# #

Inusitado caso entre eu e a amiguinha da minha filha

1321 palavras | 4 |4.45
Por

Primeiramente vou me apresentar, sou o Aldair, tenho 51 anos, sou pardo com tonalidade negra, sou casado moro com minha mulher e minha filha de 7 anos.
Aos fatos, semana passada minha filha brincava com sua amiguinha aqui em casa, uma garotinha mais velha de 8 anos chamada Laura.
Minha filha e Laura estavam brincando num pula-pula que comprei no aniversário da minha pequena no comecinho do ano.
A mãe de Laura vizinha nossa e muito amiga da minha mulher, sempre liberou sua filha pra vir brincar com minha filha.
Nesse dia eu estava sozinho com minha filha em casa e Laura veio como de costume brincar.
Elas brincaram muito, pularam um bom tempo até ficarem cansadinhas e suadas, o dia estava bem quente, por esse motivo mandei que elas parecem um pouco de pular e viessem comigo beber água.
Minha filha e Laura obedeceram e foram comigo até a cozinha, chegando na cozinha minha filha bebeu água e disse que ia no banheiro, fiquei sozinho com Laura na cozinha.
Laura é uma menina comum branca, cabelos pretos bem lisos e um pouco magra.
Eu estava sentado numa cadeira quando Laura de costas pra mim bebia água no filtro, fui começando a olhar para aquela garota com outros olhos, tudo porque ela usava um shorts leg apertado que deixava sua bundinha toda desenhada.
Nao sei explicar, mas foi algo automático coloquei uma mão sobre minha bermuda e comecei apalpar meu pênis.
Não foram só as apalpadas, também senti desejos pelo bumbum da garota.
Imaginei mil e uma coisas na minha cabeça, em toda minha vida jamais pensei que fosse sentir atração por uma garota tão novinha, isso nunca me passou pela cabeça até aquele dia.
Puxei assunto com Laura perguntando se ela tava gostando de brincar no pula-pula, Laura disse que sim, nesse momento minha filha volta do banheiro chamando Laura para irem brincar mais.
Fiquei lá de fora observando as duas brincar, a todo momento eu secava o bumbum da Laura com severidade.
Pula pra cá, pula pra lá as duas não paravam pareciam ter uma energia fora do comum.
Durante essa pulação Laura caí de mal jeito e machuca o pé.
Imediatamente corro até o pula-pula, Laura parecia estar com fortes dores no pé direito, pego ela no colo e levo pra dentro de casa, coloco ela sentada numa cadeira enquanto pego um pouco de água e jogo no pezinho dela, com minhas mãos faço uma massagem e vou perguntando onde está doendo mais.
Laura com o rostinho de dor dizia que era no tornozelo, ao ver que poderia ser algo mais sério pego ela no colo e levo para meu quarto onde tinham álcool e àrnica.
Passei um pouco de árnica pra ver se aliviava um pouco, fiquei vendo como as perninhas dela eram bonitas e atraentes, ficou complicado pra mim segurar minha ereção, senti meu pênis endurecer outras vez.
Minha filha estava no quarto também, mandei ela ficar lá no pula-pula e esperar até que eu cuidasse da Laura.
Fechei a porta e tranquei bem sutilmente.
Ajudei Laura a tentar ficar de pé, fiquei atrás dela segurando seus braços, Laura conseguia pisar no chão, mas sentindo dores Laura começou a querer chorar, seus olhos encheram de lágrimas, disse que sua mãe ia brigar com ela por ter se machucado.
Fiz ela se acalmar e falei que sua mãe não ia brigar com ela, foi um acidente, acontece é algo normal.
Dei um abraço nela de frente bem apertado e disse para ela não chorar, disse que ela era uma garota linda.
Ao abraçar aquela garota senti seu cheirinho delicioso que exalava como um perfume, fiquei meio pussuido por uma tara bem louca, acabei não resistindo e coloquei minhas mãos no bumbum da Laura, apalpei com delicadeza e firmeza.
Ela ficou sem graça mas não falou nada, eu disse bem baixinho que ela era uma garota especial, uma garota que ia ganhar um Pirulito duro e grande.
Ela ficou com um jeitinho de que poderia estar suspeitando o que poderia ser, mesmo assim eu tive dúvidas porque ela só tinha 8 anos era muito prematura, apesar de ter ficado duvidosa.
Enfim, Perguntei se ela queria ganhar o Pirulito.
Na inocência ela disse que sim.
Tudo bem então vem cá, senta aqui na cama, coloquei ela sentadinha na ponta da cama, mandei ela fechar os olhos, Laura fechou como eu mandei.
Tirei meu pênis pra fora, estava duro como ferro, mandei ela abrir os olhos.
Ao abrir Laura tomou um susto de leve, ficou até vermelha, só que não falou nada.
Eu então perguntei se ela já tinha visto um Pirulito como aquele, Laura disse que nunca.
Que bom eu falei, vou deixar você dar uma chupada nele até sair um leitinho pra você tomar tudo.
Laura toda com vergonha no olhar continuou calada, eu coloquei ela pra chupar o quanto antes, só queria sentir suas mamadas.
Não é que a garota caiu de boca, chupou discretamente a cabeça do meu membro, toda cabeça era sugada inteirinha pela boquinha gulosa da dela.
Laura chupava como conseguia, se esforçava pra tentar abocanhar o máximo que pudesse, nem nos meus sonhos eu poderia imaginar tal sensação prazerosa como a que eu sentia com as sugadas de uma amiguinha da minha filha.
Ela tava tímida no começo, mas ao decorrer dos minutos passados ela foi pegando gosto e chupava cada vez mais com pressão e vontade, Laura estava gostando do que estava fazendo, perguntei se ela gostou do Pirulito, Laura balançando a cabeça sem tirar o pau da boca disse que sim, ordenei que ela mamasse com força igual uma bebezinha cheia de fome, conforme ordenei ela fez.
A pureza dela era tão grande que algumas vezes bati meu pênis no seu rostinho e mesmo assim ela gostou.
Laurinha chupou até meus testículos, um de cada vez.
Eu curti cada segundo que ela me chupou, Sua boquinha leve e suave me proporcionou um prazer muito bom, nunca sentido antes, fato que logo me fez gozar, avisei ela de que o leitinho ia sair, Laura mamou e engoliu tudo o que gozei, deixou meu pênis limpo e meus testículos vazios sem nada de esperma dentro.
Foi o melhor dia da minha vida, como eu disse antes eu nunca me imaginei tendo qualquer coisa com uma garota tão nova assim.
Foi uma experiência única.
Minha meta agora é tentar ter outra chance de ficar em casa sozinho com minha filha e Laura, não é nada fácil, desde esse acontecimento há um mês atrás a Laura só veio uma vez aqui em casa, minha esposa estava presente, fazendo com que minha oportunidade fosse zero.
Mesmo assim troquei olhares e frases curtas com Laura quando me aproximei um pouco fingindo estar presente como pai para minha filha.
Bem discreto e sigiloso perguntei se ela queria chupar meu Pirulito outra vez.
Laura respondeu bem baixinho que sim.
Eu estou com a faca e o queijo na mão, já percebi que a garota é safadinha e gosta de coisas “erradas”, proibidas.
Só quero outra chance de ficar sozinho com ela, já preparei tudo, até comprei um vidrinho de KY e guardei bem escondido da minha mulher.
Não vejo a hora de ter uma relação sexual com ela, quero ser o primeiro a tirar a virgindade dela, vou transformá-la numa mulher mesmo ainda sendo tão prematura. estou até sonhando com sua vagininha e seu ânus virgem na minha frente.
Só vou conseguir ficar tranquilo e menos inquieto depois que isso acontecer.
Se acontecer eu volto aqui e conto cada detalhe.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,45 de 20 votos)

Por # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos