# #

Traição na viagem

1220 palavras | 8 |4.65
Por

Me chamo Micaella. Tenho 35 anos, casada a 6.
Tenho 1,59m e luto muito na academia e em casa pra manter os meus 52Kg. Sou branca de cabelos castanhos, olhos for de mel. Meu marido Diego tem 37 anos, 1,65m e 70kilos.
Nunca fui santa. Mas Diego nunca teve motivo pra desconfiar de mim.
O que vou contar agora aconteceu em 2015. Trabalho em um banco aqui em Vitória-ES e tive que fazer uma viagem para Manaus por causa de um treinamento.
Na volta, houve um problema no avião e o vôo que deveria ir pro Rio foi cancelado. A cia aérea levou a gente até BH, com a promessa de um vôo pro Rio pela manhã. Entre várias reclamações e xingamentos, não pude deixar de reparar em um dos passageiros que ajudou a acalmar os ânimos. Era um coroa muito charmoso (49 anos, eu soube depois), moreno claro, cerca de 1,80. Tipo de homem mais velho que se cuida e me atrai. Ele conseguiu acalmar os outros e fomos para o outro avião.
Meu marido me ligou dizendo que meu vôo aparreceu cancelado pra ele e expliquei o que aconteceu. Por isso perdi tempo e acabei sendo umas das últimas a embarcar. Fiquei procurando o coroa e, pra minha surpresa, ele estava bem atrás de mim. Eu falando no celular com o Diego, sentei na poltrona e o coroa me ajudou a por a mala do notebook no compartimento de carga. E sentou do meu lado. Terminei a ligação e ele comentou que meu marido devia estar preocupado. Eu disse que sim, mas que tinha explicado tudo. E comentei que a esposa dele também deveria estar. Ele respondeu que sim, mas já havia conversado com ela também. Nos apresentamos. O nome dele é Antônio. Comentei que era o mesmo do meu pai. Ele gostou da coincidência. Fomos conversando amenidades Durante o vôo até BH.
Chegando no hotel, ele disse que a gente poderia jantar na mesma mesa pra não comer sozinho. Não consegui dizer não. Tomei uma ducha rápida, botei uma saia jeans e blusa e fui pro jantar. Ele já estava lá, de shorts e camisa, bem a vontade. Conversamos, dividi cerveja com ele. Ficamos um tempo lá e o garçon veio avisar que iam fechar o restaurante porque já ia dar 22h.
Nos levantamos quase juntos e fomos pro elevador. Ele me fez entrar antes dele e passou a mão de leve na minha cintura. Apertei o meu andar e ele nao. Descemos juntos e ele me levou até a porra do apartamento. Disse que tinha sido um prazer perder o vôo comigo e me deu um beijo no rosto. Quando foi beijar do outro lado, beijou o cantinho da minha Boca. Me arrepiei toda, mas mantive um pouquinho de juízo. Disse que o vôo no dia seguinte ia ser cedo e era melhor ir dormir. Ele concordou e foi embora. Entrei no quarto louca de tesão. Fui beber água pra me acalmar.
Diego me ligou de novo. Eu conversando com ele a campainha tocou. Eu inventei que era serviço de quarto e abri a porta. Era o Antônio. Não sabia o que fazer e puxei ele pra dentro. Falei pro Diego que ligava depois.
Antonio me disse que queria pelo menos manter contato, já que ele ia as vezes a Vitória. Peguei um cartão na minha bolsa e dei a ele. Na porta, ele me beijou de novo no rosto. Ficou me olhando e beijou minha boca, me agarrando. Eu dizia não, pedia pra parar e ele me agarrando, beijando meu pescoço. Eu pedi para por favor. Ele parou. Abriu a porta e me disse:
-se vc quiser que eu vá embora, é só falar e eu vou.
Eu tava excitada, calcinha babada. Olhei pra ele e disse baixinho não vai não.
Ele veio pra mim, me agarrou e me levou pra cama. Abriu minha saia e puxou, jogando ela longe. Tirou lentamente a minha calcinha e ficou olhando minha bucetinha lisinha. Abriu minhas coxas e começou a me chupar. E que chupada! Coroa experiente, sabia como chupar uma buceta. Eu gemia, me contorcia na cama enquanto ele me comia com a língua.
Diego ligou. Pedi pro Antonio parar. Tinha que atender ou ele ia ficar ligando. Antonio me deu meu celular. Comecei a conversar com o Diego e o safado voltou a me chupar. Fiquei louca de tesão. Segurando os gemidos pro meu marido não desconfiar enquanto o coroa me dava uma chupada deliciosa. Botei no mute e falei:
-assim eu vou gozar seu desgraçado!
-dispensa logo esse corno então!
Tratei de dispensar o Diego. Antonio voltou a me chupar com vontade, com fome. Não me segurei mais e gozei na lingua dele, apertando a cabeça dele com as coxas. Ele ficou de pé, baixou o shorts e disse que era a minha vez. Sentei na cama, peguei no volume na cueca e fiquei mais tesuda. Cacete volumoso. Puxei a cueca pra baixo e o pau saltou no meu rosto. Não era muito maior que do meu marido, mas com certeza era bem mais grosso. Comecei a mamar ele, com vontade, com tesão.
-mama putinha, mama.
Obedeci, delirando com o xingamento.
-vem fuder tua puta, vem.
Ele me empurrou na cama. Pegou uma camisinha e botou no pau. Pegou meus pés, prendeu meus tornozelos com o cinto da bermuda e botou no peito dele e veio por cima de mim. Fiquei toda arreganhada pra ele. Senti a cabeça do cacetão na entradinha da minha minininha. Ele ficou esfregando, sem meter.
-me come por favor. Vc tá me torturando assim.
-quer pica, vadia?
-quero!
Ele foi forçando, me invadindo, tomando conta de mim. Eu gemia e pedia mais. Ele forçou e entrou tudo de uma vez. Dei um grito de tesão. Ele começou a me foder com força.
-ai, para Toni para!
-por que, safada? Vc tá gostando!
-para um pouquinho para, por favor. To te pedindo.
Ele patou. Pedi pra ele tirar de mim. Ele não queria, eu pedi por favor, tira só um pouquinho. Ele me atendeu. Tirou todo de mim. Peguei no Pau dele e puxei a camisinha e joguei fora.
-agora vem seu filho da puta!
Ele ficou louco. Socou tudo de volta em mim, de uma vez.
-toma pica sua rapariga safada! Piranha! Puta sem vergonha!
-me fode seu coroa filho da puta!
-coroa que te fode muito melhor que o corno do teu marido!
-fode, porra, fode! Fode que eu vou gozar de novo!
-goza então, sua puta!
-solta meus pés solta.
Ele soltou. Agarrei ele com braços e pernas.
Ele meteu rápido, fundo. Gozei agarrando ele, cruzei as pernas na cintura dele.
-me solta. Quero gozar nos teus peitos.
-goza dentro de mim! Quero dentro! Quero tua porra em mim seu puto!
-então toma, vadia!!!
Ele gozou forte. Eu chorei de gozar. Ele me deu um beijo delicioso. Disse que eu era uma puta louca. Eu disse aproveita então que não sou assim todo dia…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,65 de 20 votos)

Por # #

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder SERGIOLUIZLEITE

    AFINAL TODAS SAO VADIAS TRAEM ESTA NA ALMA DA MULHER

  • Responder [email protected]

    Estou no interior de sp, próximo á capital paulista. Caso alguma mulher fogosa e safadinha esteja de passagem pela minha região, me contate, pois quero te fazer gozar de forma discreta. Depois vc recordará e ficará molhadinha, mexendo no seu clitóris e se tocará.
    [email protected]
    Venha de outra cidade gozar comigo

    • ;)

      Sou De Vila velha!

  • Responder lucas cardoso

    êta conto bão 🙂 Rapaziada quer aumentar o pênis e melhorar sua performance com sua parceira. Método aprovado, você recebe a bomba peniana em casa! utilize ela por 15 minutos 3 vezes na semana . Manda uma msg nesse Email:[email protected] ( embalagem discreta, no precinho pra galera do site)

  • Responder Trovão

    Delicia de conto, me vi neste conto com os meus 49 anos

  • Responder Eu casado

    Tesão de conto, sou do PR e tenho 46 anos…
    Me chama no email
    [email protected]

    • Morenosafado

      AMEI SEU CONTO ALINE VC É BEM SAFADA DO JEITO QUE GOSTO DE UMA MULHER

  • Responder Haney

    I’m vitória