# #

Meu vizinho comeu o meu cu na pandemia, na minha casa

1844 palavras | 0 |5.00
Por

Olá, meu nome é lauro e eu moro no RJ. Eu sou branco, casado, tenho 52 anos, 1,94m, 105kg, corpo normal, cabelos e olhos castanhos, um pouco calvo, um pouco grisalho, com pelos nas pernas, na bunda e no tórax, boca gulosa e cu hospitaleiro.
Esta história que vou contar agora aconteceu na tarde deste dia em que eu escrevo este conto, 24/09/2020, e quem me comeu foi meu vizinho Robson. Na verdade, o nome dele é Elton e vou passar a chama-lo por esse nome daqui em diante. Ele me comia regulamente desde 2017 até que eu me mudei do bairro onde morava, em abril de 2019. No início deste ano de 2020 eu voltei a morar no mesmo bairro de antes, pra ficar perto de meus familiares, por conta da pandemia, porém eu não pude mais dar pra ele, pois com a família em casa, ficava impraticável qualquer lance aqui e, sem poder sair, também não dava pra ele me comer em algum outro local. Elton é um jovem negro, magro, 35 anos, 1,75m, desdentado e desocupado, já que passa a maior parte do seu tempo nos bares do bairro.
Eu já escrevi dois contos onde ele come o meu cu e esse vai ser o terceiro (MEU VIZINHO DESOCUPADO COMEU O MEU CU e MEU VIZINHO DESOCUPADO E SEUS DOIS COLEGAS PINGUÇOS COMERAM O MEU CU).
Bem, esse problema acabou se resolvendo neste dia, quando minha família acabou saindo do isolamento para visitar um parente num outro bairro aqui do RJ. Tendo a casa liberada procurei logo fazer contato com Elton, mandando um zap pra ele e pedindo pra que ele viesse logo me encontrar, já que eu estava cheio de vontade de tomar no cu.
Elton demorou cerca de meia-hora para ver a mensagem, o que me deixou mais ansioso ainda, mas quando ele, enfim, leu, veio rapidamente bater no meu portão.
Sem perder tempo abri o mesmo e deixei o macho entrar. Assim que ele entrou eu tranquei o portão e já fui direto segurando o volume da rola que transparecia sob a sua bermuda. Elton já estava com a barraca armada. Sem mais delongas soltei a sua rola e fui na frente até a porta aberta da minha sala, seguido por ele. Elton estava usando uma camiseta preta, bermuda marrom e sandálias tipo rider, azul marinho. Eu estava usando short preto, camiseta branca e sandálias havaianas preta.
Assim que entramos na minha casa fechei a porta, me ajoelhei na sua frente, abaixei a bermuda e a cueca dele de uma vez só e caí de boca na sua piroca babada. Assim que abocanhei a cabecinha Elton deu um gostoso gemido de prazer e disse:
– Aaaaaah, caralho, que saudades eu estava dessa sua boca-de-chupar-pau… Puta que pariu… Caralho!
Ao ouvi-lo eu me alegrei bastante e passei a sugar e a chupar com vontade a sua rola, percorrendo toda a sua extensão com meus lábios molhados de baba de pica e saliva.
– Puta que pariu, que boca gostosa… Isso, chupa meu pau, chupa… Assim, que nem puta… Mama gostoso, viado filho-da-puta… Isso, bichona, chupa a piroca do seu macho, chupa… Mama tudo, seu boiola safado… Engole todo o meu pau, baitola!
Elton sabe que eu adoro ser xingado, por isso não economiza palavrões quando vem me comer.
Depois de mamar por vários minutos, a ponto de eu ficar com o queixo doendo, eu interrompi o boquete dizendo:
– Chega, tô com vontade de tomar no cu!
Dito isso tirei o short e a cueca, ficando apenas de camiseta e chinelo e me encaminhei até o banheiro, seguido por Elton, que tirou toda a sua roupa. Lá dentro eu fiquei de frente para uma parede, me apoiei nela com as mãos e, arrebitando bem a bunda, falei para o macho:
– Chupa meu cu, safado!
Elton não perdeu tempo e, se agachando atrás de mim, abriu as bandas da minha bunda com as mãos e caiu de boca no meu cu. Ao sentir sua língua molhada forçando passagem no meu BURACO DO PRAZER me arrepiei todo de tesão.
Depois de um tempo assim eu virei o rosto para trás e falei com ele:
– Tá, chega de chupar meu cu. Agora eu quero piru dentro!
Ao ouvir isso Elton não perdeu tempo e, após salivar um pouco a rola, encostou-a na entrada do meu ALOJAMENTO-DE-ROLAS e começou a forçar a passagem. Com uma cutucada a cabecinha pulou para dentro de mim. Mais uma forçada e a pica deslizou e se alojou toda no meu burrão.
Com a piroca toda dentro de mim, Elton me segurou forte pela cintura e passou a socar forte e profundamente a sua rola dentro do meu cu, do jeito que ele sabe que eu gosto. Sua pica entrava toda e depois saia quase toda, num vai-e-vem bem cadenciado e gostoso. Eu, de minha parte, me limitava a gemer na rola dele, ali em pé, com as mãos encostadas na parede, pernas abertas, joelhos levemente dobrados, bunda bem arrebitada e oferecida.
– Você tem fudido com alguém? – Perguntei ao macho.
– Não, tô sem fuder desde a nossa última vez! – Respondeu ele, para a minha alegria, já que eu quero esse macho só para mim.
– Então, fode, fode meu cu, fode… Isso, fode gostoso, fode… Assim, soca com força, soca… Isso, arregaça meu cu, vai… Fode mais, fode… Isso, fode o cu do lauro, fode… Fode o cu do viado, vai… Assim, safado! – Ficava eu falando enquanto era enrabado com competência (eu adoro ficar falando sacanagem e palavrões quando estou dando o cu).
Depois de um bom tempo assim Elton, com a voz embargada de desejo, anunciou que ia gozar. Após o anúncio o macho se enfiou todo dentro de mim, me abraçou forte por trás e gozou, enchendo meu cu de porra.
– AAAAAAAAH, TÔ GOZANDO… PUTA QUE PARIU… CARALHO… AAAAAAAAH! – Urrou ele ao gozar.
– Goza, goza tudo, goza… Enche meu cu de leite, vai… Enche o meu cofrinho, enche… Assim, goza tudo no cu do lauro, goza… Viado tem mais é que tomar leite no cu… Goza tudo, goza… Isso… Assim! – Ficava dizendo eu, ao mesmo tempo que rebolava gostoso na pica do macho.
Quando terminou de gozar a pica de Elton amoleceu e escapuliu de dentro de mim. Sem perder tempo eu me ajoelhei na frente dele e abocanhei seu piru mole, sugando o restinho de porra que havia ali.
Assim que terminei Elton se virou em direção ao vaso sanitário, dando a entender que iria mijar. Nessa hora eu, meio que tomado pelo tesão, tive uma ideia bem doida e o impedi de fazer isso.
– Espera, não mija aí não! – Falei.
– Ué, por que? O vaso tá com problema? – Perguntou ele.
– Não, não é isso!
– Então, qual o problema?
– É que eu queria fazer uma coisa nova, mas não sei se você vai topar!
– O que? – Perguntou Elton, interessado.
– É que eu queria que você mijasse na minha boca. Você topa?
– Uau, eu nunca fiz isso, mas com certeza eu topo sim! – Respondeu ele, sorrindo.
Dito isso entramos no box do chuveiro, eu me ajoelhei, Elton colocou o pinto mole na minha boca, eu o envolvi com meus lábios e ele começou a mijar dentro dela. Sorridente, fiquei olhando pra ele enquanto o macho, em pé na minha frente, com as mãos na cintura, despejava seu mijo dentro da minha boca. No começou deixei o mijo escorrer pelos cantos dos lábios, mas depois resolvi beber a sua urina morna e levemente salgada. E assim minha boca agora era, além do DEPÓSITO-DE-ESPORRA de Elton, o seu DEPÓSITO-DE-MIJO.
Assim que ele terminou eu caguei a porra dele que estava escorrendo do meu cu, nós tomamos banho juntos e fomos descansar um pouco na sala, sentados juntos no sofá.
Ficamos ali por um bom tempo, conversando sobre essa pandemia, o isolamento, política, etc. Enquanto conversávamos eu ficava o tempo todo alisando a rola dele.
Não demorou muito para que a rola de Elton começasse a querer dar sinal de vida novamente e eu então resolvi me levantar da poltrona e me ajoelhar na sua frente, entre suas pernas, passando a conversar com ele ao mesmo tempo que punhetava, lambia, beijava e chupava a sua rola (adoro ficar conversando assim com um macho).
Assim que a pica dele ficou dura eu me levantei e, ficando de costas para ele, sentei com meu cu na sua rola, engolindo ela todinha. Com piru todo dentro de mim comecei a subir e descer na vara, enquanto Elton me segurava pela cintura. Fiquei assim por um bom tempo. Quando cansava eu sentava tudo e ficava rebolando gostoso meu burrão na piroca preta do meu vizinho.
Eu estava me deliciando na rola quando ele me abraçou por trás e me disse bem perto dos ouvidos:
– Aí, eu queria muito te comer na sua cama, sabia?
– É? Por que? – Pergunte, rebolando gostoso na vara dele.
– Pra te fazer de minha mulherzinha na sua cama!
– Ah, então vamos! – Falei, me levantando do seu colo e já indo em direção do quarto.
Lá dentro Elton me posicionou de 4 na beirinha da cama e, depois de chupar o meu cu, enfiou de uma vez só a sua pica dentro dele. Depois foi só pirocada. Com a brutalidade e a profundidade de sempre, meu vizinho faturou o meu cu no meu quarto, em cima da minha cama.
– Ah, filho-da-puta safado… Toma rola nesse cu, toma… Toma rola, viado, toma rola no cu, piranha safada… Você gosta de dar o cu, gosta? Fala, bichona! – Ficava dizendo ele.
– Adoro… Adoro tomar no cu! – Respondia eu, bem safado.
– Que safado… Toma rola no cu, toma, boiola… Rebola que nem bichinha, rebola… Que nem putinha… Isso… Assim, putona!
Ficamos assim por mais um bom tempo até que ele novamente encheu o meu cu de leite. Elton costuma gozar muita esporra mesmo na segunda ou terceira vez. Com o cu escorrendo porra fui com o macho até o banheiro, onde ele repetiu a mijada na minha boca, tomamos banho juntos e depois ele se arrumou e foi embora.
Bem, agora é só esperar que minha família vá visitar algum outro parente para que eu possa, novamente, me deliciar na rola do meu vizinho Elton.
E se você gostou deste conto, é do RJ (ou SP, pois eu viajo as vezes a SP a trabalho), e quer me comer como o meu vizinho, me escreva: [email protected]
Eu sou bem fácil de se comer e adoro realizar fantasias de machos e faze-los gozar bem gostoso em mim.
Um abraço a todos!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 9 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos