# #

Princesinha da Vizinha 10 Anos– 2º Parte

2109 palavras | 9 |4.33
Por

Olá pessoal! Essa é a continuação do conto: Princesinha da Vizinha 10 Anos que publiquei há quase dois anos. Quem não leu ou não se lembra mais. Sugiro que leiam. Segue o link: /2018/12/princesinha-da-vizinha-10-anos/
Eu tinha escrito ele logo depois do primeiro. Mas meu notebook queimou devido a uma descarga elétrica em uma tarde de chuva. Em que o havia esquecido na tomada. Com a ajuda de um amigo Técnico em Informática consegui recuperar a memória e parte dos arquivos. Desta forma, consegui salvar este. Infelizmente, outros tantos se perderam.
Segue o conto:

Depois daquela tarde com Tatiele. Passaram-se alguns dias sem eu a ver. Choveu durante esse tempo. Portanto, ela não vinha tomar banho de piscina. Eu a via só de passagem. Ela me olhava e sorria. E eu louco para saber se tinha gostado da experiência. Temia que ela contasse para sua mãe. Mas como já havia passado quase uma semana e como não houve nada, fiquei mais aliviado.
Então, em uma tarde de sexta-feira, eu estava em casa de folga. Quando de repente toca o meu celular. Era Irene, minha inquilina. Pediu-me para esperar a Tatiele chegar com o ônibus escolar. Pois tinha que ficar trabalhando no lugar de outra funcionária que havia faltado. E iria chegar só depois das 22 h. Falei que não tinha problema e que tomaria conta dela. Pedi se podia levar sua filha ao shopping e se ela podia dormir em minha casa. Já que chegaria tarde e cansada. Portanto, não precisaria se incomodar em ir pegar a menina. Irene permitiu. Disse que assim poderia dormir até mais tarde no outro dia. Fiquei eufórico! Era a oportunidade que eu tanto esperava.
Por volta das 17 h o ônibus chega à parada e pego Tatiele. Digo para ela que iria cuidar dela e que sua mãe iria fazer hora extra até as 22 h. E que nós iríamos ao shopping e ela iria dormir em minha casa. A menina ficou radiante. Por conta da dificuldade financeira, a mãe pouco a levava lá e quando iam, era só para ver as coisas.
Ela foi para sua casa tomar banho e se arrumar. Pouco depois estava pronta. Estava linda! Com uma saia curta branca, calcinha da mesma cor, e uma blusinha de alcinha azul e sandálias brancas. Cheguei perto dela, os cabelos ainda molhados, senti aquele cheirinho de shampoo infantil, um perfume suave e envolvente. Abracei, fiz um carinho em seus braços, senti o frescor de sua pele delicada e pus minha mão em sua bundinha e pensei: Hoje pego essa menina!
Chamei um Uber e fomos. Chegando lá, Tatiele estava inquieta. Disse a ela:
– Hoje vamos aproveitar bastante. Temos muito tempo.
Ela: – Estou com fome tio.
Fomos para a praça de alimentação e lanchamos no Burger King, tomamos sorvetes, olhamos as vitrines, entramos em uma loja de calçados. Tatiele tinha adorado um tênis Nike branco com rosa, mas custava quase R$ 400,00 e ela ficou frustrada. Eu havia pegado um par de sapatos para mim. Sem ela ver, fiz um sinal para o vendedor colocar o tênis na sacola junto com o sapato. Depois fomos para a área de brinquedos eletrônicos jogarmos um pouco. Tatiele estava muito feliz. Seus olhos brilhavam! Depois ela foi pular nos brinquedos infláveis. Sua saia subia e exibia sua calcinha. Sua pepeca gordinha engolia parte da calcinha branca marcando sua rachinha. Era uma delícia ver aquilo! Não via a hora de chegar em casa e cair de boca naquela coisinha deliciosa! Eu estava excitado. Ao meu lado havia um homem, que a admirava também. Ele cruzava as pernas para esconder sua ereção. Minha princesinha estava causando furor entre os homens daquele local! Fiquei preocupado e a chamei para irmos embora.
Chegamos em casa, eu disse a ela:
– Tati tem uma surpresa para você!
– O que é tio Kakaca?
Eu: – Abre a sacola.
Quando ela pegou a caixa com o tênis que ela tanto queria, e achou que não ia ganhar por causa do preço, começou a chorar!
Eu a abracei com carinho. Olhei em seus olhos e disse: – Não chore minha princesa. Você merece e eu gosto muito de ti!
– Gosto de você também tio Kakaca. Respondeu.
Eu: – Não mereço um beijo?
Ela: -Simmm!
Então, beijei sua boquinha. Com calma, sem pressa. Saboreando cada segundo. Minha língua encontrou a dela. Beijava e chupava e ela correspondia. Peguei-a no colo e a levei para o quarto. Deitei-a sobre a cama. Beijei novamente, soltei os laços de sua blusinha e puxei para retirar. Depois a virei de costas para abrir o zíper de sua saia. E fui puxando pelas pernas até sair. Ela colaborava para eu tirar sua roupa. Fiquei admirando aquela beleza de menina só de calcinha em minha cama. Sua pele dourada e macia, seus cabelos loiros e sedosos, suas mãos delicadas, sua barriga um pouco acima do peso, suas pernas e coxas bem torneadinhas e sua bundinha empinadinha com aquela marquinha de sol da tanguinha me deixava hipnotizado! Ela me olhava e sorria com aquela cara de safadinha.
Falei para ela:
– Tati se lembra da última vez que estivemos neste quarto? Você gostou do que fizemos?
Ela: – Sim, tio lembro. Eu gostei muito!
Eu: – Quer fazer novamente agora?
Ela: – Quero
Eu: – O que você mais gostou de fazer?
Ela: – Gostei de tudo! Mas o melhor foi quando você chupou minha pepeca.
Eu: – Vou te chupar minha princesa. E fazer outras coisas. Você quer?
Ela: – Quero sim tio Kakaca!
Então, peguei sua calcinha pelas laterais e puxei até retirá-la. Tati tinha uma bucetinha linda! Era gordinha, inchadinha, sem nada de pelos, Com lábios vaginais rosados e um clitóris bem avantajado. Apesar dos seus 10 anos ela tinha uma xana bem desenvolvida para a idade. E maravilhosamente deliciosa! Aproximei-me, com uma mão abri suas pernas, e com os dedos da outra, abri os lábios de sua vagina e introduzi minha língua bem lá dentro. Tati estremeceu com o contato e suspirou fundo.
– Hummmmmm!
Fiquei mexendo com a língua, alternando entre lambidas e chupadas. Ela gemia baixinho.
– Aiiiiiiii, tio. Que gostoso! Faz mais um pouco, assimmmmmm. Aiiiiiiii!
Pedi para ela se virar de costas, dobrar os joelhos e empinar a bundinha. Desta forma, eu chupava sua bucetinha e subia até encontrar o seu ânus. Ali lambia forte e dava estocadas com a língua. Enfiei meu dedo indicador em seu orifício anal enquanto chupava sua bucetinha. Tati se contorcia de excitação e gemia desvairadamente!
– Aiiin, tio. Hãaaaa, aiiiiii, hummmmm!
Continuei assim, até seu corpo estremecer e ter um forte orgasmo. Tati ficou toda molinha. Arfando e com a bucetinha toda babada. Em minha boca eu sentia o gosto de seu mel. Era delicioso!
Deitei-me ao seu lado. Fazia carinhos em seu rosto. Até que puxei sua cabeça em direção ao meu pau. E sua boca engoliu minha glande. Ficou assim por vários minutos. Sentia sua língua percorrer todo o meu pênis. Ela chupava com gosto e com vontade. Eu delirava!
Eu: – Chupa minha princesinha! Assim, bem gostoso. Continuaaaa!
Então me virei, continuei por baixo e fiquei com a minha cabeça entre suas pernas e fizemos um 69. Eu introduzia minha língua em sua bucetinha, chupava seu grelinho e sugava o mel de sua rachinha. Enquanto ela me punhetava e passava a sua língua em todo o meu caralho, minhas bolas e fica só com a cabeça na boca dando beijinhos e chupadinhas. Isto estava me levando a loucura!
Eu estava quase gozando. Mais ainda não era o momento.
Queria penetrá-la e havia chegado à hora. Tatiele estava relaxada com sua vagina bem lubrificada. Mesmo assim, peguei gel lubrificante íntimo KY e passei em toda a extensão de meu pau e uma camada generosa na cabeça. Depois passei na entrada de sua pepeca. Então me posicionei por trás. Ela de quatro. E comecei a pincelar na entrada da vagina. Falei para ela:
– Tati vou comer sua bucetinha agora minha princesa. Se doer me fale que eu paro. Vou fazer com carinho, fique tranqüila.
Ela: – Ai tio estou com medo!
Eu: – Confie em mim.
Ela: – Tá bom.
Comecei a esfregar o pau e a forçar para dentro da xaninha. Deixava escorregar o pau em seus lábios vaginais. Continuei fazendo isso durante um tempo. Ela relaxou e o tesão tomou conta de nós! Depois de algumas tentativas a cabeça entrou. Tati deu um gritinho:
– Aiiiiii!
Parei por um momento sem tirar. Recomecei aos poucos, num vai e vem lento e cadenciado. E o pau foi entrando. Forcei um pouco mais e entrou a metade.
Ela: – Hãaaa, hummmm, aiiiii!
Numa atitude inesperada, apesar de sentir um pouco de dor. Tati empurrava lentamente sua bunda para trás auxiliando a penetração. Logo, meu pau deslizou para o fundo de suas entranhas. Senti seu hímem se romper e vi um filete de sangue em meu membro e um pouco na vagina e nas coxas dela. Perguntei:
– Tudo bem Tati? Quer continuar?
Ela: Sim, tio. Não pare agora que está ficando gostoso!
Depois de me certificar que estava tudo bem com ela. Agarrei sua cintura e passei a bombar com mais intensidade. Aproveitei que tinha um pouco de gel em suas coxas, lambuzei meu polegar esquerdo e introduzi devagarzinho em seu cuzinho. Tatiele gemia e suspirava:
– Aiii, uiiii, uhummm, ahaaammm!
Aumentei o ritmo, vi que ela estava prestes a gozar e eu também. E assim, após mais alguns movimentos nós dois explodimos num orgasmo fantástico! Cheguei a ficar com as pernas bambas e ela desfalecida e sorrindo. Deitei-me ao seu lado. Abracei, dei um longo beijo. E disse:
– Minha princesa, você é demais. Eu adorei! Você gostou?
Ela: Sim, tio Kakaca. Doeu um pouco no começo, mas passou logo. Ficamos trocando carinho por um tempo. Tatiele ficava passando a mão em meu cacete. Logo, seu toque me fez ter nova ereção. Subi em cima dela. Ficamos na posição de papai-mamãe e a penetrei. O pau deslizou um pouco apertado, mas sem dificuldade. Comecei a movimentar os quadris devagar e fui aumentando os movimentos. Tati estava com os olhos fechados e mordia os lábios.
Eu- Está doendo princesa? Quer que eu pare?
Ela: – Não. Pode continuar, estou gostando.
Passei a socar com força e rapidez. Tati gemia gostoso:
– Uhmmmm, hãmmm, hãmmmmmm!
Trocamos de posição. Fui para trás de seu corpo. Nós dois deitados de ladinho, ergui sua perna direita com a mão atrás de seu joelho. E penetrei sua xoxotinha . E passei a socar intensamente. Ela dava umas reboladinhas enquanto eu metia e isso me deixava com muito tesão!
Não agüentei mais e gozei forte e intensamente. Essa menina me fazia sentir sensações nunca antes experimentadas. De saborear algo proibido, reprovado pela sociedade. Sem usar de violêcia. Fazer elas sentirem prazer e se descobrir para o sexo! Só quem já fez sabe o que eu estou dizendo. E o quanto é gostoso. E essas safadinhas adoram!
Ver aquele sorriso sapeca no rosto daquela menina que me fitava com seus olhos lindos e com uma expressão de satisfação me deixava realizado.
Algumas atitudes dela durante o sexo me deixava intrigado. Como uma menina de 10 anos. Sem nenhuma experiência agia desta forma? Só pode ser por instinto natural. Ela reagia positivamente todas as posições que fazíamos e gostava bastante!
Essas meninas são mesmo surpreendentes! E nos faz muito felizes!
Foi uma noite maravilhosa e intensa. Fizemos mais em outras posições. Eu e ela gozamos muito. No outro dia, nos despedimos e ela foi para sua casa.

Bom, pessoal este foi a segunda parte. Ainda poderá ter a terceira e última. Que será sobre quando comi o seu cuzinho. Depende de seus comentários.

Quem teve alguma experiência de verdade como essa. Principalmente, meninas ou mulheres. Entre em contato comigo pelo telegram: @Kakaca10
Para conversarmos a respeito e trocar informações. Quem vier apenas pedindo vídeos não serão atendidos.

Até a próxima!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 24 votos)

Por # #

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Doido

    vfvfvnednjdnej dejnedjn

  • Responder ric

    muito bom pode continuar sim.

  • Responder Geovani

    Muito bom seu conto,sei muito bem como é essa experiência,tenho uma de 9 anos que me deixa louco,anda não transamos porque ainda não permitiu mais fazemos muita coisa gostosa acredito que logo vou ter a confiança dela sem força nada é o melhor caminho com menininhas

    • Kakaca

      Muito bom Geovani, aproveite bastante! Quando puder entre em contato comigo no telegram.

    • Irmão Estrupador

      Coma sua filha

  • Responder Vantuil OB

    Ótimo Kakaca. Muito bem descrito. Continua. Estou esperando

  • Responder Pervertido

    Adorei seu conto amigo, muito tesão! Continue…

  • Responder Benhur de Oliveira

    uau cara…que maravilha….parabéns!

  • Responder Gio

    O melhor conto!!!!! telegran giojr69