# # #

Minha sobrinha Ju

621 palavras | 9 |4.38
Por

Meu relato e meio que um desabafo. Não julgue se não compartilha do fetiche, e não me encha o saco nos comentários.

É meio estranho crescer e passar a adolescência e ainda gostar de meninas novas. Só quem passou por isso sabe. Você já olha até praquelas gostosas de 25 ou 30, mas fica louco só de pensar naquelas meninas pequenas com a pele lisinha e aquelas coxas brancas no vestidinho.

E foi nessa época que aconteceu o que eu vou contar aqui. Foi em 2018, e eu tinha 19 anos. Estava pronto pra sair da casa dos meus pais e ir pra faculdade, e aí soube que a minha irmã viria visitar a gente. Ela é minha meia irmã, filha do meu pai com outra mulher, e eu só tinha falado com ela no telefone. Só sabia que ela era linda, e que tinha uma filha ainda mais linda, Juliana, de 8 anos.

Pra esse texto não ficar gigante, vou dar uma adiantada. Ela veio visitar a gente no fim de semana e dormiu aqui, e foi assim que eu conheci a Ju. E meu deus do céu, que anjinho. Loirinha e branquinha dos olhos verdes que nem a mãe. Era baixinha e super comportada. Ela não falava muito.

E ela me adorou, porque eu brincava com ela enquanto os adultos conversavam e deixava ela jogar videogame no meu quarto. E eu me controlando pra não fazer besteira.

E quando chegou a noite meus pais arrumaram o quarto de hóspedes pra eles, mas a Ju começou a encher o saco da mãe dela, dizendo que queria dormir no meu quarto. Depois de horas de insistência da menina, a mãe dela acabou deixando. Ela não devia ter medo porque eu era da família.

Aí à noite minha “irmã” levou a Ju pro meu quarto e foi dormir. Eu deitei na minha cama que era de casal e apaguei a luz, me controlando pra não fazer nada. Pelo que pareceu uma eternidade depois, eu olhei pro lado e vi a Ju naquela camisolinha dela, que era basicamente um vestidinho fino todo branco, e e eu podia ver até a calcinha branca com florzinha por baixo.

Como ela estava dormindo, eu comecei a fazer carinho nas pernas dela, e quando cheguei naquelas coxas branquinhas e quentinhas, meu pau já estava duro que nem pedra. Eu abaixei a calcinha dela e comecei a esfregar naqueles lábios inchadinhos de menina.

Parecia que eu estava num sonho, e então eu lambi aquela xaninha. E olha, essa é uma lembrança que me deixa excitado ate hoje. Eu já tinha percebido que ela estava acordada, mas ela não me pediu pra parar em momento algum. Se eu tivesse continuado naquilo, talvez tivesse gozado sem nem encostar no meu pau

Mas escutei um barulho na cozinha, e na hora subi a calcinha da Ju de volta e cobri ela com as cobertas e fingi que estava dormindo. Segundos depois a mãe dela abre a porta do quarto pra ver como ela estava, e eu não tive coragem de tentar de novo.

Acabei dormindo de pau duro, e no próximo dia a Ju ficou ainda mais próxima de mim, e não me deixava de lado por nada. Ela chegou até a chorar quando eles foram embora naquela tarde.

Eu ainda não vi ela de novo, porque a minha irmã mora em Brasília com o marido. Mas espero poder brincar com a minha sobrinha mais uma vez.

Bom, é isso. Eu fiz o possível pra deixar a história num formato de conto, e desculpa os erros de português. Como o pessoal do site pelo jeito só usa Telegram pra conversar sobre essas coisas, vou deixar meu contato. Um abraço pra vocês.

Telegram: Lamora8

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,38 de 24 votos)

Por # # #

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Master ken

    Tenso isso . Dormi de pau duro

  • Responder JP

    Tesao de conto! Telegram JP_UK

  • Responder SOLRAC

    Lamora8 sei bem o que é isso viu,também passei sufoco.
    Meu TELEGRAM CALOS tem um pitbull na foto.

  • Responder Autor

    Se quiserem trocar me chamem no Telegram: Lamora8

    • Carlos

      Oiii… fala que vc viu a muito tempo
      Tem grupo?

  • Responder Ju

    Conto horroroso.

  • Responder Vit

    Que delícia, mas conte mais …

  • Responder Sr Ka

    Bom.
    Talvez tenha sido porque o ocorrido não foi tão intenso, mas você focou em excesso o desejo por compactar a história

  • Responder Eu

    Ridiculo