# # #

Festa na favela

1564 palavras | 3 |4.31
Por

Vou contar uma fantasia baseada em fatos. Uma estória que já ouvi algumas vezes, não só onde moro, mas em reportagens na TV e na internet. Ouvi várias versões da mesma estória e resolvi contar a minha, espero que gostem.

Milena tinha 15 anos, menina típica de classe média alta. Loira, branca, olhos claros, seios médios, cintura e um bumbum convidativo. Qualquer homem, e algumas mulheres, ficariam loucos ao ver aquela beldade, que abusava nas roupas sensuais.

Certo dia, sua amiga Natallie, dois anos mais velha, a convidou pra ir num pancadão na comunidade. Milena topou na hora e disse aos pais que dormiria na casa da amiga, algo que fazia com frequência.

Chegando na quadra, a convite de uma conhecida de Natallie, Milena sentiu seu coração disparar. Jamais tinha estado num ambiente como aquele. As duas eram devoradas com os olhos por todos ali, pois eram diferentes das meninas que normalmente frequentavam o local. A menina anfitriã, que se chamava Joice, trouxe bebidas e foi conversando com as duas. As meninas dançavam e rebolavam enquanto os homens a cercavam. Milena já estava solta e sentindo o efeito do álcool e disse pra Joice que ia parar pois não queria passar mal. Joice disse que tinha algo que a faria beber sem passar mal, mas ela era muito “cuzona” pra usar. Milena ficou puta e disse que ia provar que não era. Joice levou as duas pra um barraco ao lado da quadra e colocou três carreiras de cocaína. Joice foi a primeira, Natallie foi na sequencia e Milena foi a última. E assim foi a madrugada toda.
Já no final do baile, Milena flerta com um rapaz moreno claro, típico garoto da comunidade. Trocam palavras e rola um beijo. Terminou o baile e as patricinhas foram embora.

Já na terceira vez, Natallie disse não poder ir e Milena resolveu mandar mensagem pra Joice e marcar de ir sozinha. Pediu pra Natallie confirmar que estava na casa dela quando a governanta falasse com ela, pois seus pais estavam em viagem pra Europa. Chegando na entrada da comunidade, estavam Joice e o rapaz que Milena estava ficando, conhecido por seis e meia, apelido que ganhou por não ser nem preto, nem branco, sacou?

Milena estava com um mini vestido rosa colado em seu corpo, calcinha fio dental preta que aparecia a cada abaixada, sem sutiã, seus bicos marcavam no vestido e de sandália de salto. Na rua era uma puta e na quadra, só mais uma putinha. Mesmo rebolando no pau do 6:30, era o alvo dos olhares de outros homens. Após muita sedução, vários tiros de cocaína e álcool, o rapaz a arrasta para um barraco mais afastado da quadra. O barraco tinha uma mesa tipo de escritório, com algumas cadeira, um sofá cama num canto e uma poltrona. 6:30 preparou duas carreiras e Milena mandou uma e ele outra. 6:30 sacou sua rola de 16 cm e sem cerimônia, Milena passou a chupá-lo. Era bem puta e fazia com maestria. O rapaz dá uns tapas de leve em sua face, chamando-a de puta. Coloca Milena apoiada na mesa, prepara mais um tiro e diz que é pra ela cheirar, enquanto ele a fode de costas. 6:30 coloca a calcinha de lado e mete sua vara com vontade na buceta já molhada da puta. Ele goza bem rápido e a segura na mesma posição. A porra dele escorre pela perna de Milena e ele diz:

_Agora, vagabunda, a festa vai começar. Pode entrar.

Milena olha pra trás e vê dois garotos entrarem, ela vira e diz algo, mas um dos meninos, que aparentava não ter mais de 14 anos, dá um tapa na cara dela, 6:30 se enfurece e diz:

_Caralho menor. Eu disse que não é pra esculachar, senão vai estragar o brinquedo.

Milena tenta fugir, mas os dois a seguram e o garoto mete a vara na buceta dela. Era um pau menor que do 6:30 e gozou rápido. O outro, também bem novo, foi na sequência e Milena tentava lutar. Milena gritou por socorro e entrou Joice no barraco, junto a dois outros rapazes.

_Quanto mais você resistir, patricinha vadia, pior vai ser pra você. – disse Joice segurando Milena pelos cabelos.
_Por favor, por que está fazendo isso, amiga?
_Amiga é o caralho, vadia. Isso é pra você aprender que sua raça não tem que vir aqui roubar nossos machos. Você não queria dar pra favelado? Agora vai fazer a festa da rapaziada.

Milena pediu por favor, aos prantos, sua maquiagem estava borrada e Joice disse pra amordaçar a vadia. Ela ainda tentou se desvencilhar, mas não tinha como, com os homens a segurando.

Os outros dois eram mais velhos e suas rolas eram maiores. Milena estava com sua cabeça pressionada a mesa por 6:30, que controlava tudo de perto, seus braços e pernas sendo segurado por outros e começou a festa. Um a um, foram entrando homens, fodiam a buceta dela, gozavam e dava lugar ao próximo. Milena chorava e já não resistia mais. Uns batiam em sua bunda e quando passavam do limite era advertido por 6:30.

Milena começou a ficar mole e desmaiou. Eles não pararam e um meteu no cu dela. Outro foi buscar um produto de limpeza para tentar acordar Milena, pois alguns protestavam que a queria consciente. Milena recobra a consciência e é obrigada a cheirar mais cocaína com intuito do mantê-la acordada.

Entra no barraco um homem coroa, preto e ordena que a deitem de frente pra ele. Milena vê o homem se aproximar. Ele abaixa suas calças e revela um membro grande de 25 cm, grosso e preto como a noite.

_Agora chega de brincadeira. Vou te rasgar putinha.

Sem dó o homem mete a vara nela, que chora e seu grito é abafado pela mordaça. O negro a fode sem dó na buceta, ela quase desmaia, mas é acordada com tapas na cara. Já não tinha mais força e sua única reação era chorar. O homem tirou seu pau de dentro dela, com sangue na cabeça e meteu no cu. Novamente Milena grita e seu corpo reage e tenta sair dali. Toda reação era em vão.
Aquele negro havia estragado sua buceta e seu cu, todo arrombado e sangrando. Mas ainda não havia terminado. Milena desistiu e virou sua cabeça de lado, já não ouvia mais nada, nem sentia mais nada, apenas pedia pra que acabasse logo, mas não acabou. Foram muitos homens, sem nenhuma piedade. Rola após rola, gozo após gozo. Alguns repetiam e voltavam, principalmente os mais jovens. Milena apagou novamente.

Milena acorda no banco de trás de um carro, com 6:30 na frente, um homem dirigindo e Joice atrás. Assustada, tenta reagir e Joice enfia uma pistola em sua cabeça e diz pra ficar quietinha. Já estava amanhecendo e 6:30 diz:

_Seguinte, vagabunda. Nós pegamos vários dados do seu telefone. Sabemos onde mora, sabemos onde estuda. Se for na polícia, matamos você e sua família. Vamos deixar seu telefone pra pedir ajuda pra sua amiga, mas nem pense em ligar pra polícia.

Largaram Milena numa estrada de terra, só de vestido, toda cheia de porra, marcas por todo o corpo. Sua buceta e cu estavam dilacerados e o sangue já havia secado, mas as dores insuportáveis estavam presente. Tentou se recompor e só lembrou de chamar a amiga.

Natallie chegou com seu pai de carro e viu Milena jogada num canto da estrada. Natallie chorou ao ver o estado da amiga. O pai de Natallie colocou Milena no banco de trás e partiram. Natallie pede ao pai que guarde segredo e ajude a dar um jeito na amiga, ele concorda e diz que vai mexer os pauzinhos para que nunca descubram.

Levaram Milena a uma clinica conhecida pelo pai de Natallie e tudo foi resolvido.

Após ter passado meses, o pai de Natallie entrou em contato com Milena dizendo que precisava conversar com ela em particular. Marcaram num local discreto e o pai da amiga perguntou se estava tudo bem e Milena disse que fisicamente sim, só o trauma que ficou. Então o homem disse que estava na hora dela pagar o favor que fez por ela. Milena não entendeu e o homem foi claro:

_Você foi puta de um monte de favelados, se isso vazar, vai ser um belo escândalo e conhecendo seus pais, duvido que aceitarão bem. As chances de você ser a culpada são grandes, afinal de contas, todos sabem a puta que você é. Eu confesso que também sempre quis te fazer de putinha, mas mantinha minha postura, agora você me deu o que precisava e nem tente fazer algo, que destruo sua vida de vez. Nós vamos pro meu local de abate e vai se acostumando, que vou querer sempre.

Milena não teve reação. Tinha sido puta de vários, agora seria dele. E, pra piorar a situação, acabou cedendo às chantagens e aliciou algumas outras amigas pra ele. O coroa acabou comendo as vadias da alta sociedade…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,31 de 13 votos)

Por # # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônimo

    Que nojento isso

  • Responder Marcelo MG

    muito bom…. valeu ler até o final…

  • Responder Netto

    Continua