# # #

Surubinha com as filhas e as amiguinhas delas e a sobrinha da minha esposa! – Festa da Eduarda

1762 palavras | 4 |4.68
Por

Olá caros leitores, demorei, mas voltei, e hoje com mais uma aventura sexual com minha família e agora com a participação de mais ninfetas

Olá caros leitores, demorei, mas voltei, e hoje com mais uma aventura sexual com minha família (esposa e três filhas gostosa) e agora com a participação de mais ninfetas.
Vamos lá, tentarei resumir um pouco dos meus outros contos devido o tempo que não fiz publicações, então, para que não sabe sou casado com Jamylle e deste casamento tivemos três meninas, Kevellyn (9 anos) e as Gêmeas Ana Kallyne e Karollyne (7 anos), sempre acostumamos elas e terem liberdades (Andar nus, tomar banho juntos…) e também ensinamos que “fazemos em casa fica em nossa casa”, ou seja, os nossos costumes de casa, não é para ser falado para ninguém, pois, nossa sociedade é hipócrita em vários assuntos, principalmente quando envolve família.
Desde cedo (7 anos), as meninas já sabiam o que era sexo, não com participantes ativas, mas como espectadoras, porém, com o passar do tempo liberamos para elas participarem ativamente (chupando, masturbando, porém, sem penetração), nunca forçamos nossas filhas a nada referente a sexualidade, por exemplo, a Kevellyn até participou comigo de uma orgia “leve” entre amigos e suas filhas (todos adeptos do Incesto). Para nossos vizinhos e familiares somos considerados uma família comum sem demostrar nada de anormal.

Mas vamos para o conto em si,

Os dias foram passando e nossa família cada vez mais fogosa, Jamylle cada vez mais ousada e deixava as meninas cada vez mais putinhas, Kevellyn já tinha até me pedido várias para comer ela, por que Jamylle contava para elas que eu saiba deixar ela “feliz o dia todo”, mas eu disse a minha filha que ela esperasse um momento especial que eu deixaria ela e suas irmãs “pulando de alegria”, aliás, minha filhas adoram tomar meu leitinho após a mãe delas e eu transarmos.
Após uma semana, recebemos a visita de uma ninfeta, sobrinha de Jamylle, o nome dela é Maria Eduarda (10 anos), uma verdadeira putinha, mas travestida de “Santa”, Jamylle me disse que ela chupa pica em troca de ingresso para shows (mas é uma menina discreta e que todos que “conhecem” dizem que é um amor de pessoa), ela veio para a cidade onde moro, por que queria comemorar seu aniversário de 11 anos na minha casa (Minha casa é grande, tem piscina), então a mãe de Eduarda junto com Jamylle organizaram todo a festa, porém, devido a Pandemia a mãe de Eduarda e os familiares não poderão vir, ate cogitaram cancelar, mas Jamylle, sabendo que seria um bom momento para termos uma evolução em nossas fantasias sexuais, disse a mãe de Eduarda que não se preocupasse pois ela faria uma festa mais reservada para que Eduarda não tivesse esse momento passado em branco.
Então ela falou comigo e montamos duas festas, uma festa do pijama e festa nudista (Surubinha), porém, antes falamos com Eduarda para que ela não contasse a ninguém da segunda festa, Jamylle conhecia bem a sobrinha, sabia que ela não contaria nem se fosse interrogada, logo Eduarda aceitou, então ligamos para os meus amigos e amigos Jamylle, na verdade ligamos para todo que sabíamos que tinham algum caso incestuoso com as filhas e que com certeza liberaria as filhas para uma festinha mais intima, como a festa era a noite os pais deixaram as meninas e foram para casa, e no outro dia vir pegar ou eu a Jamylle levaria elas, mas muitos já sabiam que não seria só uma festinha infantil, até que uns disseram que depois marcaríamos uma festa novamente na casa deles…
Tudo pronto, fizemos um live com os pais de Eduarda e alguns familiares e amigos, depois de umas 2 horas de festa do pijama todos se despediram e desligamos as câmeras, dai, Jamylle anunciou que a festa do pijama havia mudado o tema para praia Naturista as meninas (cerca de umas 10 meninas entre 8 e 11 anos) correram para o quarto das minhas filhas e tiraram os pijamas, que aliás, tive que colocar a câmera da live um pouco desfocada para disfarçar minha ereção e o “Pijama” de algumas dessas meninas, mas elas foram tiram os pijamas e voltaram de biquini um menor que o outro, mas claro, os biquinis das minha filhas foram os que me deixaram de pau duro na hora, como elas tem umas bundas bem avantajadas (minha sorte, elas tem carne para roçar no meu pau, creio que não me acostumaria sentir um osso apertando meu pau, e acho que também não seria agradável para a menina, se com uma mulher adulta muito magra já da aflição imagine nessas ninfetas).
Para começar a diversão Jamylle organizou um desfile, onde as meninas tenham que desfilas na beira da piscina, tirar o biquini e pular na água e não haveria ganhadora, depois do desfile as meninas começaram a dançar nuas, e Kevellyn veio onde eu estava sentado e perguntou:
– Posso sentar no seu colo?
E eu:
– Claro minha princesa, eu estava com um short de banho, sem cueca e assim que ela se sentou e como ela estava nua sentiu que meu pau já estava quase explodindo de tesão.
Nisso ela começou a rebolar devagar já com as bandas da bunda fazendo um sanduiche de pica, Jamylle percebeu e falou no meu ouvido:
– Tira a pica para fora amor e faz nossa menina sentir um gostinho do que vai acontecer hoje
Nisso, coloquei a pica para fora e com esse anuncio que minha esposa disse, quase penetrei minha menina (Minha pica estava ereta e minha filha estava descendo, mas a pica foi para a frente no meio das coxas dela, bem no vão da bucetinha carnuda, ela começou a fazer movimentos de trás para frente no ritmo da musica e não deu outra gozei na barriga dela, vendo isso minha gostosa esposa chamou as meninas para mostrar uma brincadeira, ela disse para as meninas testarem isso quando forem brincar com os pais delas, tinha certeza que eles iriam adorar, ela me chamou e falou:
– Quero que você me coma aqui, vamos mostrar a essas ninfetas como é gozar.
Como a gente já estava sem roupa, Jamylle ficou de quatro em minha frente e eu penetrei no cuzinho dela, enquanto eu ia bombando atrás ela começou a gemer e perguntado para as meninas:
– Aiiiii… me fode seu puto….Quem de vocês na brincou assim com seus pais, ele colocar a pica dentro do cuzinho.
Umas 6 meninas disseram que já fizeram, só que doi muito e outras (menos nossas filhas), inclusive Eduarda disse que já enfiaram o dedo no cuzinho dela (Como ela não tem pai, deduzo que foi algum outro). E Jamylle disse:
– Então vou ensinar a vocês como fazer sem doer muito, vem cá meninas (chamou nossas três Meninas) e falou:
– Elas nunca receberam nem dedada e nem pica no cuzinho delas, hoje será a primeira vez delas, mas como essa festa é para Eduarda, ela terá a honra de ser a primeira a experimentar.
Todas as meninas gritaram incentivando a Eduarda e como ela já disse que levou dedada no cú, ficaria um pouco mais fácil, primeiramente Jamylle colocou Eduarda de quatro e foi explicando as meninas:
– Vejam que ele vai chupar ela e depois vai colocar um dedo no cuzinho dela para ele se acostumar, depois ele vai colocando mais um até que o cuzinho dela ficar bem aberto e assim pode colocar a pica sem vocês sentirem dor.
Depois dessa explicação fui fazer a pratica, dei algumas chupadas na Bucetinha e no Cuzinho dela, que aliás, uma bucetinha bem carnuda e uma bundinha bem razoável (ela não precisa se empinar muito para ver o cuzinho dela), comecei a enfiar o dedo indicador enquanto a chupava a buceta e sempre perguntando:
– Quando sentir alguma dor você me fala, e ela
– Ok, Tio
Enquanto eu fazia brincava com Eduarda as outras meninas nem piscava os olhos e as vezes perguntavam (por que meus dedos são pequenos, porém, são grossos) se ela estava sentindo alguma dor, sendo logo respondida com não, logo comecei a introduzir o outro dedo e dai Jamylle veio com a solução para as meninas não sentirem dores, dai ela falou:
– Meninas o Tio estava brincando com a Eduarda do jeito que os pais de vocês brincam né, todas disseram que sim, digam para os pais de vocês comprarem uma pomada (pomada anestésica com lubrificante) assim.
Dai ela passou a pomada no Cuzinho da Eduarda e pediu para eu massagear um pouco mais e depois penetrar nela, como já fazia algum tempo que ela estava de quatro pedi para ela deitar de barriga para baixo e coloquei uma almofada embaixo e comecei a penetrar (com camisinha) devagar e as meninas ficaram eufóricas e algumas começaram a bater uma siririca enquanto eu enrabava a Eduarda (claro sem colocar meu peso encima da menina) depois peguei ela e levei para uma mesa de madeira, onde coloque ela novamente de barriga para baixo, mas como estava na mesa as pernas dela ficaram sem tocar chão, Eduarda só soltava uns gemidinho de Prazer e as vezes falava:
– Come tio o cuzinho da sua sobrinha putinha, adorei meu presente.
Enquanto isso Jamylle veio com um copo e me disse “goza nesse copo para a próxima brincadeira”, mas, Eduarda estava com mais tesão que eu e gozou antes (aliás, não sei se nessa idade já Goza), eu ainda fique de pica dura, quando Jamylle chamou as nossas filhas para terminar o “serviço” (Elas sabem fazer um bom revezamento de chupada, ninguém fica sem chupar) até que gozei na boca de Kallyne, por esta de camisinha, tirei ela e coloquei meu gozo no copo, até que uma das meninas perguntou a Jamylle:
– Tia, ele vai brincar com nós? Eu quero!
Jamylle disse:
– A tia vai ver se ele aguentar as nossas filhas eu libero ele para vocês, ok!

Como o Conto está ficando um pouco longo, dividirei eu outra parte

Desde Já agradeço a atenção de todos os leitores

E se gostou ou tem uma história parecida, comenta aí embaixo

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,68 de 22 votos)

Por # # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Fernando

    Que delicia queria estar nessa festinha hummm. Conta mais.

  • Responder Pachecao

    Porra me convida para esta gostosa putaria

    • casal e filhas parana

      cara continua

  • Responder Giovane

    Caralho*, meu sonho uma novinha assim pra comer gostoso
    [email protected]