#

Roselene mulher do amigo do meu pai, que confusão

2566 palavras | 1 |3.42
Por

Tudo aconteceu quando eu estava com 13 anos, tímido, retraído, reservado, a mulher do amigo do meu pai, mais velha que minha mãe, a encrenca foi feia.

Eu morava com meus pais e dois irmãos, Olivia e Olavo, gêmeos, dois anos mais velhos que eu, diferente deles, eu sou albino, branquelo, alto demais pra minha idade, só 50% de visão, forte, eles mais baixo, magrelos, menos brancos, enfim normais, devido isso eu sofria muito bullyng na escola, macarrão sem molho, leite azedo, boneco de Olinda, cabelo de fogo, e por eu ser tímido, reservado, meus pais me superprotegiam, não podia brincar como as demais crianças, na escola, eu não fazia educação física, não podia jogar bola, mas também devido a outro problema muscular e de circulação sanguínea, eu tinha que fazer natação, desde novinho, e exercicos fisicos pra fortalecer a musculatura, o que me fazia crescer, mas mesmo nesses ambiente eu gostava sempre de ficar sozinho, pois me sentia melhor, não gostava de ninguém falando do meu problema, ou sendo como que ponto de referencia pras pessoas, pois qualquer coisa, ah ta vendo aquelo menino branquelo, ou quando iam me mencionar todos tinham que mencionar algum defeito físico, eu ficava furioso, assim preferia ficar isolado, e aos 13 anos parecia que tudo isso aumentava, ai falei com meu pai que queria fazer exercícios em casa, mas o clube reservou um lugar e horário onde eu ficava quase só, mas naquele ano tudo mudou, uma família de amigos de meu pai, se mudou pra perto de nossa casa, Alberto e Roselene, e os filhos dele, Miguel e Michele da idade de meus irmãos, Alberto trabalha no mesmo banco que meu pai, sempre foram amigos, desde novos, mas Alberto morava em São José dos Campos, e pouco se viam, mas agora eles perto, a amizade deles voltou a ser como antes, iam direto la em casa, íamos a casa deles também, mas eu sempre ficava em casa sozinho, na igreja eu também ia bem pouco, pois não gostava da aglomerações, quando ia ficava numa salinha, meio escura, onde havia um piano, e eu olhava as partituras e ficava tocando, a sala era acústica, e eu só saia quando me chamavam pra ir pra casa, mas Roselene falava com minha mãe que ela devia me levar a um médico, eu precisava me desenvolver, não era saudável eu sempre trancado no quarto, ou no clube solitário, mas minha mãe não tinha tempo, eu também me recusava a ir, mas Roselene insistiu com meus pais, e se ofereceu a me levar, eles aceitaram, e mesmo contra a minha vontade, tive que ir, era uma psiquiatra, que foi muito legal, me fez sentir melhor, ai ela me encaminhou pra psicólogo, onde Roselene também me levou, a psicóloga foi muito legal, carinhosa, me elgiou, disse que eu era muito bonito, e começamos um tratamento, na primeira semana começou a ficar chato, na segunda semana também, mas numa segunda feira da terceira semana, a psicóloga falou que seria o ultimo dia dela ali, mas faria diferente, e ude cabeça baixa querendo sair dali, ai ela falou, Olha to vendo que esta sendo chato pra você, mas tenho que te falar algo, sabe, primeiro me prometa que não vai falar a ninguém. Eu prometi, ai ela falou. Bom sabe, seus pais acham que você é afiminado, pois você não age igual os demais meninos da sua idade, por favor, não diga nada a ninguém, Eu triste, mais triste fiquei, ai ela falou. Mas sabe acho que você não é, me fala, você ja ficou de namorico na escola, ja beijou, nota as meninas? Eu nada respondi, ela falou. sabe a mulher que te trouxe é linda, ja notou ela, você se masturba? Eu encabulado. Como assim. E abaixei a cabeça, Ela, Não precisa ficar assim é normal você ésta vivo, fala pra mim, ja mexeu no seu penis? Eu fiquei roxo de vergonha, mas ai ela foi falando e pegando no meu pau por fora da causa, eu fui ficando excitado, ela falou. Humm você gosta de mulher. sabe, eu também. e você deve deixar isso crescer em você, Ela foi falando e abrindo minha calça, eu tentei sair, ela me segurou, e continuou, ai pegou meu pau branco, e começou a mexer, foi muito bom, ela perguntou, e eu afirmei balançando a cabeça, ela continuou e eu ejaculei, melando o braço dela, foi muito bom, ela falou, Acho que foi a primeira vez? Eu. Sim ja mexi antes, mas bem pouco, nunca saiu isso, ai ela falou. Hum é uma mulher assim você ja viu? Ela me mostrou um foto de mulher pelada no celular. eu olhei e falei que não. ai ela falou. Então vai ver agora, mas boca de siri hein. Eu prometi mais uma vez, estava bem curisoso, e ela levanta a saia, desce a calcinha, e pela primeira vez eu vejo uma buceta. lisa, inchada, ela sentou na mesa me fez sentar na cadeira, e falou, Vem vamos fazer algo gostoso, ja que fiz em você agora faça comigo, Ela com os dedos abriu a buceta e falou, Ta vendo essa coisinha aqui em cima, quero que chupe, passe a lingua molhada e suave, por favor, eu achei um cheiro um pouco forte, mas obedeci, fui com a lingua direto no grelo, ela deu baixinho, e falou. Espera eu vou ver a porta, Ai verificou a porta, e voltou, sentou com as pernas abertas, e falou. Agora vai, pode lamber mais rápido, Eu ja fui com a lingua, lambi, passei bem a lingua no grelo, ela me apertando com sua buceta, minha cara ja toda lambuzada, ela fala, Vaiii. ahhh. que delicia. e sinto um liquido descendo, fui sugando tudo, ela me apertou tão forte que doeu meu pescoço, e me soltou, eu fiquei com o pescoço dolorido, ela fez massagem, e foi melhorando, ai me colocou em um degrau, tirou meu pau, e chupou, eu logo gozei, ela falou. Agora depressa vai lavar o rosto, você ta vermelho. Quando lavei, ela fala, bom agora é isso, pra que não pense, mais isso, começa a olhar as meninas, as calcinhas delas, se masturme, converse mais, e lembre-se, ninguém pode saber, foi gostoso? Eu falei que foi ótimo, e ela me beijou, e disse bom talvez não nos veremos mais, mas olha aquela mulher é gostosa. imagina e vagina dela. Au ela me levou pra recepção falou com Roselene, que na próxima não seria mais ela, se despediu de mim e se foi. no carro com Roselene, eu pensando em tudo o que acontecera, não acreditando no que tinha feito, olhando pras pernas de Roselene, ai ouço ela me chamando, Oiii, planeta terra chamando, Eu falei. Ah desculpa, é que hj foi tenso. Ela. Deve ter sido mesmo, ta todo vermelho, saiu parecendo que correu, o que houve. bom sei que não pode falar. mas acho que deu efeito. Ela falou e eu de novo me pego olhando pra suas pernas, e ela começa a me chamar novamente, Oiii, tem alguém ai? Eu. Desculpa mais uma vez. acho que não estou bem. desculpa. Ela. Mas você esta sentindo algo? por favor. fala. Eu. Não só pensativo. quero pesquisar algumas coisas, Ela. A psicóloga deve ter te pedido né? Eu. Sim pediu. Ai ela falou. Se precisar de ajuda, conte comigo. Em casa eu acessei sites porno, vi videos, tudo muito bom, me masturbei, no banheiro, peguei a calcinhas de minha irma, cheirei, lambi, a de minha mãe também, na escola, comecei a tentar ver a calcinhas das meninas, a tirar fotos discretamente, das professoras, parecia que eu estava doido, tentei conseguir o telefone da psicóloga, aqueles dias foram tensos, na natação eu não me concentrava, ai num fim de semana ia ter um churrasco na casa de Roselene, que ligou e falou com minha mãe pra me levar dessa vez, e nem precisaram insistir, eu aceitei de cara, e fomos, comemos, mesmo assim eu reservado , ai fui ao banheiro, procurei no cesto de roupa, as calcinhas de Michele, achei uma que estava dentro de uma calça que ela usava, peguei cheirei, lambi, procurei mais, e havia um maior, era de Roselene, peguei cheirei, e levei as duas comigo, na sala, havia um piano elétrico, eu comecei a tocar, todos pararam pra ouvir, e notaram que eu sabia tocar algumas musicas, meu pai falou que iria me dar um de presente, Roselene, disse que iria estudar musica, e meu pai poderia me matricular na mesma escola que ela, assim ela me levaria e me traria de volta, e assim se deu, no primeiro dia de aula, no carro, eu olhando pra suas pernas, e ela notando, eu ficava vidrado, chegando na escola, eu sempre na cola dela, olhava pra bunda, pros peitos, ela virava, ai na cadeira sentada, a professora falando e eu de olhos em suas pernas, na volta, ela fala, Olha percebo que você me olha muito, tem algo de errado comigo? Eu. Não tem nada de errado não. Ela. Então. o que você tanto olha? Eu. Não sei. não é nada. Ela. Humm. se não é nada. então pare, pois fica chato. sabe. as pessoas notam você me olhando, sei que enxerga pouco, mas tenta não ficar assim, é que como disse fica chato pra mim. Eu prometi. e passei a olhar pra fora, Ela falou. Se tiver algo pra dizer fale, as vezes não quer falar com seus pais, mas fale comigo, quam sabe eu possa te ajudar. Chegamos em casa e eu disse. Ta bom. depois talvez eu fale. mas obrigado, e desculpa. Ela, Sem problemas. até mais. em casa eu entrei, e ja fui direto pra banho, peguei uma calcinha de minha irmã, e lambi, bati aquela punheta e gozei. no meu quarto d novo vendo filme porno, no dia seguinte, na sala de aula, vi a calcinha pra professora, e fotografei no celular, ai na próxima aula de musica, Roselene passou em casa, me pegou, e fomos, no caminho eu olhando pra fora, e falei o nome da psicóloga, Ela. Hum gostou dela. que pena que ela teve que sair, mas a substituta deve ser legal também. Eu falei. É que ela fez. Ai Roselene. Fez o que? Eu. embaraçado. falei. Fez bem feito o serviço dela, me ajudou muito. fui falando e coloquei a mão no pinto, sem me dar conta, e meu pau endureceu. Roselene parou o carro, eu nem notei, e ela olhando pro meu pau, duro, na calça do uniforme escolar, Ela. Que é isso menino? Eu. desculpa, Coloquei os cadernos em cima pra disfarçar, mas ela ja tinha notado, e falou. Patricio o que houve? ela te falou algo que te deixou assim ou fez, fala, pode confiar. não vou falar nada a ninguém. eu e seus pais estamos percebendo você muito diferente, e eu notei que depois daquele dia, é que esta sendo assim. vamos fala. Eu. Sabe. é que não posso, eu prometi, desculpa, Ela falou. bom vamos pra aula na volta voce me conta. Ai na volta, ela para o carro, e me pergunta, vamos fala, pode confiar, ninguam vai ficar sabendo, Eu sem saber o que dizer, mas pensei, quem sabe ela me ajuda, sei la. ai resolvi contar tudo. Ela ficou abismada. Que desgraçada. temos que denunciar ela, imagina, você uma criança. Mas eu disse. Por favor Roselene, não fala nada. você prometeu. e doi a coisa mais gostosa do mundo, nunca imaginei que seria tao bom desculpa, mas eu vou negar tudo. Ela falou. A sei la, meu filho, isso é inaceitável. Eu disse. Não, além do mais todos pensam que sou gay, mas eu não sou, eu gosto de mulher, Eu estava quase chorando, e ela me prometeu que deixaria tudo como estava, não iria falar nada, mas eu deveria falar com meus pais, o fato de só estar pensando em sexo o tempo todo, Eu falei, Mas ninguém pode me ajudar, eles vão é brigar comigo, eu abri a porta do carro e ia saindo, quando ela sai também e me traz de volta pro carro, eu ja chorando, ela fala. Calma meu amor. não vou falar nada, ta não precisa falar com ninguém, só com o psicólogo, fala tudo o que sente, em casa eu me acabei na punheta, na sexta feira havia outra aula de musica, Roselene foi la, me pegou e fomos a aula, chegando la, a escola estava fechada, devido a uma acidente elétrico que houve, na volta, ela começou a me perguntar, como era antes da psicóloga. eu disse que era notmal, nem pensava em nada daquilo, mas agora, era diferente, ela falou. Bom, é normal na tua idade, mas eu sou mais velha que tua mãe, além do mais, você tem que me respeitar, Eu. Sim eu respeito, foi por que ela falou isso, mas eu sempre vou te respeitar, desculpa mesmo, Ela, Ta tudo bem, mas quando fomos ao psicólogo, voce vai falar tudo, no fim de semana um churrasco na casa deles, e la vai eu, no banheiro, Michele tinha acabado de tomar banho eu entrei, e logo vi, a calcinha ainda quente dela, bem húmida, lambi, e me masturbei, deixando algumas manchas de porra na tampa do vaso, e levei a calcinha comigo, e outras de Roselene, cerca de 4 calcinhas. em casa me masturbava direto, escondia as calcinhas da capa de um violão que meu pai me deu, e depois que me upai me matriculou também na aula de violão Roselene passou a me buscar ai aconteceu que antes de sair de casa acho que na segunda aula de violão, eu esqueci de tirar as calcinhas, na escola, eu peguie o violão dela e ela o meu, eu nem percebi, ai resolvemos tirar da capa, e deixar a capa no carro, quando ela abre, logo fala, mas essa e uma calcinha minha, quando me dei conta, putz, ela foi tirando as calcinhas da capa do violão, Patricio, o que é isso? safado, minhas calcinhas e as de Michele, tarado, imagina quando tua mãe souber. As calcinhas todas coladas de porra, eram umas 10 calcinhas, eu imediatamente, pedi desculpa, e falei que estava com problema, tudo aquilo estava me deixando louco, ela falou. Entra no carro, eu ja volto. Ela foi a recepção e falo algo, ai voltou, Vamos embora. precisamos conversar, rapazinho. imagina. se masturbando com minhas calcinhas e as de Michele, Eu chorando, sem saber o que ia acontecer, desesperado, ela falando meu marido vai te matar, ai eu fiquei com mais medo ainda, ai ela começou a ligar pra mim mãe, quando minha mãe atendeu, eu ja não vi mais nada, acordei horas depois no hospital, sem enxergar nada, fiquei alguns dias assim Roselene, chorou, ouvia minha mãe também, depois meu pai, e eu continuo depois,

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,42 de 12 votos)

Por #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Embucetado

    Legal garoto, parece real, continua vamos ver se termina bem. kkk