# #

Corrompendo a crente homofóbica 4: carícias

473 palavras | 2 |4.08
Por

Como Ana transformou uma crente homofóbica em sua putinha particular, parte 4

Bom dia,boa tarde, boa noite e boa madrugada, desculpa a demora pra trazer a continuação, boa leitura.

— só sexo sem compromisso entre amigas?! Você acha que eu sou burra?! na certa vai usar isso pra me chantagear! — respondeu ela um tanto irritada.

— por maís improvável que possa parecer eu não vou fazer isso, só confia em mim, prometo que o que acontecer aqui fica só entre nós duas. — falei me aproximando um pouco mais dela. Bia ficou em silêncio por alguns instantes e então suspirou de forma pesada.

— está bem, eu só posso estar possuída pra fazer isso… — disse ela em tom de desistência.

— ótimo, agora deita, tira a camisa e deixa o resto comigo.— Disse em um tom vitorioso.

Bia tirou sua regata e a jogou para fora da cama, ela estava usando um sutiã rosa claro bem simples,subi em cima dela e comecei a beijar seu rosto, primeiro a bochecha, depois pelo pescoço e então fui descendo, a cada beijo ela soltava um pequeno gemido de prazer, quando cheguei na sua cintura desabotuei sua jeans revelando sua calcinha toda encharcada e transparente, o contorno exato de sua buceta e aquele cheirinho delicioso de mijo misturado com lubrificante.

— se precisar lavar melhor aqui em baixo. — falei debochada e sem dar chance dela responder comecei a lamber por cima de sua calcinha, só quem já lambeu uma buceta sabe o gostinho.

Depois de alguns segundos lambendo e chupando por cima da calcinha eu a afastei para o lado e voltei a lamber, só que dessa vez o gosto estava mais forte, me pergunto como uma peça de roupa tão fina fazia tanta diferença no sabor.

— e-eu vo… — ela nem terminou a frase e simplesmente segurou minha cabeça com ambas as mãos me forçando contra sua buceta e gozando em meu rosto,Logo em seguida ela me soltou ofegante.

— e então, que tal sua primeira vez com uma garota?— perguntei enquanto me deitava ao seu lado, ela levou alguns segundos para recuperar o fôlego.

— nunca gozei… Tão gostoso assim. — disse ela ofegante.

— espera, então você já gozou antes? Que safada! — disse sorrindo de forma sugestiva.

— só me masturbando… Mais nunca foi tão gostoso— respondeu ela sorrindo.

— mais que crente mais pecadora— falei em tom de brincadeira.

— é, eu sou uma hipócrita e daí? — indagou ela.

— daí que você vai pro inferno.— respondi sorrindo vitoriosa.

Bia apenas fez que não com a cabeça com um sorriso suave em seus Lábios, depois disso apenas ficamos lá deitadas abraçadas uma na outra trocando carícias e beijos por maís ou menos uma hora e meia.

Vai ter continuação, esperem que ainda têm muita coisa pra acontecer

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,08 de 13 votos)

Por # #

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder ANÔNIMOL

    Estava adorando o conto! cadê você Little Angel??? 🙁

  • Responder Anônimo

    Demorou em filha