# # #

Assisti um estupro ao vivo

1314 palavras | 3 |4.00
Por

Fato real ocorrido a vinte anos em meu bairro.

a historia não é fake, aconteceu a muito tempo, tenho 40 anos e isto foi quando eu tinha uns 21 anos, eu sempre gostei de natureza, arvores, e perto de casa tinha vasta area verde e ate duas nascentes, a da parte de baixo estava sempre cheia de pessoas, a do alto do morro era mais afastada, tinha menos água, era de difícil acesso.
Uma vez eu estava nesta de cima, me sentei entre umas arvores, só queria ficar longe do bairro, longe de barulho, ate hoje gosto de ficar em florestas, me afastar de pessoas e barulho, ajuda a pensar.
Neste dia não fiquei muito tempo afastado de gente, cerca de trinta minutos após eu chegar no local, chegou cinco adolescentes, quatro garotos e uma menina, a garota eu conhecia, sabia quem era, tinha entre dez e onze anos, era vizinha minha, os meninos eu conhecia alguns, tinham entre 12 e 14 anos, eram do bairro, um deles era primo da Núbia, eles ficaram ali se divertindo na água, a menina ficou de calcinha e os meninos de short, na época não tinha estas bermudas que existem hoje, cerca de uma hora depois eles estavam deitados em uma pedra quando o primo da núbia começou a brincar com ela, passando a mão na calcinha, sobre as partes intimas, ela não queria, mas ele insistia, de onde eu estava, deu pra ver e ate ouvir, eles não notaram minha presença pois tinha muitas arvores e arbustos, eu estava praticamente em uma toca debaixo de ramos.

Em um momento o marcos, primo da núbia, parou de bolinar ela e foi conversar com os outros três garotos, estavam cochichando, não deu pra ouvir o que diziam, mas cochichavam, olhavam para a núbia e riam, ela perguntava “do que vocês estão rindo?”, depois de uns minutos o Marcos, que era conhecido como Marquinho, voltou pra prima e disse algo a ela, baixo, não ouvi, a resposta dela foi um grito “NÃO”, ele insistiu, ela continuou dizendo não, ate que em um momento outro dos meninos chegou perto e me lembro do que ele disse “se não quiser vai ser a força”, ela gritou não de novo, neste momento eu já sabia o que ia acontecer.
Foi certeiro, marcos segurou em um braço da núbia, o outro garoto que se não me engano se chamava Alexandre segurou o outro e gritaram para os outros dois, “vem, tira a calcinha dela”, os meninos vieram, rancaram a roupinha da menina, que gritava não toda hora e esperneava, pegaram a própria calcinha e enfiaram na boca dela enquanto a ameaçavam, dizim para ela ficar quieta se não eles bateriam nela, ela ate ficou quieta, mas tentando gritar com a calcinha na boca, um dos meninos tirou o pau pra fora, e que pau, não que eu goste de pau, mas este tinha uns 14 anos e aquele pau deve que tinha uns 18, ele se deitou e creu, mandou ver, na posição que estavam eu não vi direito a rola entrando, só sei que ele comeu ela direitinho, saiu, veio o segundo, depois trocaram com os dois que estavam segurando, neste ponto ela nem estava esperneando mais, os quatro meninos estupraram pra valer a núbia.

Olha, devem estar se perguntando porque não fiz nada, não tomei alguma atitude, eu sou um sociopata, sempre fui, fui diagnosticado ate, não estes que dizem ser por modinha, o fato de eu ir pro meio do mato ficar longe de pessoas é exatamente pelo que sou, eu não me importo com o que acontece aos outros, com o que estava acontecendo, só fiquei o tempo todo com receio dos meninos me verem. Assistindo a tudo de camarote.

Depois de federem a menina eles tiraram a calcinha da boca dela, e ela ficou chorando baixinho, eles queriam que ela chupasse eles, mas ficaram com medo, um deles disse “não, se não ela vai te morder trocha”, ela ficou lá, nua, sentada na pedra, com a cabeça baixa entre as pernas, os meninos foram pra água, se lavaram, comentaram uns com outros quantas vezes gozaram, depois um falou, “vamos fazer o cu dela?” os demais toparam, voltaram para a garota e obrigaram ela ficar de quatro, desta vez eles nem segurarão ela, fragilizada ela só ficou, eles vieram e creu, novamente não deu pra ver porque a menina estava de frente em minha direção, eles ate brigavam pelo tempo que cada um fodia a pequena, ela já não estava mais chorando, nem estava com a calcinha na boca, um dos meninos colocou o pau na frente dela, não sei se foi na boca, só sei que ele ficou alguns minutos ali enquanto outro fodia ela por traz.
Toda sacanagem durou uns trinta minutos, confesso que fiquei ate excitado com a cena, eu jamais faria tal coisa, mas assistir isto ao vivo, não tem preço, no fim eles decidiram ir embora, se vestiram, ajudaram a menia a se lavar e se vestir, dois dos meninos com voz grossa obrigou, gritando, ela a não contar pra ninguém, ela concordou com a cabeça, o primo dela disse apontando o dedo sem eu rosto que se ela contasse ele iria comer ela todos os dias, ela concordou, ficou com cabeça baixa ainda se arrumando, os tres meninos saíram na frente pela trilha enquanto marcos ficou com ela, neste momento teve ate uma cena bonitinha, marcos abraçou ela e deu um beijo na boca dela, um beijo demorado, eu ate pensei que ele ia comer ela de novo pois o volume no short dele se via que o moleque estava animado, ele só a perguntou “quer chupar?” ela só balançou a cabeça que não, e ficou por isto mesmo, saíram dali.

Eu demorei mais uns vinte minutos para sair, quando desci o morro encontrei os tres dos quatro meninos brincando na rua, como se nada tivesse acontecido, na casa da núbia ela também estava no quintal da frente brincando com um irmão mais novo, como nada tivesse acontecido.

Eu voltei varias vezes naquela mina de água, nunca mais vi eles voltarem ali, núbia pelo visto nunca contou a ninguém a festinha, não mencionei que ate esta data, esta núbia, só andava e brincava com meninos, depois disto nunca mais vi ela andar com turminha de meninos na rua.
A historia de cada um, Marcos, primo da Núbia, cresceu e foi preso aos 19 anos por matar um cara, ele era amante da esposa deste cara, o cara descobriu e acabaram brigando, marcos foi preso, nunca mais ouvi falar dele. Núbia ainda mora no bairro, em outro endereço, tem dois filhos, não é casada, é mãe solteira. Os outros tres garotos eu não tenho noticias a anos, se mudaram ainda jovens do bairro e nunca mais ouvi falar deles.
As nascentes de água hoje não existem mais, uns dois anos após este ocorrido, a área verde local foi invadida por favelas, onde era a nascente de baixo hoje é uma igreja evangelica, onde era a nascente de cima, onde ocorreu os fatos, eu nunca mais voltei, mas pelo Google earth da pra ver que só tem barracos hoje.
Se me arrependo de algo? De não ter feito nada? Não, ate hoje fico de pau duro quando me lembro, pena que na época não tinha nem celular para gravar, repito: eu não faria tal coisa, mas ver acontecer foi fantástico, as vezes fantasio que estou vendo tudo de novo, eu pagaria para ver tal coisa de novo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 26 votos)

Por # # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Aysha

    Coitada da menina ! Senti a dor na alma , também já fui estrupada , só que foi pelo meu irmão , foi horrível , toda hora aquele garoto maldito se sentia excitado e vinha para cima de mim ! Doía para caramba ! Um dia eu ainda irei denuncia-lo

    • jisue

      denunciar tem que matar

  • Responder anônimo

    sinto por seu problema,mas eu tambem nao interferiria,e ate procurava ele e dava uma forsada de barra pra comer tambem