# # #

Rapitada, Abuzada… Sedutora e Incontrolável (8)

3424 palavras | 1 |5.00
Por

Essa é a História da minha mãe, lembrando que me passo po ela.

Pau-lo, sem problemas, só queria entender, mas foi ótimo passar esses dias com o Thiago que também está morrendo de saudades da gente, de todas nós, me falou que nesse período não tranzou com ninguém, fingi que acreditei, kkkk, mas em contra partida estava com uma fome…, Natalício, abrigado pelo seu elogio, vc já me conhece, pelos meus relatos, Ada e Paulo, obrigado por lêrem meu relato, que bom que se juntou a nós…, ficamos sempre ansiosos em ler os comentários, bjs Si.

Só mais uma coisinha, uma amiga da minha mãe pediu que eu relate o suplício dela, o que ela vem passando com o marido, eu pedi para que aguardasse eu terminar o relato da minha mãe, assim eu acabar, escrevo o dela, então, vcs ainda vão ter que ter que me aguentar, eu estarei aqui bastante tempo pelo visto…

Essa é a História da minha mãe, lembrando que me passo po ela.

“Gente as vezes vou ter que dar um salto no tempo para que não fique repetitivo, contarei só as partes diferentes da mesmice …”

Terminei o último assim: “tratava ela como uma princesa, as vezes ficava com um pouquinho de ciúmes, reclamava, mais logo voltava a me dar atenção, não estava acostumada a não ser o centro das atenções, tinha uma outra menina ali que iria tentar tirar meu reinado.”

Meu Coronel, estava passando muito tempo longe de casa, apesar de eu ser linda, gostosa e a Rosa maravilhosa com aquele bundão, acho que estava um pouco cansado de sempre nos comer, mesmo que inventássemos mil e uma sacanagens, mas no final era sempre eu e a Rosa.

A Nikole apareceu e deu um tcham em nossas vidas, eu estava muito sem freio, toda hora eu queria o pirocão do Padre, eu estava completamente sem limites e tadinho, levei ele pro inferno comigo, teve um dia que assim que entrou no confessionário, não tinha ninguém ainda para se confessar, me enfiei junto com ele, logo apareceu uma pecadora tentando se redimir dos seus pecados, ele não usava mais cueca, como falei no outro, também não podia me tirar dali, me enfiei em baixo daquela roupa toda e comecei a chupar seu pirocão, foi muito legal perceber a reação dele com a irmã fazendo seu relato dos pecados e ele tentando não gemer, eu suava ali em baixo, fiquei toda molhada de suor e de gozo, eu gozava só de imaginar o que ele estava passando, seu cacetão muito duro, tentava não fazer barulho, mas quando eu colocava quase tudo dentro da boca, [uhhhhggghh…], ele grunia, fazia barulhos muito engraçados, eu também não podia me mexer muito, senão a cortina da entrada podia balançar e me denunciar, chupava, [ele, uuhhhhggghh…], tocava umazinha, [ele, uuhhhhggghh…], voltava a chupar, sentia que ele estava quase gozando, eu parava, [ele, ufa…], mas logo recomeçava, até que…

– Padre – Tá bom irmã, reze 10 pai nossos, 20 aves maria, 15 salve rainha…uuhhhhggghh… e estará perdoada…

– Irmã – Mas eu ainda não contei tudo… puxa que cheiro é esse?

– Padre – Tá bom, Zeus já sabe de tudo, depois vc me conta, pode uuhhhhggghh…, ir…

– Irmã – Padre, o sr. está bem? quer que eu chame o médico? Que cheiro, parece…

– Padre – Uuhhhhggghh…, não precisa, uuhhhhggghh… estou bem, vá logo, uuhhhhggghh… peça para que uuhhhhggghh… todos saiam, amanhã podem se confessar, preciso ir uuhhhhggghh… ao banheiro, uuhhhhggghh… urgente, vá irmã…

O meu cheirinho me denunciava, eu estava toda ensopada, por sorte o confessionário era um pouco longe do altar, todos foram embora, [AHÁAAAAAAAAAA…..], foi muito alto, saiu tanta pórra que não consegui beber, molhou meus olhos, escorregou pelo meus peitos, sai debaixo de sua saia, beijei ele com sua pórra na boca e dei meus peitos para ele mamar por cima da blusa fininha que usava, uma segunda pele, fazia isso só para provocar ele e todos os homens, kkkk…

– Irmã – Padre, padre… toc, toc… o senhor está bem?

Me enfiei de novo por baixo, ele abriu a cortininha… voltei a chupar seu caralhão mole, todo gozado.

– Padre – Irmã…, vc já termimou?

– Irmã – Não mas ouvi um grito abafado do sr. e vim ver se está bem…

– Padre – Ouviu pq não estava concentrada na penitência, uuhhhhggghh…, já falei que estou… uuhhhhggghh…, bem, por vc ter interrompido sua penitência, uuhhhhggghh… , reze, além de repetir, mais 30 vezes o terço…

– Irmã – Poxa Padre, só estou preocupada…

– Padre – Irmã, vc quer saber, uuhhhhggghh… eu me caguei todo aqui, vai, uuhhhhggghh… senão faço vc limpar tudo, inclusive, uuhhhhggghh… minha roupa, melhor ainda, vai rezar na escada lá fora e feche a porta, uuhhhhggghh… igual o pagador de promessas…

Tenho certeza que foi muito contrariada, ouvia a porta se fechando, sai dali e pulei no seu caralhão, ele me levantou espetada e fomos para seu quarto, delícia de sentir tudo aquilo dentro, a saia dele atralhava, mas conseguiu me levar, senti ele me fuder com raiva.

– Padre – Sua depravada, vagabunda, gostosa, safada, deliciosa, vc quer pica, toma pica…, delícia…, vou te dar tudo…, vou te arrombar…, Lilith safada, nem Lúcifer vai conseguir te comer, vou deixar vc arrombada hoje…

– Eu – Isso… assim… fode… me arromba, que pirocão gostoso, vc tinha que fuder aquela pecadora, esse caralhão é que tinha que ser a penitência dela, fode… aháaaaaa……, que pirocão gostoso, o pecado é vc ser Padre, isso… mais… mete tudo… quero depois no cuzinho também… vai seu Padre caralhudo, gostoso, mais… aháaaaaaaaa……., que delícia [aháaaaaaa…..].

Ele gozou, de novo, mas não teve forças para comer meu cuzinho, me deixou toda marcada das suas mãos, chupadas, tapas e arrombada, sai pelos fundos da igreja, fui para casa sem me limpar, esqueci, não vi a pecadora na escada, estava cada vez mais difícil de gozar, fiquei muito contente com minha gozada, tranzava com os garotos, um ou outro professor, mas quase não gozava, com o Coronel acontecia a mesma coisa, ainda bem que sempre tinha a Rosa…

Cheguei em casa e a Rosa reparou no meu cheiro, cheiro de sexo, minha buceta toda molhada, viu os vestígios da pórra do Padre, nesse momento que ela percebeu que eu tinha tranzado com alguém, mas eu só tinha ido na igreja, colocou a mão na boca…

– Rosa – (Espantada), Kat, por Zeus, vc não tranzou com o Padre, né? Não vai me dizer que vc tranzou com o Padre…

– Eu – Tá bom, eu não digo…

– Rosa – Kat, o que vc está fazendo? vc vai pro inferno…

– Eu – Tá bom, vou encontrar todo mundo lá mesmo, vai ser legal, é como se estivesse em casa…

Isso que eu falei caiu como uma bomba atômica na cabeça da Rosa, ela começou a chorar, eu não entendia o que estava acontecendo, tentei abraçar ela, mas recusou, foi para o quarto dela chorando, fui tomar um banho contrariada, queria sua lingua na minha xoxotinha, deitei na cama e dormi.

Bem mais tarde senti a presença da Rosa e acordei, perguntei para ela o que foi que eu fiz, falei, que não queria magoar, eu a amo demais, era feliz com tudo aquilo e ela era uma parte muito importante.

– Rosa – Kat, olha, vc não fez nada para me magoar, foi só o que vc falou que me fez pensar e me sentir um lixo, eu também te amo, amo muito, mais do que só como uma filha, mas como minha amante, vc é minha mulher também, somos um trio casados um com o outro e percebi que o que fazemos aqui é muito errado, mas muito bom…

– Eu – Não entendi nada…

– Rosa – Foi errado vc ter tranzado muito cedo, foi errado vc tranzar com seus pais, com o cachorro, com todo o resto e agora vc me diz que até com o Padre… Mas também sei que vc não é maltratada, que os nossos sentimentos aqui em casa são verdadeiros, que também não lhe falta nada, percebi que vc tem muita sorte também e eu por ter te conhecido, ter me apaixonado por vc, tranzar, gozar, acho que nunca teria acontecido sem vc, percebi também que não vou conseguir viver sem vc e o Coronel, eu ia embora…, mas desisti depois de chorar e pensar muito, não vou conseguir viver sem vc, eu te amo demais…

Nos abraçamos, com ternura…

– Rosa – Diz, me conta, fiquei super curiosa do Padre…

Contei tudo desde quando começou, a bata quente que ele me fez vestir e me viu peladinha, do pirocão ernorme maior que o do Presidente, fazendo volumão na sua roupa, das tranzas que fazia comigo, ele rezando, do Nikolas que virou Nikole no caralhão dele…

– Rosa – Eu imaginei que vc no seu namoro com ele, tivesse percebido que gostava de piroca, não de buceta…

De hoje fazendo boquete com a irmã se confessando no confessionário, ele gozando e a irmã sentindo o cheiro da minha xerequinha.

Perguntei quem era Lilith, mas ela não soube me responder, iria ter que perguntar ao Padre.

No dia seguinte fui bem cedo na igreja, além de tranza queria saber pq me chamou de Lilith, entrei pelos fundos e ouvi…

– Padre – Isso, gostosa, mais…, vou te arrombar…

Entrei pensando que era a Nikole, mas não, era a pecadora, fazendo sua penitência como eu tinha sugerido ao Padre, kkkkk.

Ficou sem graça, quis sair dali, mas sentei do lado dela, ela tentando se cobrir, cobrir seus peitos enormes, era bonita, não linda, tinha marcas do tempo, deveria ter mais de 40 anos, mas tinha o corpo muito gostoso, peguei no caralhão do Padre e comecei a chupar, ficou me olhando, ofereci a ela, caiu de boca e fui chupar sua xerecona cabeluda, não sei pq essas mulheres não raspam ou pelo menos aparam, fica bem mais fácil encontrar seu clitóris, ainda diminui o cheiro de xixi, mas fui para o sacrifício, me dava vontade de espirrar, quando já estava bem úmida, o meu Padre gostoso foi enfiar seu caralhão e começou a rezar, kkkk.

– Padre – Toma sua pecadora, vc não queria se confessar? confessa que está adorando meu caralhão, sua safada, gostosa, vc fica tranzando com os maridos das outras, agora vem querer tranzar com o Padre, vou derramar toda sua penitência dentro de vc…

– Irmã – AAAAAAIIIIIII……, que caralhão é esse? porra… mete seu safado, Padre fdp… gostoso… aaaaiiii…., como é grande, está me arrombando… mas eu quero, eu mereço essa pica, fica comendo menininha inocente, agora quero ver comer uma mulher de verdade…

Sabe de nada inocente, kkkkk….

– Irmã – Isso… aaaaiiii…. como é grosso…, gostoso…, aháaaaaa….. arromba caralhudo…

– Padre – Pai nosso que…, aháaaaa………, eu adoro essas bucetas….

Ela ficou ali largada, esporrada, na cama do Padre, tirei meu chortinho e abri meu cuzinho…

– Eu – Padre, coloca esse caralhão no meu cuzinho, mostra pra ela como sou inocente, kkkkk….

Ela me olhava incrédula, se eu ia aguentar aquele tarugo que arrombou sua buceta, no meu cuzinho, sabia que o bixão não ia abaixar em quanto ele via meu cuzinho, lindinho, gostoso, piscando para ele, foi metendo bem devagarzinho, do jeito que ensinei a ele, kkkkk, enfiou tudo, coloquei a mão dela na minha barriguinha, deu para ela sentir o calombo, ficou espantada e cheia de tesão, o cheiro do quarto estava quase insuportável, a xerecona dela também exalava muito cheiro de sexo, eu adorava, ela reconheceu o cheiro no confessionário, me falou depois, que deu a volta, entrou pelos fundos e me viu sendo comida em pé pelo Padre bem dotado, esperou eu sair e atacou o Padre, depois que eu já tinha secado ele, tadinha, não sabe da minha fome, kkkk. Mas deu assim mesmo pro Padre, ela gozou só dele enfiar e voltou hoje para terminar a penitência, mal sabia ela que sua penitência estava só começando, kkkk.

O Padre me fudia, me chamou de Lilith de novo, tirava quase todo, depois enfiava tudo de uma só vez, me fudia com vontade, demorou bastante tempo até ela [aháaaaaa…..], encher meu cuzinho de pórra, assim que ele tirou, começou a escorrer, pedi para ela me lamber, mas ficou com nojo, senti uma lingua no meu cuzinho, olho para trás e vejo a Nikole me lambendo, aí que me soltei mesmo, mexia junto no meu clitóris e aháaaaa….. gozei na sua boca, que bebeu tudo.

O Padre deitou na cama, eta cama forte, a Nikole foi chupar seu pauzão, claro, que molão, mas mesmo assim ela fez. Ele todo feliz com seu harém aumentado, mas uma buceta para fuder.

Depois dessa fodilança toda, ele tinha que se preparar para missa, me explicou rapidinho quem foi Lilith, que ela teria soltado a cobra no paraíso e seria mãe de todos os demônios, ela não teria aceitado ser submissa a Adão pois foi criada da mesma forma, então Zeus tirou uma costela de Adão criou a Eva para ser submissa a ele…

Pensei, com essa minha bucetinha, minha carinha de anjinho e minha fome de leoa, Adão que teria de ser submisso a mim, kkkkk.

Eu e Nikole fomos para casa depois da missa, que bom que aquelas batas cobrem tudo, só o meu cheirinho que teimava em empreguinar o altar, o Padre tinha que se concentrar em dobro e não pensar em sexo, quando olhava para um lado, tinha eu, pro outro a Nikole, agora para frente a irmã tarada, tava muito ruim para ele, kkkkk.

Eu tive uma ideia muito doida para receber o Coronel que chegaria naquele dia, como a Nikole já estava acostumada a ir lá em casa, perguntei a sua mãe para ficar o fim de semana todo, ela aceitou, vi os olhos da Nikole brilharem, mas mal sabia ela o que à aguardava, mas com ceteza ela iria gostar, passamos o resto do dia preparando a Nikole pro meu Coronel, deixamos ela toda lisinha, cremes, limpeza íntima, seu cabelo já estava um pouco compridinho, fizemos uma maquiagem bem leve, batom rosinha que ela gostou, pintamos suas unhas, coloquei uma lingerie linda rosinha, sem calcinha, ela estava toda de rosa, linda com aqueles olhos azuis, rostinho sardento, buchechas rosadas, fiz um lacinho de fita no seu pauzinho prendendo o saquinho, ficou linda.

Ela estava muito ansiosa, nós também, mesmo estando linda, não sabíamos se o Coronel ia gostar de um trans, chegando me deu um beijo, outro na Rosa, achou estranho não ter aprontado uma recepção calorosa como fazia sempre, mas levamos ele pro seu quarto, reparou que estava escuro, mas quando acendeu a luz, viu a Nikole, que ele já conhecia como Nikolas, olhei pro seu pauzão ficando duro por dentro da calça, fomos tirando sua roupa.

– Eu – Presente pra vc, espero que goste…

Sentou do lado da cama, já nu.

– Coronel – Vc é meu presente? [ahámm], vc é muito linda, qual seu nome? [Nikole], claro, esse lacinho aí em baixo está apertado? [não], mas posso tirar? [pode].

Vi o Coronel tirar o lacinho e cair de boca naquele piruzinho, mínimo, lindinho, que ficou durinho, eu e a Rosa ficamos espantados com as duas reações, depois que chupou seu caralhinho, beijou a Nikole, que se entregou pro Coronel, ficamos ali só olhando, a Rosa com a mão na minha bucetinha, eu com uma pontinha de ciúmes, mas achei lindo a Nikole se entregar toda, sabia que ele é quem tinha de realizar a Nikole como fêmea, o Coronel é muito carinhoso, o Padre praticamente só fodia, eu e a Rosa, bem não somos homens e o que ela precisava era de um macho gostoso que a tratasse como mulher, como fêmea. Não arredamos o pé dali, o meu marido fazia vistoria em todo o corpo da Nikole, mamava seus biquinhos, beijava sua nuca, seu umbiguinho, chupava seu cacetinho, beijou suas pernas torneadas e lisinhas, beijou seus pés, Nikole parecia uma Rainha, mas só eu era uma Deuza, muito benevolente, kkkk, virou ela com a bundinha pra cima, não acreditou na beleza e delicadeza daquele cuzinho rosinha, olhou pra mim como quem dissesse obrigado, deu uma linguadinha, Nikole gemeu fininho, arrebitou ainda mais sua bundinha linda, enfiou sua lingua [aháaaaa…..], Nikole gozou, toda aquela preparação a deixou em ponto de gozo, dei a pomadinha pro Coronel, nesse momento percebeu que a carne já estava amaciada, o cabaçinho já tinha ido embora, quem tirou suas últimas preguinhas foi o Rocky, foi enfiando todo de uma vez, via a Nikole gemendo de tesão, o Coronel não pediu permissão, começou a fuder aquele cuzinho, [aháaaa….], ela gozou de novo, fudia ela de ladinho, com muito carinho, beijando sua nuca, hora beijava sua boca, mas sem parar de fuder, até (aháaaaaa……..) o Coronel despejou tudo dentro dela, ficou ali grudado, sem tirar, descançou um pouco e logo começou a fuder novamente, seu pauzinho vazava sem tocar nele, estava adorando, gostava de ver suas reações, suas caras e bocas, seus olhinhos fechados curtindo cada estocada, do meu macho muito carinhoso, fudia devargazinho, mantia o rítmo, até apertou a Nikole em seus braços (aháaaaa……), ficou ali novamente grudado, adormeceram. Eu que estava cheia de tesão, querendo ter meu Coronel dentro de mim, tive que me contentar com meu gozo com a Rosa, que era muito bom, mas comum, queria me enfiar ali no meio, ainda bem que não fiz, nessa noite não tive o Coronel dentro de mim, mas fiquei feliz, vendo ele muito feliz. Dormi abraçadinha com a Rosa, eu mamando seus peitões e a Nikole com o cacetão dentro dela.

De madruga sentia o colchão mexer e percebia o Coronel fudendo mais uma vez aquele cuzinho Rosinha, gemia baixinho para não acordar agente, [aháaaaaa…..] ele gozava, mas não mudava de posição, ficava ali grudado e dormia de novo.

Acordei com o meu Coronel mais uma vez fudendo o cuzinho da Nikole, [aháaaaa……], beijou ela se levantou foi ao banheiro, vi a quantidade de pórra que saia do cuzinho dela, minha pórra, que tinha que estar dentro de mim, ela me chamou, fui até sua frente, reparei a mancha de gozo na direção do seu clitóris, beijei sua boca (ela, obrigado…), todo aquele ciúme sumiu, continuei beijando ela, nos levantamos, ia limpar.

– Nikole – Deixa, deixa escorrer, é muito gostoso, o Coronel é muito gostoso…

– Eu – É sim, mas pode tirar seu cavalinho da chuva pq ele é meu marido, meu homem, meu macho, estou só emprestando ele pra vc, então trate bem.

– Nikole – Eu sei, por isso disse obrigado, adorei sentir o pirocão dele ficar duro dentro do meu cuzinho, eu não dormi a noite toda, só sentindo ele dentro e esperando ele me fuder de novo, de vez em quando eu rebolava um pouquinho pedindo mais, ele acordava e fudia de novo, acho que gozou umas sete vezes, foi muito bom.

– Eu – Que bom, só que não terminou ainda, vai lá tomar banho com ele, daqui a pouco o café vai chegar.

Assim ela fez, entrou na banheira com ele, ajeitou seu cacete no cuzinho e ficou namorando ele, sei que o Coronel colocou só a cabecinha dentro, igual fazia comigo.

Deixamos eles lá e fui com a Rosa tomar café na cozinha, depois piscina é claro.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 2 votos)

Por # # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Angello

    Quero ler o conto da amiga da sua mãe acho que cada vez mais me surpreendo mais com cada parte adoro muito seu trabalho me faz gozar horrores a noite amo de mais foco imaginando a rosa nossa essa morena deveria ser incrível queria ter a oportunidade de conhecer todos vocês sinceramente seria a realização de um sonho adorei ter caído de paraquedas nesse site e principalmente na suas histórias te amo de verdade beijo na xota como sempre obrigado por sempre relatar seus pensamentos de resposta aos nossos comentários te amooo 💜