# #

A menininha do mercado 4

1019 palavras | 6 |4.38
Por

Desculpe a demora, mas a correria do dia está me impedindo de escrever.
Os três dias após nossa conversa foram muito intenso e corrido pra mim, pois tive que arrumar uma clinica de reabilitação, van escolar para levar os meninos e a Paula para a escola, acertar com a minha empregada que vinha três vezes por semana para vir todos os dias, pra ela contei uma história que estava ajudando uma prima que iria ficar um tempo com os filhos dela, além de comprar alguns móveis para o quarto dos meninos.
Três dias depois que fiz a proposta para a mãe de Paula, fui busca-la e buscar os meninos e Paula, coloquei todas as coisas deles no carro e partimos para a clínica. A mãe de Paula parecia apreensiva, estava um silêncio no carro, parecia que estava levando alguém para a morte, ao chegar ela exitou em sair do carro, desci, abri a porta e falei.
– Vamos, é para o seu bem e o bem das crianças.
Estendi a mão, e ela saiu do carro, todos acompanharam ela até a recepção, ela se despediu das crianças e ordenou que todos me obedecerem pois ela iria ficar um tempo fora.
Houve muito choro, principalmente por parte do mais novo, queria sai o mais rápido de lá para que ela não desistisse, deu um beijo em todos e entrou.
Fiquei aliviado e tenso ao mesmo tempo pois agora tinha a responsabilidade de cuidar de três crianças, o que me aliviava era o fato da Paulinha ir morar comigo e dormir todos os dias com ela sem me preocupar. Chegando em casa descarregamos as coisas, levei para os quartos, o mais novo sempre no colo da irmã, acho que estava sentindo a falta da mãe. Mostrei a casa para eles e o menino do meio ficou louco com a piscina, passamos o dia brincando dentro e fora da piscina, pedi uma pizza todos tomaram banho e coloquei os meninos para dormir e fui para o meu quarto.
Paula me esperava nua sobre a cama, aquela visão me deixou louco de tesão, tirei toda minha roupa, o meu pau já estava duro, deite ao lado daquela coisinha linda e dei um beijo gostoso, como é bom beijar um boquinha pequena, minha lingua percorria toda a sua boca, mudei de posição, ficando sobe ela, sem deixar se beija-la, me afastei um pouco para deixar ela respirar e então ela falou.
– Quero ser sua, coloca seu pau na minha xoxota.
– Tem certeza meu amor?
Ela afirmou com a cabeça, fui beijando seu corpinho até chegar naquela bucetinha linda, chupar bastante, deixei bem babada, minha lingua entrava o máximo que dava, ela gemia alto, tão gostoso, o meu tesão só aumentava, estiquei o braço e peguei no criado mudo o ky, lambuzei bastante sua bucetinha, passei um pouco por dentro com o dedo, ela gemia bastante, mostrando pra mim que estava gostando muito. Fiquei de pé ao lado da cama, posicionei ela para a beirada deixei ela numa posição que ficou bem arreganhada, comecei a pincelar meu pau na entradinha da sua buceta, teve um momento que ela falou.
– Enfia amor…Enfia.
Não resisti e enfiei de uma vez, ela deu um grito se dor e chorava, fiquei parado para ela se acostumar me curvei sem tirar de dentro e dei um beijo para acalma-la, perguntei se estava doendo e ela não respondeu, fiquei assim por um tempo, me levantei e vi que meu pau não tinha entrado totalmente mas estava melado de sangue puxei um pouco para fira e despejei um pouco mais de gel no corpo do meu pau e comecei a fazer movimentos de vai e vem leves, ela fazia um som que era um misto de gemido e choro, continuei a bombar cada vez mais rápido, senti que aos poucos meu pau foi entrando mais, tava muito bom, estava com tanto tesão que nem estava mais me preocupando se estava machucando ou não a minha princesa, só queria gozar dentro daquela bucetinha. Depois de uns dez minutos bombando ela já gemia de prazer, os olhinhos ainda estavam cheios de lágrimas, tentava levantar a cabeça pra ver o que estava acontecendo com sua xoxotinha, isso me deixava mais excitado aumentei ainda mais o ritmo, ela gemia cada vez mais auto, gozei gostoso dentro daquela bucetinha, me curvei e dei um beijo bem demorado, meu pau foi amolecendo até sai de sua buceta. Deitamos na cama e dormimos abraçados.
Ao acordar estava me sentindo o homem mais realizado do mundo, dei um beijo nela para acordar, ela foi despertando aos poucos, peguei ela no colo e levei para a banheira, lavei bastante sua bucetinha, ela reclamou um pouco de dor mas que estava suportável, estava preocupado pois saiu muito sangue durante a relação, mas depois que acordamos havia parado, saímos do banho e voltamos para a cama queria brincar mais com sua xoxotinha mas ela reclamou que estava dolorida.,meu pau já estava duro novamente, coloquei sua mão sobre meu pau e falei.
– Olha com você me deixa amor.
Paula não pensou duas vezes se ajoelhou no meu lado e caiu de boca no meu pau e falou.
– Quero leitinho antes de voltar a dormir.
Segurei a cabeça dela e fodi gostoso sua boquinha, enfiava até o talo, estava com vontade de judiar dela, deixei ela respirar um pouco e meti de novo, ela engasgava com minha pica e dava ância, saia lágrimas dos olhos, quando estava prestes a gozar soltei sua cabeça e deixei ela fazer sozinha, enchi sua boquinha pequena de porra que até escorreu pelo canto, ela passou o dedo e olhando com cara de safada lambeu o dedo. A cada dia essa menina está se mostrando um verdadeira putinha.
Na próxima como está sendo nossa rotina.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,38 de 29 votos)

Por # #

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônimo

    Continua

  • Responder Valmir

    Oi!
    Vai ter continuação
    Gostei muito do seu conto

  • Responder Grilex2

    Judiou um pouco mas foi o tesão eu entendo cega a gente hehe daqui a pouco tô pegando os outros irmãos dela tbm cuida bem deles tlg @ grilex2

  • Responder Cachorro loco

    Gostei só não curtir a parte de judiar se trata_la com carinho tem todo meu respeito,mesmo assim sua história é boa e parece verídica,tenho uma namoradinha de 9anos e realmente é uma delícia nessa idade

  • Responder Luísa

    Estava indo bem…até o final da parte dois.d
    Depois se perdeu, a história tomou outro rumo, e deixou de ser um conto erótico. Virou um “Esta é Sua Vida”, uma historinha piegas, onde o autor expõe suas qualidades e camufla seus defeitos…
    Não cumpriu a finalidade a que se refere, os contos aqui postados.
    Em tempo…quem entra num site de contos eróticos, quer ler um conto erótico, e não uma historinha qualquer…
    Fica a dica…

  • Responder Netto

    Andre se cc quise alguma ajuda meu email [email protected] sou empresario em campinaa sp tenho 1 filha 1 um menino pode.os bate um papo abracos