# #

Não resisti a minha filha gostosa e novinha II

1818 palavras | 7 |4.61

Naquela manhã sair da cama calmamente, procurando pelo meu short. Minha filha abaixou a cabeça olhando para o meio de suas pernas. Passou a mão pela virilha:
– Nossa pai! Saiu sangue.
– Sim filha! O pai viu! Mas geralmente na primeira vez sangra mesmo.
– Eu sei.
– Mas está tudo bem? Está sentindo alguma dor?
– Estou bem pai!

Ela quis ir tomar banho primeiro. Fiquei sentado à beira da cama, pensando nas consequências do que havia feito. Estava convencido que nunca mais iria repetir. Depois do meu banho descemos, para nossa forte o hotel ainda estava servindo o café da manhã. Sentamos a mesa, não trocamos nenhuma palavra. Era como um clima de arrependimento havia tomado conta de nós. Perguntei mais uma vez se ela estava se sentindo bem. Rafaela voltou a dizer que estava tudo bem como ela.

Havíamos combinado que fazer um passei de escuna, mas pelo horário não teria mais vagas disponíveis. Concordamos então em ir a Cabo Frio. No meio do trajeto, minha filha resolver falar sobre o que tinha feitos:
– Pai, posso fazer uma pergunta?
– Pode filha!
– O senhor está chateado comigo?
– Claro que não filha! E você está chateado com seu pai?
– Também não pai! Mas estou com medo de alguém descobrir, principalmente minha mãe.
– Não precisa ficar com medo. Vamos manter isso em segredo de pai e filha, está bom?
– Sim pai!
– E Vamos prometer nunca mais fazer isso?!
– Tá bom!

Chegamos em Cabo Frio. Escolhemos uma praia para ficarmos. Na areia, Rafaela pergunta se teria problemas em ficar de biquini. No começo não entendi muito o sentido da pergunta. Coisa que ela fez questão de explica, pois eu a havia pedido não evitar chamar minha atenção para seu corpo.
– Que bobagem, claro que pode! Não combinamos em parar com isso.

Rafaela usava um biquini mais comportado nesse dia, porém não tinha como não chamar a atenção. Fiz de tudo para não olhar fixamente para o seu corpo. Mas quando ela voltava do mar, não resistia e olhava sem dar bobeira dela perceber. Conversamos normalmente sobre assunto aleatórios, pedimos o almoço na areia da praia mesmo. Ficamos até o entardecer, quando resolvemos ir embora. Quando nos acomodamos no carro, Rafaela diz:
– Nossa pai! Me queimei bem, olho só! – levantou a alça do biquini
– Realmente pegou um belo bronzeado.

Na hora veio o desejo de tirar aquele biquini e mamar seus peitos duros, marcamos pelo sol. Pensei bem e relaxei. No caminho de volta o silencio imperou. Ao chegarmos ao hotel, subimos rápido para o quarto. Nos arruamos e saímos para um barzinho de música ao vivo, que tocava rock. Não ficamos até tarde, meia noite fomos embora.

Rafaela colocou uma roupa de dormir bem comportada, saindo do banheiro:
– Pai essa roupa está boa?
– Por que Rafaela?
– Ah Pai!
– Já não conversamos sobre?
– Eu sei, é que?
– Não tem mais, é que?
– Desculpas pai! Não vou mais perguntar essas coisas.

Deitamos, mas meu sonho não vinha. Para piorar estava de pau duro. As cenas vinham a minha cabeça. Lutava contra meu desejo, não poderia fazer aquilo novamente. Mas o destino já havia ditado nossa regra. Assim como eu, minha filha também queria:
– Pai, está acordado?
– Sim!
– Estou sem sono.
– Eu também filha!
– Hoje na praia passei o dia inteiro pensando.
– Pensando no que?
– Na gente fazendo sexo.
– Mas não podemos fazer mais. Isso não é certo.
– Ham ham… Eu pensei na gente fazer só mais uma vez.
– Tem certeza?
– Sim!

Ela veio para minha cama. Começamos a nos beijar na boca. Tirei sua blusa para mamar seus peitos. Levei sua mão ao meu pau. Ela punhetava enquanto nos beijávamos. Dessa vez quando a mandei chupar meu pau ela foi direto, sem cheirar. A peguei pelos cabelos pressionando sua cabeça contra meu pau. A fiz ficar de quatro na cama. Antes de meter o pau, dei uma bela chupada na buceta, levando a língua até eu cuzinho.
– Está gostoso filha?
– Muito pai!
– O pai pode meter?
– Pode, mas mete devagar.

Sua bucetinha foi bem receptiva. Meu pau entrava sem muito esforço. Minha filha dava pequenos gemidos pedindo para ir devagar. A puxei pela cintura quando meu pau entrou todo. Comecei a fuder minha filhinha pela segunda vez. Dava pra sentir o quanto sua bucetinha estava melada.
– Ai pai! Que gostoso!
– Tá gostoso, filha?
– Muito!
– Que bucetinha gostosa minha filhinha tem.

Me deitei na cama e a fiz cavalgar de frente pra mim. Queria ver aqueles peitos balançando na minha cara enquanto fudia. Rafaela sentou por cima de mim, descendo seu corpo encaixando sua bucetinha no meu pau. Deixa-a tocar o ritmo. Mamava seus seios e apertava sua bunda. Minha filha quicava no meu pau gemendo.
– Ai pai! Acho que vou gozar.

Minha filha gozou ficando paradinha em cima de mim. Sua bucetinha dava pequenos espasmos. Difícil de acreditar que ela com apenas trezes anos e sendo sua segunda vez, tivesse um orgasmo tão intenso. Ela deitou ao meu lado:
– Nossa pai! – risos ofegantes – Nunca pensei que fazer sexo fosse tão bom assim.

A esperei ficar mais tranquila. Alisei fez cabelos:
– Vem filha fica de bruços.
– Pra que pai?
– O pai ainda não gozou.

Ela ficou de bruços:
– Empina um pouco sua bunda.

Ela empinou:
– Agora fica quietinha que o pai vai comer mais essa bucetinha.
– Sim pai pode comer.

Meu pau foi entrado. Deitei meu corpo sobre o dela. Comecei a fuder sua bucetinha novamente. Dessa vez metia com mais força. Rafaela enfim se soltou, deixou de apenas responder minha perguntadas, para falar as suas putarias:
– Isso pai, come minha bucetinha.
– Assim?! – aumentei o ritmo
– Sim!

Gozei fora deixando sua bunda toda suja de porra. Sai de cima dela deitando ao seu lado. Ficamos em silencio. Somente o som da nossa respiração tomava conta do ambiente. O cheiro do nosso sexo exalava pelo quarto. Retomamos nossa consciência e aquele ar de arrependimento voltou por estantes. Havia acabado de fazer sexo com minha filha. Esperei ela ter a iniciativa de falar alguma coisa.
– Pai?
– Sim filha!
– Por que o senhor está tão quieto, não gostou?
– Foi maravilhoso Rafaela!
– Eu também gostei muito!
– Que bom! Mas eu nunca pensei que um dia faria sexo com minha própria filha um dia. Você ainda é uma menina de treze anos.
– Mas pai, tenho colegas da minha idade que já transam. Tenho uma amiga na escola que seu tio que tirou a virgindade dela.

Dormimos novamente juntos. No dia seguinte transamos debaixo do chuveiro. Depois do dia de passeios voltamos para o quarto e fudemos mais uma vez. No retorno ao Rio conversamos bastante e juramos esquecer o que tínhamos feito. Veio a quarentena e com ela a distância.

Tem um mês que voltamos a nos ver. Nosso primeiro contato foi normal de pai e filha. Não chegamos a falar sobre. Porém no dia seguinte Rafaela contou que estava com muita vontade de fazer sexo novamente. Estava tomando café quando ela:
– Pai?
– Sim minha filha!
– Eu sei que juramos nunca mais falar sobre, mas…
– Mas o que?
– Então pai, eu queria fazer.
– Fazer o que Rafaela?
– O senhor sabe o que é!
– Minha filha, não podemos.
– Por que pai?
– Isso não é correto. Já fizemos e não podemos fazer mais.
– O senhor não sente mais vontade?
– Não é isso Rafaela. Como homem eu tenho muita vontade, afinal você é uma menina linda. Porém você é minha filha, só tem treze anos. Se alguém descobri posso ser preso.
– Mas eu não contei pra ninguém.

Terminei a conversar com um sonoro não. O dia estava frio e chuvoso, ficamos em casa. Ela ficou trancada no quarto. Beti na porta para saber se ela queria comer alguma coisa. Rafaela disse que não estava com fome. Entrei e sentei na beirada da cama. Minha filha estava usando um shortinho jeans e uma blusa normal. Não tinha como negar eu desejo em comer minha filhota por mais um vezes.
– Ainda chateado com seu pai?
– Não pai, não estou chateada.

Passei a mão em seu cabelo.
– Tem certeza?
– Tenho!

Aproximei meu rosto iniciando um longo beijo na boca. Minha filha estava com muita vontade, me fez tirar a blusa e depois tirou a dela. Baixei seu sutiã para mamar seus seios. Ela colocou a mão dentro do meu short para punhetar meu pau.
– Vem filha, chupa o pau do pai.

Rafaela puxou meu pau pra fora, levou sua boquinha até ele. Deu uma linguada na cabeça antes pôr na boca. Minha filha havia pegado o jeito de chupar.
– Isso filha chupa bem gostoso o pau do seu pai.
– Estou fazendo direito pai?
– Sim.
– Agora deixa o pai chupar sua bucetinha.

Ela ficou em pé. Abriu o short ficando só de calcinha. Virei ela de costas, deixando sua bunda na minha cara. Passei a linha em suas nadegas. Puxei sua calcinha de lado e passei o dedo na bucetinha, que estava totalmente meladinha. Dedilhei um pouco. Minha filha se apoiou suas mãos na parede, empinado mais seu rabo. Linguei seu cuzinho. Ela suspirou alto. Separei suas nadegas para enfiar minha cara dentro. Rafaela se virou já deitando na cama:
– Vem pai!

Ela se deitou abrindo as pernas.
– Come minha bucetinha!

Deitei sobre ela. Encaixei meu pau na entradinha. Fui penetrando bem lentamente. Enfiei meu pau inteiro. Beijei sua boquinha e comecei a fuder. Minha filha cravava suas unhas nas minhas costas, gemendo de tesão. Repetiu por varias vezes o quanto estava querendo transar comigo. Ela gemeu alto chegando ao orgasmo. Não conseguir me segurar e acabei gozando dentro, logo em seguida.

Rafaela estava com um sorriso no rosto de satisfação. Fui retirando meu pau de dentro e minha goza escorria. Meu pau estava todo esbranquiçado, sinal que Rafaela havia gozado realmente. Ela levou a mão a bucetinha, passou o dedo:
– Nossa pai! O Senhor gozou dentro?
– Sim, não consegui segurar filha!
– E agora?
– Vamos ter que comprar a pirula do dia seguinte.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,61 de 51 votos)

# #

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Chupetinha

    Precisa ter mais detalhes na hora que ela for mamar seu pau

  • Responder Rafaella

    Agora saiu sanguinho ?? Que mágica.. kkkk

  • Responder Pai amigo

    Maravilhoso muito bom um espetáculo , ela descobriu o que e bom não vai mais tardar sosego sei como e depois que elas gostam não querem parar mais

  • Responder Vantuil OB

    Espetáculo!!!!!!!!! Tem que continuar. Quem sabe ela convida uma amiga para ir junto

  • Responder ric

    delicia de filha.

  • Responder Pachecao

    Queria ter uma filhinha putinha assim estou quase gosando sem mesmo tocar no meu pau vou tocar uma gostosa punheta pensando em vocês. Continue não demore a publicação

  • Responder Zooka

    Topp