# # #

Tirando o cabaço da minha filha

1982 palavras | 30 |4.55
Por

A história que vou contar vem acontecendo há mais ou menos oito meses. Estava com muita vontade de compartilhar com alguém, e encontrei nesse site ess

Sou casado e temos uma filha chamada Angélica (nome fictício), na qual carinhosamente chamamos de Lica, que recém completou dezesseis anos. Lica é o que podemos chamar de filha perfeita, estudiosa e de uma personalidade muito forte, porém muita carinhosa conosco.

Minha esposa começou a frequentar a igreja, quando nossa filha tinha seus nove anos de idade. No começo até achei legal e a acompanhei, mas não era pra mim e acabei deixando de lado. Isso não mudou em nada nossa relação de homem e mulher, só que quem sofreu com essa mudança foi nossa filha. Minha mulher passou a ser muito exigente com ela, dominava tudo o que ela fazia. Confesso que tenho culpa no cartório, por que não interferia muito, deixava minha mulher tomar as rédeas da sua criação. Eu apenas intervia quando achava que ela passava um pouco do ponto.

Isso fez Lica ficar muito ligada a mim, quando começou a ficar mocinha e ter uma maior entendimentos das coisas. Passei a ser seu amigo confidente, além de pai babão. Quando Angélica menstruou pela primeira vez foi a mim que ela recorreu, eu a levei a ginecologista, comprava seus absorventes e tal. Até seu primeiro beijo na boca ela me contou como foi.

Mas o fato era que ela estava crescendo e o seu corpo em desenvolvimento. Quando Lica fez quinze anos, seu corpo parecia de uma menina de dezoito anos. Seios fartos, pernas e coxas grossas e bunda empinada. Era ou ainda é, até constrangedor andar ao seu lado na rua, pois além da beleza natural do seu corpo, minha filha é linda de rosto. Olhos claros, cabelos longos e é claro muita vaidosa. Os homens não param de olhá-la, ou quando vamos a lojas e as pessoas nos perguntam se somos um casal.

Confesso que mesmo ela sendo uma meninota dessa, nunca olhe para minha filha com maldade, apreciava sua beleza, mas uma de forma carinhosa por ela ser quem ela é. Tudo mudou o dia que estava em casa a sós, em um raro dia de domingo que minha filha não está na igreja com minha esposa. Temos um gosto incomum por futebol, estávamos na sala assistindo nosso time jogar. Tudo normal quando Lica olha pra mim e disse:
– Pai, posso de fazer uma pergunta?
– Sim, pode perguntar!
– Mas o senhor promete não contar para minha mãe?
– Não sei, depende do que você vai perguntar!
– Poxa pai! Eu só tenho confiança de perguntar isso ao senhor. Se perguntar a minha mãe, ela vai querer criar caso.
– Lica, não posso prometer. Ela é sua mãe e tem que saber!
– Vai pai, só dessa vez, por favor!

Pensei comigo, digo que prometo, ela me conta, acaba a ladainha e voltamos a ver o jogo em paz. A final não dever ser nada de mais.
– Tá bom! O pai promete, não irei contar.

Ela rodeou muito até ter coragem de falar
– Sabe pai, ultimamente tenho ficado estranha.
– Como assim estranha! Está sentindo alguma coisa? Você está doente?
– Não é isso pai! Estranha em outro sentido!
– Que sentido é esse minha filha?!

Já deixei o jogo de lado, comecei a ficar preocupado com ela.
– Ai pai! Não sei como explicar muito!
– Agora você vai falar o que é!
– É que ando ficando excitada.
– Exci… o que minha filha?
– Excitada pai, minha calcinha fica até molhada.
– Que isso! Sou seu pai! Mais respeito, por favor! Você não pode contar essas coisas ao seu pai.

Um breve silêncio
– Desculpas pai, é que eu não tenho amigas para conversar essas coisas. Só tenho colegas e não confio em ninguém. Se eu falar com a minha mãe, ela vai dizer que estou ficando doida da cabeça.

Cocei a cabeça, o jogo já tinha ido para o espaço. Não sabia como lidar com aquela situação, respirei fundo ao mesmo tempo que pensava o que dizer.
– Poxa pai! Fala alguma coisa.
– Olha filha, sinceramente eu não esperava por isso, mas…
– Mas o que pai?
– Mas isso é natural, você está ficando mulher! Seu corpo está em evolução, seus hormônios estão em ebulição. Já essa excitação vai acalmar!

Novamente pensei comigo, me saí muito bem. Foi apenas uma leve impressão.
– Mas pai, eu estou ficando assim todos os dias quase.
– É filha, foi como eu falei, são os hormônios, já isso passa. É só ter paciência um pouquinho.

Daí veio o embaraço

– Pai, você não está entendo! Eu estou agora.
– Que isso filha! Como você fica excitada ao lado do seu pai?!
– Não briga comigo pai, por favor! Eu não sei como, mas hoje está muito forte. Às vezes vem e passa logo, só que hoje não quer passar. Estou sentido minha calcinha muito olhada.

Mesmo sendo pai, quando eu a ouvir dizer que estava com a calcinha muito melada. Não tive como não pensar naquela situação, é não ficar com tesão. Afinal de contas o lado ser-humano bateu mais forte, além disso, Lica usava um vestido com as cores no nosso time de coração, colado ao corpo e ainda era semi-decotado.

Muito atordoado pela situação, não sabia o que dizer para minha filha naquele momento, quando ela insistiu:
– Vai pai! Fala alguma coisa?!
– Mas filha eu não sei o que dizer ou fazer. Na minha época, quando eu ficava igual a você, eu me masturbava, já tentou isso?
– Não pai! Na verdade, uma vez, pesquisei na internet, mas fiquei sem graça de fazer em mim.
– Mas você terá que fazer, já que está tanto excitada assim!

Como tudo na vida pode piorar, vem a pior melhor parte.

– Pai faz em mim, por favor?
– Tá ficando doida?! Como vou tocar suas partes intimas, sou seu pai!
– Pensa pai, melhor ser o senhor do que alguém da rua. Eu quero saber como é gozar.
– Filha, mas é você que tem que fazer isso, pra saber como é. Não posso fazer em você!
– Vem pai!

Lica falou isso já se deitando no sofá, já dando como certo seu convite.
– Vem pai, pode tocar.

Ela abriu suas pernas deixando sua calcinha a mostra. No primeiro momento tentei convencê-la do contrário, mas não pude conter meu tesão na hora, ao ver que ela realmente estava molhada de deixar a calcinha úmida. Comecei a massagear sua bucetinha por cima da calcinha. Já no primeiro toque, minha filha soltou um longo suspiro de excitação, deixando escapar um: – Ai pai!

Fui pressionando com mais firmeza, colocando a mão em toda a extensão da sua bucetinha. Angélica fechava e abria os olhos e mexia o quadril. Eu estava com muito tesão, meu pau latejava. Não demorei para cair de boca em sua bucetinha. Parei um breve momento de dedilhar minha filha:
– Não pai, continua!
– Calma o pai vai continuar!

Puxei sua calcinha de lado e um fio do seu melado acompanhou o movimento, ficando grudado ao meu dedo. Que coisinha maravilhosa, lisinha, sem pelos, nem grande, nem pequena na medida certa e um grelho daqueles que ficam por dentro; que para vê-lo, é necessário abrir suavemente seus lábios, que se perdiam no contorno de sua virilha. Levei a boca passando a língua ao encontro da sua bucetinha.

Quando Lica sentiu minha língua massagear seu grelho, percebi seu corpo todo amolecendo. Suas pernas relaxaram e ela simplesmente não falava mais nada, apenas gemia de prazer. Chupar sua bucetinha pela primeira vez foi incrível, seu melado escorria deixando um saboroso sabor de sexo em minha boca.

Minha filha travou sua mão em minha cabeça pressionando forte contra sua bucetinha, gemando forte pela ultima vez, gozando em minha boca. Vendo que ela tinha gozado, parei sem saber o que fazer, perdi o rumo da situação. Se fosse minha mulher era hora de meter a pica, mas era minha filhota de apenas quinze anos. Fiquei literalmente de pau na mão!

Lica voltou do pequeno transe, olhou pra mim e sorriu:
– Obrigada pai!

Eu fiquei ali, sem reação.
– Gostou filha?
– Sim, foi muito bom!
– Que bom que gostou, mas o papai agora também tem que gozar.

Toda a loucura tem seu ponto alto, e a nossa viria agora.

– Pai, quer tirar minha virgindade?
– Não filha! Papai vai se masturbar! Melhor você perder a sua virgindade quando você estiver mais preparada e mais velha.
– Mas pai, eu estou preparada! Eu quero que o senhor seja o primeiro.

Nessa hora Lica tira o vestido, o puxando por cima da cabeça, ficando de calcinha pro lado e sutiã.
– Não filha, não faz o pai fazer isso!
– Pode fazer pai, eu quero transar com o senhor.

Ficou com o corpo por cima do dela, baixei seu sutiã. Seus seios com auréolas e biquinhos rosadinho e lindo, se colocaram a minha disposição para mamá-los. Chupava insanamente suas petas formosas e dura. Até que nossas bocas se chocaram num beijo insano. Eu usava um short de ficar em casa, já surrado, o que facilitou sua retirada. Quando posicionei meu pau para penetrar sua bucetinha pela primeira vez. Olhei para minha filha e dizendo:
– Você tem certeza disso?
– Tenho pai!

Logo na primeira tentativa, Lica reclamou de dor, mas não mandou parar. Fui com mais calma na segunda vez, e como sua bucetinha continuava melado e babada, pude sentir a cabeça deslizando para dentro. Minha filha fechou os olhos, eu a perguntei se estava tudo bem. Ela balançou a cabeça positivamente. Foi metendo e a cada centímetro penetrado Angélica fazia cara de dor. Eu já tinha metido a cabeça e mais um pouco, quando Lica soltou um gemido de dor.
– Está tudo bem?
– Sim pai!
– Se quiser a gente para!
– Não pai!
– ENTÃO O PAI VAI METER TUDO!

Voltei a meter, só que dessa vez mais rápido. Sua bucetinha engolia meu pai inteiro. Como era apertada, quente e úmida. Quando meu pau entrou todo, parei um pouco com ele dentro dela, beijei sua boca:
– Agora o pai vai começar.
– Sim!

Iniciei o vai e vem, Lica já não fazia muita cara de dor, mas gemia alucinadamente: – Ai pai! E depois começou a falar: – Ai pai! Tá doendo um pouquinho… ui!… ai!… Eu gozei efusivamente com o pau latejando de tesão, jorrando goza a dentro da sua bucetinha. Ficamos em breve silêncio e logo depois caímos no riso.
– Está doendo?
– Só um pouquinho!
– Gostou de transar pela primeira vez?
– Sim!
– Mas você não pode sair por aí transando.
– Eu sei pai! Só vou transar com o senhor até ficar velhinho.
– Quer dizer que só o papai… – parei, pois, queria dizer uma putaria, como nunca falamos palavras sulas dentro de casa, pensei, porém, falei – … vai ter o prazer de comer sua bucetinha?!
– Sim, só o senhor vai me comer, não quero dar minha bucetinha pra ninguém. A mamãe é uma boba, fica deixando o senhor em casa para ir à igreja.
– Não fala assim dela!
– Desculpas pai o senhor tem razão, mas eu não quero mais ir à igreja.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,55 de 64 votos)

Por # # #

30 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder José Rodrigues

    É sem dúvida uma bela história. Queria eu ter uma filha igual a essa.

  • Responder ada

    Parabéns pela sua história e de sua filha. continue a escrever , você leva jeito.
    Estou cansado de ler estórias mirabolantes de quem não sabe que os filhos(as) tem sentimentos.

  • Responder Alex

    Mulheres meninas mães que queiram bater um bom papo sobre o assunto desabafar suas histórias podem me procurar no telegrama
    @Pixany

  • Responder Anônimo

    Troca de vídeo, telegram sucraM

  • Responder Mzth

    Nosaaa tesaooo caraaa vamos conversa. Me chama email [email protected]

  • Responder Valter

    Comigo aconteceu parecido com minha filha, ela tinha 14 anos e vivia se esfregando no travesseiro e peguei ela gozando algumas vezes quando a mae nao estava. Eu pedia para ela se controlar mas nao adiantava, até que um dia eu nao aguentei e acabei transando com ela. Depois disso temos relacao quase todos os dias. Faz 10 anos.

    • ricardo

      Ola boa tarde

      vamos bater um papo

      telegram @rick

      Email [email protected]

  • Responder Identidade Bourne

    Muito bom

  • Responder Tedy8246

    O conto e ótimo estou aguardando a continuação

  • Responder FABIO

    show de conto

    • Louco por 9vinhas

      Quero conversar com pais que já comeram duas filinhas. Quero ajuda.

      [email protected]

  • Responder Pachecao

    Continue super excitante

    • Menina curiosa

      Quero vídeo brasileiro para trocar meu telegran é @ lu_safa

  • Responder Jairo

    Nota 10

  • Responder Anónimo

    Nossa bom de mais
    Espero que tenha continuação
    Telegram PDR18S

  • Responder Casadobidebh

    Sou de BH e quero conhecer pais que transam com filhas ou filhos … se me convidarem adorarei participar … sou maduro, sigiloso e muito carinhoso.
    Telegram @cs_bh

  • Responder Claudio Alberto

    Muito bom, bem escrito, diálogos coerentes tanto à situação parental quanto a faixa etária da garota. Espero que continue nos contando essa evolução de entrega pelo amor de amar…

    • Bruni

      Troca de vd?
      [email protected]
      Telegram Eu Eu msm
      (Ambos tem uma foto de cachorrinho no perfil)

  • Responder Rodrigo

    Adoro este site e o único que posso sentir tzao adoro foda com novinhas

  • Responder Rick

    Que Dlç meu pau esta latejando de ler este conto que sorte a sua em poder iniciar ela

  • Responder Rafaella

    Tadinha.. vai ficar somente com um pa(i)u…. kkkkk

    • Roos

      Oi tudo bem? Quer trocar palavras?

    • Yara

      Eu quase conseguir , mas só fiquei no esfrega esfrega. A bucetinha é grande mas o canal nao passa nem a.pontinha da caneta

    • Rick

      Posso se passar cono seu pai dlç

    • Papai

      Telegram

      @Santos007

    • Alex

      Mulheres meninas mães que queiram bater um bom papo sobre o assunto desabafar suas histórias podem me procurar no telegrama
      @Pixany

    • Vozinhosp

      Telegram
      Vozinhosp

  • Responder Fabão

    Delícia, foi quase assim que tirei a virgindade da minha filha!

    • Roos

      Fabao manda email

    • Neto e filha

      manda continuação