# # #

Matando a vontade do tio 4

1387 palavras | 3 |4.60
Por

Continuação da sessão de tortura de Júlia, transformando ela numa perfeita putinha

Continuando o relato, leiam as partes:1,2,3 para entender o que se passa com Júlia.
Júlia olhava pro chicote e até se contorcia, imaginando o que eu iria fazer a seguir,qual seria o flagelo que eu iria impor a ela, ficava imaginando e com isso ia ficando excitada, não conseguia entender como poderia sentir prazer sendo torturada daquela maneira,mas o fato é que estava sentindo sim e ficava espantada com isso,a dor lhe dava prazer,um prazer diferente, nunca antes imaginado, pois ela estava acostumada só com aquele papai mamãe meia boca que fazia com o seu marido,com aquele pinto pequeno que muitas vezes não a satisfazia, e agora estava ali naquela situação,amarrada, toda arrombada e gostando,estava nesses devaneios, quando sentiu uma chicotada no bico do seio,soltou um grito e logo em seguida sentiu outra no outro bico,mais um grito, aquilo era um deleite para mim,ver as lágrimas descerem de seu rosto enquanto gemia com o ardor causado pelo chicote com ponta de couro,conhecido como rabo de tatu,por ser trançado e na ponta finaliza com uma tira de couro.
_Esse é só o começo de seu castigo, minha putinha,vou desamarrar seus seios e fazer uma amarração diferente, que vc vai gostar.
Então soltei os ganchos que prendiam na amarração em forma de 8 e comecei a soltar a corda de seda dos peitos de Júlia, seus seios estavam super vermelhos,quase roxos pois tinha prendido a circulação,ai segurei forte e dei uma torcida com as mãos, Júlia se contorcia de dor e prazer ao mesmo tempo, percebi que ela estava gostando, ela gemia e se contorcia cada vez que eu apertada sempre com força e torcia aqueles peitos gostosos, então,fui até a prateleira e peguei um fio de naylon grosso que tinha la, justamente pra amarrar os bicos dos seios, então dei um nó com laçada, daqueles que quanto mais vc pucha,mais apertada, passei a laçada, pelo bico do seio de Júlia e puxei com a outra mão e a laçada apertou bem no pé do bico como eu queria,pegando a auréola do seio de Júlia tmb,fiz a mesma coisa no outro, passei o fio pelas argolas do teto e amarrei nos dedos dos pés de Júlia,de modo que se ela abaixasse o pé pucharia os bicos dos seios, causando uma grande dor.
_ Agora sim vou começar o castigo putinha, a cada golpe que eu der vc conta em voz alta e diga obrigada mestre.
_ Sim mestre serei obediente, daqui pra frente,mas o que o senhor vai fazer comigo agora mestre?
_ vou fazer vc ficar com a buceta bem inchada,se vc nunca apanhou na buceta se prepara que vai apanhar agora sua putinha assim vc não vai mais esquecer de me tratar por mestre.
Quando Júlia escutou isso chegou a se minjar e gozar ao mesmo tempo,de medo e tesão.
Flapt,o chicote estalou na bucetinha que agora já não era mais uma bucetinha e sim uma bucetona arrombada pela punheta batida dentro dela, Júlia deu um berro que ecoou no quarto e logo em seguida deu outro com o puxão que ela mesmo deu quando instintivamente fechou as pernas e tentou baixar os pés,com a violência da chicotada,com a puxada que ela deu chegou a esticar os seios pra cima e serrou a laçada apertando de uma forma descomunal os biquinhos dos seios dela causando muita dor, que era exatamente esse o intuito ela gritou de uma forma que deu pra ver realmente aquele laço fez doer mais que a chicotada,mas ela aguentou firme e eu disse,
_ Serão 10 chicotadas essa primeira não valeu, pois vc não contou,toda vez que vc não contar,volta ao 0 de novo, saindo lágrimas dos olhos ela respondeu,
_ Sim mestre eu vou contar.
Flapt, outra chicotada mais de lado agora,
_1 obrigada mestre
Flapt, flapt, assim foi até as 10 chicotadas Júlia chorava e soluçava, sua buceta estava toda vermelha e inchada, aquele arrombo que estava com a penetração do punho com o pinto junto, já nem aparecia, tinha se fechado por causa das chicotadas, passei os dedos estava até quente e incrivelmente melada, a putinha tava sofrendo,mas estava gozando,pra uma iniciante,era até de se estranhar mas ela estava toda melada.
_ Sua putinha safada vc gostou desse castigo né?
_ Sim mestre,eu gostei, foi muito dolorido,mas eu não sei o que aconteceu comigo que eu mesmo com a dor senti muito tesão mestre.
_ É vc esta me saindo uma ótima escrava, e vc está gostando porque vc é masoquista, por hora não precisa mais me chamar de mestre,por hoje esta parte da lição já está dada,mas vou te fuder e castigar mais.
_ Sim tio,vc é meu dono e meu senhor agora
Ai desamarrei Júlia,tirei o naylon de seus biquinhos e vi que mais um pouco e iriam ser arrancados de tão apertado que estava o fio,dei uma chupada neles e Júlia deu um gemido,, então desci até a buceta toda inchada e abri os grandes lábios e vi que ela realmente tinha gozado com as chicotadas na buceta, então peguei umas pedras de gelo no frigobar e comecei a passar em sua buceta, depois enfiei uma dentro dela e mais duas no cuzinho de Júlia
Abri suas pernas e empurrei a pica toda dentro daquela buceta que estava inchada e agora gelada por dentro, Julia se deliciava,ja nem sentia mais dor e sim muito prazer,soltava uns gemidos altos que só aumentava o meu tesão, meter com aquela pedra de gelo era uma sensação indescritível de pois a cada estocada eu sentia empurrar o gelo e gelar a cabeça do pinto, aí comecei a bombar mais fundo e senti as pedras que estavam no cuzinho de Júlia, então tirei a pica da buceta e encostei na entrada do cuzinho.
_ tio eu nunca dei o cuzinho,o Luiz não gosta, será que vai doer?
Eu disse, com certeza vai,eu vou enfiar tudo e vc vai gostar, dito isso comecei a forçar o pinto pra dentro daquele cu virgem ainda, e Júlia se agarrou no meu pescoço enquanto eu fui enfiando toda a pica, ela estava com o reto gelado e todo molhado, pois o gelo estava derretendo,eu sentia que empurrava mais pra dentro o gelo, aí senti o cassete passar pelo gelo e começou a gelar minha pica tmb,o que fez com que derretesse mais rápido, a cada estocada forte que eu dava Júlia dava um grito, pois eu estava arrombando aquele cuzinho com força com meu pau que a essa altura já estava com mais de 20 cm, a cada estocada escutava o barulho de um pouco de água ser espulsa por causa da pressão, é como se Júlia estivesse minjando pelo cu,eu tirava quase todo e empurrava até as bolas baterem em sua bunda ela berrava e chorava fiquei assim por uns 10 minutos até ela se acostumar com as estocadas violentas que chegavam até o fundo em certo momento ela abraçou minhas contas com as pernas e começou a tremer e dar uns espasmos.
_ Tá gozando né minha putinha safada
_ Sim tio estou, nunca fui fodida desse jeito estou adorando,vc é o melhor tio do mundo.
Ai eu acelerei as estocadas e enchi o cu dela de porra, depois tornei a comer a buceta dela, passamos o dia todo assim até voltarmos pra casa
_ minha putinha,vc matou a vontade do tio, vamos repetir muitas vezes esse dia, só tem que esconder as marcas que ficaram no seu corpo.
_ O Luiz nem vai perceber tio ele é muito sonso,e eu agora sou sua putinha escrava, assim que o meu mestre quiser nós repetimos a dose é só o tio ficar com vontade..

FIM

SE GOSTARAM DO CONTO, COMENTEM E DEIXEM SUA OPINIÃO NOS COMENTÁRIOS
OBRIGADO

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,60 de 5 votos)

Por # # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder João

    Gostei muito. Sobre o tema e como tudo aconteceu. Se poderes gostaria que houvesse mais.

    • Wagner ll

      Obrigado João, logo estarei escrevendo outro conto, que ouvi de uma amiga, bem interessante tmb,se tiver oportunidade,leia o vendedor de sorte, é bem legal tmb.
      Abraço

  • Responder Wagner ll

    Deixem seus comentários,se gostaram da história ou não,se querem mais histórias, agora vou terminar o outro CONTO e depois escrever mais outro,me digam sobre o tema que vcs querem