# #

Comi o Bandido, cachorro vira lata da família

1360 palavras | 12 |4.65
Por

Quem leu o primeiro conto, percebeu minha investida em tentar comer o nosso vira lata. Pois bem, agora vou relatar como consegui fuder o cu dele.

Depois que fui flagrado pelo meu pai bulinando o cu do nosso cão bandido, tive que inventar uma série de desculpas para tentar explicar a meu pai o que eu fazia com meu dog de madrugada. Mas tudo deu certo e ele acreditou que eu estava cuidando dele enquanto ele estava doente.
Passou alguns dias e tudo se resolveu.
Passadas duas semanas, meu pai teve que ir fazer um curso de capacitação na empresa que ele trabalhava e precisou ficar fora por 2 dias. De início estava meio receoso, mas acabou acatando a ordem da empresa.
Minha mãe trabalha como doméstica e portanto chega em casa somente após das 16h.
Eu trabalho em umuma rede de supermercado e sempre chego em casa as 13 ou 14h, então teria de 2 a 3 horas pra ficar com o bandido em casa.
Lembro que naquela manhã eu estava tão eufórico no trabalho que até um colega disse:
-Porra Jonathan, tá com tesão a mil hoje hein kkkk
De tanto que eu estava nervoso para ir pra casa e fuder meu cão.
Chegada a hora de ir embora, peguei minha bicicleta e corri para casa.
Cheguei em casa, coloquei a bicicleta para dentro do pátio e entrei logo para dentro de casa.
Deixei minha mochila em cima do sofá e fui logo para os fundos onde estava Bandido deitado sobre um cobertor velho que minha mãe tinha colocado para ele dormir, já que no RS faz muito frio.
Chamei ele e ele logo veio festejar minha chegada, ainda estava manco pela cirurgia na pata, mas já andava por tudo como de costume.
Fiquei agachado em frente dele enquanto fazia carinho e recebia carinho dele em forma de lambida e latidos.
Ele sempre foi um cão muito dócil e receptivo com a família, pois estava conosco havia uns 10 anos.
Bandido era um cãode cor caramelo, de médio para grande porte, sem raça definida, com pelos grandes.
Tinha uma marca branca próximo a cabeça.
Logo após realizar os primeiros carinhos e reconhecer seu humor, logo comecei a procurar ir até seu ânus.
Estava louco pra sentir seu cu pela primeira vez. É não sei se você tem esta tara, mas quando eu pensava que iria comer o cu dele e que seria o primeiro a fazer isso, tirando seu cabaço, isso me deixava ainda mais louco de tesão.
Fui passando a mão pelas suas costas e levando até seu rabo. Passando por baixo e sentindo seu pênis ainda pra dentro. Chegando até seu cu.
Bandido tinha um cu saliente. Rosa escuro, que quando tocado notava-se quente, apetitoso.
Tive receio de permanecer ali nos fundos onde os vizinhos poderiam perceber algo. Chamei ele para dentro da cozinha e não me contendo, tirei meu pau pra fora, que a este momento já estava duro e babando.
Não tenho um pau enorme, mas não é pequeno. Tenho 16 centímetros, não muito grosso, todos dizem que é um pau bonito.
Fui até meu quarto e peguei uma camisinha, e um frasco de lubrificante K-MED que mantenho pras punhetas noturnas.
Bandido ainda estava na cozinha deitado de lado, parecia uma mocinha que sabendo, esperava seu macho possui-la.
Cheguei perto, e novamente acariciando e dedando seu ânus que agora lubrificado, já facilitava a penetração de meus dedos. Ele sequer esboçada qualquer reação a não ser levantar a cabeça, me olhar e voltar a ficar deitado.
Senti aquela passividade como um sim da parte dele.
Já nu, de pau mais que duro, coloquei a camisinha e lembro que tremulo pela apreensao de enfim poder fuder um animal e finalmente fazer zoo.
Vesti a camisinha, me posicionei de joelhos no piso da cozinha, ele permaneceu deitado de lado no piso.
Tentei penetra-lo naquela posição, mas não deu. Senti uma resistência em seu cu, que já lubrificado parecia pronto pra receber minha pika.
Eu o penetrava com 2 dedos, fazendo movimentos de vai e vem e sentia nele um retorno positivo como se dissesse que estava gostando.
Apenas soltava uma bafinhos, com sua respiração semi-ofegante.
Eu então sentei no piso, ficando com as pernas abertas uma para cada lado dele, e ele ainda deitado de lado, ergui uma de suas pernas, e me posicionei na entrada de seu cu. Com a outra mão, segurei seu corpo, para evitar de sair.
Posicionei meu pau, que estava mega duro na entrada, forcei um pouco e senti seu corpo me engolir com esforço para si.
Aquilo foi muito bom. Mas precisava de mais. Queria meter tudo nele. Sentir o fundo daquele cu.
Segurei ele firme e empurrei, ate sentir que entrasse todo meu pau. Ele se encurvou, grunhiu, e soltou uns chorinhos talvez de dor ou desconforto, não sei dizer. Senti suas carnes de abrirem para abrigar meu pau que aquela altura estava mais duro do que uma pedra. Bandido fechou os olhos e grunhiu baixinho, me fazendo imaginar uma fêmea que se entrega ao seu macho.
A sensação de estar com meu pau dentro de seu cu, um cu de cão macho. Era indescritivel. Era bom de mais.
Sentia seu cu mastigar meu pau, sentia suas pregas se apegar ao meu pau apertando e soltando.
Sentia como se seu corpo tentasse expulsão meu pau mas ao mesmo tempo prender dentro de si.
Minha pernas doíam pela posição desconfortável, mas o tesão era tamanho que me recusava a sair de dentro dele.
O calor era muito, o tesão ainda maior.
Estava parado dentro dele. Com meu pau atolado em suas carnes quentes e úmidas pelo lubrificante.
O cheiro de sexo animal invadiu a cozinha onde estávamos, sentia um cheiro esquisito, mas que me excitava.
Respirei fundo, e fui soltando o bandido aos poucos e pude sentir seu cu expulsando meu pau de dentro. Mas segurei e empurrei lentamente, tirava de vagar e empurrava sentindo cada movimento de sua cavidade anal.
Movimentos vagarosos, calentosos.
Sentia meu pau latejar e tentava segurar o gozo. Quando seria que ia gozar, parava os movimentos.
Mas o tesão era tanto, que ficava difícil segurar.
Seguia com movimentos e sentindo aquele cu que a cada minuto que passava parecia com menor resistência.
Bandido parecia ter se entregado por completo, percebi seu pau babar, soltando um líquido gosmento com cheiro forte.
Meu tesão estava cada vez maior, segurei-o com força, e começou a socar com mais força, mais vontade. Ele soltava uns grunhidos mais fortes. Enquanto eu o comia, penetrava, agarrava, ele me olhou e soltando a cabeça para o lado, soltou um suspiro como de quem gostasse de toda a situação.
Sem mais pensar em nada, empurrei tudo para dentro dele. Sentindo suas últimas pregas se romperem, sentindo o calor de seu cu, o cheiro de sexo, o tesão de possuir um macho e fazê-lo de fêmea.
Senti minhas bolas doerem, meu saco retrair, meus musculos tremerem e minha porra jorrar.
Gozei, e gozei muito. Mal sentia minhas pernas, mal sentia meu corpo. Senti um prazer que jamais havia sentido.
Enfim, havia conseguido aquilo que a meses estava a espera.
Fiquei naquela posição até me reestabelecer, voltar a mim.
Esperei meu pau amolecer, seu cu relaxar, e saí de dentro dele.
Percebi seu cu agora arrombado, aberto, nem de longe igual ao que era.
Fiz carinhos nele, o agradeci a foda maravilhosa com um prato generoso de ração. Ele comeu tudo, lar e ia com fome e depois foi deitar no cobertor velho nos fundos da casa.
Eu fui pro banho realizado, minha primeira foda zoo, meu primeiro ato sexual com um animal tinha sido incrível.
Agora, sabia que tinha como me satisfazer com minhas fantasias. Sabia onde e como fazer.
Me sentia leve, alegre e aliviado.
Tudo havia mudado, um mundo novo se abriu pra mim.

Mas logo, eu teria outras experiências, que em outro momento comtarei aqui…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,65 de 20 votos)

Por # #

12 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Meninão safado

    Vai ter participações especiais nós próximos contos. ? Ou tu tá comendo o cu do bandido sozinho?

  • Responder Gabriel

    Puta merda mano, gozei horrores garoto RS, tem telegram mano ? Me chama lá pra gente trocar esperiencias zoo @bieldo

    • Gabriel

      Experiências*

  • Responder José

    Caralho que tesao de primeira foda!! Parabens!!

  • Responder Victor

    Achei que foi um pouquinho carinhoso demais rs. Mas primeira vez assim é bom. Continue.

    • GarotoRS

      Espero que leia os próximos relatos, vai perceber que nem sempre foi carinhosa minhas aventuras

    • Victor

      Quanto menos carinho, melhor…fica minha opinião 🙂

  • Responder Brendo

    Parabéns, esse conto é dunxca.

  • Responder Dourado G

    Uau conto incrível

    • GarotoRS

      Vlw

  • Responder Benhur de Oliveira

    Cara maravilha de conto meu pau esta até molhado….aguardo ansioso por mais relato…

    • GarotoRS

      Em breve contarei mais