# #

Minha primeira entrevista de emprego

527 palavras | 4 |3.70
Por

Assim que completei 18 anos e conclui o ensino médio, sai em busca de um trabalho pra realizar o sonho de morar sozinha, nem que fosse de aluguel. Na época eu ainda não tinha nenhum tipo de experiência, só era boa em socializar, mas de resto só a beleza me salvava mesmo. Estava tomando forma como mulher, meus seios são acima da média desde os 14 anos, mas uma coisa que eu consegui manter mesmo sem muito esforço foi minha cintura e abdômen, desde novinha são fininha e sequinho, então isso me permitia usar roupas que valorizassem essa parte. Logo na primeira entrevista, meu pai me colocou pra ir no escritório de um dos conhecidos dele, então fui até bem comportada por medo dele ser rígido como meu pai, só que não foi nada disso. O coroa foi todo afoito pra cima de mim, com perguntas de duplo sentido, me deixou bem desconfortável, sendo exatamente o que queria pra eu perder minha confiança e ele poder abusar do poder que tinha. Na época era inocente demais pra sacar isso, acabei caindo na lábia dele e quando percebi já tinha ajoelhado pra pagar pelo tempo que ele perdeu comigo só pra atender um pedido do amigo. Ver o pau de alguém bem mais velho é estranho na primeira vez de quem só estava acostumada a chupar os meninos da escola, mas eu tive peito pra enfrentar e o velho delirou no meu boquete. Suguei o cacete dele com força, babei nele todo e até deixei que forçasse contra minha garganta na hora de gozar, como sempre engoli tudo e ele me puxou pra sentar em seu colo de frente enquanto abria os botões da blusa pra ficar de cara com meus peitos. Esperei por uns bons minutos com ele brincando neles até o pau endurecer de novo, a essa altura minha saia tinha subido até o quadrinho e minha bunda ardia de tanta palmada que tinha recebido, meu cuzinho tinha resistido bravamente as investidas dos dedos dele. Quando perguntou se ainda era virgem, menti pra tentar inibir a ação dele, mas foi mesmo que nada, o safado colocou minha calcinha de lado e penetrou o pau todo na minha xaninha que sequer estava molhada o bastante, ainda tive de aguentar ele reclamando de que tava muito apertada. Se tava tão ruim, por que ele não parou? Ficou chupando meus peitinhos e metendo na minha bucetinha por uns quinze minutos, apertando a cintura e batendo na bunda até gozar de novo dentro de mim, nem se preocupou em engravidar uma novinha, mas depois descobrir que o velho tinha feito vasectomia, então podia gozar em qualquer uma sem medo. Sai de cima dele e comecei a me arrumar novamente, recebendo a garantia de que iria ser chamada de novo caso uma oportunidade surgisse. Naquele dia fui pra casa achando que não seria tão ruim morar com meu pai pra sempre, mas depois consegui um emprego e consequentemente a independência financeira, mas isso também custou caro.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,70 de 23 votos)

Por # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Guilherme S.

    Cassandra, me bateu uma curiosidade, vc alguma vez já deu pra alguém usando camisinha? Eu digo isso porque li todos as suas histórias e percebi q vc é uma menina q faz amizade muito, muito fácil e rápido, e em questão de minutos vc já está boqueteando e levando pau na xota no pelo.
    Mas pensando bem, eu conheci algumas Cassandras e elas agiam como vc, na hora da pegação, quando a buceta começa a esquentar, vai tudo pro espaço, nada mais importa senão o tesão, elas só querem prazer q uma pica pode proporcionar e fodem como putas safadas vadias. Essas são as melhores, que me proporcionaram as melhores fodas pois se entregam ao momento e não pensam em mais nada, querem só prazer, e uma boa gozada bem fundo.

  • Responder Rogério

    Sem graça

  • Responder Rafaella

    Que horror.. mas já aconteceu neh ? Beijos

  • Responder N777

    Conto maravilhoso eu quero saber mais