# #

Entre dois mundos (s2-c1) menino anjo

3481 palavras | 18 |3.38
Por

Depois de vários meses que mais pareceram anos finalmente estamos aqui para continuarmos de onde paramos…

‘Depois de vários meses que mais pareceram anos finalmente estamos aqui para continuarmos de onde paramos, afinal a vida não para e eu mesmo disse que a história não ia ter fim e sim um final, Primeiro peço desculpas por ter demorado tanto para continuar a história, nosso plano era voltar em 15 dias, más por um pequeno vírus tivemos que parar tudo e diminuir a velocidade em todos os sentidos, inclusive no projeto season 2 de entre dois mundos, mas a noticia boa é que estamos todos bem, Felipe viajou para campos do Jordão e passou a quarentena toda por lá, eu fiquei em casa isolado e desmotivado a escrever, más depois de colocarmos a cabeça no ugar resolvemos prosseguir com esse nosso sonho, essa nossa história, em fim… onde foi que paramos?

Entre dois mundos season 2 cap-1: Menino anjo
Baseado em fatos reais

Segunda feira 29 de Julho

Depois que recebi a notícia que mudaríamos de casa e de cidade fiquei arrasado e triste pensando em como seria minha vida de agora pra frente, como seria a nova escola, novos amigos, será que era o fim da minha carreira de modelo?
E o Felipe ia ficar sozinho em são Paulo? Era só lembrar dele que eu começava a chorar.
— O que foi meu filho? Minha mãe perguntou
— Estou com medo. Respondi
— Medo de que?
— De como vai ser na nova cidade, novos amigos, e minha carreira? E o Felipe? Eu disse desesperado
— Calma meu filho, vai dar tudo certo, eu consegui uma transferência pra você e você vai continuar sendo modelo, da mesma agencia, e vai continuar sendo fotografo, quanto ao Felipe ele vai ter que intender, não vamos embora por que queremos, vamos embora por que precisamos, ela disse tentando me acalmar.
— Mas ele vai ficar sozinho aqui? Eu disse, já soluçando.
— Ele não vai ficar abandonado aqui, ele tem pessoas que ama ele, ele tem família, e você pode conversar com ele por celular, chamada de vídeo, a tecnologia está aí pra isso, encurtar distancias, ela respondeu.
— Mas não é a mesma coisa mãe, eu disse enxugando as lagrimas.
— Vai dar tudo certo, acredita em mim, o Felipe vai intender tudo isso, vocês vão sofrer, mas no final vai dar tudo certo, agora me dá um abraço.
Abracei a minha mãe com toda força do mundo, e não queria mais soltar, mas tive que soltar para perguntar uma coisa
— Mãe que dia nós vamos embora?
— Na segunda feira dia 5, daqui 7 dias, ela respondeu.
— Eu não vou contar para o Felipe, eu não quero ver ele triste.
— Tudo bem meu filho, se você prefere assim então tudo bem, minha mãe respondeu e novamente eu a abracei e voltei a chorar.

A noite passou e eu não consegui dormir quase nada, eram 4 da madrugada e eu ainda estava acordado pensando, até que cheguei em uma decisão, aproveitar os poucos dias que me restavam com o Felipe até o dia da mudança, decidi viver intensamente esses dias para que eles ficassem marcados para sempre nas nossas memorias já que eu poderia nunca mais ver o meu anjo, depois de pensar e chorar acabai pegando no sono, más logo acordei com o sol entrando pela janela do quarto.

Terça feira 30 de Julho

— Bom dia meu príncipe, minha mãe disse.
— Bom dia mãe, respondi.
— Dormiu bem? Ela perguntou.
— Dormi bem pouco, respondi.
— Eu também, na verdade seu pai e eu não dormimos nada.
— Eu também… respondi.
Ficamos em silêncio por uns segundos…
— Mãe posso passar um tempo com o Felipe, já que eu vou ficar um bom tempo sem ver ele pessoalmente? Perguntei
—Claro que sim, aproveita que vocês estão de férias, você tem uma semana pra passar com ele, depois tem que organizar suas coisas para a mudança, também tem que se despedir do pessoal da agencia
— Tudo bem eu vou fazer isso
Levantei da cama, tomei um copo de leite com toddy e saí em direção a casa do Felipe, chegando lá interfonei e quem atendeu o portão foi a dona Nayra
— Dudu, você por aqui, que surpresa, ela disse
— Desculpa aparecer aqui tão cedo, mas é por que é algo urgente, respondi
— Está tudo bem? Aconteceu algo? Ela perguntou preocupada
— Na verdade algo vai acontecer, respondi
— Entra, vamos conversar com calma, ela disse e já foi me puxando pra dentro de casa
— O que aconteceu? Ela me perguntou já um pouco aflita
— Dona Nayra eu vou mudar de casa e até de cidade, dona Nayra levou um susto com o que eu disse
—Más por que você está tão desesperado com isso? Dona Nayra perguntou
— Por que vai ser tudo novo, casa nova, escola nova, amigos novos, em uma cidade nova, e o Felipe como que eu vou deixá-lo aqui? Abracei dona Nayra e comecei a chorar
—Entendi todo esse desespero e por causa do Felipe, você não quer ficar longe dele, mas não se preocupe vai ficar tudo bem, se acalma, dona Nayra dizia enquanto fazia carinhos na minha cabeça
Ficamos ali por uns momentos até que me recompus e falei novamente com a dona Nayra
— Posso te pedir uma coisa? Perguntei
— Pode sim, ela respondeu
— Eu posso ficar mais perto do Felipe nesses últimos dias que eu vou ficar aqui na cidade?
— Claro que pode, e deve, quando ele descobrir ele vai ficar arrasado.
— Não conta nada pra ele ainda, quero que ele saiba disso só no dia que eu for embora, não quero ver ele triste, eu disse interrompendo dona Nayra
— Tudo bem, eu não vou contar nada pra ele, e você pode passar esses dias aqui em casa, e se quiser pode até dormir aqui
— Obrigado dona Nayra, você é uma segunda mãe pra mim, eu disse enquanto abraçava ela
Ficamos ali na cozinha conversando, dona Nayra fez um café e agora eu já não estava mais chorando, já eram 8 da manhã e dona Nayra teve uma grande ideia
— Dudu, que tal você ir lá no quarto do Felipe e acordar ele, aproveita e leva o café da manhã na cama pra ele
— ótima ideia ele vai ficar muito feliz, respondi
— Então me ajuda a preparar essa bandeja para você levar pra ele, ela disse e já foi pegando uma bandeja que estava sobre a mesa, eu me levantei da cadeira e fui ajudar ela
Alguns minutos depois e já estava pronto, pão e mortadela de peito de perú, leite com toddy, pão de queijo, biscoitos amanteigados e um potinho com frutas e leite condensado, peguei a bandeja e fui em direção ao quarto do Felipe, coloquei a bandeja na escrivaninha do Felipe com cuidado para não acordar ele aproximei dele e antes de acordar ele fiquei apenas observando como ele dormia de forma perfeita, a respiração, o movimento do corpo e até a forma que ele fechava os olhos, tudo naquele garoto era perfeito, comecei a mexer delicadamente no Felipe para acordar ele, quando ele abriu um pouquinho dos olhos eu falei com ele
— Bom dia meu anjinho, eu disse com a voz calma
— Dudu você está aqui, ele respondeu meio sonolento
— DUDU VOCE ESTÁ AQUI, ele respondeu e agora muito feliz, levantou da cama e me deu um abraço muito carinhoso, ele estava com uma cueca linda amarela com desenhos de ursinhos azul claro
— Eu vim te ver e passar o dia com você, se você quiser é claro, eu disse
— Claro que eu quero, ele respondeu
— Mudando de assunto, que cuequinha fofa é esse meu neném? Eu perguntei
— Cueca de bichinhos pra guardar meu bichinho, ele respondeu com carinha de safado
— olha lá, Felipe disse e apontou para janela, eu olhei para a janela e não vi nada, quando olhei de volta para ele fui surpreendido com um beijo na boca, fechei os olhos e senti a língua do Felipe percorrendo pela minha boca, empurrei o Felipe na cama sem parar de beijar ele, continuamos assim por uns segundos até que parei de beijar a boca dele e comecei a beijar o pescoço dele e fui seguindo esse beijo em direção aos mamilos dele, quando passei por um dos mamilos ele deu um calafrio, continuei beijando aquele abdômen lindo definido e fui seguindo em direção ao brinquedinho dele, cheguei até a cueca dele e já percebi aquele pedaço de carne que já estava duro, comecei a morder por cima da cueca, fiquei assim alguns segundos e depois puxei a cueca dele para baixo, deixando amostra aquele lindo pênis de 12 cm, comecei a lamber e enfiar ele todo na minha boca, fazendo suaves movimentos de vai e vem, deixava a cabecinha toda para fora e enfiava na minha boca, fui aumentando a velocidade das chupadas enquanto segurava nas costelas dele, deixei o pênis dele bem lubrificado com a minha saliva e comecei a bater uma punheta nele, comecei devagar e fui aumentando a velocidade, Felipe já estava com a respiração ofegante e tremendo em cima da cama, seu rosto já estava todo suado, segurei com mais força o pênis dele e comecei a movimentar mais rápido até que ele não aguentou, deu um gemido longo e gozou, gozou vários jatos do seu gozo magico, o cheiro do quarto ficou diferente quando ele gozou, dava pra sentir um maravilhoso cheiro de menino pervertido, misturado com prazer, deitei ao lado dele e comecei a beijar a boca dele, minha língua entrava no mais profundo da sua boca e de repente parei
— Vai tomar um banho meu anjo, eu disse pra ele
— Não consigo levantar, ele respondeu
— por que? Perguntei
— Meu corpo está mole, eu estava meio dormindo e você me fez quase delirar, quase morri, ele respondeu
— você precisa tomar um banho, eu disse e em seguida peguei ele no colo e fui levando em direção ao banheiro, ele abriu o sorriso mais lindo do mundo, naquele momento a felicidade tomou conta daquele ambiente, levei ele até o banheiro e fechei o box, enquanto ele tomava banho eu forrei a cama dele e guardei a cueca dele no cesto de roupas sujas, abri o armário e peguei uma bermuda, uma camiseta e uma cueca branca, coloquei em cima da cama dele ao lado da bandeja de café da manhã, Felipe demorou uns cinco minutos no banheiro e quando saiu o ambiente novamente mudou, agora tinha cheiro de garoto limpo, o vapor saia do corpo dele formando uma leva fumacinha que me fazia viajar de prazer
— Separei uma roupa pra você, eu disse
— obrigado Dudu, ele respondeu e em seguida tirou a toalha que cobria o seu corpo, revelando o quanto ele era perfeito, ele balançou seus cabelos e na minha cabeça essa cena foi em câmera lenta, as gotinhas de agua escorriam pelo seu corpo liso de pré adolescente, ele vestiu a cueca e em seguida deu um sorrisinho safado, vestiu a bermuda e se sentou na cama, sem camiseta mesmo e começou a comer
— Dudu o que você está fazendo aqui tão cedo? Ele perguntou
Esperei uns dez segundos pra responder, até criar coragem e falar, na verdade mentir…
— Estava com saudades de te acordar, respondi
Ele apenas riu, sabe aquela hora que você percebe que tem muita sorte? É agora, nesse momento dona Nayra abre a porta e entra no quarto, se isso acontecesse a uns minutos atrás eu tinha me ferrado em verde e amarelo
— Bom dia meu príncipe, que milagre você de banho tomado tão cedo
—Quando eu o cheguei já estava assim, respondi e olhei pra ele
— Quando eu terminei de vestir roupa e sentei na cama o Dudu chegou, Felipe respondeu
— Eu tive uma ideia, dona Nayra disse
— Que ideia mãe, fala logo, Felipe disse empolgado
— é dona Nayra fala logo, eu também disse empolgado
— Que tal nós três irmos no supermercado comprar um monte de coisas gostosas pra fazer pizza aqui em casa?
— Oba, pizza, Felipe gritou empolgado
— Por mim tudo bem, só não sei como que se faz pizza, respondi
— Eu estou aqui pra te ensinar, dona Nayra disse
— E eu estou aqui pra aprender, respondi
— Dudu você pode ficar aqui o dia todo? Ela perguntou
— Posso sim, só preciso avisar a minha mãe, já vou até ligar pra ela, peguei o celular e fui ligar pra minha mãe, enquanto isso Felipe tomou um último gole de leite e foi vestir a camiseta
Liguei para minha mãe e avisei que ia voltar para casa só de noite, entramos no carro, Felipe e eu fomos no banco de trás contando quantos carros passavam, cada carro preto eu ganhava um ponto, cada carro branco Felipe ganhava um ponto, no som do carro estava tocando a música dance tunes em uma versão violino e nesse momento meu mundo parou, só conseguia viajar naquela linda música e no sorriso do Felipe que estava lindo hoje, cada carro branco que passava ele sorria parecendo um anjo, a luz do sol entrava pelo vidro e iluminava seus olhos e a sua franja, já disse que ele parecia um anjo? Acho que sim…
Enfim, chegamos no mercado e o meu anjo ganhou a competição dos carros, nunca tinha visto tanto carro branco na minha vida, parece que foi o destino, entramos no mercado que não era um mercado comum, era um atacadista que funcionava em um galpão gigante,, tudo lá dentro era mito grande assim como a curiosidade do meu anjo
— Dudu cuida do Felipe enquanto eu procuro os ingredientes pra fazer as pizzas, pode procurar algo legal pra vocês comprarem, dona Nayra disse
— tudo bem, eu vou dar uma volta com ele, quando terminar de escolher os ingredientes me manda mensagem no WhatsApp, respondi e o Felipe já foi me puxando em direção a sessão de brinquedos, era um supermercado que mais parecia um shopping, tinha de tudo desde alimentos, roupas, brinquedos, notebooks e até peças de carro, Felipe pegou uma bola inflável gigante que estava na sessão de brinquedos, ele disse que queria levar a bola pra brincarmos na piscina, continuamos andando e achamos uma grande livraria, entramos e eu decidi dar um livro de presente para o Felipe, eu escolhi dois livros bem legais a saga três luas de fred oliveira, lua azul e lua branca e comprei pra ele, continuamos andando e passamos por uma sessão que só tinha bolacha? Ou biscoito? Não sei, só sei que as crianças adoram
Felipe começou a pegar vários pacotes e foi me dando pra mim segurar, enquanto eu segurava percebi um garoto de mais ou menos dez anos que olhava escondido atrás de uma das grandes prateleiras do mercado, quando eu olhava pra ele se escondia
— Felipe, tem certeza que você precisa desse tanto de biscoito? Perguntei pra ele quando ele já tinha me entregado uns 15 pacotes
— Verdade Dudu, acho que vou devolver um pouco, ele disse
— Eu te desafio a levar as 15 más eles não vão ficar com você
— Vão ficar com quem então? Ele perguntou
— Me segue, respondi e fui indo em direção ao garoto que estava escondendo, surpreendi ele e ele se assustou
— Não corre garotinho, por favor, eu disse enquanto segurava ele pelo braço
— Quer um biscoito? Perguntei
— Não, não tenho dinheiro, ele respondeu
— Eu não perguntei se você tem dinheiro, perguntei se você quer biscoito, respondi rindo, ele apenas balançou a cabeça dizendo que sim
— Então vem comigo, eu vou comprar esses biscoitos pra você
O garoto foi me seguindo e enquanto fomos andando pelo mercado nossa amizade só aumentava, descobri que o garoto tinha uma irmã e ele ficou super amigo do Felipe, dona Nayra mandou mensagem me dizendo que já estava indo ao caixa, e eu fui encontrar ela, Felipe e o tal garoto foram me acompanhando,
—Dudu o que você vai fazer com esse tanto de biscoito? Dona Nayra perguntou
— não são meus, são do meu amiguinho aqui, só estou segurando pra ele, respondi e dei uma piscadinha pra dona Nayra que intendeu o que eu estava querendo dizer, o garoto estava quase morrendo de vergonha, paguei as coisas que eu tinha comprado para o garoto e coloquei na sacola, um monte de biscoito e umas guloseimas, dona Nayra também pagou os ingredientes da tal pizza e seguimos rumo a saída do mercado
— Caramba, nosso carro está pra cá e eu preciso pagar o estacionamento pra lá, dona Nayra disse apontando as direções
— Tudo bem, dona Nayra, eu pago o estacionamento enquanto você coloca as compras no carro, respondi
— Tudo bem Dudu, aqui está o ticket e o dinheiro, acho que o estacionamento é bem baratinho, o troco é seu, pode fazer o que quiser, ela disse e me entregou uma nota de 50 reais
Caminhei em direção ao caixa do estacionamento, Felipe e o tal garoto foram me seguindo, cheguei no caixa do estacionamento e entreguei o ticket
— Uma hora de estacionamento, da 5 reais, o moço do caixa disse
Tirei a nota de 50 do bolso e paguei ele, ele devolveu o troco
— Qual o seu nome? Perguntei para o garotinho que eu tinha acabado de conhecer
— Liam ele respondeu
— Sabia que seu nome significa o protetor corajoso
— Que legal, eu não sabia
— Liam nunca se esqueça de quem você é, eu desejo que você chegue a lugares altos que você nunca imaginou que um dia ia chegar, que você tenha riqueza, mas não só a riqueza material, não só o dinheiro, que você tenha o coração puro pra chegar em lugares altos, pega isso é pra você, entreguei a sacola de biscoitos e o troco do estacionamento, o garoto estava chorando emocionado, Felipe também estava segurando o choro
— muito obrigado, eu nunca vou esquecer vocês dois, e esse dia que eu aprendi uma lição, as pessoas dizem que eu sou um lixo e que eu não vou chegar em lugar algum, a partir de hoje eu vou lutar e vou ser o melhor que eu puder ser, muito obrigado, ele disse
— Abraço pra criar laços? Perguntei e já fui abraçando os meninos que ainda estavam limpando as lagrimas
— Tchau Liam eu sempre vou lembrar de você, Felipe disse enquanto íamos distanciando do garoto
— Espera Dudu, Liam me chamou — quero dar um presente pra vocês, ele enfiou a mão no bolso e tirou um lápis com duas pontas
— O que é isso? Perguntei olhando para o lápis
—esse é o lápis do desejo, qualquer coisa que você pedir ele vai realizar pra você, mas para funcionar vocês precisam quebrar ele no meio, Dudu fica com uma ponta e o Felipe com outra, você precisa escrever o desejo em um papel e amassar o papel com toda força e imaginar aquilo acontecendo, se você fizer isso de coração seu desejo vai ser realizado,
— Que legal, Felipe respondeu
— Quebra o lápis, o garoto disse
Felipe segurou uma ponta e eu segurei a outra e quebramos o lápis ao meio
— lembrem-se vocês dois tem direito a fazer um desejo e depois que desejo realizar o lápis precisa ser colado novamente e passado para outras duas pessoas, e vocês não podem contar o desejo pra ninguém, só depois que ele realizar, adeus amigos, a mãe de vocês está esperando, olha lá ela já até entrou no carro Liam disse apontando para o carro
— Tchau Liam, Felipe disse
— Tchau garotinho, juízo, eu disse, ele apenas deu uma risadinha e deu tchau
Viramos as costas para o Liam Continuamos andando e quando demos uns 4 passos uma forte luz azul iluminou as paredes do estacionamento, Felipe e eu olhamos para trás e o garoto não estava mais lá, senti um vento gelado assoprando meu corpo e na minha cabeça ecoava um som que dizia, repetidamente obrigado… obrigado… nem percebemos o que estava acontecendo, estávamos assustados com aquela luz, não sabemos de onde ela veio, e aquela voz que ecoava na minha cabeça? Será que o felipe também estava ouvindo? olhei para o Felipe e ele olhou pra mim, nesse momento tivemos uma só certeza… aquele garoto era um anjo…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,38 de 13 votos)

Por # #

18 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Sour

    Chamem no telegram @milkshakeice

  • Responder Lucas

    Bom dia. Realmente estava curtindo os contos até certo ponto, depois a parte da fantasia começou a incomodar. Uma pena pois tinha horas que parecia real(mesmo sabendo que é fake) os detalhes chamavam atenção. Um concelho Kadu, pare de fantasiar e volte a escrever como antes. Um abraço. (Coloquei o comentário no lugar errado atenriormente)

    • Kaducoelho

      Cada letra que foi escrita nesse primeiro episódio não é por um acaso, se elas estão lá é por que tem um objetivo pra isso, a fantasia vai ser explicada mais pra frente, mesmo assim muito obrigado pelo seu comentário

    • Kaducoelho

      Só mais uma coisinha, a história não é fake, por mais que você não acredita eu tenho certeza do que eu estou escrevendo, vivemos cada momento dessa história e vivemos até hoje

  • Responder Pirocudo

    Parabéns mais uma vez.
    Seus contos são massa demais.
    Já estava com saudade de vc é o Felipe.
    E tmb já ansioso pelo próximo conto.
    Sucesso pra ambos sempre.
    Abraços amigos.

    • Kaducoelho

      Muito obrigado, é por pessoas como você que nós continuamos escrevendo essa história

    • Gatto

      Voltamos, um pouco dopados mas voltamos kkkk~

  • Responder Kaducoelho

    E eu só te dou um aviso… cuidado com as suas palavras, todos temos o direito de escolher ser hétero, gay, boylover ou seja lá o que for, vivemos em um país livre e você só precisa respeitar isso, se não gosta de literatura boylover então o que você está fazendo aqui?

    • Kaducoelho

      Resposta para o meu hater Anonimodeere

    • Anonimo

      Tu ainda da palco pra ele?

  • Responder Anonimodeere

    Né veado,então você diz estar entre dois mundos né,eu acho que você tá só em um,o mundo da veadagem,mas te dou um aviso viu veado,saia deste mundo,e venha para o mundo de John Deere,o mundo hétero de pessoas normais!

  • Responder Maya

    Ola Ola!! As meninas também adoram sexo, talvez ★ Adoramos sexo ainda mais do que você … algumas têm vergonha de mostrá-lo .. ★ Suas preferências sexuais .. compartilhe conosco .., acesso gratuito .. (copie o link) ➤ plu.sh/platform

  • Responder Anjo Marley

    Esses dois tão é fumando maconha. No próximo vão encontrar duendes encantados no parque.

    • Kaducoelho

      Calma aí, vai ter uma explicação Para tudo que aconteçeu nesse episódio

    • Lucas

      Bom dia. Realmente estava curtindo os contos até certo ponto, depois a parte da fantasia começou a incomodar. Uma pena pois tinha horas que parecia real(mesmo sabendo que é fake) os detalhes chamavam atenção. Um concelho Kadu, pare de fantasiar e volte a escrever como antes. Um abraço.

  • Responder zooboyv

    muita enrolacao

  • Responder Felipe

    Finalmente, não estava mais aguentando esperar

    • Kaducoelho

      Eu sei disso..