# #

Entre dois mundos (s2-c3) Pulseiras de Amor

4888 palavras | 11 |3.09
Por

Nesse episódio os anjos vão se casar, e para sela essa união vão usar pulseiras de amor…

Baseado em fatos reais

Quarta feira 31 de Julho

A cada dia que passava aumentava um pouco mais minha tristeza em saber que logo logo eu ia pra longe do meu anjo, mais um dia começando, e eu estava completamente triste e infeliz lembrei que hoje eu tinha que ir na agência para resolver umas coisas, minhas “férias” ainda não tinham acabado e nem iam acabar eu só ia na agência para pegar a documentação da transferência para Goiânia o pessoal da agência já sabia disso e prometeram não contar nada para o Felipe.
Cheguei na bem cedo e no caminho já tinha dado um jeito na tristeza, tinha mandado ela para bem longe, cheguei na agencia feliz, ou fingindo estar feliz, cumprimentando e brincando com todo mundo mais meu coração queimava em lágrimas de fogo, peguei a câmera e fui tirar fotos dos new models que acabaram de começar na carreira de modelo, eu amo tirar fotos de new model por que eles ainda estão aprendendo e fazem muitas coisas engraçadas durante as sessões de fotos afinal eles estão aprendendo ainda não são modelos profissionais, risadas pra lá risadas pra cá, me diverti muito com os new models e dei concelhos para eles não desistirem por que todos eles tem um grande caminho pela frente, a caminhada é longa mais lá na frente quando você olhar para trás vai ver que valeu a pena cada passo, depois do almoço fiquei ansioso esperando meu anjo chegar, logo escutei o barulho do carro da dona Nayra o mais incrível é que o carro dela não tem barulho nem um então a única explicação é que eu sinto o Felipe se aproximando igual cachorro sente que o dono esta chegando, Felipe entrou todo feliz pela porta da recepção e veio correndo e me deu um abraço de urso, levantei ele e apertei com todas as minhas forças até sentir seus ossos estralarem.
― Dudu vem, Felipe me chamou e já foi puxando meu braço e eu só fui acompanhando ele, fomos andando até chegar no quartinho nos fundos da agência, chegando lá ele fechou a porta, me empurrou na parede e deu um beijo de cinema com gosto de morango, ficamos com esse beijo por uns trinta segundos
― O que é isso meu anjo? Seus lábios estão com gosto de morango, eu disse, ele apenas riu enquanto se soltava dos meus lábios
― Olha que legal, ele disse enquanto tirava um potinho do bolso
― O que é isso? Perguntei
― Achei nas coisas do meu pai, ele respondeu, peguei o potinho e olhei a etiqueta, gel íntimo comestível sabor morango
― Agora intendi esse seu beijo sabor morango
― Quero passar isso em você pra ver se fica bom, Felipe disse
― Pode passar, respondi fazendo biquinho
― Não é aí que eu quero seu fofo, Felipe disse e nesse momento meu celular vibrou no bolso, era mensagem do chefe “Dudu vamos fazer uma externa hoje com uns garotos e umas garotas, vai você e mais um fotografo pra cuidar dos meninos”
“O Felipe pode ir?” escrevi e enviei para ele, como ele já sabia de tudo que estava acontecendo ele autorizou sem problemas
― Vamos Felipe, eu disse
― Aonde nós vamos? Não vai ter aula hoje? Ele perguntou
― Aula externa, vamos tirar umas fontinhas na rua
― Oba, que legal vamos fazer externa, Felipe gritava empolgado
Saímos do quartinho de fininho para ninguém perceber e entramos na agência onde a movimentação já era intensa, garotos pra lá e pra cá, fotógrafos para todo lado e uma porrada de equipamentos, peguei minha câmera e fiquei perto do Felipe e logo meu chefe veio passar as coordenadas
― Dudu, Vamos ter quatro fotógrafos, você e mais três então você pode ficar tranquilo se caso precisar eu te chamo, aproveita para colar nos profissionais e aperfeiçoar suas fotos e Felipe você cola nos modelos e aprende com eles também, hoje vocês vão ser dois alunos
― Certo, intendi, respondi
― Muito bom, agora vão organizando o pessoal que o micro ônibus já chegou, ele disse
Fomos até a entrada da agência e a galera já estava doida para entrar no mini ônibus, comecei a organizar a bagunça e minutos depois estavam todos aqueles dez lindos garotos dentro do ônibus, dois dos fotógrafos foram comigo no ônibus e o resto da equipe foi de carro junto com os equipamentos
Vinte minutos depois e chegamos na locação, era uma casa abandonada no meio da mata, mesmo abandonada era uma casa linda, a natureza havia tomado conta das ruínas da casa e por onde se olhava tudo que via eram ruínas cobertas por musgos, raízes e folhas verdes, uma verdadeira floresta de concreto, começamos a fotografar Felipe e eu ficamos apenas observando até que eu resolvi tirar umas fotos dele já que eram as ultimas vezes que eu via ele
― Felipe vem aqui, chamei ele e ele veio para perto de mim
― Quer uma sessão de fotos com o melhor fotografo do Brasil? Perguntei
― Eu quero, mas ele está ocupado tirando fotos daquele garoto ali, ele apontou para o garoto
― Seu sem graça, aquele não é o melhor fotografo, respondi
― Tudo bem, você pode tirar fotos minhas, melhor fotografo, eu faço esse favor de ser seu modelo, o melhor modelo, Felipe respondeu
― O melhor modelo está ocupado tirando fotos com aquele fotografo ali, apontei para o mesmo garoto que ele tinha apontado
― Vem logo antes que eu mude de ideia, Felipe disse com um biquinho mais lindo do mundo
― Você me ama e eu te amo, você sabe disso, vem logo meu anjo, puxei ele para começar as fotos
Comecei a tirar fotos dele com umas poses bem legais, o pouco tempo que ficamos observando os profissionais serviu para mim e para o Felipe, ele acabou aprendendo novas poses e eu aprendi novos ângulos
― Felipe me segue, ali tem um lugar legal pra tirar foto, eu disse
― como você sabe? Você já veio aqui? Felipe perguntou
― Não, mais a minha intuição me diz que ali é legal
― Beleza, então vamos, ele respondeu e já foi me seguindo
Saímos de onde estava o movimento que era na parte da frente da casa e fomos para a parte dos fundos da grande mansão, a parte dos fundos ficava em um lugar mais afastado e isolado, a natureza reinava por lá, entramos em um dos vários quartos aos fundos da casa, esperei o Felipe ficar distraído e de costas para parede , assim que o momento chegou eu disse
― olha lá, e apontei para um dos lados, ele olhou e enquanto estava distraído eu empurrei ele contra a parede e ali mesmo dei um beijo naquela boca linda com seus lábios rosados, abri os braços do Felipe e o empurrei pressionando contra a parede segurando em seus pulsos e dessa vez o beijo foi de língua, nossas línguas pareciam duas anacondas brigando por comida de olhos fechados conseguíamos viajar, parecia que nossas línguas se conectavam e dava pra entrar na mente um dou outro, dava pra sentir o coração dele batendo lentamente atreves dos pulsos que eu pressionava contra a parede, o beijo durou uns vinte segundos e depois foi interrompido por uma pergunta
― O que aconteceu? Você não está bem, está escondendo algo de mim? Felipe perguntou
Abaixei a cabeça e engoli o choro
― Impressão sua, só estou cansado, nada de mais, respondi
― Eu sei que você não está bem, nosso Wi-fi humano acabou de conectar com esse beijo e o nosso Wi-fi humano não mente, Felipe disse
― Acho que seu modem está com defeito, respondi e soltei os pulsos do Felipe e saí andando em direção a densa floresta que cercava aquela casa, percebi algo como se fosse uma casinha de bonecas, percebi que o Felipe já estava do meu lado
― O que é isso? Ele perguntou
― Não faço ideia, respondi
― Vamos lá para descobrir, Felipe disse e foi andando lentamente pisando nas folhagens que cobria o chão, tentando fazer o mínimo possível de barulho, até que se querer pisou em um galho seco que fez um barulhão a única coisa que eu ouvi depois foi o Felipe dizendo:
― Puta que pariu
― CORRE! Eu gritei e nós dois saímos correndo, continuamos correndo em direção a entrada da casa, chegando perto de onde o pessoal estava reunido eu avistei um dos diretores da agência conversando com o empresário que contratou o ensaio para a marca dele, de longe Felipe e eu começamos a gritar
― CORRE, CORRE… chegamos perto deles e diminuímos a velocidade, o empresário perguntou assustado
― O que foi? Felipe gritou
― NÃO PERGUNTA, SÓ CORRE, e já saímos correndo nesse momento o diretor e o empresário perceberam o problema eram dois cachorros pitbull famintos e loucos por carne humana, eles estavam a muito tempo guardados naquela maldita casa de bonecas assombrada dos infernos e quando viu os anjinhos aqui eles acordaram
― Puta merda, o empresário disse e saiu correndo, o diretor da agência foi junto, Felipe e eu fomos para o outro lado e os cachorros continuaram seguindo o diretor e o empresário igual urubu atrás de carniça, e falando em carniça é nela que a história termina, o empresário correndo se desequilibrou e caiu em uma poça de lama que estava só a carniça, nessa hora Felipe e eu pulamos na frente do cachorro que estavam prontos para atacar o empresário, e eles acalmaram, Felipe pegou um graveto que estava no chão e jogou uns 10 metros de distância, um dos cachorros saiu correndo escorregando na lama, Felipe se assustou, desequilibrou e segurou em mim, eu escorreguei e lá se vai Felipe e eu fazer companhia para o empresário aquela maldita lama fedida, fedia tanto que até os cachorros desistiram de nós…
― Isso é inadmissível, o empresário gritou
Fudeu tudo, foi o que pensei e ele continuou dizendo
― É inadmissível esses garotos defenderem uma pessoa que eles nem conhecem e ainda se sujarem na lama, o empresário disse, nessa hora eu até respirei aliviado
― Desculpa doutor Jair, o diretor pedia desculpas como se a culpa fosse dele e o empresário só se interessava no ato heroico meu e do Felipe
― Quem são esses garotos? Ele perguntou
― Jair, esse é o Karlos Eduardo, fotografo profissional e esse é o Felipe paz, ator e modelo juvenil, ele disse apontando para nós
― Que interessante, gostei de vocês, nós podemos conversar? Ele disse
― Claro que sim, mais vamos procurar um lugar melhor por favor, esse aqui tá osso, eu disse
―Você tem razão, mais não repita a palavra osso se não os cachorros vão voltar, o empresário disse e todos caíram na risada.
Ajudamos o empresário a se levantar e fomos procurar um jeito de nos limpar, felizmente havia um riacho bem nos fundos da casa, com uma água limpinha e geladinha, um dos modelos emprestou uma das roupas que ele havia usado no job o modelo tinha o mesmo porte físico do Felipe, um dos fotógrafos emprestou uma roupa reserva para o empresário e eu como sempre tinha uma roupa reserva na mochila, só precisava achar a porra da mochila, putz cadê a mochila, putz cadê minha a câmera, putz… Fudeu…
Depois de forçar um pouco a memoria lembrei aonde estava minha mochila e minha câmera, terminamos de tomar um banho no riacho de águas cristalinas e estávamos voltamos para onde o pessoal estava reunido, o tal empresário agradeceu a todos disse que o catálogo ia ficar incrível e fez um agradecimento especial para mim e para o Felipe por terem ajudado ele e garantido boas risadas, finalmente ele pediu uma foto e tiramos a tal foto na frente da casa, o Felipe de um lado, eu do outro e o empresário no melo, o verde das folhas das árvores e a luz do sol formavam um contraste perfeito com os meus olhos e os olhos do Felipe, ele estava com um sorriso lindo e eu estava sério tentando segurar a risada, o empresário também estava assim, ficamos honrados de até em um acidente o destino conspirar a favor de mim e do Felipe, e assim terminamos o nosso ensaio e voltamos para o ônibus rumo a agência no meio do caminha tive a brilhante ideia de pedir dona Nayra pra deixar o Felipe passar o fim de semana na minha casa, ela sabia que esse seria meu ultimo fim de semana em são Paulo então ela deixou, só ficou preocupada com roupa más eu disse pra ela que lá em casa tinha umas duas roupas que o Felipe tinha esquecido lá, passamos na agência e eu pedi um Uber pra terminar de chegar em casa
―Oi pai, oi mãe, eu disse enquanto entrava pela porta de casa
― Oi meu filho, oi Felipe, sua mãe ligou pra mim perguntando se você poderia dormir aqui e eu disse que sim, minha mãe disse
― Obrigado tia, que bom que a senhora deixou, Felipe disse todo educado, quem vê aquela cara de anjinho não imagina o que aquele garoto realmente é
― Mãe, posso ir ali com o Felipe? Perguntei
― Aonde? Ela perguntou pra mim
― No campinho, os meninos estão esperando lá pra bater um papo
― Tudo bem, podem ir, mais quero que voltem antes das 19 h
― Tudo bem, agora são 17:30 vai dar tempo, vem Felipe, eu disse e já fui puxando ele pelo braço
Deixei minha mochila no sofá e saímos em direção ao Quiosque da saudade, alguns minutos depois e chegamos lá, tio Morais estava nos esperando
― Finalmente os pombinhos chegaram, ele disse
― Como assim? Que ponbinhos? Felipe perguntou
― Meu anjo, eu tenho uma surpresa pra você, eu disse
― Que surpresa? Ele perguntou
― Vem comigo, eu disse e já fui puxando ele e o tio morais veio junto
Levei o Felipe para o bosque depois do campinho, aquele que nós estávamos outro dia, a surpresa já estava preparada para ele, um pequeno altar, a frente do altar várias cadeiras com toda a galera que nó fizemos amizade, atrás do altar um maravilhoso início de pôr do sol, entramos por uma passarela no meio das cadeiras, quando nós chegamos todos aplaudiram de pé, uma música de violino começou a tocar, peguei na mão do Felipe e fui segundo a passarela coberta de flores naquele momento começava a nossa cerimonia de casamento, estava emocionado e feliz, porém com medo da reação do Felipe, olhei para ele e ele estava com um lindo sorriso no rosto, sorriso de quem estava adorando tudo aquilo, seus olhos brilhavam como os olhos de um anjo, os poucos segundos que caminhamos na passarela passaram em câmera lenta e em fim chegamos ao altar, todos sentaram e o tio morais iniciou a cerimonia
― Estamos aqui reunidos para celebrarmos o casamento de Karlos Eduardo e Felipe paz, que desde sempre se amaram e formaram uma linda história juntos, historia de amor e medo…medo de uma sociedade injusta que mal intendem o amor entre dois homens imagina então o amor entre dois garotos, perante a lei vocês não tem maior idade para ter consentimento, más perante o amor vocês tem idades suficientes para ter certeza que se amam e querem ficar juntos até o fim, mesmo que precisem lutar juntos, viver entre dois mundos o mundo do amor e o mundo do segredo, quando vocês se conheceram vocês criaram um laço, hoje estão dando um nó nesse laço um nó que ninguém é capaz de desatar, Dudu pode dizer seus votos ao Felipe
― Meu anjo querubim, só queria dizer que te amo desde a primeira vez que eu te vi e que você mudou algo em mim, me conectou em seu universo, nossa união pode ser proibida mais o nosso amor não tem barreiras, e não importa se um dia o destino tentar nos separar, nós vamos estar juntos, mesmo que um de nós se mude para o Alasca, vamos estar juntos porem separados, unidos pela amizade e pelo amor… ninguém desata o nó que o destino amarou, muito obrigado por ser meu anjinho
Olhei para o Felipe e ele estava limpando lágrimas de emoção
― Felipe, sua vez de dizer os votos, tio Morais disse e o Felipe começou a falar
― Não tenho um discurso preparado mais o que é verdade não precisa preparar e nem achar o melhor jeito de falar, só queria dizer Que eu te amo e que você é tudo pra mim, não importa o que aconteça nos vamos estar juntos, você é meu porto seguro… até o fim, obrigado por ser meu anjo protetor, unidos pela amizade e pelo amor… ninguém desata o nó que o destino amarrou
― As alianças, tio morais disse
As alianças não eram anéis como o de todo casamento, eram duas pulseiras de couro com nossos nomes escrito dentro, pulseiras de amor
― Felipe você aceita esse amor pra sempre? Tio morais perguntou
― Sim, ele respondeu e eu coloquei a pulseira no braço dele
― Karlos Eduardo você aceita esse amor pra sempre? Tio morais perguntou
― Sim, respondi e senti o toque suave das mãos do Felipe colocando a pulseira no meu braço
― Unidos pela amizade e pelo amor… ninguém desata o nó que o destino amarrou, agora vocês são um do outro… para sempre… podem se beijar, tio morais disse e logo em seguida Felipe e eu nos beijamos, foi um beijo de amor e não com intenção sexual, ficamos uns dez segundos nos beijando e ouvindo o som das palmas que ecoavam por todo bosque, parece que até os pássaros estavam mais felizes afinal eles tinham assistido um lindo momento de amor
― Agora vamos comemorar, tem salgadinho e refrigerante pra todo mundo lá no quiosque, tio morais gritou e todo mundo saiu comemorando em direção ao quiosque
― Vocês não vêm tio morais perguntou
― Vamos sim, eu só preciso falar uma coisinha em particular com o Felipe, eu respondi
― Tudo bem, espero vocês lá, não demora tio Moraes respondeu e foi para o quiosque, agora estávamos sozinhos
― Vem aqui meu anjo, eu disse e já fui puxando-o, ficamos em pé em cima de uma pedra, fiquei de frente e segurei nas duas mãos dele, a nossa frente estava o maravilhoso por do sol que deixava o céu vermelho cor de sangue
― Meu anjo… só queria dizer que eu te amo muito, e não importa o que aconteça eu sempre vou estar aqui… no seu coração, coloquei minha mão no coração dele , E por mais que tudo e todos tentem nos separar nada será capaz de fazer isso por que a partir de hoje nós somos um , um só corpo, um só anjo, quero que você guarde esse lindo por do sol no mais intimo do seu ser, e quando sentir minha falta volte aqui e reviva esse momento, eu tenho certeza que você nunca vai esquecer esse dia e saiba que você mora aqui, puxei a mão dele e coloquei sobre o meu coração, ele olhou pra mim, sorriu e deu um beijo, nossas bocas ficaram encostadas por uns segundos até que ouvimos um barulho como o de um clique
― Espera aí… eu conheço esse barulho, eu disse baixinho enquanto mordia os lábios do Felipe, encerrei o beijo e olhei para trás e lá estava tio Morais e a galerinha toda
― Aeeeeeee, eles comemoraram quando perceberam que nós tínhamos descoberto eles
― O que vocês estão fazendo aí? Felipe gritou
― Eu? Tirando a melhor foto de todas? Tio Moraes respondeu
― E o resto da galera? Felipe gritou
― Bisbilhotando alguém gritou
― Vocês me pagam, Felipe disse sorrindo e saiu em correndo em direção aos garotos e se espalharam pelo campo de terra enquanto Felipe corria atrás deles eles riam e se divertiam até que um deles gritou
― COMIDIDAAAAA
Todos pararam de correr e saíram gritando
― COMIDA… COMIDA… COMIDA….
Felipe e eu só fizemos um lanchinho rápido, a famoso pré janta, mais tarde ia ter a janta que minha mãe estava preparando e depois ia ter a pós janta que você já sabe o que é
Despedimos da galera, para o Felipe e para a galera foi só uma despedida más para mim e para o tio morais era a última, tio morais aproveitou que o Felipe estava distraído com os meninos e me chamou em um cantinho
―Nunca esqueça quem você é, anjo protetor, você vai ficar guardado pra sempre no meu coração e o que você ensinou para esses garotos também vai ficar guardado pra sempre, você vai deixar saudades, tio morais disse
― Obrigado por tudo, cuida do Felipe pra mim, eu disse
― pode deixar, vou cuidar do nosso querubim e vou fazer um pouco do papel de anjo protetor, tio morais disse e em seguida me deu um abraço de pai, aquele abraço me deixou feliz por saber que podia confiar no tio morais, ele amava aqueles garotos e nunca faria nada de mal pra eles
― Nunca se esqueça que se lhe tirarem o chão, lembre-se que podes voar… tio morais disse e assim terminamos a nossa despedida
― VAMOS FELIPE, eu guiei chamando ele
―TCHAU DUDU, ATÉ A PROXIMA, todos os garotos gritavam
― TCHAU GALERA, SE CUIDEM, eu gritei de longe, não quis me aproximar deles pra não mostrar para o Felipe que aquilo era uma despedida, depois de tudo isso voltamos correndo para casa.

― Vocês estão 2 minutos atrasados, já ia chamar a polícia, minha mãe disse
― Credo mãe, não é pra tanto
― É sim, dois garotos tão lindos andando sozinhos na rua a essa hora é perigoso
― Perigoso por que? Eu perguntei sorrindo
― Alguém pode querer roubar vocês pra colocar em um potinho, minha mãe disse e todos sorrimos demovo
Em fim… fomos jantar, estava tudo muito bom mais o melhor estava por vir, terminamos de jantar, Felipe e eu ajudamos minha mãe arrumar a bagunça que ficou na cozinha e depois disso fomos para o meu quarto, escovamos os dentes e ficamos apenas deitados, liguei a caixinha de som com um dos fundos musicais preferido, ele é composto de um pad e um vocal que mais parece voz de anjos E por falar em anjos, meu anjo começou a fazer as gracinhas dele ele começou a passar a mão sobre a minha barriga e fazendo uma massagem, é claro que o meu brinquedinho gostou da ideia e acordou, bastaram poucos segundos para que ele ficasse totalmente duro, Felipe puxou minha camiseta e começou a me beijar no pescoço e ia descendo por todo meu corpo até chegar no abdômen, nesse momento ele puxou minha bermuda com cueca e tudo e já começou a chupar meu pênis como se fosse um pirulito nós estávamos em silêncio apenas escutando o lindo som do coral de anjos, Felipe começou a tirar a roupa lentamente, primeiro a camiseta e depois a bermuda, ficando só de cueca box preta, encostei a mão no pênis dele por cima da cueca e dava pra sentir que estava duro igual pedra, parece que ele também estava gostando, anjinho safado acho que já intendi o que você quer, lembra do pôs janta? É isso que ele quer, deitei o Felipe de barriga pra cima e comecei a beijar ele do jeito que ele estava me beijando segundos atrás, fui beijando e lambendo ele lentamente, passando pelo pescoço, pelos mamilos até chegar na cueca dele, mordi a cueca e lentamente fui puxando para baixo até ter acesso aquele pedaço de mal caminho, o pênis dele estava lindo hoje, estava mais branquinho que o normal e a cabecinha estava mais rosadinha e muito duro, comecei a chupar ele e senti o corpo do Felipe se arrepiar, um arrepio que veio da alma e como uma onda elétrica percorreu por todo seu corpo, dava para sentir a respiração dele e cada molécula do seu corpo se movendo, nossos corpos se conectavam como se fosse um e não dois, comecei a chupar ele com mais intensidade mais não deixei ele gozar, virei ele de lado e deitamos de conchinha e lentamente meu pênis foi invadindo ele e abrindo espaço para entrar, assim que entrou comecei a fazer uns movimentos de vai e vem bem lentamente enquanto beijava seu pescoço, a sensação era incrível, agora nós dois arrepiávamos ao toque do mais infinito prazer
― Posso te dar um concelho? Eu perguntei, ele apenas balançou a cabeça dizendo que sim e eu comecei a falar
― um dia eu não vou estar mais aqui pra te proteger, eu quero que prometa que você não vai deixar ninguém te fazer mal, não deixa ninguém fazer com você aquilo que você não quiser, essas coisas tem que serem feitas com carinho e tudo do jeito que você permitir, nada além do que você quiser
― Tudo bem Dudu, eu vou me cuidar e ficar esperto com as pessoas que estiverem próximas a mim, ele respondeu com uma carinha meiga
― Posso te perguntar uma coisa? Ele disse
― Manda, respondi
― Você vai embora? Ele perguntou
Nesse momento engoli seco, segurei o choro e disse
― Um dia todos nós vamos embora
Ficamos abraçados em silêncio por uns segundos e ele disse
― Os pós jantam já era
― Desculpa meu anjinho, mas eu não estou no clima hoje, eu disse
Ficamos em silêncio por uns segundos e o Felipe disse todo animado
― Tem uma condição pra mim te desculpar
― Qual? Perguntei curioso
― Nós vamos começar a ver Stranger Things hoje e maratonar a série inteira
― Beleza, aceito sua condição, más nós vamos conseguir ver a série toda, eu disse
Liguei a tv na Netflix e começamos a assistir, logo no início Felipe já se assustou e me abraçou
Confesso que adorei aquele abraço e que por mim ficava preso nele pra sempre, mais sabia que seria um dos últimos abraços apertados do meu anjo e que logo eu estaria longe dele, me deu vontade de chorar e novamente mais um susto, Felipe me desconcentrou e eu engoli o choro, queria muito contar pra ele o que ia acontecer em poucos dias más não queria estragar o momento eu preferia que ele sentisse a dor da perca só de uma vez por que dor aos poucos doí muito mais, resolvi me concentrar na série, na verdade no Felipe que agora estava me abraçando levemente, seu coração batia devagar e sua respiração era lenta, ele sabia o que ia acontecer só não queria acreditar, nem eu queria acreditar mais era necessário, algo que eu não tinha poder nem um para mudar, na minha cabeça estava rolando uma guerra entre meus mundos e de uma coisa eu tinha certeza… em breve os anjos vão se separar

Olá aqui é o Autor, só queria dizer que escrever essa parte da história foi muito desafiador, vocês leitores só querem sexo pra bater uma e muitas vezes uma história baseada em fatos reais não é composta só de sexo, nem sempre vamos ter um final feliz, esse capitulo descreveu o início de uma fase ruim que durou pouco tempo más por várias vezes quase nos levou a morte era simplesmente impossível pensar em sexo quando se está pensando em como continuar a viver por isso esse capitulo não tem apelação sexual, gostaria de pedir desculpas se você estava esperando uma cena de sexo e não aconteceu é por que realmente ela não aconteceu e não poderíamos inventar que ela aconteceu, deixaríamos de ter uma história baseada em fatos reais, muito obrigado pela compreensão e pelo carinho de todos vocês, vocês fazem essa história acontecer, e fiquem ligados nos próximos episódios dessa serie que ainda tem muito por vir…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,09 de 11 votos)

Por # #

11 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Kik

    O cara morreu e n pode continuar 😔

    • Kaducoelho

      Só passando pra avisar que estou bem
      Só estou estamos esperando um pouco mais pra continuar por questões de segurança, agradeço a compreensão de todos…

    • Kik

      Desculpa a por falar isso q falei antes e q que está bem, só falei pra vc falar pelo menos alguma coisa 😃

  • Responder Garoto

    Ok… talvez eu tenha deixado cair algumas lágrimas aqui :,-) . Mais uma vez, ótimo conto, Kadu…espero ansioso pelo próximo episódio.

  • Responder Luizinho o doceiro

    Pudim de Leite Condensado: rende 12 pedaços. 1 lata de leite condensado e duas medidas da lata de leite integrale 3 ovos. No próximo capítulo a continuação e uma dica para uma calda maravilhosa

  • Responder Felipe

    voltando aki para falar que acabei de ler e por varios momentos escorreu uma lagrima,continue escrevendo essa historia que a cada dia fica melhor,vc sabe que tem todo o meu apoio. um abraço

    • Max

      Vc e o mesmo Felipe que dos contos ?

    • Kaducoelho

      Valeu Felipe
      Obrigado por tudo

    • Kaducoelho

      E esse Felipe não é o Felipe da história, o da história vai aparecer por aqui em breve

    • Max

      Achei que ele fosse.
      Muito bom os seus contos estou adorando esperando o próximo capítulo ansioso.

  • Responder Felipe

    finalmente depois de 2 semanas que pareceram meses, nao estava aguentando mais esperar