# # #

Um Dia Quente Em Família

3907 palavras | 4 |5.00
Por

Quando calor bate, nada melhor que um Striptease em família pra amenizar o calor ou aumentar.

Olá caros amigos, venho mais uma vez, como prometido, contar-lhes mais uma das minhas aventuras sexuais com minha enteadinha safada e minha esposa vadia. Após os eventos daquela noite de putaria, minha esposa já sabendo que eu estava mais conformado com aquela situação e que não poderia fazer mais nada a essas alturas, a não ser aceitar, ficou ainda mais puta dentro e fora de casa. Minha enteada tbm, virou 2x mais puta cmg. Nessas idas e vindas, comi Mayane mais algumas vezes. Amiguinha de 12a de Letícia pra quem lembra. Transei com a namoradinha do Robson junto com Carol, e Letícia fudendo muita pela rua tbm. O tempo passou desde aquele churrasco aqui em casa e de lá pra cá, Wagner se tornou o comedor oficial da minha esposa e minha enteada. É…isso mesmo que vocês estão pensando. Me tornei um corno manso feliz. Até ficamos amigos, tanto que eu convidava ele pra passar o final de semana aqui em casa, pra ver ele meter em Carol e Letícia e às vezes em Taisa. Foi numa dessas visitas que algo diferente aconteceu. Carol seduziu o filho e acabou fudendo gostoso com ele, na verdade foi uma orgia em família. Vamos lá então…Aconteceu perto do final do ano de 2019. O calor estava batendo forte naqueles dias e eu e Carol convidamos Wagner pra vir aqui pra casa, beber, conversar e claro, fazer muita putaria. Estávamos os 4 sentados na sala, Wagner, Carol, Letícia e eu, falando putarias, contando nossas aventuras, bebendo de boa. Carol usava saia curtinha e uma tomará que caia. Letícia shortinho rosa quase transparente atolado no rabo com um fio dental. Eu e Wagner apenas de bermudas sem camisa por causa dos calor. Eu e Wagner já de pau duro com toda aquela conversa e claro que as mulheres notaram. Carol alisavam meu pau e Letícia o pau de Wagner. Conversa vai conversa vem, Carol tem a ideia de tentar fazer com que Robson entre de vez na família rsss. Começamos a falar no assunto e cada um dava uma sugestão de como faríamos. Tudo era válido, mas só na hora saberíamos o que realmente aconteceria e qual seria a reação dele. Era perto do meio dia, estávamos esperando Robson e Taisa pro almoço. Até que chegaram. Taisa com um shortinho curtinho jeans branco, socado no rabo, mostrando as polpinhas da bunda. Fizemos um lanche rápido pois o calor tirou nosso apetite de comida rssss ligamos o ar condicionado e sentamos nos sofás da sala pra conversar. Letícia ao lado de Wagner, Carol do meu lado e Robson e Taisa. Lá pelas tantas, Robson pergunta pra mãe se a irmã dele tava namorando o Wagner. Perguntamos pq? Pq ela é de menor e ele já é bem grandinho, disse Robson. Começamos rir e ele sem entender os motivos, ficou bravo. Tão rindo do que hein. Nada não filho responde Carol, mas Letícia não tá namorando ele. Ele é só um amigo da família. Letícia pra zoar com irmão fala… e se eu tivesse namorando com ele, tu não tem nada haver com minha vida. A buceta é minha e eu dou pra quem eu quiser. Todos riram inclusive Robson. Letícia reclama que está com muito calor e queria tirar a roupa e ficar pelada. Posso mãe, diz ela… pode sim filha, mas todos tem que tirar tbm. E naquele ar de safadeza Carol pergunta quem mais vai ficar pelado. Eu aceito, eu gritei. Seguido de Wagner. Taisa diz que tira se o Robson tirar “muito tímida ela né “. Carol cobra Robson. E então filho, vai tirar ou não? Eu tiro tbm disse ele, meio contrariado. Vamos fazer assim. Os meninos tiram das meninas primeiro e depois as meninas tiram dos meninos. Adorei a idéia Carol, disse Wagner. Daí eu falei… Eu tiro da Lê, o Wagner tira da Taisa e a Carol do Robson. Ele não discordou, apenas olhou pra nós e principalmente pra Taisa, que nem deu bola pra ele. Ela queria mesmo era ter vários paus entrando nela, aquela puta safada…então eu começo, chamei Letícia, ela com aquele shortinho fininho atolado na bunda vira de costas pra mim e dá uma empinadinha, passo a mão então dou um tapinha na bunda dela. Chamo ela de safadinha, ela apenas dá um sorrisinho. Boto as mãos na cintura dela e começo a descer o shortinho. Ela olha pro Wagner alisando o pau duro. Ela diz, olha lá Taisa, a tua cobaia já tá de pau duro todos rimos e eu digo. Eu tbm tô. Ela toda putinha, fala… aí pai sou tua filhinha, não pode isso…ai eu digo, diz isso pra ele aqui óh, mostrando o pau duro dentro da bermuda. Eu ajoelhado com a cara na bunda dela e o shortinho lá nos pés. Ela com um fio dental dá mais uma empinada na bunda mostrando sua buceta melada. Se nós estamos de pau duro, tu tá com a bucetinha melada. Carol chama ela de puta e manda eu tira o fiozinho dela. Robson parecia bem a vontade com tudo aquilo que tava acontecendo ali. Talvez ele já tivesse percebido ou visto algo ali dentro casa já algum tempo e por causa do se jeitão parado e tímido, não tinha coragem de fazer ou falar algo, mas não repreendia nenhuma ação. Passei a mão na bunda da Lê até achar o barbante da calcinha e ir tirando devagar com ela quase d4 já. Baixei a calcinha e a visão daquela buceta melada quase me fez gozar, então fui subindo as mãos pelas pernas chegando na bunda. Comecei a apertar e abrir a bunda e a buceta dela. Vontade de meter a boca. Apertava e abria, apertava e abria. Carol disse, passa a língua na bucetinha da tua enteada. Eu olhei pra ela e disse depois e dei apenas um beijinho de levantei. Com o pau atravessado na bermuda e digo pra Lê. Tua vez agora gatinha, ajoelha. Ela se acocou de perna aberta e aquele corpinho e aquele rabo se esculpiu na nossa frente. Passou a mão no meu pau por cima da bermuda e disse….mãe esse teu marido é muito safado. Robson observava tudo sem falar nada, provavelmente de pau duro tbm pois escondia com uma almofada no colo. Letícia abaixa minha bermuda e vê meu pau atravessado na cueca. Tenta abaixar minha cueca e não consegue pois meu pau fazia resistência dentro dela. Taisa então diz… bota a mão e tira ele pra fora primeiro, Robson fala, não dá ideias Taisa. É só uma sugestão disse ela. Letícia então mete a mão dentro da cueca e puxa meu pau pra fora apontando pra cima e começa a tirar minha cueca abaixando até o chão. Quando levantou a cabeça ficou a pouco a centímetros do meu pau, olhou puxou ele pra baixo e colocou a boquinha só na cabeça, deu uma chapadinha, passou a língua e levantou. Isso foi pelo beijinho na minha bunda que tu deu…quem vai ser o próximo? Wagner levanta e diz… achei que essa putaria não ia acabar hj rsss. Vem Taisinha, vem, quero ver essa bundinha tbm, disse ele. Ela deu um beijo em Robson, que não disse nada e levantou. Carol foi e sentou ao lado do filho. Quer que eu fique d4 como a puta da Letícia? Perguntou Taisa. Olha quem fala, disse Letícia rssss Wagner disse empina esse bumbum pra mim. Taisa empina aquele rabo com aquele shortinho atolado. Wagner abraça ela por trás encostando aquele pauzão na bunda dela. Ele bota a mão não frente do shortinho pra abrir o botão e o zíper. Depois de abrir mete a mão dentro da calcinha dela sentindo sua buceta melada. Taisa dá um suspiro e se treme toda. Gozou só com aquela passada de mão. A putinha gozou na minha mão disse Wagner. Nós vimos tava cheia de tesão, disse Carol rsss Ela levou alguns segundos pra se recuperar e depois dela voltar a terra rsss ele tira a mão melecada da buceta e passa na boca dela fazendo ela chupa os dedos dele. Após isso ele pega na lateral do shortinho e tenta abaixar, mas por ser apertado e curto há alguma resistência em sair. Wagner abaixa e tenta puxar o shortinho pra baixo metendo as mãos pelo meio das pernas dela por dentro do shortinho e enfia os dedos na buceta dela. Taisa chama de safado e o shortinho começa a descer devagar. Taisa tbm tem uma bundinha linda, toda empinadinha pra trás, redondinha, mas Letícia tem um monumento de bunda. Perfeita pra todos os lado, pra trás, pros lados pra cima. Tudo proporcional ao seu tamanho. A bunda das duas mata qualquer um. Wagner tira o shortinho de Taisa deixando ela só de calcinha fio dental, mas essa tinha um pequeno asa delta atrás. Letícia era totalmente um fio. Ele levanta e encosta o pauzão dele no meio da bunda dela. Taisa empina a bunda então Wagner começa a tirar a blusinha dela mostrando seus peitões, pois estava sem sutiã. Ele tava bem coladinho nela e ela sussurrava…tira minha calcinha, tira minha calcinha. Quando ele desceu as mãos pelo seu corpo e baixou sua calcinha passando os dedos em sua buceta, Taisa quase teve um tréco, pois gozou de novo de tão excitada que ela tava. Wagner abaixado atrás dela vendo sua buceta pingar de tanto que ela gozou não teve dúvida, abriu sua bunda e deu uma línguada da buceta até o cuzinho dela sugando o melzinho que escorria. Todo mundo olhando aquela loucura de cena Carol disse. Wagner seu tarado, quer matar minha norinha? Ele respondeu, não consegui me segurar como fez o Eduardo com a Letícia. Ele olhou pro Robson e falou…desculpa cara, tua mina é deliciosa, ele apenas sorriu olhando pra Taisa. Eu disse, Taisa é a tua vez agora de tirar a bermuda dele. Ela toda peladinha se virou pra ele e olhou fixamente em seus olhos e segurando o pau dele disse pra todo mundo ouvir. Pauzudo filho da puta, me fez gozar 2x sem ao menus meter na minha buceta. Ele falou… vai ter a oportunidade mais tarde e ela começou a tirar a bermuda dele. Tirou e foi tirar a cueca e viu que estava toda molhada, com o pau babando. Quando puxou a cueca pra baixo, como o pau dele tava tão duro e atravessado igual ao meu, o pau dele veio com tanto força que deu um laçasso na cara dela rsss deixando a cara dela toda melecada. Ela aproveitou e meteu o pau dele na boca. Todos riram com o estouro que deu, parecia um tapa na cara rsss Até Taisa se assustou, acho que não esperava tamanha pressão que teria. Deu uma chupada e ficou se lambendo até limpar seu lindo rostinho. Quando viu o pauzão do Wagner, Robson na hr disse…eu não vou ficar pelado perto de vcs. Vocês são tudo pauzudos e eu vou passar vergonha. Taisa então falou…teu pau não é pequeno, é grande, só é um pouco tortinho, então Carol emendou…mas isso sou eu quem vai dizer agora. Já que vcs todos estão pelados e melados, é a minha vez de brincar com meu filho. Eu pergunto pro Robson…e aí como vai ser? Vai brincar com a tua mãe ou vai ficar aí com essa cara de paisagem? Carol já em pé na frente dele e ele sentado no sofá. Carol chega a quase implorar pra ele…. Vamo filho vai ser divertido. Viu como todo mundo se divertiu até agora. Não vai estragar a brincadeira. Depois vamos todos pra piscina. Vai Robson tira a roupa da mãe, disse Letícia. Ele parecendo aquelas criancinhas birrentas fala…Tá bom, já vi de tudo mesmo, minha irmã pelada e minha namorada chupando e gozando com outro, o que é tirar a roupa da minha mãe. Carol responde…mas não é só tirar a minha roupa. Tem que ser sensualmente, excitante como foi com a Lê e a Taisa. Com a tua mãe vai ser ainda melhor Robson. Olha ela de sainha aí na tua frente, aproveita disse Wagner. Enquanto vocês se resolvem eu vou tomar água, disse Letícia. Ela levanta e sai rebolando aquele rabo em direção a cozinha. Eu pego e vou atrás dela. Abraço ela por trás chamando ela de filhinha e coloco meu pau no meio da bunda dela. Que pai safado esse que eu tenho. Sou safado por causa da filha puta que eu tenho. Ela de costas tomando água se vira e me beija com a mão no meu pau. Fica alisando e fala…Acho que eu tô com sede de outra coisa. Ela abaixa e cai de boca engolindo meu pau. Eu escorado na mesa revirando os olhos com aquela boquinha de veludo me babando todo. Ela chupava engolindo meu pau e olhava pra mim com aquela cara de puta. Enfiava meu pau dentro da boca e ficava brincando com a língua em volta dele. Batia na cara e engolia de novo. Chupava minhas bolas enquanto punhetiava meua pau. Eu já tava com as pernas bambas. Lambia de baixo pra cima como se fosse um picolé. Ela dizia…não goza não paizinho é só o começo. Mando ela parar então pq já tava quase explodindo. Coloco ela em cima da mesa com as pernas abertas e meto a boca na buceta dela. Que prende minha cabeça com as coxas forçando contra a bucetinha dela. Chupa pai, chupa a buceta da rua cadelinha. Meto a língua dentro, dou beijos, chupo o grelinho dela fazendo ela gemer. Dou chupadas longas e fortes. Levanto as pernas dela na posição de frango assado deixando seu cuzinho a minha disposição. Então enfio um dedo no cuzinho e vou fazendo vaivém enquanto chupo sua buceta melada. Enfio dois dedos e começo a socar forte, ela gemendo alto. Tiro e boto os dedos no cú dela deixando-o bem aberto. “Na linguagem pornográfica é usado a expressão GAPE HOLE. Quem quiser pesquisar e matar a curiosidade.” Então tiro os dedos e meto a língua dentro do cuzinho arregaçado dela fazendo-a gozar. Não paro de meter a língua e ela pedindo pra chamar ela de puta, vadia, cadela. Nisso eu olho pra sala e vejo quando Wagner levanta e vem em minha direção puxando Taisa pela mão. Chegando na cozinha os dois veem aquela cena minha e da Letícia e Taisa agarra Wagner. Os dois pelados. Wagner e Taisa tomam água e vão por quarto.Entao Letícia já cansada rsss naquela posição levanta e me chama pra sala. É demais ver aquela menina peladinha andando na tua frente rebolando aquele bundão. Vcs não tem noção do que é ver aquela novinha de 14 aninhos. Chegando na sala encontro Carol chupando o pau do filho. Era até grande o pau dele, acho que até maior que o meu, meio torto e fino, mas ela parecia estar gostando. Letícia fala…podemos fazer companhia pra vcs? Tá gostando da mamada da mãe Robson? Ele diz…sim, muito ela chupa muito bem. Letícia sorriu dizendo, eu sei eu sei…. cadê a Taisa, perguntou Robson. Advinha…. não falou mais nada. Letícia ficou d4 empinando a bunda em cima do sofá me chamando. Vem paizinho continua o que tu tava fazendo. O cuzinho dela se abria sozinho e Carol viu. Nossa filha o que é isso? O que seu pai fez nesse cú? Risos vendo a irmã naquela posição deu um negócio no Robson que na hr mandou a mãe ficar igual a Letícia que ele queria chupar a buceta dela. Carol então subiu no sofá e ficou d4. Eu já com a língua dentro do cuzinho da Letícia fazendo ela gemer de tesão. Metia a língua no cú e na buceta dela. Ficamos uns 5min naquela posição. Então ela pede pra chupar meu pau…Pai deixa eu ti chupar tbm. Tô loca pra sentir um pau dentro da boca. Eu sento em cima do sofá na cabeceira e Letícia vem e abocanha meu pau. Do quarto ouvia-se os gritos de Taisa fudendo com Wagner. Aí eu falo… tua novinha vai ficar toda arregaçada, Robson risos. Ele apenas olha e volta a chupar o cú e a buceta da mãe. Letícia mamando meu pau, diz… viu maninho, o que tem padrasto fez cmg. Me fez a putinha dele e Carol responde. Não foi ele que ti fez putinha não. Eu fiquei sem entender na hr, mas deixei quieto. Vocês entenderão mais pra frente. Robson pede pra mete na mãe e ela atende o filho. Fica d4 no sofá e diz… Vem filho mete aqui óh abrindo a buceta com os dedos. Mete na buceta da mamãe. Letícia pede…pai fodi meu cú, arromba ele de vez. Ouvindo isso, jogo Letícia no sofá. Ela fica com uma perna no chão e a outra meia dobrada em cima do sofá, abro a bunda dela e dou uma cuspida no cuzinho. Me posiciono e vou metendo o pau que vai sendo engolido por aquela cuzinho macio e maravilhoso. Aí…aí…ai… vai dizendo enquanto vou metendo. Começo a socar e ela a gemer alto…fodi a tua filhinha novinha fodi, fodi… caralho que delícia levar no cú. Fodi pai, mete na tua putinha. Nisso Robson começa a meter na buceta da mãe, que geme muito tbm. Mudo de posição sentando no sofá e colocando Letícia sentada em cima de mim de frente pra eles. Ela vai descendo devagar até meu pau entra todo no rabo e então começa a cavalgar fazendo meu pau sumir dentro do seu cú. Meto a mão pela frente e esfrego sua buceta fazendo ela gozar…vou gozar, vou gozar e goza apertando os seios. Goza puta gostosa, goza no pau do papai goza, vagabunda. Vai não para, não para mete com força nesse cuzinho que eu vou gozar de novo. Letícia goza que se mija toda, molhando o sofá, eu e o chão. Teve um “Squirting”. Cadelinha gostosa assim papai não aguenta e quando vejo Robson tira o pau da buceta da mãe e goza nas costas dela. Não aguentou muito tempo. Letícia então fala…vai papai enche meu cuzinho de porra vai. Goza dentro desse rabinho. Carol e Robson sentam um do lado do outro e assistem a cena. Letícia sentada no meu pau, se deita pra trás, eu ergo as pernas dela tipo frango assado e com o pau no cuzinho dela eu gozo dando uns gemidos e uns urrus alto de prazerqq…isso pai encheu meu rabinho com a tua porra. Eu dava umas estocadas no cú dela gozando. Carol levanta e vem até nós. Olhando a filha toda arregaçada com um pau no cú diz…dá essa porra pra mamãe sua vadia sem vergonha, cadela prostituta. Vou tirando o pau do cú de Letícia e a porra vai escorrendo. Carol então mete a boca em seu cú e vai sugando e engolindo a porra que saia do rabo da filha. Tirava a porra do cú e largava na buceta e depois lambia. Pegou meu pau eu chupou. Olhei pro Robson, que parecia estar com carinha de nojo. O que foi Robson? Perguntou Carol. Não sabia que vocês faziam isso. Não é sujo? Risos Então eu falei… procura uns vídeos na internet onde mostra as mulheres fazendo lavagem anal pra poderem dar o cú sem problema. A famosa “duchinha”. Ele não disse mais nada. Carol sentada ao meu lado, Letícia sentada no meu colo e Robson no outro sofá. Temos 3 conjunto de sofá de 3 lugares na sala e forma de “U”.
Nisso aparece Wagner e Taisa pelados e rindo, vindos do quarto. Wagner com aquele pau mole balançando, que mesmo mole é grande e Taisa loirinha branquinha com a buceta vermelha. Taisa pergunta…que molhassada é essa aqui na sala rsss…Pergunta pra Letícia, eu disse. Letícia responde…tive um orgasmo rsss gozei muito. Wagner senta sozinho num lado do sofá e Taisa ao lado de Robson. Olho pra Taisa e digo. Esfolaram essa bucetinha hein menina, tá toda vermelhinha. Ela abre as pernas mostrando a buceta….é, esse safado me fudeu muito, gozei mais 4x. Não tava mais aguentando risos. E tu Robson, fudeu a sogrinha puta? Risos Carol disse sim, mas gozou rápido, mas ele sabe chupar muito bem, né Taisa? Me fez gozar na boca dele. Letícia sentada de lado no meu colo, me dá um beijo de língua bem apaixonado. Meu paizinho safado favorito, não querfuder meu cuzinho de novo rsss quero ter outro orgasmo daquele. Meu pau já começou a endurecer de novo. Quer fazer em público é novinha. Eu quero disse ela, mas eu queria tomar um banho antes. Ela levanta, chama Taisa e vão as duas pro banheiro. Olha a putaria vocês duas grita Carol. Vai lá com elas Robson eu digo. Carol vem e fala no meu ouvido. Que beijo foi aquele da Letícia? Nada demais eu disse, ela só tá deixando as coisa acontecerem. Robson levanta e vai, mas diz que vai tomar banho tbm. Wagner na hr diz… Não Vai querer pegar a tua irmã antes? Mais tarde talvez disse ele e saiu da sala. Esse meu filho, disse Carol. Calma amor, isso é tudo novo pra ele. Deixa ele se acostumar primeiro. Ele ainda tá meio confuso. Deixa o tempo passar que as coisas vão ir mudando. Pergunto a Wagner o que ele tava achando daquilo tudo que tava acontecendo. Ele maravilhado falou…cara nunca pensei em fazer isso na minha vida, ainda mais com uma assim família….
Continua…
Bom pessoal eu ia fazer apenas um relato sobre isso, mais pelo visto vai ficar muito comprido, então contarei em duas partes esses acontecimentos. Desculpem não enfatizar tanto a relação do meu enteado com a mãe. Sendo a primeira vez dele, não teve tanta emoção assim….Entao, contarei esse episódio e dois capítulos sendo títulos diferentes mais a continuação é a mesma. Obrigado a todos e agradeço a paciência.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 7 votos)

Por # # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Marcelo o tesudo

    Seus contos são exelentes. continue escrevendo!!!! Merecem nota 1000

  • Responder Ebannus

    Novamente, Parabéns pela família que vc tem, faça todo o possível para mantê-la nesta hamonia safada…
    Só podemos deseja o melhor a todos vcs, grato por partilhar todo este prazer.

  • Responder Rafaella

    Lindo conto.. parabens

  • Responder Sócrates

    Que punhetaaaaa MARAVILHOSAAA!
    CAPRICHA NO PRÓXIMOOO.
    Sortudo!