# #

Levando dedada na bucetinha virgem do amigo do papai. Parte III

751 palavras | 5 |4.73
Por

Continuação do conto: /2020/11/levando-dedada-na-bucetinha-virgem-do-amigo-do-papai-parte-ii/
Conto de ficção.

Fui ao encontro de Marcos naquela tarde, estava muito animada, porque sairia com o cara que gosto. Ele me levou na igreja onde fazia obra social. Estava só eu e ele, achei estranho, pois Marcos quase não falava. Chegando lá ele pediu para eu tirar a roupa e ficar pelada pra ele, fiquei tímida, porém queria muito está ali com ele. Marcos tirou sua roupa e foi a minha direção, olho para meus olhos e deu um risinho safado.
– Você é tão linda, gata e gostosa. Cheirosa.
– Obrigada.
– Não precisa agradecer princesa. Posso te pedir uma coisa?
– Pode!
– Fica de quatro?
– Sim, mas porque? (Paula não entedeu bem o porquê?)
– Só fica princesa! Pra mim. Vai?
– Tá bom!
Paula ficou de quatro para Marcos. Ele abriu a bunda da novinha e sem falar nada colocou de vez no cu de Paula que gritou de dor.
– Por favor tira, Marcos! Tá doendo! Tira!
Marcos bombava com força e brutalidade no cu de Paula.
– Toma putinha, toma nesse cuzinho.
– Ai Marcos , ta doendo.
– Logo tu acostuma com rola nesse cu.
– Ai, ai. Doi muito.
Marcos metia com força e batia muito na bunda de Paulinha. Ela não entendia, porque Marcos estava fazendo aquilo com ela. Puxava seu cabelo e apertava seus peitos. O cuzinho de paula doía e ardia, mas Marcos não ligava e enfiava com mais e mais força. Quando ele tirou a seu pau sujo de merda e sangue do cu dela e gozou em sua cara.
Paulinha ficou toda esfolada no tatame enquanto Marcos, olhava pra menina.
– Gostou Paulinha?
Paula com vergonha e medo de não agradar Marcos disse:
– Sim, gostei Marcos.
Na verdade ela tinha ficado assustada e seu cu ardia muito. Marcos deitou do lado de Paula e disse: “espera um pouco” e não falou mais nada. Paula cochilou deitada ao lado Marcos.
– Acorda princesa! Acorda!
Paula acordou e viu Marcos, Eduardo e Alexandre pelados.
– O que é isso?
– Relaxa! É uma brincadeira apenas.
– Não gente!
– Fica quieta e relaxa princesa.
Paula não queria, estava com vergonha de ver Eduardo e Alexandre ali na sua frente pelados. Ela nunca tinha falado com Alexandre e ele estava completamente nu e com seu pau dura na frente dela. Eduardo falava com Marcos e enquanto Alexandre forçava na boca dela, ele fudia a boca de Paula que engasgava e babava sem conseguir respirar direito. Paula sentia vergonha e medo, mas nada podia fazer.
– Porra Marcos, você detonou o cu da novinha?
– Eduardo, você arrombou a xota dela, então rasguei o cuzinho.
Eles riam e riam, falavam dela como se fosse uma puta qualquer que serveria apenas para seus desejos. Paula, mesmo tímida , envergonhada e assustada estava gostando daquela situação. Sentia tesão na humilhação e violência dos três. Alexandre metia em sua buceta com violência enquanto Eduardo comia seu cu com brutalidade. Marcos observava a menina sendo rasgada e arrombada pelos amigos no tatame. Paulinha foi usada de todas as maneiras possiveis pelos amigos do seu pai. Estava toda marcada, melada e arrombada. Eles não perdoaram a filha do amigo deles e a deixaram acabada. Alexandre era o mais violento e Eduardo curtia judiar dela.
Alexandre e Eduardo depois de gozarem ficaram conversando e rindo. Para eles era divertido ver Paulinha acabada e machucada no tatame. Foram para o vestiário , tomaram banho e foram embora. Ficaram na obra social apenas Paula e Marcos.
Paula não conseguia se mexer direito de tão acabada que estava. Sua bunda estava roxa, seu peito vermelho, sua buceta igual a um túnel e seu cu rasgado.
– Paula, você gostou da brincadeira?
– Sim, gostei.
– Vamos fugir?
– Como Marcos?
– Tenho um kitnet na Região dos Lagos. Levo você pra lá.
– Não posso fugir Marcos, minha mãe e pai ficarão preocupas.
– Fica apenas uns dias e depois você volta.
– Não sei!
– Vamos agora.
Paula mesmo dolorida e ardida sentindo muita dor acabou aceitando. Tomou banho, se arrumou e subiu na moto de Marcos e foi para Região dos Lagos. Ela não sabia direito o que estava fazendo, mas a situação a deixava envolvida.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,73 de 15 votos)

Por # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder euha

    esse capítulo ficou ruim

  • Responder Jão

    Gostei, história boa, tem bom futuro. Tenta melhorar o tamanho do texto, fazendo ele maior, mais detalhado. Tem tudo pra ser um tesão esse próximos capítulos

  • Responder grande

    Trabalho numa loja de tinta na minha cidade, e uma semana atras entrou um casal e uma garota de 12 anos fizeram orçamento e muita coisa teria que vir do deposito e assim a entrega seria no apt* durante esse tempo de atendimento ao casal a filha ficou de longe me olhando entre uma prateleira e outra de frente pra mim e de costas para os pais do nada ela virou de costas e começou a rebolar como se estivesse dançando um funk puxava seu short jeans pra cima e mostrava a bundinha tive uma ereçao e do nada a diabinha virou e levantou a blusinha mostrando me seus pequenos seios. Depois de showzinho ela veio ate a mesa e perguntou onde era o banheiro indiquei onde e a mesma foi usar, passado um tempo saiu e foram embora e a menina olhou para trás e deu aquele sorriso de safada. Fiquei encucado fui ao banheiro e ela havia deixado sua calcinha de algodão escrita a caneta seu tel e com dizeres me liga estou com tesao.

    • Athos

      Foda meu! Conta comeu a putinha? @Pauloxyk

  • Responder Maria

    Cara desiste kkkkk você escreve muito mal