# # #

Estuprado no campinho com 11 anos

1392 palavras | 18 |4.59
Por

Lembro de que dois amigos meus viviam me mostrando o pau duro. Acabava a pelada e sempre ficávamos sentados alí,sem ir pra casa, conversando bobeiras de adolescente. Um tinha 17 anos. Branquinho, fortinho, cabelos cacheados e muito safado. O outro, negro 18, também parrudinho e também muito safadinho. A pelada terminava por volta das seis da tarde e quando anoitecia, colocavam seus paus pra fora pela perna do shorts e se masturbavam. Eu ficava olhando pois eu tinha o pau pequeno e ficava com vergonha de por pra fora. Mais ficava babando olhando. Achava lindo as expressões que faziam enquanto batiam a punheta. Até que combinaram de me pegar a força e eu não sabia. No dia da pelada,lá estávamos nós e foi quando o branquinho me pediu pra segurar a sua vara e eu disse que não mais tava doido pra sentir ela em minhas mãos. Depois o negro perguntou a mesma coisa e me neguei. Ficaram insistindo e eu com aquela cara e voz dengosa me negando. Então o moreno fez um gesto de que iria embora. Passou por trás de mim e sem eu esperar,me agarrou por trás e me empurrou pra frente,me fazendo cair deitado na grama. Estávamos sentados um do lado do outro,numa ponta do campo, perto da baliza, que era mais resguardado dos olhos alheios. Eu caí deitado de cara na grama e ele veio subindo por cima de mim e me agarrou forte por trás. Seu amigo me segurou as mãos e o outro com as mãos dele livres, arrancou o meu short e começou a sarrar na minha bunda. Eu fazia força pra me soltar mais não gritava porque no fundo eu estava adorando sentir aquele gostoso em cima de mim,me esfregando aquela picona gostosa. Ele fica me chingando e falando coisas,como por exemplo se eu estava gostando de ser fudido por dois machos alfa, se era gostosa a pica dele no rabo, que ele iria arrancar o meu cabaço e essas coisas que só iam me dando mais tesão. Comecei a ensaiar um choro de desespero e a me debater com mais violência. Só que não adiantava porque me seguravam com muita força e pra piorar, aquilo parecia que dava mais tesão neles. Então senti o branco cuspir na mão e encher o meu rego de cuspi. Enfiou o dedo no meu cu e ficava fazendo movimentos que me incomodava bastante, até doía. Então,fingi estar cansado de lutar e relaxei. Estava doido pra ser arrombado por aquele machinho lindo,no qual todas as meninas da rua desejavam e nem sei se pegavam. Ele ficou me dedando um pouco, respirava forte no meu cangote. Eu fingia querer olhar pra trás e ele tentava beijar a minha boca e eu deixava, claro, não deixando ele entender que eu estava facilitando. Então ele mirou no olho do meu cu e foi enfiando devagar. Meu cu ardia das dedadas que ele havia me dado mais facilitei abrindo as pernas. Foi a deixa que ele esperava. Entrou até o saco. Comecei a grunhir de dor e prazer por estar com aquele macho só pra mim. Eles tinham picas bem parecidas no tamanho. Uns 17 cm e era de grossura normal pra suas idades, só que o do negro era bem maior e ele se aproveitando de que estava sentado no chão, segurando as minhas mãos e de pernas abertas,mandou o seu amigo que estava por cima de mim,me comendo, tirar o seu pau duro pela beirada do short pra eu poder mamar. O amigo assim o fez. Agarrou na tora do negão e puxou pra fora e falou no meu ouvido pra chupar o amigo. Eu estava com o cu bem relaxado, adorando a metida dele porque ele metia bem gostosinho mais eu fingia o tempo todo querer fugir dali. Então fui com a boca na direção daquela deliciosa pica preta com cheiro de cuspe e comecei a mamar bem discretamente, pra não perceberem que eu estava adorando tudo aquilo. O branquinho gemia mais do que eu,de tanto tesão que ele estava sentindo e o negro segurava a minha cabeça e socava na minha boca com vontade. Apressava o branquinho, dizendo pra gozar logo que ele também queria meter. E eu lá, relaxado, só sentindo aquele corpo gostoso deitado em cima do meu. Até que ele gemeu alto e senti o meu cu enchendo de leite do meu gato. Eu estava com minha orelha toda mordida de tanto que aquele safadinho mordeu. Levantou de cima de mim e então o pretinho veio e não demorou nada. Já abaixou me cravando o seu piruzão, enterrando até o meu”útero”! Me fazia um vai e vem na bunda que me arrancava suspiros de prazer. Ele percebeu e ficava dizendo pro amigo que eu estava gostando, que estava gemendo de prazer e metia com mais força até alcançar o ápice do prazer. O meu cu estava meio dormente e eu estava feliz,me sentindo tão a vontade, que quando eles se levantaram pra ir embora,eu continuei deitado, pelado e relaxado no gramado do campinho. Já estava escuro e eles foram embora,meio assustados e me abandonaram lá. Fiquei olhando tudo ao redor e pensando comigo mesmo que agora eu não era mais “moça”! Escutei minha mãe me chamando no portão,foi quando eu saí do transe e tentei me arrumar o melhor possível e fui em sua direção. Me perguntou se eu tinha esquecido de ir pra casa,lhe disse que estava brincando de pique na rua de trás e por isso não me dei conta do horário. Me mandou entrar pro banho. Eu estava em êxtase. Bati uma bela punheta no banho, jantei e fui tentar dormir porque estava muito feliz. No outro dia,na parte da tarde,vi os dois safadinhos sentados lá no campinho,(porque o campinho era quase de frente da minha casa). Fiquei olhando pra eles sem que me vissem mais eles pareciam preocupados. Resolvi ir na direção deles. Disse a minha mãe que ia lá fora falar com eles e já voltava. Quando me viram o branquinho veio na minha direção e veio cheio de desculpas, dizendo que nunca mais iria fazer aquilo de novo, que se minha mãe se ligou e essas coisas. Pedi pra ele relaxar, que minha mãe não percebeu e que tava tudo bem. Meu olhar de apaixonado me dedurava pra ele, mostrando que eu havia gostado. Ele se ligou e ficou com aquela cara de safado me perguntando se eu não estava com raiva deles e eu disse que não. Olhou pro amigo dele e sorriu. Me perguntou se podiamos repetir, outro dia, e lhe disse que não sabia pois o meu cu ainda estava muito dolorido e inchado mais quem sabe. Ele me deu um abraço apertado e eu adorei. Nós despedimos e fui pra casa e da Janela da sala dava pra ver os dois, sentados e sorrindo, com certeza comentando tudo o que aconteceu. Ainda dei muito pra eles, principalmente pro branquinho que gostava de beijar na boca e eu adorava o seu hálito. Tinha vezes que ele me comia duas vezes no mesmo dia. E o pretinho era mais reservado. Gostava só de meter mais era carinhoso. Me beijava o rosto e só. Fudemos um bom tempo até que o branquinho se mudou e depois fomos nós que nos mudamos. Nunca mais vi o branquinho e o pretinho encontrei depois de muitos anos. Agora casado e com filhos. No encontramos na rua, conversamos rapidamente pois as lembranças vieram instantaneamente nas nossas mentes e senti que ele ficou com vergonha e tentava não se prolongar nós assuntos. Perguntei se havia visto o branquinho mais me disse que nunca mais o encontrou. Nos despedimos com um aperto de mãos e ele se foi. Então é isso. Um grande beijo pra vcs. Esse conto foi real.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,59 de 34 votos)

Por # # #

18 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Léo Siqueira

    oi quem tiver vídeos ou quiser bater um papo, só me chamar no telegram! @mkultraa

  • Responder Eu

    Achei muito ruim

  • Responder Dhamis

    Parabéns Bacellar o conto ficou ótimo como sempre!

    • Bacellar

      Meninos, não descutam! Quem gostou,gostou. Quem não gostou, só lamento. Agradeço aos elogios e as críticas. Bjs em todos!

  • Responder Goiabada

    So faltou no final dizer que seu nome era Claudete Hetera kkkkk mas eu rachei o bico na parte que enfiou ate o utero kkkkkkk

    • Ade 22

      Que coisa loca como um Gay vai ter útero?

    • Ade 22

      A bichinha do Ryagaki quemou a rosca.. se diese que Homofobia é crime, você ameasando então o que e? Para mim da igual cuánto mis gay e melhor que sobra mais mulher com a Bucetinha buscando um homem de verdade para CHUPAR..

  • Responder Luanzinho

    Eita rs

    Chama no telegram @snt96
    Sou do Am

  • Responder Ade 22

    Nem perco tempo para ler contó de viado, quintas mulher linda no mundo vai comer bicha

    • Ryagaki

      Tá fazendo o q aki pal no cu?
      Se não tem tempo se manda pra parte hetera do site, gay enrustido de merda
      Lindo é seu ku que vai descer de 4 aki na minha pica…

    • Novinho

      Arrasou Ryagaki, deve ser gay incubado esse Ade 22 que se diz hetero, pois oq estaria fazendo na parte dos contos gays ? aiai

    • Ade 22

      Não leo este tipo de contenido, vejo na portada a contos de Gay si quiser da u Cu da a vontade, ai um ditado quem come da quem gosta e porque e gay igual.. lamento muito mais si muitas mulher maravillosa não tenho porque da com macho que disfalsado de Maruja.

    • Ryagaki

      PRIMEIRAMENTE, sua ortografia me enoja, um GAY como eu escrevo melhor que você olha que engraçado…
      EM SEGUNDO LUGAR: Homofobia é crime, você com suas “transformadoras palavras” não incentivou ninguém a virar hétero, pois não é escolha, é instinto.
      Pense muito bem antes de cair sem querer em algum lugar LGBT e falar merda ou o esquadrão aki do Rya vai te por pra mamar em literal. Recado. Dado

    • Ryagaki

      Só pra terminar, te asseguro que ameaçar não é tão ruim pra ratos como você
      Cai aki na dos poc pra tu ver o q é tiroteio colorido com bala pintada de chumbo rs
      Sou bonzinho Bacellar rsss Só tava pondo o Adezinho no buraco dele.

  • Responder @pedrohmq

    Parabens

    • Saulo Batista

      Quem não quer lê, some do site, ninguém é obrigado a lê, quem crítica tem vontade de da o cu

    • Ade 22

      A bichinha do Ryagaki quemou a rosca.. se diese que Homofobia é crime, você ameasando então o que e? Para mim da igual cuánto mis gay e melhor que sobra mais mulher com a Bucetinha buscando um homem de verdade para CHUPAR..

    • Ricardo

      Essas enrustidas são loucas pra sentir a vara rasgando dentro. Tadinha delas!