# #

histórias de sexo – brincadeira de criança

994 palavras | 15 |4.52
Por

Meu primo era um chato desde pequeno. Cuidar dele e do meu irmão era um saco, Até que começaram as brincadeiras no banho. Será que ele gosta?

Para um adolescente, ter que cuidar das crianças menores é sempre um sacrifício, um saco mesmo. Comigo não foi diferente. Eu com 14 anos tinha que cuidar do meu irmão, sete anos mais novo e do meu primo, dois anos mais velho que meu irmão.
Morando no interior de SP, com muitos amigos, alguns com quem eu já praticava sexo, troca-troca e outras traquinagens, eu via como um castigo ter cuidar dos dois pirralhos quando minha tia vinha da cidade dela pra ficar na nossa casa.
Mas tudo começou mudar quando estava dando banho nos dois e começamos uma brincadeira no chão do banheiro. A princípio sem maldade, mas com 14 anos e os hormônios a flor da pele, tudo caminhava pro sexo.
Em casa eram meus pais, eu e meu irmão. Por ser uma diferença de dez anos, eu tinha que cuidar dele, mas nunca pensei em sexo com ele. Na virada dos anos 80 para os 90, o incesto ainda era um tabu pra mim. Nossas visitas, quase semanais eram, meus tios e dois filhos. Fabio ainda era um bebê, e por isso estava sempre com sua mãe, já Leandro era dois anos mais velho que meu irmão, e por isso eu tinha que cuidar dos dois.
Meu pai e meu tio estavam sempre na serralheria em que eram sócios. Minha mãe e minha tia deixavam os dois pestinhas comigo e saiam, levando apena o pequeno Fabinho.
Leandro era eletrico. Gordinho de pele branca um pouco mais morena que eu e meu irmão. Eu já estava acostumado a dar banho nos dois e já tinha reparado que o pintinho do Leandro sempre ficava duro, era mais grosso que o pintinho do meu irmão, mas eram do mesmo tamanho, mesmo meu irmão sendo dois anos mais novo. Os dois não tinham vergonha de nada, acho que nem passava pelas suas cabeças algum tipo se situação sexual.
Eu era um adolescente até bonito, 14 anos, magro, branco, e sabemos que todo adolescente magrelo tem pintão, mas não vou exagerar nas medidas pois acho que isso tira o tesão da história. Eu tinha um pinto normal, 13 pra 14 cm, da grossura de uma salsicha, que ficava duro por qualquer coisa. Inclusive no banho. Só que os meninos nem notavam ou não ligavam pra isso.
Num desses dias as duas haviam saído e levado o Fabio, eu fui dar banho nos dois meninos e estavamos os tres pelados, o banheiro era grande, eu estava agachado para ensaboar os dois. Eu ja tinha dado banho no meu irmão e estava ensaboando o Leandro quando ele deitou com a barriga no chão molhado e começou deslizar na direção do meu irmão. Eu quis ficar bravo, mas a brincadeira começou e foi ficando divertida. Meu irmão empurrou ele de volta na minha direção e eu o empurrei na direção do meu irmão. A espuma ajudava a deslizar e meu irmão estava sentado no chão de um lado do banheiro e eu sentado no chão do outro. O Leandro deitado de bruços com os joelhos dobrados e as pernas abertas. Eu o empurrava para o meu irmão e meu irmão o empurrava de volta pra mim.
Comecei a observar quando ele vinha na minha direção com aquela bunda gordinha pra cima e as pernas abertas, mostrando o rego profundo na direção do cuzinho. Não deu outra, meu pau ficou duro. Mas meu irmão nem ligou, ou nem percebeu esse detalhe por ser muito novo.
Eu comecei a pensar besteiras e mudei um pouco a brincadeira. Mandei o Leandro deitar de costas, com a barriga pra cima. Fizemos ainda mais espuma e ele dobrou as pernas segurando com as mãos. Ficou de frengo-assado, eu o empurrei e meu irmão me empurrou de volta, mas eu estava sentado no chão, meu pinto estava muito duro e minhas pernas bem abertas. Eu deixei o gordinho trombar comigo. Na verdade sua bunda estava toda aberta e eu já conseguia ver deu cuzinho, e ele trombou sua bunda no meu pinto duro, uma, duas, várias vezes. Nós riamos muito. Estava divertido, meu irmão nem notava o que estava acontecendo. Por várias vezes eu ajeitei meu pinto, apontei na direção do cuzinho dele e nas trombadas eu quase o penetrava. Ele ria muito e me olhava, Seu olhar era safado e quando meu pinto forçava seu cuzinho ele me olhava rindo em silencio, como que soubesse que estavamos fazendo algo a mais.
Em certo momento da brincadeira eu mandei o Leandro deitar de bruços novamente, fiquei agachado em cima dele pra empurra-lo na direção do meu irmão. Mas encaixei meu pau na sua bunda, atolado no seu rego, e o empurrava com meu quadril fazendo minha rola roçar na sua bunda gordinha. O legal é que ele forçava a bunda contra o meu quadril e tudo ia ficando mais gostoso. Meu irmão continuava brincando sem perceber nada.
Num certo momento o encaixe foi perfeito e ao fazer força a cabeça da minha rola, junto com a espuma, quase entrou no cuzinho dele. Na verdade chegou a entrar e ele reclamou – ¨doeu!¨.
Eu recuei um pouco e perguntei se ele queria parar a brincadeira e os dois não queriam parar. Continuamos naquela posição com toda a esfregação do meu pau no rego do gordinho até que eu gozei, enchendo seu reguinho de porra. Ele sentiu e levou a mão na porra pra ver o que era. Cheirou os dedos lambuzados, me olhou e sorriu.
Ali eu tive a confirmação de que ele entendia o que estava acontecendo e que muita coisa ainda iria acontecer.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,52 de 29 votos)

Por # #

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder P.

    continua!

  • Responder Matheo

    Muito bom o conto. Aguardo a continuação!

  • Responder Tom

    Alguém curti uma Cam no telegrama ?

  • Responder PrimoDoHenry

    Meu primo dormia em casa no fds, pq meu tio viaja muito vendendo seus produtos. Ele tinha 13a e eu 17. Ele dormia na sala. Um dia de muito frio, falei pra ele levar o colchonete para o meu quarto, que tinha um aquecedor portátil. A noite, levantei e fui ao banheiro. Notei ele descoberto e encolhido. Voltei, chamei pra ele deitar na cama comigo. Sonolento, levantou e deitou no canto. Tranquei a porta pra evitar de alguém ve-lo deitado na cama, e falar qq coisa. Não tinha nenhuma intensão, mas ele se aninhou de conchinha e o tesão da adolescência foi mais forte. Acabei gostando da situação tbm. De manhã falei pra ele voltar para o colchonete. A noite ele deitou direto na cama. E na madrugada, de conchinha com ele, não teve como não me excitar. Aquela noite, marcou o início de td. Foram três anos, gozando muito naquela boquinha deliciosa e no cusinho guloso que ele tinha. Não sou super dotado, são 18cm…mas o guri sempre foi valente, gemia muito, mas aguentava bem. Detalhe, ele gozava sem tocar na rola, e o que aquele guri ejaculava, dava pra engravidar um batalhão, tamanha quantidade de porra que expelia.

    • Novinho

      ahahahha n sei se eu gostei de saber q vc fodeu seu primo ou saber q ele goza muito, acho q vou esperar ele crescer para ele me comer e gozar na minha boca e no meu cu ahahahah dlc

    • Will

      Que delícia cara! Tu é aqui do RS? Deixa teu telegram aí…

  • Responder JC&M

    Vou publicar a continuaçao e outras lembranças dessa mesma época. Era a virada dos anos 80 para os 90 e dis 10 aos 16 minha vida foi muito movimentada (sexualmente)
    Adoro essas memorias!

    • JC&M

      Delicia de relato. Escreva um conto com os detalhes. Estao faltando contos excitantes assim😉

  • Responder Danilo

    Dlc de conto espero que tenha continuação telegran @D1nilo

  • Responder Virgem13

    Tenho 13 anos, sou virgem estou louco pra alguém me foder

    • Tio Willian

      Vêm foder comigo então. Sou carinhoso, experiente, e vou fazer vc gozar gostoso.

    • Nemesis

      De onde é???

    • Virgem13

      Eu sou do Rio de Janeiro

  • Responder Leandro662

    Continuação por favor, to com o pau duro só de imaginar

  • Responder Bacellar

    Que delícia! Tomara que tenha continuação!