# #

Cuidando de Noah

8643 palavras | 12 |4.40
Por

Capítulo 1

Cuidando de Noah

Meu nome é Rick, tenho 13 anos cabelos castanhos, 1,60 metros e meu corpo magro mas não sou magrelo, eu moro junto com minha mãe que se chama Carla, meu pai havia falecido a 5 anos resultado de um infarte fulmimante, desde então ficamos apenas eu e minha mãe. Desde que meu pai morreu minha mãe teve que começar a trabalhar novamente para sustentar nossa casa, e faz isso com muito honra, pois conseguia nos proporcionar uma vida muito confortável, o único problema é que isso fez com que minha mãe se tornasse um pouco ausente até mesmo nos finais de semana. Eu sempre fui muito sozinho e não costumava sair muito, minha vida se resumia em ir para escola e voltar para casa, exceto nos final de semana que minha mãe esta em casa a gente sempre sai para passear.
Em uma sexta feira a noite por volta de 8:30pm, eu estava no meu quarto feliz da vida pois hoje havia sido o último dia de aula daquele ano e eu estava de ferias, jogando no computador esperando minha mãe chegar do trabalho, quando escuto o telefone tocar, eu levantei eu fui atender, quando eu pegue o telefone escutei uma voz de mulher e me disse:
– Oi, quem está falando ?

– É o Rick! Com quem você queria falar ?

– Oi Rick, quanto tempo, você sabe quem está falando ?

Na hora me caiu a ficha era a Carol, uma amiga de minha mãe que havia se mudado para outra cidade há mais ou menos uns 4 anos, e desde então nunca mais eu tinha visto ela, apenas minha mãe que conversava rotineiramente com ela pelo whatsapp, e então eu respondi:

– É a Carol? Quanto tempo e aí como você está ?

– Estou ótima, e você como está Rick?

– Tudo bem também! Eu respondi

– Olha Rick, eu precisa falar com sua mãe, ela está ?

– Não, ela ainda não chegou do trabalho!

– Que pena, estou tentando ligar para o celular dela e não estou conseguindo falar também, será que você pode pedir para ela me ligar quando chegar é um pouco urgente?

– Tudo bem tia Carol, ela deve estar em alguma reunião, mas quando ela chegar eu vou pedir para te retornar ok?

– Ok Rick, beijos fica com Deus !

– Você também ! Eu respondi.

Carol e minha mãe se aproximaram muito quando meu pai morreu, pois Carol havia passado pela mesma coisa ha pouco tempo, logo depois que seu filho nasceu, eu não lembro muito do filho dela pois quando ela se mudou para outra cidade a 400km daqui, ele ainda era um bebê tinha mais ou menos 4 anos, mas lembro que ele era loirinho. Eu estava achando estranho esse telefonema de Carol pois ela nunca tinha ligado em casa, mas voltei para o meu quarto e continuei o meu jogo. Por volta de umas 9:30 minha mãe chegou em casa e pela sua aparência ela estava exausta, ela veio até meu quarto que cumprimentou com um beijo na minha testa e perguntou como foi o meu dia eu respondi que foi tudo ótimo e dei o recado que a Carol pediu, ela imediatamente saiu do meu quarto para retornar a ligação.

Enquanto eu continuava jogando, eu conseguia ver minha mãe conversando com a Carol na sala, e parecia que tinha acontecido algo sério, pois minha mãe estava impaciente, andando de um lado para o outro, quando ela finalmente desligou o telefone depois de uns 10 minutos de conversa minha mãe veio até o quarto.

– Rick, acho que vamos ter companhia por alguns dias! Ela disse meio sem saber se era bom ou ruim.

– A Carol está vindo passar uns dias ?

-Não, ela precisa de que tomamos conta de seu filho, o Noah, pois vai ter que viajar nesta noite para resolver um problema muito sério de seu trabalho em outro país.

– Nossa! Mas como assim, ela já está vindo ?

– Sim, parece que nós somos a única opção que ela encontrou, e quando ela ligou já estava no caminho aqui de casa, você sabe que ela não tem mais nenhum familiar, e somos os mais próximos!

Nessa hora eu percebi que minha mãe estava bastante aflita enquanto conversava comigo pois ela não podia negar este favor para sua amiga, mas sabia que não era capaz de cuidar de uma criança pelo fato de ter poucas horas disponíveis, e muitas vezes ter que fazer viagens curtas e acabava não voltando para casa no mesmo dia.
Então eu disse:

– E agora mãe o que fazemos ?

– Eu não sei filho, mas acho que você vai ter que cuidar dele!

Eu fiquei meio confuso na hora pois eu não sabia como cuidar de uma criança. Então apenas olhei para ela com cara de preocupação.

– Vai dar tudo certo Rick, ele é só uma criança igual você ! Ela disse segurando meu queixo e sorrindo.

Quando a conversa acabou fui tomar meu banho, enquanto minha mãe pedia alguma coisa para jantarmos, afinal já era quase 10:00pm e estava tarde para cozinhar, no meio do banho começou a cair minha ficha, nossa casa era pequena pois era apenas eu e minha mãe, por isso tinha apenas dois quartos e consequentemente eu teria que dividir o meu quarto com um pirralho, nisso eu já fiquei um pouco irritado, afinal eu tinha 13 anos e precisava da minha privacidade, apesar de ainda não ter começado a minha puberdade eu sentia a necessidade de ter o meu cantinho. Quando terminei meu banho me embrulhei na toalha e sai para o corredor até meu quarto para me vestir, quando a campainha tocou. Minha mãe também tinha entrado no banho e gritou do banheiro:

– Rick, vai atender a porta por favor, já estou saindo do banho!

Nisso eu estava terminando de colocar a minha cueca, então vesti meu shorts rapidamente e fui atender a porta sem camisa mesmo, apenas em meus shorts. Quando eu abro a porta dou de cara com a Carol e seu pequeno filho ainda com o uniforme da escola, ele devia ter entre 7 ou 8 anos mais ou menos, eu percebi que ele ainda era loiro mas seu cabelo havia escurecido um pouco e era liso com a franja caindo um pouco sobre seus olhos, igual o Justin Bieber, seus olhinhos eram verdes quase castanhos, e tinha cerca de 1,30metros de altura, ele me parecia muito fofo, então Carol sorridente me olhou e disse:
– Oi Rick, como você cresceu, está quase um homenzinho! ela disse enquanto se inclinava para beija minha bochecha.

– Oi Carol, obrigado, entre por favor fiquem a vontade !

E assim os dois entraram na sala e se sentaram no sofá, eu disse a eles que minha mãe já estava vindo e que ela estava terminando o banho, ele assentiram.
Carol então cutucou Noah que parecia bem tímido e estava quieto desde que entrou em casa, e disse:
– Se apresenta para ele filho! Ele é o Rick ele é bem legal!

Noah sentado no sofá meio cabisbaixo me olhou e com uma voz doce me disse:

– Oi, eu sou o Noah!

Eu respondi:

– Prazer Noah! Meu nome é Rick!

Ele apenas me deu um breve riso de canto de boca e se aninhou em sua mãe que estava ao lado. Após poucos minutos de conversa com a Carol minha mãe apareceu na sala e foi logo comprimentar os visitantes, minha mãe se apresentou para Noah que estava agarrado no braço de sua mãe, quando a campainha toca novamente, desta vez deveria ser o entregador com a pizza que minha mãe havia pedido, então sentamos a mesa e começamos a comer, minha mãe serviu todos e colocou refrigerante nos copos, quando estava começando a comer eu observei Carol pegar o prato de Noah e começar cortar a pizza em pedaços pequenos, na hora eu olhei para minha mãe e parece que tivemos o mesmo pensamento ” Vai ser mais difícil do que eu pensava”, mas continuamos a comer normalmente, só se conseguia ouvir a voz de minha mãe e da Carol, Noah estava ainda quieto, e eu em fase de crescimento estava concentrado em apenas comer, no meio da conversa Carol olhou para mim e disse:

– Rick, sua mãe já conversou com você sobre o Noah passar alguns dias com vocês ?

– Ja!

– Quem bom, espero que corra tudo bem, ele é um garotinho bonzinho e tenho certeza que não vai dar trabalho para você, ele é apenas um pouco tímido!

– Tudo bem Carol!

– Eu sei que sua mãe trabalha bastante e que isso vai ser um desafio para você, mas quando eu voltar prometo que vou trazer um presente bem legal para você ok?

Eu olhei e dei um sorriso, ansioso pelo presente e assenti. Carol estava quase acabando de comer e olhou no relógio e disse:

– Nossa já são quase 23:00pm tenho que chamar um táxi para me levar ao aeroporto, meu voo sai daqui a pouco !

E então pegou seu telefone para chamar um táxi. Enquanto chamava o táxi ela explicou que não sabia por quanto tempo ela ficaria fora mas que esperava estar de volta em uma semana mais ou menos, disse Carol, e logo foi dando as últimas recomendações sobre o Noah,dizendo que ele não gostava de ficar sozinho e que talvez pediria para acompanhá-lo no banho, e que Noah as vezes molhava a cama, nisso Noah falou rangindo os dentes e com as bochechas rosadas de vergonha:

– Mamãe! Você está me envergonhando!

Carol apenas o acalmou e continuou dizendo que devido a correria ele havia saído direto da escola e por isso ainda estava de uniforme. Enquanto Carol estava falando eu estava ajudando minha mãe a retirar a mesa. Logo ouvimos o barulho do táxi chegando.
Carol então começou a se despedir de minha mãe, Noah começou a se levantar e sua mãe disse as últimas recomendações a ele:

– Seja bonzinho Noah, obedece a tia Carla e o Rick ok? Enquanto isso foi se abaixando para beijar a testa de Noah

Noah respondeu com uma voz desanimada

– Tá bom mamãe !

Carol se aproximou de mim me deu um abraço e disse:

– Cuida bem dele Rick!

– Pode deixar tia Carol!

Então fomos até a porta acompanhar a Carol, quando ela entrou no táxi, voltamos para dentro de casa, as malas de Noah ainda estavam na sala, então eu o chamei e disse:

– Vem Noah, vou te mostrar onde iremos dormir, deixa eu te ajudar com suas malas.

Noah ainda quieto apenas pegou suas malas junto comigo e começou a me acompanhar, minha mãe estava no quarto fazendo a cama de Noah e a minha, no meu quarto havia um sofá cama, então eu dormiria na parte de cima e Noah na parte de baixo, minha mãe quando nos viu disse:

– Fique a vontade Noah, Rick vai desocupar uma parte do armário para você colocar suas roupas e brinquedos!

– Tudo bem tia Carla, obrigado! Disse Noah timidamente.

Quando tudo estava arrumado, disse para Noah se trocar e Escovar os dentes pois já estava tarde e deveríamos dormir, e assim ele fez, porém ele pegou seu short de pijama e sua camiseta e se dirigiu ao banheiro para se trocar, percebi que apesar de ter vergonha de mudar de roupa na frente de outras pessoas ele deixou a porta do banheiro meio aberta e se trocou atrás da porta, achei meio estranho e na verdade não tinha entendido, se era para deixar a porta aberta porque não se trocou no quarto, enfim ele mudou de roupa e escovou os dentes, eu até estava gostando de ter que cuidar dele, pois ele estava fazendo tudo que eu pedia sem resmungar, Noah era muito obediente e muito educado, isso eu e minha mãe já havíamos notado, mas realmente ele era muito tímido, até agora eu tinha escutado sua voz doce poucas vezes. Ele terminou de escovar os dentes e veio até o quarto, eu estava no computador e virei para ele e disse com um sorriso no canto da boca:

– Você prefere dormir encima ou embaixo Noah?

– Tanto faz para mim!

– Tudo bem Noah, pode escolher então , vou apenas jogar mais um pouco e depois vou dormir!

Ele assentiu, mas não disse nada e acabou escolhendo a cama debaixo do sofá-cama, e se deitou, ele devia estar cansado da viagem, mas vi que ele ficou me assistindo jogar por um tempo antes de pegar no sono. Por volta das 3:00am eu fui me deitar, e conferi se ele estava dormindo, e realmente estava, parecia um anjinho com sua franja quase cobrindo seu olho esquerdo, notei também que sua camiseta havia subido um pouco e estava quase no seu umbigo, deixando parte de sua barriguinha lisinha a mostra.
De manhã por volta de umas 9:00am, comecei escutar um gemido baixinho, e eu morrendo de sono pois havia dormido tarde, apenas virei minha cabeça para ver de onde estava vindo, estava com tanto sono que não tinha raciocinado ainda que havia um inquilino no meu quarto, quando abri meu olhos vi Noah com a cabeça entre as pernas, aparentemente chorando, então com voz de sono perguntei:
– O que aconteceu Noah, você está bem ?

Noah com cara de choro e uma lágrima no canto de seus olhos disse:
– E…E…Eu acho que….que… molhei a cama sem querer, me desculpe por favor!

Na hora vi que ele estava sofrendo com isso e fiquei com dó, mas ao mesmo tempo um pouco irritado, uma por ele ter me acordado cedo e eu detesto, e segundo por eu ter que limpar sua bagunça, então apenas me segurei e respondi com voz de sono mas tentando ser amigável ao mesmo tempo e colocando minha mão em seus cabelos lisos:

– Calma Noah, acontece não estou bravo com você, fique tranquilo.

Ele me olhou com seus olhos verdes quase castanhos e com a cara totalmente de choro e vermelha de vergonha e disse:

– Desculpa Rick, me desculpa.

Nessa hora eu realmente estava com dó dele, me coloquei em seu lugar, imagina se minha mãe tivesse ido viajar e me deixado em uma casa estranha e na primeira noite eu molhar a cama, eu ficaria muito envergonhado, então vi que precisava realmente acordar e me sentei na cama, eu estava apenas com meu short de dormir e sem camisa, então peguei seu braço e puxei ele contra mim e dei-lhe um abraço, enquanto passava minhas mãos em seu cabelo, e disse novamente:

– Não precisa chorar Noah, isso acontece, se acalme, não estou bravo, e não vou rir de você ok?

– Não vai mesmo Rick?

– Não, não vou Noah!

Nesta hora estava me sentindo o irmão mais velho dele, e estava gostando disso, e com ele ainda me abraçando, dei um leve beijo na sua bochecha, mas pegou quase em sua orelha.

– Bom Noah, agora você precisa tomar um banho para se limpar ok ? Disse olhando em seus olhos.

– Ok!

Então ele me soltou e começou a se dirigir ao banheiro cabisbaixo, enquanto ele estava no caminho disse em voz alta.
– Vou levar sua toalha!

Ele assentiu, e então me levantei fui até o armário e peguei um toalha branca e levei até o banheiro que estava com a porta meio aberta e então entreguei para ele a toalha e sai. Nisso era sábado de manhã e minha mãe não estava em casa pois tinha ido trabalhar, eu já estava acostumado com a rotina dela e sabia que ela voltaria somente no final da tarde, então me dirigi ao meu computador, pois afinal eu era um pré adolescente de 13 anos viciado em jogos online e realmente não tinha planos para o dia e estava pensando que seria a mesma rotina de quando eu estivera sozinho, mas eu estava muito enganado e antes de sentar na cadeira do computador que ainda estava ligando ouvi meu nome sendo chamado do banheiro e quando olhei havia apenas uma cabeça loira para fora da porta.

– Rick, você pode vir aqui por favor? Eu não estou conseguindo ligar o chuveiro!

Me levantei sem hesitar, e fui até o banheiro e disse:

– Posso entrar?

– Pode.

Então abri a porta e vi que Noah estava com seu short ainda, ele apenas tinha tirado sua camiseta, então abri o box do banheiro e abri a torneira e fiquei com a mão na água esperando a temperatura esquentar, Noah estava parado e esperando, eu sabia que ele era tímido, então achei melhor não pedir para tirar seus shorts enquanto estava lá.quando a água esquentou eu disse:

– Acho que já está bom Noah.

Ele chegou perto e colocou seu braço embaixo da água, e balançou a cabeça positivamente. Nesta hora dei um leve sorriso e baguncei seu cabelo com as mãos e fui saindo do banheiro
Ele ficou me olhando cada passo sem se mexer, parecia que queria algo, então perguntei:

– Está tudo bem ? Posso ir agora Noah?

Me olhando com aquela carinha de quem tinha acabado de chorar e estava com vergonha ele disse meio que gaguejando:

– E….E..Eu não go..gosto de ficar sozinho.

– Tudo bem Noah, se quiser eu posso ficar com você!

– Mas é qu…que tô com um pouco de vergonha.

Agora eu estava confuso e fiquei olhando para Noah, ele queria que eu ficasse mas estava com vergonha de eu ver ele nu? Não fazia sentido então respondi.

– O que eu faço então? Eu sei que você tem vergonha e não quer ficar nu na minha frente, mas eu não vou me importar ok? Eu também tenho um pênis.

Disse isso mas eu também morro de vergonha de ficar nu na frente de qualquer pessoa, e estava relutante em ficar na frente dele também, mas por bem achei melhor tranquiliza-lo e terminar logo com isso e ir jogar meu jogo.

Noah continuava me olhando então dei um leve sorriso e ele disse:

– Então fica Rick, por favor.

– Tudo bem Noah, você vai querer que eu te ajude no banho também ?

– P…Pode ser?

– Está bem Noah.

Então afim de terminar logo com isso, me aproximei de Noah e fui em direção aos seu quadris, abaixei seu short e percebi que já estava quase seco e em seguida coloquei meus 2 polegares para dentro de sua cueca e pude observar que estava bem úmida ainda, e comecei a desce-la devagar e aos poucos foi mostrando sua testa totalmente sem pêlos e logo em seguida o seu pênis de 2,5 centimetros totalmente flácido apareceu diante de meu rosto junto com seu saquinho enrugado com duas bolinhas do tamanho de um caroço de azeitona, era branco porém havia um leve bronzeado, fazendo com que a sua região genital tivesse uma leve diferença de cor sendo mais branquelo que o normal, percebi que Noah estava com suas bochechas rosadas e quase que imóvel, seu físico não era magrelo e sim com uma barriguinha lisa e pouco desenvolvida, ou seja ele era magro mas tinha carne, e olhando pra ele sem roupas ele me parecia muito fofo, então olhei pra ele com um sorriso e disse:

– Passou a sua vergonha agora Noah?

Timidamente com um sorriso sem graça me respondeu:

– Mais ou menos.

– Tudo bem, vamos lá então ?

Ele assentiu, e se virou e pulou a borda da banheira e entrou em baixo do chuveiro, no meu banheiro havia uma banheira, e dentro da banheira havia um chuveiro, podendo tomar banho dos dois jeitos, eu estava meio sem jeito de como começar a esfrega-lo, pois não tinha nenhuma noção de como fazer isso em outra pessoa, e na verdade eu já começava a me sentir desconfortável em estar ali com ele, parecia que eu estava invadindo sua privacidade, mas eu me sentia como um irmão mais velho apenas querendo ajudá-lo,então sentei na borda da banheira próximo a ele que estava em pé, a água estava molhando um pouco minhas pernas mas não me importei muito, quando ele estava embaixo da água eu pude olhar novamente para sua virilha e comecei a prestar atenção que estava um pouco avermelhado dos dois lados de seu saquinho enrrugado, e fiquei observando por alguns segundos, sem me dar conta, quando ele percebeu que eu estava olhando ele colocou a mão na frente e se afastou um pouco de mim, e ficou me olhando envergonhado, então eu disse:

– Calma Noah, estou vendo que você está vermelho em sua virilha, você está assado por causa do xixi?

Ele ainda segurando suas intimidades, percebeu que queria apenas ajudá-lo e disse :

– Não sei, mas está ardendo um pouquinho!

– Tudo bem, deixe-me ver mais de perto Noah, tire sua mão! Eu disse a ele.

Ele meio constrangido foi tirando sua pequena mão de seu pênis deixando-o amostra novamente, então pedi para ele abrir um pouco suas pernas para examina-lo, e assim-o fez, peguei meus dedos e levemente toquei sua virilha toda macia, as costas da minha mão podia tocar em seu escroto, fiz isso em ambos os lados e perguntei:

– Está ardendo ?

– Sim, Rick.

– Ok, se você quiser eu posso passar um pouco de pomada quando sairmos do banho, vai te aliviar!

– Está bem.

Após examina-lo, era hora de começar a esfregar, peguei um shampoo da Johnson’s que eu gostava de usar para não arder os meus olhos, coloquei um pouco em sua cabeça, e com as pontas dos dedos comecei a esfregar todo o seu cabelo liso que caia sobre seus olhos, depois de todo ensaboado, peguei a esponja, passei o sabonete e pedi para fechar seu olhos, e passei a esponja em seu rosto suavemente, orelhas, pescoço, fui descendo para os ombros até chegar em seu braço esquerdo tudo isso carinhosamente, ergui seu braço lavei seu suvaco lisinho parecendo um bebê, e fui para o braço direito fiz a mesma coisa e fui subindo para seu peito, passei a esponja em seus pequenos mamilos, desci para a costela, barriga, até chegar na base de sua pequena testa sem pêlos, percebi que quando estava chegando perto de seu pênis ele ficou um pouco desconfortável então não continuei, apenas virei-o de costas e comecei a lavar seu dorso até chegar em suas nádegas, então ensaboei, porém sem adentrar, apenas em sua bunda lisa e sedosa, foi quando eu parei e falei:

– Você que fazer, estas partes Noah?

Ele não disse nada, porém pegou a esponja de minha mão e ele mesmo lavou as partes internas de suas nádegas e depois foi para frente, para lavar o seu pênis, eu sugeri que pegasse apenas o sabonete pois ficaria mais confortável, ele concordou comigo e pegou o sabonete e lavou seu pênis, mas somente a parte de fora, entao eu disse:

– Você tem que lavar tudo, por fora e pro dentro Noah.

– Como assim Rick?

– É fácil, você abre ele, e passa o sabonete.

Ele então tentou puxar sua pele e expor sua glande, porém ela parecia um pouco grudada e estava difícil de expor sua cabecinha, até que finalmente sua pontinha rosada apareceu na ponta de seus dedinhos, e ele começos a passar o sabão, porém na primeira vez eu percebi que ele sentiu cosquinha, e eu disse:

– Você nunca tinha lavado a cabecinha Noah?

Noah ficou um pouco constrangido, tudo bem que eu estava vendo ele nu, mas o fato de falar sobre seu pênis o incomodava, dava para perceber.

– Não ! Respondeu com a voz fina e doce de um constrangimento

Quando ele terminou peguei a esponja novamente e terminei de lavar suas pernas, e segui até seus pés, ergui sua perna e lavei seus pequenos dedinhos um por um e assim fiz na outra perna e disse a ele para terminar de se enxaguar e me levantei pegando a toalha esperando-o do lado de fora. Quando ele saiu eu o enrrolei-o na toalha e sequei seu corpinho com suavidade e enrolei a toalha na sua cintura, e fomos para o quarto, ele se sentou na minha cama e novamente com uma voz amigável eu disse:

– Vamos passar a pomada Noah ?

Ele balançou a cabeça positivamente, então fui até meu guarda-roupas pegar, nesta hora lembrei que minha mãe tinha uma loção de limpar pele profundamente, e achei que seria bom limpar a região da assadura melhor, e fui até o quarto de minha mãe pegar a loção e um Masso de algodão. Quando voltei ele ainda estava sentado em minha cama com a toalha cobrindo sua parte de baixo, eu olhei para ele com seus cabelos despenteados e um pouco úmido ainda, e pedi para ele deitar na cama, e ele logo se deitou, então desfiz o nó da toalha em sua barriga e abri a toalha deixando todo amostra novamente, deitado em minha cama, sentei do lado da cama quase no final do colchão, peguei a loção que limpa a pele e coloquei no algodão ele perguntou:

– O que é isso Rick?

– É apenas uma loção que limpa a pele antes de passar a pomada. Disse explicando para ele.

– hum…

Peguei sua perna direita que estava reta e abri para o lado deixando sua virilha amostra, seu pequeno pinto estava descansando encima de seu escroto, comecei a passar o algodão em sua virilha em toda área vermelha, e o algodão junto com a costa da minha mão mesmo sem a intenção dava leves esbarrões em seu escroto, naquela hora eu estava enxergando Noah como um bebê indefeso, e a loção por conter álcool em sua composição causou uma refrescancia após a passagem do algodão em sua virilha.

– Isto está frio. Disse Noah

Eu sabia a sensačao que ele estava sentindo, olhei para região da virilha onde havia passado o algodão, fiz um leve sopro de ar continuo para o álcool evaporar, nesta hora percebi o pequeno pênis de Noah havia se descolado levemente de seu escroto, apenas ignorei e voltei sua perna direita para o lugar deixando-o reta novamente e fiz o mesmo procedimento na perna esquerda, e comecei a passar o algodão em seu lado esquerdo, após passar o algodão, assoprei novamente para secar o álcool, percebi que agora seu pequeno pênis havia dado uma leve pulsada se separando um pouco mais de se escroto, mas ainda estava flácido e curvado para frente, encima de seu pequeno escroto, olhei para Noah, que estava completamente envergonhado e passei minha mão na sua barriga lisa e disse:

– Está tudo bem Noah?

Ele fez sinal de positivo com a cabeça, mas pude sentir seu constrangimento.

Até agora estava tudo indo muito bem, não tinha nenhum sentimento envolvido, apenas a vontade de cuidar dele como se eu fosse um irmão mais velho, mas vendo seu pequeno pênis dando aquele pequeno sinal de vida me despertou algo em minha cueca e um sentimento de proibido junto com perversão que me causava remorsio e ao mesmo tempo tesão, mas apenas ignorei e peguei o algodão que estava utilizando e mostrei para ele o algodão que estava levemente preto mesmo ele tendo acabado de tomar banho.

– Olha Noah, está vendo como ainda está sujo ?

Seu constrangimento não o deixava ele responder ele apenas olhou para o algodão, em seguida peguei outro algodão, e passei mais um pouco de loção, e comecei a passar em sua virilha denovo e subi para sua pequena testa sem pêlos passando por toda a região pubiana dele, Noah estava estático petrificado, e aquilo estava deixando meu pênis de 13 anos acordado, e continuei até chegar na base de seu pênis senti Noah se retrair um pouco tentado se afastar.

– Posso terminar de limpar você ? Disse suavemente, sem esboçar reação alguma.

Noah ficou parado, porém em modo de segurança, e antes que ele pudesse responder minha mão que ainda estava em movimento em sua testa lisa, começou a descer até a base de seu pequeno penis, nesta hora quase que imediatamente seu pinto ficou duro apenas com um toque do algodão. Noah rapidamente então cobriu sua região com a sua mão apertando-o para baixo e tampando tudo e ainda dobrou suas pequenas pernas em direção a sua barriga, olhando para mim completamente rosado nas bochechas e quase chorando e disse:

– Desculpa, Rick!

No auge de seu constrangimento Noah pareceu querer chorar denovo, e eu pensei que tinha feito algo errado mesmo inocentemente, e estava preocupado, se ele contasse para alguém o que havia acontecido eu poderia estar encrencado.

– Noah, fique calmo, não se preocupe!

– Eu não queria, foi sem querer, promete que não conta para ninguém?

Nesta hora eu me aliviei, Noah estava pensando que ficar com seu pênis duro era algo errado, o que me causou um alívio em saber que ele não estava chateado comigo, então meu papel agora era tranquiliza-lo.

– Isso acontece Noah, e é normal, não precisa sentir vergonha tá ok ?

– Você estava cuidando de mim, não podia acontecer isso…

Podia perceber a dificuldade que Noah tinha em falar de suas partes intimas, nisso quando olhei para ele novamente vi uma lágrima correndo no canto do seu olho esquerdo, me aproximei dele, enxuguei a lágrima com meus dedos e disse mais uma vez.

– Você é garoto, e isso acontece com garotos, é normal, pare com isso, deixe me ver seu pênis duro, você vai perder a vergonha! Disse em tom de desespero sem saber como controlar a situação naquele momento.

Noah se recusou fazendo movimento negativo com a cabeça, mas eu peguei uma de suas pernas dobradas suavemente com uma mão e com a outra eu peguei sua mão que estava cobrindo seu pinto duro e tirei, deixando amostra aquela ereção de 8 centímetros e disse:

– Vou passar a pomada, e você pode se vestir ok?

Peguei a pomada e passei meio que sem jeito pois sabia que tinha ido longe demais, eu tinha apenas 13 anos e fiquei um pouco excitado vendo outro garoto ficando duro, o sentimento de irmão mais velho acabou voltando, então terminei de aplicar a pomada e fui lavar minhas mãos no banheiro, quando voltei Noah ainda está com o pinto duro mas agora sentado na cama, então peguei uma de suas cuecas para ele vestir, ele vestiu ainda sentado, e somente se levantou quando sua ereção abaixou, e eu fingindo a normalidade.
Após o acontecido precisava limpar sua cama, tirei os lençóis coloquei para lavar, e retirei o colchão para colocar no sol para secar também, Noah não falou mais nem uma palavra, não sabia se ele estava chateado comigo. Após dar um jeito em sua bagunça no colchão, pensei que finalmente era a hora em que eu pudesse jogar meu jogo em paz no meu computador, entao sentei em meu computador e comecei iniciar o jogo, mal tinha percebido que já eram quase 10:00am. Alguns minutos depois sinto uma cutucada em meus ombros, viro minha cabeça para traz, era Noah ainda com sua cueca mas ela havia colocado uma camiseta então com seus olhos esbugalhados disse:

– Tem alguma coisa para comer, Rick?

Meu deus, eu realmente tinha me esquecido de dar comida a Noah, eu não tinha o hábito de tomar café da manhã então não me lembrei que Noah precisava comer de manhã, imediatamente fui para cozinha preparar algo para ele comer, fiz um pão com manteiga e um copo de leite com chocolate, e coloquei na mesa para ele, Noah se sentou e começou a comer em silêncio, mas ele parecia um pouco mais calmo sobre o acontecido.

– Está tudo bem Noah?

– Sim, espero que você me perdoe Rick, você promete que não vai contar pra sua mãe ?

– Fique tranquilo Noah, não vou contar, vai ser nosso segredo ok? Disse isso dando meu dedo mindinho em sinal de pacto.

Isso fez com que ele se sentisse melhor me dando um sorriso espontâneo, e eu também fiquei feliz por isto, me fez criar um sentimento de irmão confidente, mas agora o conflito era comigo mesmo, o fato que fiquei excitado com um garoto duro mas logo ignorei e voltei a normalidade. Após alimentar Noah, voltei para o computador com o desejo de poder iogar ao menos uma partida sem ser interrompido, pois até agora não tinha conseguido jogar meu jogo. Noah foi para a sala assistir Tv e ficou entretido por algumas horas com isso. Apesar do pequeno incidente de Noah, percebi que realmente ele não dava trabalho,e não era uma criança chata que precisava de atenção a todo momento, apenas precisava de um pouco de cuidado, e tendo isso ele não me incomodava querendo atenção.

Por volta de 14:00pm, o telefone tocou e fui atender, era minha mãe querendo saber como nós estávamos, disse que tentaria chegar mais cedo e iríamos sair para algum lugar que nos quiséssemos, perguntou se Noah tinha se alimentado eu disse que tinha , ele por volta de 10 da manhã, minha mãe ficou preocupado pois já eram 02:00pm e ele ainda não tinha almoçado e nem eu então ordenou a pedir alguma coisa para almoçarmos. Após a ligação fui até a sala junto com Noah que estava deitado no sofá de cuecas e camisa mas com as pernas encolhidas, e perguntei:

– Você está com fome?

Ele virou a cabeça em minha direção e respondeu:

– Sim, um pouco!

– Vamos pedir alguma coisa, o que você gostaria de comer Noah?

– Não sei, pode ser comida chinesa ?

– Pode, vou pedir no aplicativo ok ?

– ok!

Peguei meu celular e fiz o pedido, e continuei na sala junto com ele sentado no outro sofá de frente para ele, e comecei a assistir televisão também enquanto nossa comida não chegava, Noah não tirava os olhos da Tv está prestando atenção no desenho que estava passando. Quando a comida chegou pouco tempo depois, comecei a arruma a mesa colocando dois pratos, Noah logo veio atrás de mim, e estava ansioso para comer, logo ele me revelou que comida chinesa era sua comida predileta. Comecei a servi-lo e como a comida já estava cortada em pequenos pedaços não senti a necessidade de me oferecer para fazer isso por ele, então começamos a comer em silêncio que logo foi quebrado por mim.

– Será que sua mãe já chegou Noah ?

– Não sei Rick, ela disse que quando chegasse ela iria me ligar, mas ainda não ligou.

– Hum…, Para onde ela foi ?

– Para o Japão!

– Nossa, é bem longe….

– Ela disse que demora quase um dia inteiro para chegar, e que quando aqui é dia lá já é de noite.

– Deve ser legal ir pra lá..

– Eu acho que ela não gosta, de viajar, ela ficou bem brava quando pediram para ela ir!

– Como assim, eu iria adorar poder viajar, e conhecer outro país !

– Eu também, mas ela não gostou.

– Sua mãe trabalha com o que Noah?

– Ela é Diretora de uma empresa de eletrônicos aqui no Brasil.

– Nossa, deve precisar de muita responsabilidade..

– Sim, mas ela não trabalha tanto igual sua mãe, nos finais de semana ela sempre está em casa!

– Deve ser legal, minha mãe trabalha demais e quase não tem tempo para mim.

– o que ela faz ?

– Ela é gerente de um shopping center.

– Legal.

Depois da conversa terminamos de comer, e Noah me ajudou com a louça, sem eu pedir, depois de terminarmos, ele pegou seu tablet e começou a jogar um jogo online com seu amigos, enquanto eu precisava tirar uma soneca, afinal tinha acordado mais cedo do que eu queria, e segui para meu quarto e liguei o ar condicionado, já que estava bem quente.
Quando minha mãe chegou já eram 5:30pm e eu ainda estava dormindo, mas Noah ainda estava na sala com seu tablet de camiseta e cuecas, minha mãe chegou viu Noah e começou a perguntar sobre seu dia.

– O que vocês fizeram hoje Noah?

– Apenas ficamos ficamos jogando e vendo Tv. Ele afirmou.

– E o Rick, foi bonzinho com você ?

– Sim, ele foi bom comigo!

– Que bom fico feliz que vocês estão se dando bem, cadê ele?

– Está no quarto, acho que está dormindo.

– Ok, deixa eu ir acordar ele então !

Minha mãe abriu a porta do quarto e sentou-se na cama e acariciando meus cabelos sussurrou no meu ouvido:

– Acorda dorminhoco!

Abri os olhos vi que era ela, e preguiçosamente a comprimentei, ela me dei um beijo.

– Vai se banhar Rick, vamos dar uma volta!

– Ok, mãe

Quando ela estava saindo, perguntou porque o colchão de Noah estava do quintal, então eu disse o ocorrido, mas não contei os detalhes, minha mãe entendeu Noah e disse:

– Ele deve ter se sentido inseguro durante a noite.

Eu levantei e fui para o banheiro tomar meu banho, tirei minhas roupas e entrei no chuveiro, e comecei me ensaboar, quando estava lavando meu pinto senti que ele começou a enrrijecer, automaticamente lembrei do ocorrido com Noah, e seu constrangimento e me deu um tesão a mais, e meu pequeno pênis de 12 centimetros ainda sem pêlos começou a esquentar com meus movimentos, apesar de ainda sem pêlos eu já sabia algumas coisas sobre sexo mas nunca tinha prestado atenção de como era bom minhas mãos tocando meu pequeno pinto, comecei a esfregar mais rápido até que começou a ficar realmente bom, e eu não conseguia parar, então logo me veio uma sensação boa que eu ainda não tinha sentido, seguido de um forte cansaço, eu já sabia sobre masturbação e sabia o que tinha feito, mas foi a primeira vez que realmente cheguei a um orgasmo mesmo que ainda seja seco, eu apenas brincava um pouco com meu pênis durante o banho, mas nunca continuei talvez por ser um pouco inocente e não ter me desenvolvido ainda. Depois que terminei estava bem aliviado e tinha sentido a melhor sensação até agora de minha vida com meu corpo, me enxuguei e enrolei na minha toalha e fui para meu quarto me vestir, quando abro a porta vejo que Noah estava se aprontando também, eu não queria que ele me visse nu, então peguei minha cueca e a calça que eu iria usar e voltei para o banheiro, Noah pareceu entender minha atitude e não fez nenhuma pergunta.
Quando voltei ao quarto agora com minha calça vestida mas sem camisa Noah já estava quase pronto e estava usando uma bermuda até seu joelho e uma camiseta, enquanto olhava para ele pensava comigo mesmo como ele é fofo, terminei de me arrumar e encontramos minha mãe na sala já toda arrumada também, nós ainda não sabíamos onde iriamos, então minha mãe perguntou:

– Onde vocês querem ir ?

Noah ficou pensando e eu também até que Noah sugeriu irmos ao shopping brincar nos brinquedos e ir no cinema, minha odiava passear no shopping, afinal ela trabalhava em um shopping e sugeriu irmos a um circo que está a na cidade. Nós concordamos com ela, e Noah parecia animado e disse que nunca tinha ido a um circo. Adentramos então no carro de minha mãe, que era uma volvo SUV, e seguimos, no caminho Noah não disse uma palavra o que já era de se esperar, pois ele não falava muito e era quietinho. Quando chegamos no circo moramos as entradas minha mãe foi comprar pipoca e refrigerante pra gente. Durante o espetáculo Noah se divertiu bastante com os palhaços, parecia que estava mais apropriado para a idade dele do que para minha, eu não estava muito animado, com a apresentação. Terminando o show nos não queríamos voltar para casa, então eu falei para minha mãe que gostaria de ir no kartódromo para andar de kart, na hora os olhos de Noah brilharam, ele agora parecia mais empolgado do que antes no circo Noah disse :

– Podemos ir tia Carla, por favor ?

Minha mãe não soube como dizer não para aqueles olhos verdes esbugalhados e aquele rostinho de anjo, e acabou concordando em ir. No kartódromo nos divertimos muito, ficamos por quase 1 hora andando de kart, Noah não era muito bom o que fez chegar em quase último lugar, mas eu dei um desconto e não fiz piada, afinal foi a primeira vez que ele tinha andado de kart, minha mãe estava sentada o tempo todo apenas esperando nós nos divertirmos. No fim da corrida minha mãe pagou pela corrida e fomos a um restaurante jantarmos, só que dessa vez foi ela quem escolheu ir a um restaurante japonês. No restaurante Noah parecia não gostar muito de peixe cru, então ficou apenas nos sushis empanados, ele tinha dificuldade em comer com os hashis, então eu segurei em sua mãe e ajudei-o ensinando os movimentos com seus pequenos dedinhos. Apesar de Noah não ter gostado tanto da comida japonesa ele havia adorado, as últimas horas nos divertindo e estava bem alegre e feliz .
Chegando em casa por volta de 11:00pm o telefone estava tocando minha mãe atendeu era a Carol, ela tinha acabado de chegar no Japão, e queria falar com Noah, ansiosamente Noah pegou o telefone e e começou a contar sobre seu dia, ele contou a Carol que eu havia ajudado ele a se banhar, e falou até da pomada, mas não mencionou nada sobre o incidente, e por fim contou sobre seu nosso passeio que ele havia gostado bastante, Carol pediu para falar comigo e quando atendi ela estava muito grata sobre tudo que eu tinha feito, me agradeceu e disse que não sabia como retribuir, mas me lembrou sobre meu presente, me deixando ansioso novamente.
Depois que Carol desligou, minha mãe pediu para o Noah ir se Banhar afinal ele ainda não tinha feito desde cedo, ele assentiu e foi para o quarto retirou seus sapatos sua camiseta, ficando apenas em sua bermuda, eu não sabia se ele queria que eu fosse novamente com ele no banheiro, então fiquei apenas esperando sua reação. Noah ficou parado na porta do quarto e me olhou sem dizer nada, apenas com aqueles olhos lindos e seu rostinho de anjo com expressão de que estava esperando algo de mim, eu já sabendo o que ele queria dei um sorriso, e comecei a segui-lo até o banheiro, minha mãe já estava em seu quarto mas ela não percebeu que eu estava indo junto com Noah ao banheiro, e falou em voz alta:

– Rick, pergunte ao Noah se ele precisa de ajuda!

Respondi

– Já estou aqui com ele mãe !

– ok, tudo bem!

Noah já ficou um pouco intimidado por minha mãe ter falado isso tão abertamente, ele pensava que isso era somente eu quem sabia e logo suas bochechas brancas coraram.

– Vamos lá, Noah. Disse a ele trancando a porta do banheiro.

Ele desabotoou o botão de sua bermuda e deslizou até seus tornozelos ficando apenas com sua cueca branca colada ao corpo, sem pensar muito já enfiei meu polegares um de cada lado de sua cintura por dentro da cueca e deslizei até o chão, ele estava incrívelmente foto na minha frente, até que ele se virou e ergueu sua perna para adentrar na banheira, ainda com o chuveiro desligado, eu me sentei na borda da banheira novamente e abri o registro e um jato de água gelada atingiu Noah em sua barriga, ele correu para longe, e eu dei uma leve risada, e percebi que Noah tinha fica todo arrepiado, seu saquinho encolheu junto com seu pequeno pênis que agora parecia ter cerca de 1,5 centimetros totalmente flácido, logo a água esquentou e eu arrastei pelos seus braços até o chuveiro, esperei a água enxaguar seu corpinho esfregando minha mãe ajudei a molhar seu corpo, e sentindo sua pele sedosa de bebê, então iniciei o processo novamente, com o shampoo, nesta hora meu pai estava totalmente flácido e eu sem nenhum intenção, peguei a esponja e comecei a escorregar por seu corpo como da última vez, até a base de sua testa sem pêlos, e notei que onde eu havia passado a pomada de manhã está esbranquiçado, sem dizer nada peguei a esponja e pedi para ele afastar suas perninhas e assim ele o fez sem hesitar, percebi que ele havia me dado uma brecha para lavar sua virilha e esfreguei a esponja dos dois lados de sua virilha até que saísse toda a pomada, então peguei o sabonete, nessa hora ele percebeu que eu iria lavar seu pequeno pênis e ficou um pouco retraído mas não disse nada, passei o sabonete em sua testa sem pêlos vagarosamente e fui descendo para seu pênis até toca-lo suavemente ele deu um leve pulinho se encolhendo um pouco quando eu passava o sabão , até que agarrei com dois dedos seu pênis e abri expondo sua cabecinha vermelha pequenininha, totalmente fofa, e com o sabão que estão em meus dedos comecei a acariciar, eu estava surpreso por ele estar deixando eu fazer isso, e por isso estava seguindo em frente, apesar de ele estar retraído não se opôs, eu nesta hora meu pai começou a pulsar em meus short, igual da última vez, afinal está era a primeira vez que toca no pênis de alguém que não seja o meu, e estava gostando da sensação, e meus sentimentos apesar querer deixa duro, era inocentes seu malícia, e continuei mais um pouco esfregando sua cabecinha devagar e fui sentindo uma leve mudança de textura em meus dedos me excitando mais em minhas calças, olhei para Noah imóvel sem entender nada com sua bochechas rosadas, mas sem parar de acaricia-lo, e seu pênis foi crescendo, eu sentia leve pulsadas em meus dedos até que finalmente estava totalmente ereto a 90 graus com seu corpo, então apenas parei de ensaboar e o virei de costas, para esfregar seu torso, esfreguei suas nádegas, e passei levemente minha mãos na parte interna, e desci para suas pernas e terminei de lava-lo, seu pênis de 8 centímetros ainda estava ereto, meu pinto estava totalmente duro em minha cueca e ainda estava me perguntado por tinha feito aquilo, Noah começou a se enxaguar, parecia que estava um pouco assustado e perguntei:

– Está tudo bem ?

– Acho que sim. Noah me respondeu com desanimada.

– Você gostou que eu te lavei todo?

– Acho que sim Rick. Noah respondeu meu confuso.

Com o intuito de quebrar o tabu que existia falei dando uma leve risada:

– Você ficou duro denovo!

Noah não sabia o que dizer, seu constrangimento era evidente, mas continuei tentando quebra o tabu.

– Não é legal ?

Timidamente Noah balançou a cabeça positivamente.

– O meu também fica as vezes quando eu lavo!

Noah saiu do box para se enxugar, passei a toalha em sua cintura e dei um nó, ele foi para o quarto abriu sua parte do guarda roupa e pegou uma cueca limpa do Batman, tirou a toalha de costas para mim e vestiu, eu nessa percebi que o que tinha feito com Noah e me bateu um arrependimento, e fiquei com medo dele contar para alguém, quando Noah virou-se de frente seu tesão já havia sumido parcialmente e somente uma leve relevância de uns 4 centímetros ficou em relevo para o lado esquerdo, chamei ele para sentar na cama, e disse abraçando:
– Você está chateado comigo Noah?

– Não, por que eu estaria Rick? Isso é culpa minha!

– Noah, você é um garotinho, e isso acontece quando garotinhos recebem algum estímulo lá em baixo.

– É que eu fico desconfortável, quando a acontece isso na frente dos outros.

– Já aconteceu antes ?

– Já quando minha mãe me deu banho uma vez, ela brigou comigo.

– Eu não ligo Noah, fica tranquilo, ok? Somos garotos e eu também tenho as vezes!

Eu estava tentando ser o mais leviano possível, eu sabia a dificuldade dele em falar sobre essas coisas e não queria traumatiza-lo, mas quando ele se virou e me deu um leve sorriso eu percebi que ele estava bem, então dei o meu dedo mindinho novamente para formarmos um pacto, e assim ele se sentiu melhor e eu também.

-Agora vai se aconchegar na sua cama Noah, que minha mãe já preparou para você, eu vou jogar mais um pouco, ok?

Ele levantou da minha cama e deitou na sua cama, ainda de cuecas, então sentei em meu computador e joguei por algumas horas e fui dormir.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,40 de 15 votos)

Por # #

12 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Void

    Muito fofo! Espero q continue assim no proximo capitulo. Se alguem fizer alguma maladade com o Noah vou ficar arrasado.

  • Responder Twink

    É um bom conto, você tem talento. Acho que pecou um pouco no excesso de detalhes e situações, mas no geral é um bom conto, deu pra construir bem as cenas. Ansioso pela continuação

    • @Pires88

      Chama para conversar pires88

  • Responder Igorpiroca

    Fofinho. amo contos assim. Mesmo não sendo veridico, da tezão!

  • Responder O eclético

    Adoro menininhos que fazem xixi na cama ou na cuequinha.

  • Responder Juan Carlos

    Desculpa a sinceridade. Você tem dois contos bons que escreveu apenas duas partes, e agora vem com um terceiro no qual usa a mesma linha de história dos outros. Entretanto esse é chato e enfadonho. Fui pulando vários trechos, pois é evidente o BLA BLA BLA desnecessário.
    Muita história sem necessidade, muitas palavras sem importância em um conto que a proposta é o erotismo, porém isso é o que falta nesse conto.
    Se seu sonho é ser escritor, escrever um livro e publicar está no caminho certo, pois pra isso eu vejo potencial. Mas pra escritor de contos eróticos pra um site onde as pessoas querem coisas rápidas pra se masturbarem lendo algo altamente excitante você fica muito a desejar.

    • Astrmm

      Obrigado pela critica, tenho pouco tempo e gosto de escrever o que estou afim, a continuação dos outros irá acontecer porém preciso estar inspirado para não escrever qualquer coisa se é que me entende, não vou agradar a todos, se não quer ler não leia

    • Void

      Eu pessoalmente adorei. Isso poderia virar um mangá. Fiquei positivamente surpreso por nao ter sexo. Algumas pessoas, eu por exemplo, se sentem exatamente como o Rick da história: a satisfaçao em proteger e cuidar dá muito mais prazer do que o erotismo real. Amei a história com todos os detalhes. Na minha opiniao, poderia ter sido 10 vezes mais longa, mas acho que o autor previu críticas desse genero.

  • Responder Portuga

    Quero a parte 3 do lucas

  • Responder Rapaz curioso

    Meu telegram @Binhobill

  • Responder Daniel Coimbra

    Mas por favor, escreve a parte três de “Conquistando Lucas”. Espero ansioso por isso.

  • Responder Daniel Coimbra

    Começou bem. Parece que vem coisa muito boa por aí.