# #

Criei um monstro insaciável… e irresistível (parte 11)

3940 palavras | 11 |4.86
Por

Tadinho, e eu querendo ele só pra mim, kkk, nem sei se a Denize (a japonesinha com cara de boneca), tem pai.

Essa é a continuação, “Criei um monstro insaciável… e irresistível – parte 10

Oi como é excitante escrever pra vcs, não sei se me dá mais tesão lendo seus comentários; relembrando e escrevendo aqui; ou se é o Jr., Aninha ou a Say, abrindo minhas pernas me chupando enquanto escrevo, kkkk… acho que é por isso que como algumas letras das palavras, me desculpem, espero também não estar sendo cansativa, eu adoro os detalhes e fico pensando se vcs viajam neles como eu, quando leio relatos de outras pessoas, bjs. Vann obrigado (a), espero também que nunca falte nada pra vc e sua família, um dia quem sabe encontro ele em Valhalla e dou uma tranzadinha com o Thor aquele macho lindo e gostoso, kkkk.

Terminei a parte 10 assim:

“A Monstrinha e a Say ficaram fazendo carinho e dando beijinho na testa da Lê limpando o suor, o Jr. me puxou, para dentro daquele abraço gostoso, me deu um beijão com paixão, ninguém esquecia de ninguém dormimos todos ali, um agarrado ao outro, com muito amor e carinho e muito gozo.”

Tadinho, e eu querendo ele só pra mim, kkk, nem sei se a Denize (a japonesinha com cara de boneca), tem pai.

Sexta feira, eu e a Aninha descemos pra piscina, ela adorou ficar sendo comida com os olhos, a Lê e a Say foram sair, a Lê não quis me contar aonde estavam indo, ela é assim, faz as coisas, não dá satisfação, mas não fico preocupada, confio nela, o Jr. falou que iria depois, que tinha que ver uma coisa no computador, mas já estava de sunga e fiz jurar que ele ia…

“””Jr. me contando depois:

– Jr – Si, eu tava esperando a Denize, agente ia “conversar”, juro conversar mesmo, por isso não desci naquela hora, aí, a campainha toca, eu nem olhei achava que fosse a Denize, a mãe dela entrou me puxando pela mão, acho que o nome dela é YUKIMI.

– Yukimi – Eu vi que todo mundo saiu, que vc está sozinho.

– Jr – Me tascou um beijão, eu não sabia o que fazer, ela viu o volume na sunga, sentou no sofá…

– Yukimi – Eu fico ouvindo vc fudendo sua irmã com esse caralhão gostoso, vc andando na piscina com essa trolha saindo da sunga, tira logo essa porra, ela não esconde nada mesmo.

– Jr – Ela arrancou minha sunga e caiu de boca, foi tirando a roupa, eu nem tive tempo de falar, arreganhou a bucetinha toda peluda com pelos pretinhos e lisinhos, parecia que tinha penteado os pentelhos, era linda aquela bucetinha.

– Yukimi – Mete filho da puta picudo…

– Jr – Não teve jeito, caí de boca naquela bucetinha peludinha, fechadinha, mas ela puxou minha cabeça, olhou pra mim.

– Yukimi – Eu quero que vc me arrombe com esse pirocão, seu puto caralhudo…

– Jr – Si, mal tive tempo de colocar a camisinha, fui metendo, tive dificuldade, era muito apertada, eu falei (é muito apertada…).

– Yukimi – Pq não é usada, vai me arromba, tem pena não, vai fode caralhudo, pode me fuder, mete com força, aaaiii…, vai mete…, isso… fode… (me deu um tapa na cara), eu quero gozar caralho…, vai enfia tudo… (me mordia), sem pena…, vai gostoso picudo… vc fica só se exibindo, me fode caralho, isso…, mais forte.. aaaiii… goza porra, me enche… como é gostoso… isso… aaaiii… como é grosso, aháaaaa… (me agarrou com força) ahaaa…

– Jr – Despejei tudo dentro dela, ela me arranhou todo, chegou até me machucar, aqui ó, então quando sentei e ela começou a me beijar, segurando o Jr., beijar meu peito, ela mordeu meu mamilo… com força…, derrepente eu vi a Denize parada muda, sem reação, olhando pra gente, a mãe dela viu, pegou a roupa e saiu correndo, acho que ela saiu pelada daqui, a Denize veio, olhou pra mim segurando o Jr. [depois agente conversa], deu uma chupandinha nele todo melado, me deu um beijinho e foi embora.”””

Gente que merda foi essa, por isso que ele não desceu, então nos subimos, atrás dele. Na piscina tava cheia de gente, quero dizer, pais, muleques, só homem, até o síndico tava lá, não vi nenhuma mulher, talvez tinha alguma escondida, seu Carlos veio todo assanhado, (minhas lindas, guardei essas cadeiras pra vcs), [obrigado seu Carlos, vc é um amor], acho que todos os homens que não trabalhavam resolveram ir pra psicina, kkkk, (posso passar bronzeador em vc?), virei pra Aninha [precisa não, Aninha passa], se eu deixasse, acho que ia ter porrada por causa do bronzeador, homem é tudo igual, não pode ver uma fêmea gostosa, ficam todos uivando, kkkk.

Ficamos um tempo, se esquivando dos machos trogloditas, neandertais, que insistiam em nos dar atenção, aguinha, suquinho, virei pra Aninha, [acho que vão ter que trocar a agua da piscina hoje, fiz o movimento com a mão como tocando umazinha], Aninha deu uma rizada, ela tava adororando toda aquela bajulação, um monte de muleque dentro dágua olhando pra gente, não tinha bola, não tinha brincadeiras, era só vap vap, kkkk.

– Aninha – o Jr. não desceu… vamos lá ver o que houve…

Eu pensando, já sei o que houve, o Jr. deve tá ficando com a Denise. Subimos e vimos ele passando mercúrio nas marcas, aonde conseguia alcançar.

– Eu – Isso Jr. é uma Leoa no cio, se fosse Louva-a-deus ela ia comer sua cabeça, kkk.

A Denize mora no andar em cima da gente, nem me toquei que poderiam estar ouvindo tudo, mas foda-se, o negócio é ser feliz.

Ficamos cuidando do Jr., Aninha me chama na varanda, eu olhei em direção a piscina, kkkk, não tinha mais ninguém, só o guardião com a peneira na mão.

A Lê demorou a chegar com a Say, chegaram cheias de bolsas, sacolas, a Lê estava uma coisa, ela se mudou lá pra casa esses dias, mas não levou roupas, na mochila só tinha documentos e brinquedos eróticos, ela teve que pegar uma roupa minha, mas ela é do tamanho do Jr. então qualquer roupa ficava apertada nela, não tava nem aí, chortinho de lycra marcando o bucetão, blusinha que ficou baby look nela, mostrando seu pearcing no umbiguinho e ainda conseguiu convencer a Say de sair andrógeno, foi de unha pintada e tudo.

A Say estava toda alegre, ganhou um guarda roupa todo novo, tinha de tudo, calcinhas, sutiãs, biquines, sandalinhas, bijous, tiaras, furou até as orelhas e ganhou brincos de ouro coraçãozinho, a Aninha ficou maravilhada com tudo que a Say mostrava.

– Say – Ela me levou numa loja que tinha quase tudo, a moça olhou pra mim (o que vai querer levar pra essa mocinha linda hoje), ela não percebeu que eu era menino, a Lê virou pra venderora e falou: [Vc já aquele filme “uma linda mulher” da Julia Roberts, (já), então, essa minha Deuza, é a Julia Roberts, fecha a loja, eu vou levar tudo que ela quiser levar].

As vendedoras entenderam tudo e fizeram minha irmãzinha se sentir uma verdadeira e linda mulher, todas as vendedoras deram atenção a ela, adorou tudo, trouxe presentes pra todos, a Lê, ela tem mesada boa em um cartão de crédito, a família não é rica, mas vive muito bem, tem até casa com piscina.

– Say – Quando a Michelle, (que michelle, Say?), deixa eu falar, Michelle é a vendedora chefe, quando ela viu minha piroquinha, (ai que linda), tirou toda minha roupa no provador e começou me vestir com um monte de roupinhas lindas, a Lê gostou de todas. Adorei todas as vendedoras, a Lê falou que eu era noivinha dela e trouxe isso.

Era uma fantasia de noivinha sexy, com véu e tudo, essa loja e só de roupas femininas, lingeries e sexshop.

– Say – Essa aqui é pra vc (quando eu abri era um plug igualzinho ao outro só que maior, mais grosso, com um coraçãozinho verde), a Lê falou que o outro era pequeno demais pro seu cuzinho. Esse aqui é pro Jr. (uma sunguinha com uma tromba de elefante, ele morreu de rir), esse aqui é da Lê (uma roupinha tipo fraque com gravatinha borboleta), Aninha esse é pra vc. (uma outra roupinha de noivinha sexy só que rosinha).

– Aninha – Ai, eu também sou noivinha.

– Lê – Claro, vcs duas são minhas noivinhas, eu amo as duas.

Eu fiquei preocupada, eu sei que isso tudo custa caro, mas ela nem me olhou quando questionei, ela só tinha olhos para a felicidade das duas, ainda trouxe um remédio climene, de reposição hormonal, para Say.

– Lê – Esse aqui é pra ela começar a mudar o corpinho, mas tem que levar ela no médico.

Tirou um pacote com um quadro com a correntinha da mamãe, “família sempre unida” e tinha uma plaquinha penturada em baixo do coraçãozinho “LÊ”, e colocou em cima do rack na sala. Não tinha mais jeito a Lê nos adotou como sua família.

Nos preparamos então pro casamento entre as tres, eu e o Jr. de testumunhas, coloquei até marcha para a entrada delas, Lê de fraque sex só de pearcing e mais nada, eu só com meu novo PLUG coraçãozinho e minha bucetinha encharcada, noossaaa, realmente o outro plug eu não sentia nada, kkkk, o meu “trombudo” com a sunguinha, a tromba ficou apertada, kkk. As noivinhas fizeram a entrada radiante, emocionadas, quando chegaram, a Lê que não se aguentava mais de exitação, (virou pra elas, vcs me aceitam a ser pra sempre da sua família?) [Sim, sim], beijou as noivinhas.

– Lê – Pronto acabou o casamento, agora lua de mel, vamos, kkkk.

As noivinhas sairam correndo pra cama a Lê correu atrás e nós também, todo mundo pra cama da mamãe, foi uma farra.

– Jr – Lê me empresta essa noivinha, que estou com saudades, dessa xerequinha.

A Monstrinha ficou toda assanhada.

– Aninha – Jr. hoje vc vai colocar ele todo?

– Eu – Ai Monstrinha, deixa eu explicar o canal vaginal da gente (canal o quê?), cala a boca monstrinha, a nossa bucetinha é pequenininha, ela não cabe isso tudo, quando agente ta com muito tesão (eu…), ai…, entra mais, pode até entrar tudo, mas pode machucar muito.

– Aninha – Mas em vc entrou tudo…

– Eu – É, mas doeu, e sou maior que vc, já tranzei mais vezes, então vai com calma. Ele vai te fuder, mas não vai te machucar.

– Aninha – Tá bom, Jr. me come igual a Lê está comendo a Say, eu quero sentar no seu colo.

Essa Monstrinha tem uma fome de sexo, enquanto a Lê tava comendo a Say com ela no colo e se amando, mas a Say já veio amaciada pra nós, difícil é fazer a Monstrinha entender isso, a taradinha foi pra cima do Jr. não deixou nem agente nem dar uma lubrificada, ela foi sentando gostoso, aquela bucetinha se abria com vontade, a xerequinha dela mastigava o pauzão do Jr. (ai…, é bom, eu te amo Jr.), e foi entrando foi se abrindo cada vez mais (tá grosso…), o Jr. que estava com ela no colo tentou segurar pra ela não descer mais, (ai… ai…), ela tentou pular, mais a pica não deixava (ainda falta muito? ai…ai…), o Jr. levantou ela no ar [vou te comer igual sua irmã, quer?] (ahãmmm), encostou ela na parede, pra ele, ela é uma pluma, começou a fuder e ela fez igualzinho a Say, se pendurou no pescoço Jr. e ele fudendo mesmo, só que sem colocar tudo, não dava mesmo e ia machucar.

– Aninha – (de olhos fechados) Vai caralhudo… (ela nunca tinha falado assim, achamos que estava nos imitando), vai Jr. enfia, vai…, eu aguento… mete tudo… isso… como é gostoso, isso… me arromba… mete isso…, ahaaa…. ahaaa…

Começou a temer as perninhas, se debatendo, se contraindo toda, nossa que lindo, que orgasmo arrebatador. Ele parou ficou injetando nela, a pórra caia da bucetinha, sentou na cama com ela no colo, ela quase desmaiada, ficou um tempinho, ela olhou nos olhos dele, beijou, levantou um pouquinho, pensamos que ia sair, apontou no cuzinho e deixou cair o peso, [AAAAIIIII….], não deu tempo de segurar nem de abafar o grito, ela desmaiou no colo do Jr. o sangue escorreu, não entrou tudo, mas entrou muito, o Jr. sentindo a pressão no grosso, não conseguia amolecer ele e tirar, pra não machucar, deitou na cama, com ela por cima desmaiada.

– Jr – Si, faz aquele negócio da pros..post… aquele negocio no meu cuzinho, igual lá no banheiro.

Eu entendi, sabia que a pressão do cuzinho guloso, não ia deixar o pau amolecer, mesmo já tendo gozado, meti o dedo, comecei a massagear a próstata dele, ele logo urrou (ahhhaaa…), começou a gozar dentro daquele cuzinho, aí sim, começou a amolecer, mas não podia mexer muito pro Jr. não inchar denovo, até que saiu naturalmente, pegamos a Aninha fomos direto pro banheiro, fiquei com medo de ter que levar no médico pra dar ponto e como é que eu ia explicar isso, mas graças a Zeus, machucou rompeu as preguinhas, mas parou de sangrar, lógico, todo mundo ficou aflito, mas deu tudo certo.

Quando a Aninha acordou, começou chorar fininho, (tá doendo…), é, mas não ia brigar com ela naquele momento.

– Eu – É Monstrinha, eu sei, mas vai passar tá? nunca mais faça isso, tá bom? (tá…)

Ufa, o sufoco passou, vai ficar dolorida, mas aprender a obedecer, conhecer os seus limites e ouvir mais agente, a Lê pegou sua noivinha no colo, ficou fazendo carinho, a Say com um paninho com gelo no cuzinho da Aninha, agente super preocupado, quando a campainha toca, achei estranho, denovo a noite e não era o interfone, joguei uma camisola comportada por cima, fui olhar, era a Denize, abri ela estava com roupão japonês, Jr. veio ver quem era.

– Denize – (abriu o roupão peladinha) Eu vim ficar com o Jr.

O Jr. que mesmo com o ocorrido, o pirocão começou a dar sinais, afinal ele tava doido pra comer a japonezinha, ela é linda, parecia uma bonequinha de porcelana, cabelos compridos até a bunda lisos, bundinha redondinha, peitinhos bem pequenos, quase igual da Say, bucetinha carnuda com pentelhos lisos grossos e longos, ela tem pelinhos lisinhos e longos nos braços, é realmente linda e muito safadinha.

Bom, eu tinha que dar atenção para Aninha, (quem tá aí?) [eu: a Denize veio falar com Jr], ela tentou levantar, mas tava muito dolorida deu um grito, a Denize ouviu e foi entrando, viu toda aquela comoção, explicamos.

– Denize – Eu sei que vcs tranzam, eu fico molhadinha ouvindo vcs, desde o churrasco eu quero ficar com o Jr., a minha mãe ficou doida, eu conversei com ela, papai nunca está, fica mais lá no Japão do que aqui, é a mamãe que cuida da gente (ela tem um irmão mais velho emo), ela sabe que não sou mais virgem e quero ficar com o Jr., ela brigou comigo, pq agente tem que casar com quem o pai escolhe, eu falei que não queria, que queria dar muito, que queria dar pro pirocão do Jr., mamãe duvidou que fosse grande, aí eu fiz com a mão o tamanho, mamãe ficou me olhando, me xingou de puta e me botou de castigo, depois eu vi ela aqui com o Jr., ela está com vergonha do que fez.

Bom nessa noite achava que não tinha clima pra mais nada, mas a Denize ficou lá com a gente, ela é muito legal, mamãe ia chegar sábado, não sabia que horas, arrumou a casa junto com agente, preparou um macarrão pra todos, pensei: seria mais uma irmãzinha pra gente? mais uma pro harém do Jr.?, dei uma rizadinha com meus pensamentos.

– Eu – É Jr. olha em volta! (ele não entendeu), vc é nosso sheik, somos seu harém…

Dei um beijo nele e falando nisso, o zap dele, titia “quero que vc venha passar o fim de semana com a titia, vou mandar o motorista te pegar amanhã cedo, traga sunga de piscina, bjs titia”.

– Jr – Olha a titia chamou agente pra ir pra casa dela fim de semana…

– Eu – Não Jr., ela chamou vc, pra ir passar o fim de semana com ela.

Ela não perguntou, não nos convidou, ela só queria o Jr. ou melhor o pirocão dele. Ele ficou feliz e triste junto, ele queria ficar com a Denize e com agente, mas a titia ajuda muito agente com dinheiro, ele não queria ir.

– Eu – Jr. vc sabe o que ela quer, ela ajuda muito aqui em casa (eu sei…), vai lá, arrebenta aquela buceta dela, deixa ela usando cadeira de rodas, seja macho, se ela vier com negócio de sado e vc não quiser (claro que não…), então diga não, e não recua, fica firme, mostra que vc é o macho dela, mostra quem manda.

A Denize, ficou olhando, tenho certeza que nesse momento ela percebeu, que o Jr. nunca ia ser só dela. Mas não se importou muito. Chamou o Jr. pra sala, e começou a beijar ele.

– Denize – Sei que vc não está no clima, deixa eu fazer uma massagem pra vc relaxar.

“”Jr. me contando:

– Jr – Si, ela é uma delícia e tão safadinha, começou a massagear meus pés, ela já tinha preparado água quente com sal grosso e canela, Si, eu vou fazer isso em vc depois, nossa como é bom, deixou meus pés um pouquinho de molho, ficou fazendo massagem neles, eu deitado, eu ainda tava pelado né e sujo, ela pegou uma toalhinha lá no varal, começou a me limpar, passou um creme nos meus pés, nas minhas pernas, o Jr. tava muito duro já, Si, ela abriu o roupão dela, só pra eu ver ela peladinha, eu ia puxar ela (psiu, fica quietinho aí…), nossa, massageava minhas pernas, foi me beijando, meus pés, minhas pernas, minha virilha, Si, ela fez igualzinho vc me ensinou, achei que ela ia colocar a boca, mas não fez, ela só pegou nele, limpou todo, deu uma cheiradinha, passou creme, eu tava quase gozando sem agente tranzar, tava muito duro, deu beijinho nele e continuou beijando meu corpo, fiquei cheio de marquinhas de batom, nooosssaaa, estava muito gostoso, chegou cheirou meu cangote, me beijou na boca, segurou com a mão o Jr., e sentou em cima, muito gostosa, foi descendo até entrar tudo e ficou rebolando devargazinho, ela não me deixava tocar nela, Denize fazia tudo, dava umas gemidinhas gostosas, deitou no meu peito, com o Jr. dentro, rebolava, senti o bucetinha dela me morder, gostoso demais, ela sentou, entrou mais fundo (ahhhaa….), senti ela gozar, ela tava curtindo, olhou pra mim (seu pau é muito gostoso, vc é muito gostoso), me beijou, levantou um pouquinho (vai gostoso, pode me comer), eu não consegui fazer muita coisa, Si, eu dei tres bombadas e gozei pra caralho, Si, que gozada gostosa, ela deitou por cima de mim e dormimos ali mesmo, com o Jr. dentro, gostoso demais.””

– Eu – É eu vi.

Morrendo de ciumes, eu tive que botar ela pra casa, ela veio e me deu um selinho…

– Denize – Seu irmão é muito gostoso, deixa ele curtir a tia dele, depois ele volta pra gente.

Pra gente? garota abusada, kkkk, mau chegou já está se incluindo na família, no harém, olhei pro Jr. ele estava olhando pro céu, nas nuvens, chamei a Lê pra ver, já que as outras duas estavam nos braços de morpheu, a Lê ficou abismada, ele nem percebeu que recolhemos a bacia.

– Eu – Jr., Jr., juuuuuunnnniiiiooorrr, vai tomar banho dormir mais um pouquinho, cedinho o motorista da titia, taí.

Pela manhã cedinho, nada de sacanagem, mamãe ligou avisando que já estava chegando, acho que pra dar tempo da gente limpar a bagunça, Aninha ainda tava dolorida, pegamos as roupas de machinho da Say e colocamos numa mala, arrumamos todo o novo guarda roupa, a Lê foi aprontar a Say e a Aninha, vestiu nelas vestidinhos de primavera florido quase iguais, elas ficaram quase identicas, lindas. O Jr. foi cedo com o motorista. Eu estava tão nervosa, da reação da mamãe, e a Lê ia embora.

– Eu – Lê, ta vendo aquele quadrinho ali, ta vendo a plaquinha, vc é da familia agora, não tem mais jeito, está casada com a gente.

Ela me agarrou me deu um beijão e fomos tomar café. Incensos acesos, toda aquela sacanagem, deixou empregnado o nosso cheirinho na casa, agente já tinha até acostumado. Mamãe chegou.

Entrou sentou no sofá e fui beija-la, agarrei (eu: que saudade).

– Katherine – Ai, eu também, adoro o cheirinho da minha casa, cade todo mundo? (a Lê apareceu), Letícia né, foi sua voz que eu ouvi no zap, né (sim), obrigado por ficar fazendo companhia aos meu filhos, tenho certeza que vc ajudou muito, Jr., Aninha, Claudinho, vem dar um cheiro na mãe, (o Jr. foi pra casa da titia), o que? sozinho? (não o motorista veio buscar), tá, depois vou ligar pra ela, não gostei não, Aninha, Claudinho, cadê meu beijo.

Aparecem elas duas quase idênticas, lindas, Aninha correu no colo da mãe, beijou com saudades, a Say ficou parada, todos nós olhando pra ela.

– Katherine – ClaudinhA, cadê meu beijo lindinha…

A Say saiu correndo e foi pro colo da mãe, deu vários beijos, eu a Lê em pé olhando, esperando a reação da mamãe, olhou pra mim, (obrigada, bem baixinho).

– Katherine – Deixa eu ver vcs duas, nossa vcs estão lindas, adorei seu vestido Claudinha.

– Aninha – Mãe, o nome dela é Say, agora.

– Katherine – Não lindinha o nome dela é Claudia, Say? é isso? esse é o apelido. Mas não tem problema, vc está muito linda, minhas duas bonequinhas, meus anjinhos, vamos pras compras.

– Lê – Tia, não precisa, já está tudo resolvido, só precisa ir ao médico, as duas vão precisar de ginecologista. As duas já são mocinhas.

A mamãe viu o quadro do cordão da família com a plaquinha Lê, ela olhou pra Lê, abraçou, bem vinda a família, eu ganhei duas filhas lindas hoje e deu um beijão de lingua na Lê.

– Aninha – Vem mãe, vem ver as roupinhas novas da Say, e foram pro quarto.

– Lê – (abismada, olhou pra mim) Si, estou apaixonada denovo…

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,86 de 14 votos)

Por # #

11 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Bruno

    Tenho 14 anos. Telegram: @Brunin

  • Responder João

    Estou a adorar tudo, espero que continues. Mal posso esperar para o próximo

  • Responder Ribeiro

    Quem dera ser o Jr….que cara de sorte!!!

  • Responder PAU_lo

    Por favor Minh Deusa. Não demore mto p postar a continuacao❤

  • Responder PAU_lo

    Ansioso pale continuação, agora com a mamãe. Bjs Deusa

  • Responder PAU_lo

    Parabéns Simone. Ótimo conto como sempre, estou ansioso pela continuação. Bjs Deusa

  • Responder Ebannus

    Muito bom Simone…
    Grato por todo esse prazer compartilhado.

  • Responder Ramon8

    Segundo o narrador só eu e você ainda não tranzou com a família

  • Responder DEXTER

    Todo mundo que aparece na história transa com eles no próximo capítulo o motorista com o Jr

  • Responder Ted

    Ja ta ficando chato

  • Responder Jotô

    Nossa que tezão