#

O dia que trepei com a aninha que me repreendeu por cobiçar os seios da transeunte

877 palavras | 0 |4.22
Por

Moro em Maceió e faço uma viagem pra Recife-PE uma vez põer semana as vezes as pessoas me procuram pra trazer ou levar alguma encomenda pra essas cidades.Bem o conto que vou contar foi quando o Pedro um meu conhecido veio me procurar pra que eu levasse sua mulher a Recife dia e volta pois a mesma teria que fazer uns exames específicos na capital pernambucana,conhecia a minha de vista uma mulata mais clara tipo cavala grande mesmo acho que até mais que eu no mínimo 1.77m .Bom sai cedo umas 5:00horas pra chegar no Recife cedo quando deu umas oito horas já estava deixando os passageiros em seus respectivos end. A última seria a aninha que ia até o centro pra o exame.Bem estava passando em uma rua movimentada quando passou uma gatinha daquelas de fechar o trânsito bunda gostosa peito apontando pra o céu um tesaozinho dei aquela secada que parecia que a deixaria nua só olhando então a aninha que vinha calada me falou vc é safado em José. Disse então pra ela menina quando agente ver uma coisa dessa se não olhar é por que está morto e ainda tinha uns peitos gostosos do jeito que eu gosto. Ora a aninha que não tinha demonstrado nada pego por baixo dps peito e me pergunta o que vc acha dos meus.gente o meu pau subiu que naum um foguete só fiz tirar uma mão do volante e passei nos peitos dela e ainda disse primeira qualidade nota dez , levei uma tapa na cara é me repreendeu pedindo respeito dizendo que era mulher de meu amigo.fechei a cara é deixei passar mas ela foi quem perguntou. Deixei ela no end. e marquei a hora da volta lá pras cinco horas pois ia resolver algumas pendências de encomendas coloquei o pensamento de lado e fui fazer minhas obrigações tinha se passado já umas cinco horas já era mais ou menos 1:00hora da tarde quando p celular tocou ao atender era a aninha perguntei que ela queria ela me falou que já havia feito o exame e me perguntou onde estava pois não queria ficar até as cinco horas me esperando na clínica fui buscá-la e lhe falei o que ela queria fãzer estou estou a disposição vá pra onde vc for gente fiquei de pau duro na hora e segui em direção ao motel que conheço quando chegamos foi tomar banho e a chamei pra ir junto calcinha preta de renda uns peito deliciosos e que bunda tipo feiticeira uma cavala começou a acariciar no banheiro mesmo vai de boca ela já estava com a buceta babando foi uma lambecao danada chupava minha rola como se chupa um picolé de chocolate lambia e pegava nos colhoes e botava um só dentro da boca sem babar o outro passava a língua no meu cu lambendo tudo quando levei ela pra cama chupei sua buceta é o cu colocando dois dedos hora na buceta hora no cu deixei ela louquinha me pedindo pra Meyer nela que estava querendo gozar deitei na cama e ela veio no torno invertido mostrando aquele cuzao bem queimadonho com marcas de biquíni bombava gostoso e ela remetia como uma enguia entrou fundo já que estava pingando de fluidos trazia meu pau até a porta da buceta e enfiava duma socada só depois trazia até fora e ir mexendo e girando a rola até entrar toda uma delícia de repente se vira pra ficar de frente pra mim aí eu travo os dois braços em volta do seu pescoço e ela de cócoras no meu pau força pra cima e me tira da cama olha que tenho quase oitenta quilos era uma força nas pernas parecia que estava fazendo exercícios quando sentava sentia o fundo daquela tabaca e cadê gozar o suor pingava em mim e escorria pra cama ficamos fedendo quase quarenta minutos só naquela posição ela gozando e eu de pau duro começou a salivar e babaca num transe louco quando gozou caiu em cima de mim e ficou se tremendo.fiz ela deslizar pro lado e meti a língua naquele rabo separava as duas bandas e dava tapas com força que a fazia gemer enfiava os dedos no seu cu e preparei pra Meyer empurrei a cabeça que estava vermelha de tanto que foi esfregar a naquela buceta entro chiando parecia que tava raspando naquele cu é foi bombando e acelerando até que ela começou a gemer e me xingar falando que era um tarado que estava tesuda queria um jegue no cu é empurrava aquele rabo gostoso pra trás quando eu ia pra frente gozei rios de gala que começou escorrer pelos lados das pregas do cu é ela ficou se tremendo como se levasse choques na carne foi uma das melhores trepadas que já dei na vida.voltei pra Maceió naquele dia parecia que estava esvaziado uma sensação de saciedade tudo graças a aninha sinto ainda saudades.

Lonesome Wolf um Maceió se alguma mulher quiser me ligar

Fernandes do [email protected]

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,22 de 9 votos)

Por #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos