# #

Surpresas no camping PT2

914 palavras | 3 |4.44
Por

Olá!! Dando continuidade… Para entender o que está se passando, leia a primeira parte.
Vamos lá. Eu tinha acabado de dar uma gozada na carinha da minha puta. Mal eu tirei meu pau do seu cuzinho, o Marcos já meteu o dele. O Fabiano continuava entalado na bucetinha, com aquele cacete grosso. Quando eu tirei meu pau da sua boca, o Rodrigo já estava do meu lado e socou a piroca na garganta dela, que nem pode limpar a porra do seu rosto. Ele não tinha nojo de encostar seu pau na minha porra. Na verdade ele ficou brincando de levar minha porra que escorria pela cara, pra dentro de sua boca. E aí socava fundo até ela engasgar. Depois que eu liberei o caminho, todos começaram a fazê-la de putinha. Ela tava merecendo!

Ficaram uns 10 minutos nessa posição. Os três ocupando os buraquinhos, o André tirando umas casquinhas, ora dividia a boca com o Rodrigo, ora brincava com os peitinhos dela, enquanto esperava sua vez.
O Marcos e o André estão sendo menos citados, pois eles tinham um pau normal. Os outros dois é que realmente impressionavam.

O Marcus que socava como se fosse o último cú que ele ia comer na vida anunciou que ia gozar e perguntou onde. Anne não falava nada, só se ouvia gemidos. A puta já tinha gozado umas três vezes. Não sei como estava aguentando. Então o Fabiano falou para que ele gozasse dentro do cú e sugeriu que todos gozassem no cú. Aí minha mulher se pronunciou e disse que o pau dele não cabia no cuzinho dela. KKKKK

Marcus não meteu nem um minuto mais e soltou sua porra todo cravadinho em seu rabo. Deu lugar então ao André. O cuzinho já tava frouxo. Ela só recebeu o pirú sem reclamar. Ele foi rápido. Menos de cinco minutos e já soltou seu leite lá dentro. Rodrigo então abandona a boquinha dela e vem penetrá-la na bundinha. Seu pau apesar de bem grande não era tão grosso e entrou sem problemas. Ela só não deixava ir tão fundo.

Essa era a visão que eu esperava. No quarto agora só havia nós três. Eu assistindo e os dois cavalos metendo nela.

Rodrigo pede que o Fabiano deixasse sua bucetinha para que o cú ficasse mais frouxo e seu pau conseguisse entrar mais. Ficamos assistindo até onde ela aguentava. Tudo não coube, mas aquela vaca aguentou uns 20 cm de carne dura no meio do cú. Ele enfiava fundo e tirava, mostrando pra gente o tamanho que já estava aquele buraco. Numa dessas ela arreganhou a bunda. Só então tive noção de como ela estava. Sua buceta tava tão aberta que dois paus meus entrariam ali com folga. Puta, puta e puta.

Ele então dá um berro, crava o mais fundo que pôde e solta sua porra. A pressão foi tanta que um jato de leite grosso espirrou pra fora do cú. Ele deu um tapão no rabo dela, com ela ainda de 4, foi em direção a sua boca e atochou de uma vez até a garganta. Enquanto fodia sua boca ( seu pau não ficou mole), abriu a bunda ela e deixou aquele buracão na mira do Fabiano.

A vagabunda disse que não daria o cú pra ele. Que já estava arregaçada. Mas de nada ia adiantar. Até eu queria ver ela aguentar aquela tora. Encorajamos, falamos que seria com calma e que só ele só continuaria se ela aguentasse. Meu pau estava duro novamente, tamanho tesão que a cena proporcionava. Paramos para assistir a defloração. Ele forçou e quando a cabeça se alojou, ela deu um gritinho. “Você vai me arrombar”. “Amor, ele vai me arrombar”. Eu digo: “Mais? Você já tá toda alargada.” “Aproveita que isso é só uma vez na vida”.

Parece que eu tinha dado sinal verde. Ela disse: “foda-se” e se jogou no pau. Ficou só as bolas de fora. Ele socava forte e ela gemia muito, muito. Vi que ela ia gozar depois de um tempo tomando as socadas frenéticas dele. Eu não deixei eles gozarem. Interrompi a foda, porque queria colocar meu pau na buceta. Queria sentir aquele pau entrando nela e roçando o meu por dentro. Que gostoso. Eu nem metia. Só sentia ele bombando.

Rodrigo coloca ela pra mamar de novo. Eu estava por baixo e ela estava bem deitada sobre mim, pra que o cacete do Fabiano pudesse entrar no cú. Ficamos um tempo assim até que ela anunciou seu gozo. Os gemidos foram ficando mais profundos e por consequência nosso tesão aumentando. Ela realmente delirava de prazer. Senti a piroca que tava no cú inchando ainda mais e então aquela golfada de porra no rabo. Era tão quente que até senti de dentro da bucetinha. Gozei ao sentir sua buceta pulsando. Rodrigo, sem avisar explode na boquinha. Não sei se de sacanagem ou sem querer, mas ela não engoliu e acabou deixando cair um pouco de porra na minha cara. Riu, me pediu desculpas e lambeu tudo. Eu estava em ecstasy e acabei nem ligando. Continuamos engatados até os paus saírem sozinhos após amolecerem. Dormimos. Os seis juntos.

Se gostarem, estarei relatando uma continuação dessa viagem.

Abraços.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,44 de 9 votos)

Por # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Comigo

    Esse contos do literotica são chatos

    • Anon

      Concordo

    • Alemao

      Olha meu agora ficou complicado pra vc como vai fazer pra satisfazer a vontade dela por que agora ela vai querer cada vez mais e mais por que virou puta vagabunda mesmo o jeito e levar nas casas de swuings e deixar ela noite inteira por que vc mesmo sabe 3 ou 4 ja nao adianta mais como vc mesmo contou fudeu com 5 e tinha 2 pauzudos e ela aquentou na maior tranquilidade entao pode arumar uns 5 ou 6 pauzudos pra ela passar a noite inteira fodendo resumindo leva ela e nem fica la so vai buscar de manha so pra vc ver a puta pue vc tem agora ….