# # #

Meus Meninos 9

8217 palavras | 24 |4.54
Por

Depois de nos separarmos de Jonathan, descemos até o terminal de desembarque para a área de retirada da bagagem. Notei que Felipe estava andando animado, sem dúvida, efeito do que havia acontecido no banheiro do avião algum tempo antes. Eu tinha que admitir que me sentia um pouco exausto por bater punheta e explodir num orgasmo ouvindo meu filho sendo lavrado no banheiro ao meu lado.
Quando saímos pelo portão, fomos recebidos pelo aglomerado habitual de famílias e motoristas esperando seus entes queridos e clientes chegarem no terminal. Foi então que notei um dos motoristas segurando uma placa com Paulo Bianchi impresso.
– Eu não me lembro deles terem conversando sobre algum motorista. – Refleti comigo mesmo. Felipe seguia atrás de mim enquanto eu caminhava através da multidão para o homem nordestino segurando o cartaz. Ele estava bem vestido de terno, gravata e quepe, parecia muito profissional.
– Você está procurando Paulo Bianchi? – Eu disse ao motorista. Ele sorriu e estendeu a mão enquanto eu a apertava.
– Sim, Sr. Bianchi? Meu nome é Cícero dos Anjos, mas todos me chamam de Anjo, e estou aqui para levá-lo às suas acomodações a pedido do Sr. Gonzalez. – Sorriu o belo homem. – Ele deseja que você e seu filho sejam bem-vindos a Fortaleza, – O motorista também sorriu para Felipe e apertou a mão do meu filho. – O Sr. Gonzalez lamenta, mas teve uma reunião de emergência na Espanha e só deve retornar em dois dias, então a reunião de vocês foi adiada até lá. Como um pedido de desculpa ele me colocou a disposição de vocês nesse período e ficará responsável por todas as despesas.
– Ele espera que vocês desfrutem da estada na cidade. – Ele disse para o meu garoto, em seguida, redirecionou sua atenção de volta para mim.
– Siga-me até a área de bagagem e nós pegaremos sua bagagem Sr. Bianchi, então levarei você e seu filho ao resort. – Cícero apontou para a área de retirada da bagagem. O sotaque dele era bem acentuado, ele não era necessariamente bonito, mas havia um certo charme, tinha a pele morena, moderadamente bronzeada, cabelos curtos e pretos assim como os olhos e a barba.
Nós três nos reunimos com os outros passageiros cansados do nosso voo em torno do retorno da área designado, aguardando a máquina começar funcionar e as malas virem trazidas pela esteira. Cícero ficou ao meu lado enquanto conversávamos, esperando que as malas aparecessem. Como foi o voo, como era viver em Fortaleza, conversa fiada. Felipe estava parado no outro lado de Cícero escutando nossa conversa. Anjo então olhou para Felipe parado ao lado dele.
– Você tem um bom bronzeado, menino, parece que gosta muito de pegar sol. – Cícero disse para Felipe. – Primeira vez no Ceará?
– Sim, essa é a minha primeira vez aqui. – Felipe respondeu.
– Não se preocupe, o resort tem piscina e tem acesso à praia também. Tenho certeza de que sua primeira viagem a Fortaleza será memorável. – Disse Cícero com um sorriso caloroso.
De repente, a esteira começou a se mover e as bagagens começaram a deslizar para fora da calha. Cícero e eu fomos até a lá e pegamos nossas malas quando elas apareceram. Depois de reunir todas as nossas malas em um carrinho de bagagem saímos do terminal.
– Eu já volto com o carro, Sr. Bianchi. – Cícero rapidamente caminhou em direção ao estacionamento. O ar estava agradável e quente, com uma leve sensação de umidade trazida pela brisa. O tempo estava realmente perfeito para nesta época do ano.
Depois de alguns minutos, um impressionante Rolls Royce preto parou na nossa frente. Cícero saiu e deu a volta no automóvel e abriu a porta para entrarmos.
– Este é o carro? – Afirmei um pouco impressionado com o tratamento.
– Ah, sim, Sr. Bianchi. O Sr. Gonzalez quer que seus futuros parceiros de negócios sejam tratados da melhor maneira possível. – Cícero me disse e sorriu para Felipe, que também parecia estar impressionado. O motorista então levou o carrinho de bagagem para trás e carregou nossa bagagem no porta-malas. Felipe e eu entramos na parte de trás do carro que era grande e espaçoso, todo recoberto em couro costurado a mão. Muito elegante. Anjo caminhou até nós depois de fechar o porta-malas.
– Se estiver tudo certo Sr. Bianchi, agora irei levá-los ao resort. – Anjo disse com um sorriso amigável.
Então seguimos viagem, o Lipe logo adormeceu, o dia realmente havia começado de forma intensa para nós, principalmente para ele, meu garoto estava exausto. Eu acariciava seus cabelos lisos enquanto observava a paisagens. Percebi que também estava muito cansado e levaria um tempo até chegarmos ao nosso destino, decidi tirar um cochilo, a viseira que separava o motorista da parte de trás estava fechada então teria um pouco de privacidade.
Eu me senti completamente relaxado, mas exausto depois daquela incrível ejaculação no banheiro do avião. O zumbido baixo dos pneus dirigindo pela rua misturado com os sons da respiração do meu filho me fizeram cochilar em pouco tempo. Eu nem sequer me incomodei com meu pau ficando duro em minhas calças com o hálito de Felipe estando ali próximo, enquanto ele tinha um bom sono.
Minha mente se encheu de uma imagem de Luiz e Felipe se tocando em nossa piscina no quintal, enquanto Jamal estava sentado na hidromassagem do spa. Eles sorriram para o haitiano enquanto eles saiam da piscina nus e animados e caminhavam até ele. Meus pequenos tesouros juntos, abrindo caminho até o spa, onde Jamal estava sentado, recarregando a Serpente.
– É isso mesmo, meus meninos vêm aqui para o papai. – Disse Jamal com luxúria enquanto Felipe e Luiz adentravam no spa em ambos os lados de seu corpo em brilho de ébano.
Jamal entregou a Serpente primeiro a Luiz, que levou a mangueira até a boca e deu um grande trago, antes de devolve-lo a Jamal, que o entregou a Felipe, que também deu um trago maciço. Enquanto Felipe estava sendo atingido pelos efeitos do conteúdo do bongo, Luiz se inclinou para Jamal e começou a compartilhar seu prazer com seu novo pai. Depois que ele compartilhou com seu pai, Luiz se afastou e viu Jamal soprar a fumaça pelos lábios.
Jamal se inclinou enquanto Felipe se esticava para compartilhar de sua fumaça com o homem negro que exercia um papel parental para ele. Os dois logo se envolveram em um beijo apaixonado, enquanto Luiz inclinava-se e começava a chupar os mamilos de Jamal, brincando com a língua ao redor da aréola. Jamal estendeu a mão com um de seus braços musculosos e segurou a cabeça de Luiz firmemente contra seu peito poderoso. Finalmente Felipe se afastou de seu beijo e sorriu com adoração ao seu papai negro.
Soltando Luiz de seus dedos, Jamal saiu do spa e sentou-se na beira do convés. Meus dois filhos se entreolharam e sorriram. Eles se ajoelharam na frente dele e se inclinaram para começar a agradar seu novo papai estimulando sua tora de carne de ébano grossa de 20 cm. Eles alternavam entre um chupando a grande cabeça roxa de Jamal, lambendo e chupando de cima a baixo em seu belo mastro cheio de veias, enquanto o outro brincava com as bolas pesadas e carregadas.
Finalmente meus meninos se afastaram do pau agora brilhante e lambuzado do Jamal. Luiz saiu do spa e montou no corpo de Jamal, posicionou sua bunda redonda sobre a cabeça bulbosa do pau de Jamal. Luiz se abaixou sobre o pau grosso enquanto Jamal espalhava seus lábios pelo pescoço de Luiz, meu garoto deslizava pela pica até que ele estivesse sentindo e se esfregando contra os pubes grossos encaracolados que cercavam a base do membro grosso e suculento de Jamal.
Meu filho mais velho gemia de prazer quando estava cheio da rola do papai. Uma vez montado, Felipe subiu de frente para o irmão mais velho e rapidamente deslizou sobre o pau de doze anos de Luiz. Eles começaram rapidamente se beijando enquanto Jamal fodia Luiz que por sua vez Luiz metia no cuzinho do seu irmãozinho de oito anos. Jamal passou os braços em volta de meus dois garotos em um abraço, desfrutando da sensação de meu filho dando e recebendo prazer no colo dele.
De repente, os três estavam cercados por Fernando e Gabriel e todo o resto dos meninos no bairro. Eles estavam todos fodendo e chupando uns aos outros. Irmãos mais velhos estavam deflorando seus irmãos mais novos, enquanto outros meninos do bairro estavam fodendo entre si. A voz de putinha afeminada do Biel gritou implorando para Fernando meter nele com mais força, o que levou os outros garotos a gemerem e implorarem também para seus irmãos e amigos socarem as picas com mais vontade.
– Está certo, meus filhos! Fodam-se! Compartilhem-se! – Jamal clamou para todos os garotos que estavam a seu redor enquanto ele continuava loucamente fodendo com meus filhos nos braços dele.
De repente, todos os meninos do bairro estavam cercados por um número igual de homens negros bem dotados e bonitos. Todos começaram a montar os garotos da vizinhança e em pouco tempo todos os meninos estavam sendo fodidos pelos homens negros bem dotados. Os meninos pareciam implorar para serem usados para o prazer dos homens mais velhos.
– Isso mesmo, manos, aproveitem nossos filhos. – Jamal sorriu enquanto se preparava para atirar sua carga profundamente no meu filho mais velho, que também parecia pronto para plantar sua semente profundamente dentro do meu caçula. – Em breve, seus pais, tios e primos compartilharão suas porras com todos vocês! – Gemeu Jamal quando ele começou a se aproximar mais e mais perto de gozar.
– Fodam comigo, irmãos! – Gritou Jamal quando ele intensificou sua estocada em Luiz e Felipe. Os outros homens negros fizeram o mesmo quando começaram a foder rápido seus longos paus duros em todos os meninos menores de idade em torno da piscina. Os sons de homens e meninos gemendo sem receio encheram o ar enquanto a trepada se intensificava.
– PORRA! PORRA! PORRA! – Jamal gritava enquanto ele metia em meus meninos e os outros homens seguiam o exemplo. – TÔ GOZANDO AAAAAAGH!
– Estaremos no resort em breve, Sr. Bianchi. – Ouvi Cícero dizer do outro lado o interfone, eu acordei com um sobressalto, meu pau duro como uma pedra novamente. Eu estava meio atordoado. Felipe ainda estava no mesmo estado aninhado no meu colo desde que entramos no carro.
Apenas alguns minutos depois o carro não estava mais se movendo. Acho que estávamos parados em um estacionamento. Estávamos em frente ao que parecia ser um ótimo hotel boutique de ponta situado à direita na praia. Então eu percebi que depois de um tempo ainda estava sentado na parte de trás do Rolls Royce.
Meu pau estava duro com o sonho, diferente dos demais sonhos que tive com esse tema, esse não me assombrou, pelo contrário, eu estava me abrindo pra esse universo e isso me excitava. Eu olhei pela janela e notei copas de palmeiras, o céu azul, o sol estava em seu ápice e pássaros voando.
– Chegamos, Sr. Bianchi. – Cícero disse parado ao lado quando ele abriu a porta para nos deixar sair. Acordei Felipe com um leve balançar, ele logo despertou se espreguiçando, seu cabelo parecia um pouco desgrenhado. Lipe sorriu com um olhar satisfeito em seu rosto. Felipe e eu sorrimos um para o outro, sabendo o que nós dois o que queríamos.
– Você tem um garoto muito especial, Sr. Bianchi. – Cícero disse com um sorriso enquanto eu baguncei ainda mais os cabelos do Felipe.
– Sim ele é. – Eu disse com um sorriso e com uma sensação de orgulho encontrado novamente.
– Bem-vindos ao Archipelagos. – Disse um rapaz vestindo um uniforme de paquete apropriado. Atrás dele, ele estava puxando um carrinho de bagagem de latão brilhante atrás dele.
– Eu cuidarei da sua bagagem, senhor. – Continuou o jovem mensageiro, ele seguiu o motorista após uma aprovação sutil, em seguida, dirigiu-se a o porta-malas do carro com seu carrinho de bagagem.
Enquanto o mensageiro se ocupava em recolher nossa bagagem, fizemos nosso caminho até dentro do lobby do luxuoso hotel para fazer o check-in. As acomodações do hotel foram reservadas pelo meu possivel novo investidor, o Sr. Gonzalez, então eu não sabia o que esperar. Mas pelo que pude ver ao longe pelos vários carros esportivos estacionados em frente ao manobrista, este lugar era definitivamente um lugar luxuoso para se ficar.
– Bem-vindos ao Archipelagos. – Disse o recepcionista elegantemente vestido conforme nós nos aproximamos da recepção.
– Este é o Sr. Bianchi e seu filho fazendo check-in. Eles são convidados do Sr. Gonzalez. – Cícero disse com um sorriso para o recepcionista do hotel. Assim que Cícero mencionou o nome de seu chefe, o funcionário do hotel retomou a atenção e tornou-se ainda mais atento a nós.
– Ah, sim, Sr. Bianchi. Está tudo pronto para sua estadia. Vejo que você e seu filho estão hospedados em um dos bangalôs da Villa Plateau. – O funcionário do hotel puxou um mapa do resort e destacou onde as vilas estavam localizadas.
– As três villas estão localizadas aqui e cada uma possui sua própria piscina privada. No caso da villa em que vocês estão somente os três bangalôs têm acesso a essa piscina. Os hóspedes regulares do hotel têm outra piscina localizada aqui. – O funcionário do hotel apontou para a piscina do outro lado do complexo.
– O Sr. Gonzalez alugou as três vilas para o fim de semana, então os outros dois bangalôs também estão com hóspedes do Sr. Gonzalez. O concierge irá mostrar-lhe suas acomodações para que possam se estabelecer. – O recepcionista do hotel disse enquanto entregava as chaves ao concierge.
– Se vocês estiverem prontos, por favor, sigam-me e eu mostrarei seus aposentos. – Disse o funcionário seguido por um carregador com nossa bagagem.
– Se precisarem de mim aqui está o meu telefone, podem me ligar a qualquer momento enquanto estiverem aqui e virei atendê-los, Sr. Bianchi. – Cícero me disse entregando um cartão com seu nome e número, então apertamos as mãos antes dele partir.
O dia ainda mal tinha começado, mas já se mostrou um longo dia enquanto nós dois nos arrastamos trás do carregador, os seguíamos pelo corredor. Em seguida, saímos da área construída para um jardim encantador e exuberante. Nos aproximamos de uma casa de estilo mediterrâneo, o concierge abriu rapidamente a porta da frente. Acho que Felipe e eu ficamos admirados quando entramos nesse lindo bangalô. Parecia uma casa super aconchegante de alguém.
– Bem-vindos à Villa Plateau. – Disse o concierge enquanto o carregador puxava o carrinho de bagagem para o lado. – Deixe-me apresentar o ambiente a vocês. – O concierge continuou enquanto procedeu a nos dar o tour completo do bangalô espaçoso. – O andar térreo tem a sala de estar, uma cozinha completa e lavabo.
– Vocês têm acesso completo à internet e ao wi-fi. – Ao seguirmos o funcionário pela sala de estar. – Vocês também podem ver assistir em qualquer tela plana das acomodações. – Ele continuou quando paramos perante as grandes portas de vidro deslizantes na parte de trás da sala. O rapaz abriu uma das grandes portas de vidro revelando uma grande piscina linda cercada por espreguiçadeiras e mesas assim como outras duas construções semelhantes ao estilo mediterrâneo, a luz do sol estava fazendo a água parecer tão convidativa.
– A piscina está sempre aberta e apenas as três locações ao redor têm acesso a ela. Há toalhas de praia no armário do banheiro térreo caso vocês queiram nadar. – O concierge fez o seu caminho de volta à porta da frente onde o carregador aguardava ao lado do carrinho de bagagem. Agarrando nossas malas, os funcionários começaram a subir as escadas.
Seguimos eles escada acima, deixando nossa bagagem em cada quarto enquanto continuamos o passeio pelos dois quartos grandes no segundo piso. Ambos os quartos tinham excelentes vistas para a área da piscina. Os quartos também compartilhavam um banheiro muito grande com um chuveiro envidraçado que poderia facilmente acomodar várias pessoas. O banheiro também tinha um bidê ao lado do vaso sanitário. Felipe notou imediatamente a peça.
– Para que é isso? – Felipe disse com um olhar engraçado no rosto enquanto ele apontava para a tigela de cerâmica de forma estranha.
– É chamado de bidê, é para lavar as áreas intimas após usar o banheiro, meu filho. – Eu disse compartilhando um sorriso com o concierge.
– Ah tá bom. – Felipe respondeu calmamente, seu rosto corando quando ele desviou o olhar timidamente da nova engenhoca.
– Se vocês tiverem alguma dúvida, entrem em contato com a recepção e eu ficarei feliz ajuda-los. – O funcionário disse com um sorriso enquanto olhava para Felipe.
Percebi então que Felipe estava começando a encarar um pouco o concierge. Felipe tinha acabado de ser fodido a menos de 2 horas atrás, mas ele parecia que poderia dar mais uma rodada com o bonito rapaz cearense flertando assim.
– Muito obrigado por nos apresentar tudo… – Eu disse enquanto entregava ele uma nota de 50 reais e olhava para seu crachá. – … Gaspar. Também entreguei uma para o carregador.
– Sempre um prazer, senhor. – Gaspar disse com um sorriso enquanto colocava a nota no bolso dele. – Se precisar de algo, basta ligar para a recepção. – Enquanto Gaspar corajosamente ajustou sua virilha na minha frente e do Felipe com um sorriso. Eles então se viraram e desceram as escadas e saíram pela porta.
Não tão surpreendentemente, Felipe estava duro novamente. Tenho certeza de que as engrenagens em sua mente estavam voltando-se para o que ele queria fazer com nosso concierge, Gaspar. Logo o cansaço o alcançou e ele parecia muito sonolento.
– Você precisa se deitar agora? – Eu perguntei ao meu garoto cansado. Ele respondeu baixinho. – Sim…
Guiei-o para um dos quartos e puxei as cobertas da cama, ele rapidamente tirou as roupas e se arrastou para a cama peladinho. Ele caiu no sono em menos de 1 minuto.
– Gostaria de poder dormir tão rápido. – Eu pensei comigo mesmo enquanto observava ele por alguns momentos. Então eu me inclinei e beijei sua cabeça, desci as escadas e me preparei uma bebida no bar totalmente abastecido ao lado da cozinha. Eu então caí no sofá e finalmente relaxei. Eu sorvei lentamente meu copo de uísque enquanto repassava os momentos do dia.
– Que dia. – Eu pensei enquanto lentamente cochilava.
Acordei no fim do entardecer e me dei conta que mal havíamos comido nada, acordei o Lipe para nos prepararmos para ir jantar, liguei para o Cícero. O hotel parecia ainda mais lindo quando as luzes começaram a se acender, o contraste das paredes alvas com o pôr-do-sol era encantador. Logo o motorista chegou e nos dirigimos para um restaurante, o Lipe usava uma camiseta de linho azul e uma bermuda de sarja, os cabelos bem penteados, ele era uma criança bonita naturalmente e quando ele se arrumava isso ficava mais evidente.
O jantar foi maravilhoso, Felipe estava faminto e comeu tudo o que tinha direito. Na volta ao hotel, ele sentou-se na frente com o Cícero para escutar música e apreciar a paisagem. As luzes da cidade iluminavam seu olhar, acentuando seu sorriso, ao passarmos pela orla Lipe comentava animado com o motorista sobre as pessoas passeando e os pontos turísticos.
No outro dia acordamos tarde, o céu estava bem azul, o sol radiante, a brisa soprando não deixando o dia abafado, logo pedimos o serviço de quarto, tomamos o café da manhã juntos na mesa, demos risadas, conversamos, nós tivemos poucos momentos assim nos últimos tempos. No começo eu realmente havia ficado com raiva pelo adiamento repentino da reunião, mas talvez essa fosse exatamente a oportunidade que eu precisava para me reaproximar do meu filho, afinal foi por isso que eu o havia trazido.
Depois de descansarmos decidimos usar a piscina e aproveitar o dia lindo que estava fazendo. Coloquei um calção de banho e peguei uma toalha, ao passar pelo espelho parei um momento, estava precisando tirar um tempo para retomar os exercícios, não que estivesse fora de forma, mas era bom continuar com a manutenção em dia. Encontrei com o Lipe no corredor, ele usava a sunga branca, ela realmente ficava linda agarrada a bundinha dele. Cada vez menos me sentia culpado por pensar no meu filho dessa maneira sexual, e convenhamos que o comportamento dele me estimulava a isso, mas meu foco ainda era retomar nossa relação pai e filho, isso era importante pra mim.
Brincamos na piscina, sempre me animava ver que apesar de toda essa situação meu garoto não havia perdido sua meninice, ele agora era novamente o menino alegre e radiante que era com sua mãe. Suas gargalhadas aqueciam meu coração. Quando o Felipe cansou e entrou para assistir, decidi tirar um minutinho para relaxar e fui para a sauna.
A noite decidimos retornar ao mesmo restaurante da noite anterior, então liguei novamente para o Cícero. Felipe se mostrou animado ao vê-lo.
– Oi Anjo. – Felipe o cumprimentou.
– Olá rapazinho, tudo bem? Boa noite Sr. Bianchi. – O motorista apertou minha mão.
– Tudo bem, não vejo a hora de comer. Meu filho disse dando risadas.
– Eu vejo você usando uma tornozeleira branca, rapaz. – Cícero sorriu enquanto seu olhar se dirigia até o pé do meu menino. – Você deve ser um bom amigo do Jamal. Não o conheço, mas ele é um bom amigo de alguns amigos meus. – Lipe corou um pouco com o comentário de Cícero, conforme Anjo acariciou o topo da cabeça de Felipe.
– Jamal é o responsável pelo cuidado dos garotos em minha ausência. – Eu não havia percebido que o Lipe tinha colocado a tornozeleira antes de sairmos. Ok, a situação se tornou um pouco mais clara na minha mente, mas não tinha certeza, então decidir aguardar antes de tirar conclusões.
– Você deve ser um garoto especial para usar a cobiçada tornozeleira, rapaz. – Cícero disse com um sorriso lascivo. Ele então acariciou lentamente sua mão até que ele estava lentamente acariciando as costas de Felipe.
– Melhor irmos temos horário no restaurante. – Ele disse abrindo a porta para entrarmos. O caminho até o restaurante transcorreu bem, com o Lipe falante e alegre. Chegamos ao restaurante.
– Eu te vejo mais tarde, pequeno. – Cícero disse enquanto bagunçava os cabelos de Felipe e deu uma piscadela para ele. Felipe sorriu e corou um pouco, respondendo baixinho. – Uhum.
Os dois sorriram um para o outro quase como um sinal não dito tivesse sido emitido entre eles. Notei que Cícero ajustou rapidamente algo que estava crescendo na calça.
Jantamos e isso ficou na minha mente. Assim como na noite anterior não foi necessário pagar o jantar, pois tudo estava acertado por ordens do Sr. Gonzalez.
Ao sairmos o motorista já estava nos esperando. De repente, Felipe disse se agarrando ao meu braço.
– Pai, posso sentar na frente com o Cícero? – Ele disse com um olhar esperançoso. Felipe me chamou de pai de novo! E eu sabia qual era a intenção dele.
– Você se importa, Cícero? – Eu perguntei ao motorista do Rolls Royce.
– Seria uma honra Sr. Bianchi, você pode sentar comigo na frente rapazinho. – Cícero sorriu enquanto se afastava do caminho para que Felipe pudesse entrar. Cícero abriu a porta para mim com um sorriso e então fechou a porta me selando, na parte de trás. Eu jurei que o vi ajustar algo grande dentro de sua calça novamente.
O divisor de privacidade de vidro estava parcialmente aberto, mas eu podia ver o topo da cabeça de Felipe enquanto ele afivelava o cinto no banco do passageiro. Então Cícero entrou do lado do motorista, ligou o motor e se afastou lentamente do restaurante. Meu celular apitou dizendo que eu havia recebido uma mensagem do Jamal, e parecia que ele me enviou um pequeno arquivo de vídeo.
O arquivo nomeado como “Luiz Novamente (shrtclp)”. Meu pau começou a endurecer completamente quando minha mente começou a correr sobre o que podia possivelmente ser. Toquei duas vezes no arquivo e comecei a baixá-lo para o meu telefone.
– Não deve demorar muito, Sr. Bianchi. – O som da voz de Cícero sobre o interfone do carro me tirou da minha antecipação a este novo vídeo. Cícero fez contato visual comigo assim que notei a cabeça de Felipe lentamente inclinar para a esquerda em direção a ele e fora de vista. Então eu notei um olhar engraçado nos olhos do Anjo.
– Aaagh, devemos chegar lá em cerca de 30 minutos. – Então os ombros de Cícero começaram a se ajustar. Felipe estava se preparando para mamar o motorista?
– Vou fechar a divisória para que você tenha um pouco de privacidade, Sr. Bianchi. – Cícero quase engasgou quando o interfone tocou.
Assim enquanto minha curiosidade de espiar o que estava acontecendo no banco da frente aumentava, o sólido divisor de privacidade começou a fechar. A última imagem que tive foi dos olhos de Cícero através do retrovisor ficarem suaves, com um olhar de êxtase neles. Então com o divisor fechado completamente fui selado do que estava acontecendo no banco da frente. Eu não podia evitar mais. Eu peguei meu pau duro e comecei a acariciá-lo sabendo que meu garoto estava chupando o atraente motorista cearense enquanto eu estava sentado atrás.
Então meu telefone tocou dizendo que o download estava completo. Eu apertei o play e a tela de visualização do telefone ficou cheia em um close do rosto do Luiz. A cara dele estava de lado quando ele deitou na cama, eu acho que era a cama de Jamal. Luiz tinha um olhar de pura luxúria em seu rosto, suas pálpebras estavam semicerradas quando ele gemeu para a câmera. Então a câmera se afastou um pouco enquanto viajava pelo seu corpo suado e arqueado, a câmera se afastou ainda mais, revelando sua bunda posicionada alto no ar. Seu buraco de menino inchado e bem usado, completamente exposto para a câmera. Seu cuzinho brilhava com uma leve mistura de porra e seu suor.
– Sim, Luiz. Você tem uma bunda linda. – Ouvi Jamal dizer no fundo quando o dedo entrou em cena e começou a esfregar em torno do anel externo do esfíncter inchado de Luiz. O dedo de Jamal então se centrou diretamente no centro do cu de Luiz e lentamente empurrou. Abaixei completamente minhas calças e acariciei meu pau latejando enquanto eu observava o grande indicador de Jamal afundar completamente no rabo do meu filho. Eu podia ouvir Luiz gemer fora da câmera quando Jamal torceu o dedo. Em seguida, facilmente adicionou um segundo dedo ao lado do primeiro.
– Sua buceta é incrível. – Jamal gemeu enquanto continuava a dedilhar o buraco esticado do Luiz. – Você é tão talentoso quanto seu irmão mais novo. – Jamal ronronou enquanto trabalhava os dedos profundamente na bunda arrebentada do meu garoto, girando lentamente e empurrando seus dedos grossos até o fim, as juntas de Jamal estavam pressionadas entre as bochechas da bunda erguida do meu garoto. eu podia ouvir Luiz continuar a gemer ao fundo enquanto Jamal continuava sua massagem do interior dele.
– Acho que Luiz tem algo para você, Fernando. – Ouvi Jamal dizer para a câmera. Então o rosto de Fernando entrou em cena, o rosto bem perto de onde os dedos de Jamal se aconchegavam na bunda de Luiz. Seus olhos vidrados na ação diante dele.
– Você está pronto, garoto? – Jamal perguntou ao adolescente hipnotizado. Tudo o que Fernando pôde fazer foi assentir que sim com a cabeça, enquanto observava os dedos de Jamal girando para frente e para trás. Então o homem de repente puxou os dedos para fora, deixando o buraco do meu filho totalmente aberto. Uma espessa carga de esperma ficou conectada aos dedos de Jamal enquanto ele os puxava.
– Abre bem Luiz, Fernando quer provar seu buraco cremoso. – Jamal disse atrás do garoto conforme Fernando admirava meu filho levar as duas mãos até suas nádegas e puxá-las para os lados, expondo ainda mais seu cuzinho aberto. Jamal avançou com a câmera vislumbrando uma grande quantidade de porra que de repente começou a vazar. Mas então Fernando mergulhou, como o garoto esfomeado que ele era e começou a chupar a bunda aberta e arreganhada de Luiz.
O rosto de Fernando estava completamente enterrado na bunda de Luiz enquanto ele chupava até a última gota de porra que Luiz poderia empurrar para fora. Som de sucção molhado misturado com os gemidos de Luiz saindo do minúsculo alto-falante no meu iPhone. Eu acariciei meu pau como um homem louco enquanto eu assistia Fernando e meu filho se submeterem a pura putaria no meu telefone. Eu estava tão perto.
Então Fernando se afastou, seu rosto coberto por uma camada de esperma e saliva enquanto ele ofegava por ar. Então ele voltou e enfiou a língua o mais fundo que pôde no cólon de Luiz. Como um garoto tentando lamber o resto de uma sobremesa em uma tigela. Fernando enfiou a cabeça com tanta força contra a bunda de Luiz, que ele teria empurrado para dentro se pudesse, ele definitivamente continuava chapado do momento no porão algum tempo antes.
Enquanto a língua implacável de Fernando continuava, pensei em todos os eventos que se desenrolaram nos últimos dias na minha cabeça. Acariciei meu pau dolorosamente duro, eu pensava como minha vida havia mudado para mim e meu garotos desde que Jamal havia entrado nela. Meus meninos agora estavam se tornando completas putas por pau. E eu adorava vê-los florescer em seus papéis. Eu me estiquei no assento de couro enquanto o carro continuava rodando, eu batia uma punheta furiosamente assistindo Luiz ter sua bunda devorada.
– Fode ele assim Nando, coloque a língua aí dentro! Chupe toda essa porra do seu amigo! – Ouvi Jamal dizer em tom lascivo enquanto Fernando intensificava seu ataque de língua em Luiz. Meu pau queria estourar tanto quanto os sons de sucção e gemidos que saíam do meu celular.
Então a câmera ficou instável quando Jamal tentou manter a câmera focada em Fernando e ele se reposicionava.
– Ok Nando. – Ouvi Jamal dizer fora da câmera, Fernando entendeu sua deixa e afastou-se da bunda de Luiz, revelando seu buraco. Então o pau duro de Jamal apareceu na tela e mergulhou rápido e certeiro no esfíncter totalmente relaxado do meu filho, enterrando seus vinte centímetros rígidos completamente nele.
– AAAAAAAAAAAAAAGGGHH! PORRA IISSOOO! – Eu podia ouvir Luiz gemer como a cadela que ele estava se tornando quando Jamal apertou seus quadris com força contra a bunda macia do meu filho adolescente.
– Sim, você ama meu pau, não é vagabunda? – Jamal gemeu quando ele puxou até que apenas a cabeça estava descansando dentro do rabo do Luiz, em seguida mergulhou até o fundo novamente, provocar mais gemidos em Luiz. Jamal então começou a foder profundamente a bunda do meu menino enquanto os sons molhados da porra se misturavam com seus gemidos adolescentes, os sons inundaram a parte de trás do carro. A câmera chegando perto para capturar ele puxando e empurrando no cuzinho esticado conforme ele era trabalhado pela enorme rola negra.
– Você vai ser uma boa puta para mim, não é um garoto? – Jamal resmungou quando ele realmente começou a se bater contra meu garoto.
– SIIIM… UUUNGH… SIIIMMM SENHOR! AAAAAAGH… HHUUGH… AAAAAGH FODE! – Meu menino gemeu quando Jamal me mexia no interior dele com seu suculento pau.
A visão e os sons de Luiz sendo profundamente fodido me enviaram ao limite quando eu comecei a jorrar minha carga reprimida em cima de mim e do assento de couro preto do Rolls Royce. Eu devo ter atirado seis ou sete jatos. Isto parecia uma das melhores ejaculações que eu tive desde que eu descobri que Fernando tinha cobiçando Luiz, enquanto Jamal fodia meu garoto dos sonhos contra a máquina de lavar na garagem.
Mas então eu notei que o carro estava se mexendo, mas não havia som do motor. Eu também ouvia ruídos sutis vindos do banco da frente. Então o balanço do carro se intensificou e depois parou. Eu mudei de posição para perto da divisória de privacidade e tentei ouvir o que estava acontecendo.
Minhas calças ainda estavam ao redor dos meus tornozelos quando eu tentei abrir as portas, mas elas estavam todas trancadas e não vi nenhuma maneira de destravá-las. Eu podia ver outros carros parados ao nosso redor, nuvens e estrelas no céu além. Devíamos estar em algum estacionamento.
Voltei para a divisória fechada e pressionei meu ouvido contra para tentar ouvir o que estava acontecendo. Eu ainda só conseguia sentir o movimento e de vez em quando um baque ocasional do compartimento do banco dianteiro. Então ouvi um clique e pude ouvir uma respiração pesada e o que pareciam sons de beijos e sucção vindo do sistema de intercomunicação. Alguém acidentalmente (ou não) ligou o interfone do banco da frente.
– Mmmm assim moleque, chupa meu pau pequeno puto. – Eu ouvi a voz de Cícero dizer seguido por mais sons estridentes. – Você é tão talentoso moleque. Ele não ficará desapontado com você. – Os sons de sucção continuaram por um minuto ou dois, então ouvi Felipe soltar um grunhido abafado.
– Assim, você tem um bom rabo aqui. – Cícero disse em um tom profundo.
– MMMMMMMMmmmmph! – Ouvi Felipe soltar um longo gemido abafado ao redor do pau do Anjo.
– E parece que você esteve ocupado ultimamente, acho que você precisa que o Ciço aqui leve você para o céu. – Cícero disse a Felipe, seguido pelos sons de corpos em movimento. Em seguida, o divisor de privacidade abaixou lentamente até descer algumas polegadas. O suficiente para eu espiar por cima e acompanhar o que acontecia no compartimento da frente.
Eu podia ver a parte de trás da cabeça de Cícero bem na minha frente, ele estava sentado no meio do banco. Eu peguei breves vislumbres dos braços e da cabeça de Felipe enquanto ele tirava as roupas, ele estava sentado de frente para Cícero. Então a parte superior do corpo de Felipe ficou à vista quando ele se levantou e montou no colo do Anjo. Suas costas contra o encosto da área da frente do assento, então ele olhou para baixo entre ele e Cícero. Eu acho que ele estava alinhando o pênis do motorista, eu então notei o corpo de Felipe lentamente abaixando.
– Uuuuuuuungh! – Eu podia ouvir Felipe soltar lentamente um longo gemido infantil quando seu corpo parou brevemente. Então meu filho de oito anos levantou lentamente cabeça, os olhos semicerrados, a boca aberta em um suspiro silencioso enquanto seu corpo continuava descendo lentamente no colo de Cícero.
Felipe estava com um olhar distante enquanto olhava para o espaço. A pica de Cícero estava, sem dúvida, preenchendo meu garoto. Ele então caiu para frente, seu queixo apoiado no ombro de Cícero, bem na frente do meu rosto. Ele estava respirando pesadamente, meu filho parou enquanto descansava em Cícero. Era compreensível dessa vez ele não tinha a pepita branca para ajudar. Ele olhou para mim, um leve sorriso se formou em seus lábios
– Uuuuuuuuuungh… – Felipe soltou outro gemido baixo, juvenil e gutural quando ele começou a descer novamente. Sua bunda provavelmente estava relaxando, permitindo a passagem do pênis de Cícero para penetrar mais fundo nele. A fodas do dia anterior deveria ter facilitando a penetração de Cícero. E pelo que eu vi crescendo na calça do motorista mais cedo, seu pau provavelmente não era tão impressionando como o do Jamal ou do Ravi, mas podia foder meu garoto legal e profundamente.
A luxúria do meu filho encheu o rosto agora escorregando do ombro de Cícero, eu assisti o motorista cobrir a lateral do rosto de Felipe com a mão e puxá-lo para um beijo. Ambos, homem e menino, esfregando suas bocas um contra o outro. Felipe embrulhou seus braços ao redor dos ombros de Cícero, meu filho estava gostando de transar com Cícero. Os sons de gemidos de menino e sons de beijos molhados derramaram ao vivo e sobre o interfone. Cícero então beijou o caminho até o pescoço de Felipe, o tempo todo pude ouvir ele falando putarias para o meu garoto enquanto ele sentava no colo dele.
– Você gosta do meu pau, moleque? – Cícero disse sem fôlego.
– Aaaaagh… mmmm… sim. – Felipe choramingou quando seu corpo se acomodou na vara do Anjo. O olhar de desejo no rosto do meu filho falou alto.
– Deixe Ciço te levar ao paraíso. – Cícero gemeu entre beijos, segurando firmemente a cintura de Felipe quando ele começou a dar empurrões gentis no meu garoto. A cabeça de Felipe balançava para cima e para baixo a cada impulso, enquanto nosso motorista nordestino começava a foder Felipe lentamente.
– Mmmmmmm… uuuuuugh… hhuuuuh. – Felipe fechou os olhos enquanto gemia. A extensão do membro de Cícero massageava seu interior. Seus lentos e sensuais impulsos afrouxavam lentamente o cólon do Lipe, ajudado pelo lubrificante que observei no banco ao lado. Anjo continuou chupando e beijando meu filho no pescoço, certamente haveria de chupões se Cícero não fosse cuidadoso.
– Meu Deus, meu garoto adora uma rola nele! – Eu pensei comigo mesmo e então comecei a furiosamente acariciar meu próprio pau duro novamente. Eu estava gostando muito do showzinho que Cícero estava me proporcionando enquanto fodia meu garoto a meros centímetros de mim, isso atiçava o voyeur em mim. Meu rosto pressionado contra o vidro enquanto eu olhava através das duas polegadas da divisória de privacidade ligeiramente abaixado. Assistindo meu garoto alcançando seu êxtase novamente.
– Isso mesmo, moleque arretado! – Cícero grunhiu enquanto segurava mais forte a cintura do Felipe. – Me sinta profundamente em você, vou te deixar afolosado! – Cícero foi acelerando o ritmo da metida.
– mmmmMMM… UUUUUUAAAGH… POORRRRA! – Felipe gemeu mais alto com cada impulso.
Notei que o movimento para cima e para baixo da cabeça do meu filho ganhou velocidade com cada ondulação dos quadris de Cícero. Os olhos de Felipe estavam agora bem fechados, a expressão de prazer e dor atravessou-o. Sua boca aberta, pequenos suspiros de ar sendo forçados a sair a cada impulso conforme a intensidade da penetração aumentava ainda mais.
– Porra, ele vai te amar, que rabo gostoso. – Eu ouvi Cícero dizer em um tom baixo.
Felipe não conseguia mais formar palavras. Seus olhos estavam fechados com as sensações vindas de sua bunda o inundando.
– Agora é hora de procriar em você rapazinho. – Cícero deitou Felipe do outro lado o banco do passageiro enquanto ainda estava empalando meu menino. Tudo o que eu podia ver era a linda bunda morena e peluda de Cícero e as pernas de menino de Felipe saindo pelos lados da cintura dele. Eu notei a tornozeleira de conchas puka brancas de Felipe contrastando com sua pele bronzeada enquanto ele apoiava os pés no teto do compartimento da frente. Então a bunda de Cícero começou a bombar para cima e para baixo, os sons do meu menino grunhindo e gemidos recomeçaram e aumentaram pelo interfone.
– MMMMMMPH! UUUUUUUNGH! AAAAAAAAGH! – Os sons de sexo ecoaram intensificados pelo volume do interfone enquanto eu furiosamente me masturbava, umedeci meus dedos na boca e desci minha outra mão até a entrada do meu rabo que piscava, enfiei dois dedos de uma vez, eu me dedei seguindo o ritmo de Cícero.
UUUUUNNNGH! GGGAAAWDD! AAAmmmmmph… – Os gemidos de Felipe se tornaram abafados quando Cícero provavelmente começou a beijá-lo novamente. O sons molhados, de impacto, de sucção do pau de Cícero entrando e saindo da bundinha de oito anos do Lipe me fizeram intensificar o toque dos meus dedos em minha próstata. Pelo que parece, Cícero estava realmente dando ao meu garoto uma boa foda.
Eu assisti as pernas de Felipe caírem de sua posição apoiada contra o teto e enrolar firmemente em torno da cintura de Anjo. Ele agarrou com força no pescoço de Cícero quando ele recebeu uma metida mais intensa do nosso motorista. A tornozeleira em sua perna balançando a cada impulso.
– MMmmmmph… SLURP! TAPA! TAPA! SLURP! Uuuuumph! TAPA! TAPA!
TAPA! – Os sons de carne batendo contra carne ficaram mais altos. Gemidos pesados e respiração pelo nariz intensificada, Cícero provavelmente tinha sua língua profundamente enraizada na garganta do meu garoto enquanto ele fodia o buraco infantil e quente. Seus impulsos estavam agora fazendo o carro balançar para frente e para trás agora.
Porra! Eu estava tão duro naquele momento. Eu assisti a bunda de Cícero contrair e relaxar enquanto sua massa corpulenta ondulando escondendo meu garoto embaixo dele. Eu acariciava meu pau e meu cu junto com as investidas de Cícero. Eu queria tanto gozar com eles.
De repente, o grunhido de Cícero aumentou, assim como a velocidade de sua investida com o quadril. Felipe rompeu com o beijo quando ele começou a ofegar por ar, as sensações da metida furiosa que ele estava recebendo estavam enlouquecendo meu garoto.
– AAAAAAGH! AAAAAAGH! AAAAAAGH! AAAAAAGH! – Os sons de menino gemendo levaram a Cícero e a mim para mais perto do limite do êxtase.
– Geme, fila duma égua! – Cícero começou a grunhir a cada impulso enquanto sua bunda conquistou mais e mais velocidade. – Um menino tão bom, um rabo tão quente! – Cada socada de Cícero, a cada impulso enquanto ele permanecia mais e mais dentro do meu garoto parecia extremamente prazeroso para todos nós. Cícero não aguentou mais. Com um último grunhido final ele jorrou no meu garoto.
– UUUUUUNGH! AAAAAAAAGH! Toma minha gala moleque! – Cícero deu as estocadas finais de seus quadris, sua bunda apertada enquanto suas bolas liberavam seu esperma nordestino no fundo do meu garoto. Eu podia ver as pernas de Felipe embrulhadas firmemente ao redor da cintura de Cícero
– Estou enchendo você! – Eu o ouvi dizer em tom baixo sobre o interfone, ele fez pequenas investidas intermitentes em Felipe quando ele terminou de bombar sua carga no meu menino.
Com meu rosto pressionado contra a divisória de vidro, eu acelerei o movimento dos meus dedos e descarreguei minha segunda carga de esperma em todo o assento de couro. Eu caí contra o couro tentando recuperar o fôlego.
Meu garoto era uma cadelinha que amava pau agora. Ele adorava ser fodido. Porra, como eu adorava vê-lo ser fodido.
Eu podia ouvi-los pelo o interfone, ofegantes e calmos após a foda. Eu não conseguia entender o que Cícero estava dizendo, mas tenho certeza que eles estavam aproveitando o momento. Então ouvi o interfone clicar e a divisória de privacidade lentamente fechar novamente. Eu tentei me limpar o melhor que pude com a caixa de lenços de papel que encontrei em um dos compartimentos. Ouvi barulho e movimento vindo do banco da frente então eu ouvi o motor dar partida.
Minhas calças ainda estavam nos meus tornozelos quando chegamos ao resort, rapidamente recoloquei minha roupa.
– Chegamos Sr. Bianchi. – Cicero disse ao abrir a porta, Felipe já estava do lado de fora do lado dele.
– Espero que a noite tenha sido agradável. – Ele disse com um sorriso cortês. – Sem dúvidas a noite foi ótima, agradeço. – Retribui o sorriso.
– O Sr. Gonzalez já retornou da viagem, então amanhã eu ligarei antes de vir buscá-lo para a reunião Sr. Bianchi. – Cícero disse com um aceno de cabeça segurando o quepe.
Lipe e eu seguimos direto para nosso bangalô, o mandei ir tomar um banho, o garoto foi saltitando de alegria. Me recostei no sofá com uma bebida enquanto o esperava sair para poder entrar, ele demorou tanto que devo ter cochilado por algum tempo.
SPLASH! O som de algo grande batendo na água da piscina me acordou. A sala estava escura, mas o reflexo da água e das luzes da piscina cintilavam no teto, fazendo a sala brilhar, olhei no meu relógio e fazia uma hora e meia desde que adormeci. As portas deslizantes de vidro estavam escancaradas, sons de crianças brincando e espirrando água enchiam a sala. Grogue do sono, fiz o meu caminho até as portas abertas espiando o lado de fora na área da piscina.
Lá eu notei a cabeça de Felipe balançando na água enquanto ele alegremente brincava com outros três meninos. De onde vieram esses outros garotos? Então os meninos caminharam até a beira da piscina e pularam fora. Eu dei uma boa olhada nos meninos enquanto eles se alinhavam para outra rodada de bolas de canhão.
Dois dos meninos se pareciam, gêmeos idênticos, talvez? Eles pareciam um ano mais velhos que Felipe, ambos com cabelos pretos, peles brancas e olhos puxados. Orientais?
O outro garoto parecia mais velho, talvez 12 anos. Era um pouco mais alto e tinha um pouco mais de peso, seu cabelo era um meio termo entre o ruivo e o loiro e encaracolados, sua pele estava perfeitamente lisa exceto pelas sardas espalhadas pelo corpo. Todos os garotos eram bonitos, inclusive meu filho.
Mas o que realmente chamou minha atenção foi o fato de que todos eles estavam vestindo a mesma coisa. Um par daquelas sungas brancas, e cada garoto tinha uma daquelas tornozeleira puka em torno de um dos tornozelos como Felipe, mas as dos gêmeos eram amarelas e do garoto gordinho era azul. Enquanto todos pulavam na piscina ao mesmo tempo com um grito alegre minha mente estava cambaleando por que eles estavam todos vestindo a mesma coisa. Qual era o significado desses… uniformes? Do que exatamente meus meninos estavam fazendo parte?
Isso teria que esperar, pois não sabia o que estava reservado quando finalmente conhecesse o Senhor Gonzalez amanhã.
– Ah Merda. – Eu pensei.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,54 de 46 votos)

Por # # #

24 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Torinho

    Só agora tive tempo de ler, yay.
    Bem, como sempre está una gracinha, que bom que o Paulinho está se soltando, ele andava muito tenso, de Maaaaais. Quase te dei a ideia de ele experimentar uma erva do filhote dele, hahahaha.
    Bem, Cícero parece um fofo, mas esse hotel… Huuummm… suspeito? Talvez. Adorável? Com certeza!

  • Responder Dhamis

    Oi pessoal tudo bem? Eu sou o autor do conto, eu ja tive o privilégio de conversar com alguns de vocês ao longo desses três meses em que venho escrevendo e isso me deu oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas e sou grato por isso. Ao começar essa história, minha primeira história, o objetivo era me distrair nas horas vagas, mas acabou virando outra coisa e isso não vem me fazendo bem.
    Por isso, pra felicidade de alguns e infelizmente para outros, vim avisar que esse foi o último capítulo da história postado, não sei se vou voltar a postar futuramente, mas no momento preciso dessa interrupção.
    Agradeço de coração a todos que acompanharam até aqui, gostando ou não da história, e talvez quem sabe a gente se encontre novamente em breve… Então até mais.

    • [email protected]

      Há Mano não faz isso 😨😨😨😨😨

    • [email protected]

      Não desista do conto mano por favor 😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢😢
      Tá tão perto de terminar, só faltam 5 se desistir agora seu esforço terá sido em vão e só vc pode dar um final pra esse conto.
      não desanime cara

    • Preto

      Dhamis
      Não desista do conto na moral .
      Estou na expectativa da continuação, a história e sua e qual caminho vc decidir trilhar eu apoio.

    • Urso34

      Cara entro todo dia aqui na esperança de você voltar a contar, saudades dos seus contos, volte por favor! Acho que muitos aqui estão esperando você voltar, cada dia que passa tem mais contos sem graça, não são a mesma coisa que os seus.

  • Responder Novin

    O conto é muito bom, sério, mas vou olhar com outros olhos, a cada nosso capítulo dessa história da pra se adivinhar oq vem, surge alguém novo, se interessa pelo Lipe e fode ele enquanto o panaca do Paulo fica na punheta, Jamal envia vídeos de como está abusando dos meninos e Paulo bate punheta. Lipe virou um objeto sexual q dá pra qualquer um, até um cachorro se duvidar, Luiz, está seguindo por esse caminho, Jamal é um filha da puta q tem contatos em todo Brasil e sempre saí impune das coisas, Paulo finge se importar com os filhos, n há sentimentos, nem as crianças sentem isso pelo pai e ficam chamando do abusador de “pai” e n demostram sentimento. Tipo, já tá na hora do Jamal se ferrar (muito. Q morra) e os meninos começarem a amar o pai deles, o verdadeiro, e o Paulo o mesmo, começar a realmente se importar com os filhos. Tbm está enrolando demais pra chegar na primeira transa entre o Paulo e os meninos. Só tendo relações com ele, n sendo objeto sexual de abusadores, pq esses abusos já estão indo longe demais (já estavam longe demais agr tão mais ainda). Enfim, é isso, n é pra ofender e sim uma crítica construtiva, espero q a história mude mesmo, é isso.

  • Responder Jr

    O conto foi muito extenso, com pouca ação e muitos dados minuciosos desnecessários pro enredo. E, é fato que agora a história tá seguindo os mesmo ares de séries que tem inúmeras temporadas: começam a inserir tantas coisas e pessoas novas, que o foco inicial dela fica totalmente ofuscado. Melhor vc sintetizar logo essa história e encerra-la bem e depois vc começa outra, antes que seus leitores se cansem da mesmice.

  • Responder Master

    Achando muito bacana, só que ficou muito gosto de quero mais! Rsrs
    Curto muito o Lipe sendo total um depósito e estou no aguardo do Paulo finalmente acordar pra vida e meter nos três garotos novos.

  • Responder João

    Pelas críticas que estão fazendo, dá para entender o nível elevado em que o contos está se desenrolando, no qual esses mesmos, que destilam observações cegas, não são capazes de desenvolver um enunciado lógico, por conta dos recurso linguísticos bem empregados nesse contos, o que aliás está em falta o básico em outros por ai.

  • Responder João

    Acho muito legal essas partes com o aprofundamento da história, com a construção de novos personagens e com a fixação dos hábitos dos já construídos. Fica bastante claro todo um enredo de algo muito maior do que é mostrado que estimula ainda mais o suspense de toda trama.

  • Responder luiz

    eu nem leio mais ta muito chato

  • Responder GabCapx

    PERFEITO… Mas aí a gente fica na angustia esperando por mais hahhaha mas continua logo por favor !!!

  • Responder Bebeto

    O conto se perdeu desde o quarto conto. 1, 2 e 3 foram os melhores depois se perdeu imagina quando chegar no conto 14, último e sem lógica.

  • Responder Paulo

    A mesma sequência sem nada de novo. E quem comentar contrário tem seus comentários excluídos

  • Responder NEWA

    Olá a todos,
    As meninas também adoram sexo, talvez ★ Adoramos sexo ainda mais do que você … algumas têm vergonha de mostrá-lo .. ★ Suas preferências sexuais .. compartilhe conosco .., acesso gratuito .. (copie o link) ➤ abre.ai/splatform

  • Responder Admin

    A história tava boa, agra tá ficando mais do mesmo, o pai q só vive na punheta, o Lipe q dá pra todo mundo, o Jamal e conhecido no Brasil inteiro, agora apareceu mais 3 q provavelmente o Jamal comeu também e o Lipe vai dá pro senhor González.

    • Admin

      Já adiantei metade da próxima história

    • [email protected]

      Gonzalez vai terminar comendo o Lipe também, o conto deixou isso óbvio

    • Meh

      Exato. Esse conto foi exatamente igual aos últimos. Alguém come o Lipe, alguém come o Luiz, o pai fica na punheta fingindo se importar com os filhos. Já ficou óbvio que os próximos contos vão ser iguais e que o Sr. González vai comer o Lipe e os outros garotos, aí eles vão voltar pra casa e vai continuar a mesma coisa.

  • Responder Desconhecido

    Uma pergunta, é um conto real ou fictício? Pois, assim, tá muito mecânico e muito forçado.
    Felipe fode com qualquer cara que sorrir pra ele… Paulo vive na punheta… Luiz virando buraco sem fim… Jamal é a pika de mel. Tá começando a ficar meio monótono.

  • Responder [email protected]

    Excitante mesmo muito tesão, porém não vejo amor em nenhum dos lados, essa relação de Paulo com as crianças está muito bagunçada ele não se importa nem um pouco com as crianças nem elas dão a mínima pra ele Felipe é praticamente um objeto sexual e Luiz está indo no mesmo caminho eu gosto muito dos seus contos cara, mas tá ficando muito abusivo mano.
    Eu te peço como leitor e admirador de seu trabalho que coloque sentimento nessas crianças elas tem muito tesão mas amor tá em falta tanto da parte do pai como das crianças

    • [email protected]

      Mas o conto ficou uma delícia tá, um cheiro no olho meu lindo 😉😉😉

  • Responder francisco

    conto cada vez melhhor muintos detalhess de prabens