# #

Estava a perigo, traí meu marido!

928 palavras | 4 |4.00
Por

Ola, o que vou contar aconteceu recentemente comigo, sou Valentina, tenho 35 anos, 15 anos que sou casada com Matheus, tenho 1,55m (baixinha), cabelos encaracolados ate o ombro, morena, olhos verdes, bundao, seios medios bem durinhos e os bicos bem escuros, xaninha capo de fusca.
Sou feliz em meu casamento, temos 2 filhos lindos, Matheus faz de tudo para me satisfazer na cama.
Mas as vezes eu chego em casa no maior fogo e ele ta cansado e vai dormir. Já passei muitas semanas em branco. Eu sou uma mulher de chamar muito a atenção.Lá no sempre me passam uma cantada. Eu ficava sempre pensando, porque ficar passando tanta vontade. E um dia uma amiga que sabe da minha historia me provocou, disse que se fosse eu escolhia um que me agradasse e dava para ele, mas que eu deveria escolher bem, porque corria o risco de cair na boca do povo. Na festa de final de ano, todos já haviam bebido muito, Paulo chegou perto e começou a puxar papo, eu tava naquela vontade e enquanto ele falava eu ficava analisando ele, casado, alto, moreno, bem forte, peito definido e peludo. Nossa fiquei imaginando e pensei como ele é caso vai querer deixar as coisas bem guardadas pois ele pode se prejudicar. O papo foi fluindo, fluindo, até que ele deu o bote, perguntou como estava meu casamento, porque o dele estava péssimo e que se ele encontrasse alguém bem carinhosa largava a mulher e etc… Era conto da corochinha, mas eu dei corda e disse que pensava o mesmo, ele se adiantou e disse que outro tinha levado uma cliente a um Motel bem atraz de onde estavamos. Eu perguntei o que ele queria dizer com aquilo, ele titubeou mas depois ficou firme, disse que queria dizer que ele ainda estava em busca de algo e que ele se sinpatizava muito comigo e me achava muito linda. Bem, agora era o momento em que você da ou desce, eu fiquei meio que pensativa por alguns instantes mas pensei, outra oportunidade desta só no ano que vem. Disse a ele que eu gostaria de conhecer o lugar que ele falou, mas que teria que ser do meu jeito. Ele topou e disse : você é quem manda. Eu liguei para o meu marido e disse que o haveria um sorteio na festa que sairia só no final.
Em seguida chamei o Paulo discretamente disse para ele que sair na frente e entrar no Motel e pegar um quarto para me esperar. Ele concordou e saiu, cinco minutos depois peguei o carro e fui tambem. Quando cheguei ao Motel que ficava bem atras do restaurante a recepcionista já me disse o quarto. Encostei o carro e entrei. Ele estava sentado na cama já sem gravata, paleto meias, somente de calça e camisa. Eu disse que era a minha primeira pulada cerca e só fazia aquilo por que estava a perigo, ele disse calma, eu tenho experiencia e me abraçou forte e em seguida me despiu e começou a se despir, quando ele tirou a calça já um grande volume se apresentava, eu estava totalmente pelada em pé apenas observando. Aquilo tudo seria meu nesta noite, aquele peito armado e definido, peludo, na cueca um grande volume e eu disse : espera… e me ajoelhei para puxar a cueca dele para baixo deixando o seu enorme membro rigido como uma rocha bater em minha cara. Foi só um reflexo e abocanhei, engoli inteiro e comecei a chupar, chupar e ele gemi e dizia, porra como você chupa gostoso. Eu continuei chupando, aquele membro em minha boca me dava muito tesão, eu pensava naquela cabeça enorme me invadindo, não via a hora de receber ele na chana. Senti que ele estava latejando de tesão e resolvi parar porque ele poderia gozar a qualquer hora e eu não queria antes que eu gozasse.

Quando parei, ele imediatamente me jogou na cama e começou a me chupar, ai, ai, a quanto tempo não levava uma linguada daquela, que delicia. Me pediu para ficar de quatro e meteu na minha chana, no começo devagar mas depois que se sentiu bem a vontade começou a estocar, foram varias estocadas até que eu pedi para para pois queria gozar de outro jeito, coloquei ele deitado e comecei a cavalgar passando a mão pelo seu peito, senti sua mão no meu peito e mudava constantemente a ferenquencia da cavalagada. Ele me avisou, não estava mais aguentando e eu me preparei apara gozar tambem, foi só o tempo de pensar nisso e já estava gozando, senti ainda alguns movimentos do pau dele dentro de mim e em seguida senti o seu gozo. Caimos de lado quase desmaiados de tanto tesão.

Achei que naquele momento bateria algum arrependimento, mas nem me passou isso pela cabeça, fiquei só observando que ele já começava a fazer um carinho. Eu disse, vamos tomar um banho e no chuverio fiz outra golusa para ele, quando ficou duro ele queria enfiar no meu cu, mas eu não deixei, vamos deixar pra outro dia, então negociamos uma gozada na cara debaixo do chuveiro, achei justo e chupei ele até ele tirar o pau da minha boca e jogar um jato direto na minha cara, eu fechei os olhos mas senti o liquido quente, lavei o rosto e ficamos nos beijando até o final do banho.

Nos trocamos e nos despedimos e repetivos várias vezes.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 12 votos)

Por # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Tony Bahia ID:81rg0l049a0

    Delicia de conto. Sou louco para ver minha mulher no pauzão de outro Cara. [email protected]

  • Responder Manuel silva ID:1bfenbu2qrk6

    Vejo que VC é bem safadinha!…

    • Valter ID:81rt8gbt0kj

      Posso realiza essa fatasia pa vcc

  • Responder Pachecao ID:gqbk7woib1

    Também sou casado gostaria que minha esposa fosse uma putinha assim .Vou tocar uma gostosa punheta pensando em você.Continue não demore a publicação
    .