. tudinho.
– Então sai da água pro tio ver como você ficou com o biquíni assim..
Ela não falou nada, simplesmente saiu.

– Então tio, como eu fiquei? não fiquei igual minhas primas né?
– Não meu amor, quer isso, ficou muito bom, você está linda..
(e realmente, minha nossa que visão, quando ela deu um giro pra se mostrar, o meu pau gritou na hora dentro da cueca, e lógico que ela notou.

– O Tio, o que é que tem dentro do seu bolso, tá fazendo muito volume.
– É que não é no meu bolso querida e dentro da cueca,, mas é melhor esquecer, é errado.

e sai da área da piscina e fui pro meu quarto, bati uma punheta, porque mesmo saindo de lá meu pau não abaixou, nem nadinha, bati uma pensando nela, girando e mostrando seu corpo pra mim, só que ai que foi o erro, quando eu subo eu deixei a porta do quarto fechada, mas sem ser a chave, e comecei a bater, com os olhos fechado e mandando ver pensando nela, quando estava gozando ela abre a porta já falando..

– Tio, o que é errado que você quis dizer lá na pisc.. TIO?
– Aline, sai daqui, o que você tá fazendo aqui?!
– Tio? o que o senhor está fazendo? (falando sem tirar os olhos do meu pau mesmo gozado ainda em pé)
então falei firme com ela e mandei ela sai dali, então ela se foi para o seu quarto.

passou algum tempo todos chegaram, chegou a noite jantamos, e fomos nos deitar, no jantar notei a Aline calada, não falou um piu se quer, mas também não tirava os olhos de mim, depois que todos se deitou eu fui me deitar, fui o ultimo..
fui para o banheiro que fica dentro do meu quarto, quando saio a Aline tá do lado da porta do quarto, olhando para baixo, e diz:
– Tio, eu acho que sei o porque que o senhor estava daquele jeito..
– Que jeito?
– Com o seu negocio ai, colocando um liquido pra fora.. foi por minha causa tio? se foi me desculpa eu nã..
a interrompi e disse:
– Foi por causa de você sim, mas não precisa pedir desculpas, foi algo bom.

então ela correu e me abraçou forte, como ela é baixa, a cabeça ficou exatamente na altura do meu pau, e ela abraçando forte ficou forçando sua cabeça contra meu pau, ele foi ficando maior e ela percebeu, olhou para mim com um olhar diferente e puxou minha bermuda sem falar nada, eu com dificilmente uso cueca para dormir fiquei com o meu pau completamente no rosto dela e duraço, e ela segurou nele antes de eu dizer uma palavra, fiquei sem reação alguma…

e essa primeira parte do conto fica por aqui, quero saber o feedback de você para saber se vocês querem saber o que aconteceu naquela noite ali.. peço perdeu pelo longo conto, eu sei que enrolo muito, perdão kkkk um abraço e até a parte dois.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,41 de 29 votos)

Por # #

12 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Jairo

    Putz chatão. Sem criatividade nemhuma

  • Responder pau

    me deu tesão adoro novinha tenho 30

  • Responder julião

    caralho,quase acreditei,

  • Responder Irmão do pernanbucano

    lixo demais kkk

  • Responder Pernanbucano picudo

    Até fiquei feliz quando ele disse que ia parar de enrolar e ir direto ao que interessa. Mas nada, o cara continuou só contando besteiras e mentindo mais que puta no cio.

  • Responder Bhenardo

    Tinha que ter como deletar essas mentiras grotescas. Nem mentir o animal sabe.
    Copia um antigo, se quer ibope, mula…

  • Responder Anísio

    Veja bem, caríssimo analfabeto funcional, não venha dizer que é formado em arquitetura, pq a quantidade de erros grotescos que têm neste conto, deixa claro, que vc mal concluiu o ensino fundamental.
    E mais…Vc mente mal pra caralho.

  • Responder Daniel Oracio

    que altura tem essa garota de 12 anos que o abraçando fica na altura do seu penis????

  • Responder ....

    Cara tinha TD pra ser um ótimo conto ,mas uma menina de 12 anos cm essa atitude é forçar de mais

  • Responder Small

    O cara se diz arquiteto e escreve como um semianalfabeto, pqp. Por que se mente tanto aqui sem a menor necessidade, já que pela escrita se percebe que não se terminou nem ao menos o segundo grau?

  • Responder cagão

    Precisa terminar não. Muito ruim seu conto… deixa assim mesmo.

  • Responder Putão

    Oh Cláudio12ml
    O conto não é longo, mas você enrolou no quesito “comentem para que eu continuo” pelo teor você poderia muito bem ter finalizado.