#

Cheirei Cocaína Na Boceta Da Lolita

735 palavras | 13 |3.45
Por

Olá, me chamo Hermes e quero contar um pouco da melhor noite da minha vida.

Acho que todos aqui já passaram por isso.

Comecei a cheirar pó tem uns dez anos, quando eu ainda estudava.

Eu não sou viciado nem nada, só curto cheirar cocaina quando estou sem ânimo, ou precisando fazer algo que não quero.

Bom, nesse ano eu conheci a Simone. Mulher legal só que meio estranha.

A simone e eu começamos a namorar depois de dois encontro.

Ela era amiga dos meus amigos, então a gente se conhecia de vista.

Nada demais, ela parecia nem gostar tanto de sexo.

Foi a primeira vez que cheirei para foder.

No passar dos meses eu decedi terminar.

Tinha o fato dela não gostar de pó também.

Ela falava coisas do tipo que eu devia parar, e aquilo não era certo.

No dia em que eu ia terminar ei conheci a Danila, a filha da Simone.

A simone tinha cabelo bem escuro, tanto que eu não reparei que ela era ruiva até ver a pequena Danila.

Danila tinha um bundão lindo, andava de shortinho e top, escutava funk de putaria no celular, e tinha completado dez anos em janeiro.

Que delícia.

Nem terminei.

As vezes eu dava banho na menina, a mãe nem desconfiava.

Eu atolava os dedos na Danila sempre que podia, e até coloquei o pinto na boca dela algumas vezes.

Por mim as coisas continuariam assim, eu e minha lolita ruivinha, e a mae enchendo o saco porque eu cheirava cocaína na frente da filha dela.

Em resumo, terminamos.

Eu não sou de chorar, mandei ela e a filha irem se foder, falei na cara das duas, e expulsou do meu apartamento.

Aqui é homem caralho.

Nisso eu fui para uma festa, na cidade mesmo.

Aquele climão com os amigos e com a Simone, tudo uma merda.

Foi quando fui ao banheiro, cheirei na pia, perto da porta mesmo, e decidi ir embora.

Eu estava saindo quando uma das mulheres que estavam por ali falou comigo, e não demorou para falar que também curtia um pó, ela tinha visto eu cheirar.

Saímos de carro.

Bebi para caralho e ela também, enquanto a vagabunda me chupava, eu preparava as fileiras de cocaína.

Eu cheirava e ela não ficava muito atrás. Depois de comer porra, a mulher, Estela, me disse que era professora, na hora eu nem liguei, só queria foder a boceta da puta.

Depois de foder a boceta arrombada daquela biscate até não poder mais, o pó tinha acabado.

Na boca do bairro tinha um traficante chamado marcinho, ele tinha uma criança de estimação.

A menina chamava Vitória, e era filha de um traficante rival.

A menina ficava pelada, o tempo todo, e obedecia Marcinho, o chupando ou fodendo os clientes, era uma delícia.

Como eu estava com a Estela nem tentei nada.

Encontrei meu amigo João, que era PM lá.

O cara comeu o cu da loli do traficante, foi bonito de ver, e chato de escuta.

Criança chora demais, se fude.

Compramos mais cocaína e fomos para o meu apartamento.

As coxas enormes daquela piranha me abraçaram na cintura, e ela cavalgou mostrando a puta que era até nós dois pegarmos no sono.

A rotina ficou assim por uns seis meses, até que começou a pandemia.

Sem aulas, Estela começou a passar mais tempo em casa, e a dar aulas por computador.

Foi assim até mês passado quando alguns pais começaram a pagar por aulas particulares.

Liberal, Estela permitia que eu passasse a mão nas meninas, sempre de forma disfarçada, a gente ria muito de toda aquela merda.

Qual minha surpresa quando encontro Danila numa das aulas, ela e uma amiga dela, bem puta, chamada Jackeline.

As duas tentam desconversar sobre o fato delas não serem virgens.

Estela fala que menina que não é virgem é puta, e as duas começam a confiar mais em nós.

Não demorou para os beijos, e para eu oferecer cocaína para as duas.

A rotina era boa.

Eu fazia as duas lolis ruivas se beijar, comia a boceta delas, cheira cocaína na boceta delas, e depois ainda gozava na boca da Estela.

Deus existe.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,45 de 22 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

13 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônimo ID:8kqtlwp6ia

    Já li contos fictícios bons…mas esse e horrível

  • Responder Preza ID:41ii0ywo6ik

    Cheirador mentiroso fdp.
    Todo cheirador gosta de dar o anel kkkkk fdp

  • Responder Kkk ID:1uxa8whl

    Me chama telegram capetinha kkk

    • Só Óleo ID:46kphka520c

      Verdade, eu sou hetero até por o nas narinas, o cuzinho quase chega a falar pedindo rola, adoro dar o cuzinho cheirado

    • CLAUDINHA CDZINHA ID:6stwyke20b

      CONCORDO COM VOCE A MAIORIA DOS HOMENS QUANDO CHEIRAM COCAINA FICAM COM TESAO NO CU.
      SOU UMA CDZINHA PUTA DE RODOVIA
      ADORO FODER CU DE MACHO.
      QUANDO VOU PRA RODOVIA LEVO COCAINA
      EU OFERECO PROS CAMINHONEIROS
      A MAIORIA DEPOIS QUE CHEIRAM
      ACABAM ME DANDO O CU.
      EU ADORO

  • Responder Oa??? ID:bf9kspkt0d

    LIXO !!!
    NÃO PASSA DE UM NÓIA DE BOSTA, QUE SÓ SERVE PRA FAZER PESO, E OCUPAR ESPAÇO NO PLANETA.

  • Responder André ID:8d5i4imv99

    Kkkk….conto mais fictício, fdp mentiroso.

  • Responder Wallita ID:8d5ienmxik

    Todos não cara,o único nóia aspirador de pó aqui é você

  • Responder Sammy ID:4adftsph8ra

    Quero um homem assim pra foder minha filha.
    Amo homem de verdade que faz a gente perder a cabeça.

    • Beto e filha ID:3yny8ueq8rc

      Sammy m chama no email [email protected] vamos troca ideia

  • Responder pedro ID:mt96lw2zj

    que delicia de conto! so nao entendi como ouvir uma criança choramingando enquanto é estuprada pode ser ruim rs

    • xande ID:7xce6rtd9c

      Verdade. ..isso é tudo de bom

  • Responder Sem vergonha ID:1db7syr1s3aj

    Você tem um estilo de escrita diferente mas seu conto é muito bom. Fiquei duraço aqui imaginando esses pega todos. Nunca fui em uma boca e não sabia disso de loli de traficante, mas queria meter uma linha numa garotinha putinha. Você escreve como um macho de verdade que sabe de seu espaço no mundo e curto isso. Salve irmão e boas fodas!