# #

Meu sobrinho 10

2185 palavras | 17 |4.49
Por

Olá meus amigos! Conto fresquinho com “mais novo” e o filho de “mais velho”!

Depois de bastante tempo sem aparecer na minha casa, chegou o aniversário de mais novo e ele pensou em fazer a bagunça aqui em casa,mais com o covid 19 não dava. Então,de frente pra minha casa o bar fica fechado e tem uma bela varanda aonde o dono coloca as mesinhas pros clientes! O dono do bar não está abrindo e Mais novo falou com o dono se podia fazer uma resenha pra no máximo 10 cabeças,coisa rápida entre sete e onze da noite,só pra não passar em branco. O dono concordou. Mais novo foi ao mercado e comprou petiscos e cervejas. Emprestei uma caixa de isopor e ele comprou o gelo pras bebidas. Fiz os tira gostos e foram chegando os seus convidados. Rapazes e moças. Derrepente, chegou o filho de mais velho,meu falecido sobrinho, irmão de mais novo. Todo Mion, magrinho, moreno e muito levado. Me cumprimentou de qualquer jeito e já foi lá pra resenha. Perguntei a mais novo se iria dormir na minha casa e ele disse que não,que iria sair com uma pretendente que estava na festa,mais pediu pra ficar com o filho de mais velho pois de manhã cedo estaria de volta pra leva lo pra casa da avó (mãe de mais velho com quem o moleque morava) e depois ele iria pra casa dele. Concordei e já fiquei na má intenção com o moleque de 11 anos. Correu tudo bem e quando deu onze horas da noite o dono do bar pediu pra terminar a resenha e assim foi. O moleque veio pra minha casa e mais novo partiu pra casa da pretendente. Senti que o moleque estava muito elétrico e percebi que ele havia bebido “ousadia”. Uma bebida muito forte. Havia pego escondido na caixa de isopor. Pediu pra que não contasse pra mais novo. Falei que tudo bem,que não contaria. Mandei ele pro chuveiro e me pediu roupa pra dormir. Lhe disse que não tinha roupas de criança e que dormisse de cueca e uma camiseta que lhe emprestei. Minha cama é de casal. Falei que iria tomar um banho e que ele ficasse jogando no meu celular. Depois do meu banho, coloquei uma cueca velha que ficava caindo e eu deixava de propósito. Ele ficava olhando o tempo todo eu circulando pra lá e pra cá e a cueca desceu até o meu Rêgo e deixando a testa do meu pau de fora e eu fingindo que nada demais estava acontecendo. Lhe chamei pra cama,pra dormir e ele foi todo desconfiado. Deitamos, liguei a tv e ele não largava o celular,jogando um jogo barulhento,com muitos tiros. Por um momento fiquei olhando pra ele e lembrando de mais velho,meu sobrinho querido que me deu tanto prazer no cu e no pau. Ficava me perguntando se mais novo já não teria feito alguma coisa com o moleque. Afinal o filho de mais novo tomava pau que nem uma prostituta e o moleque era bem novinho mesmo. Então perguntei ao moleque se ele não gostava de assistir um vídeo de sexo,ele fez uma cara bem feia pra mim e falou que não curtia essas paradas. Fiquei sem entender nada. Qual o adolescente que não gosta de putaria. Mais achei que era um blefe. Falei que tudo bem. Dei boa noite pra ele e me virei pro outro lado. Ele ficou entre mim e a parede. Eu tinha bebido e comecei a pegar no sono rápido. Foi quando ele encostou às costas dele na minha. Despertei e fiquei em silêncio pra entender o que estava acontecendo. O moleque se mexia muito e me dava leves cotoveladas,tipo pra não me deixar dormir. Ainda no jogo do celular,me virei de frente as suas costas e perguntei se não iria dormir,e dei uma encostada na bunda dele mais bem discretamente,só pra ele sentir a vara dura. E ele sentiu. Chegou a parar de jogar por um momento e depois continuou o jogo. Logo em seguida desligou a tela do celular,colocou do seu lado e me deu boa noite mais não mudou de posição. Fiquei quieto, esperando uma reação dele. Então começou a se mexer,se aproximando discretamente, encostando a bunda no meu pau. Ficamos parados e então foi a minha vez de dar uma “carcada” mais pra frente em direção a aquela bundinha quentinha. Senti seu corpinho tremendo e sua respiração ofegante e sempre me mexendo fui me achegando cada vez mais e ele com a bundinha empinada, me deixando a vontade. Dei um tempo naquela posição. Sei que ele queria que eu investisse mais ,mais achei melhor ver como ele reagiria e não deu outra. Ele mesmo amassou a bunda dele no meu pau durão, sempre fingindo dormir. Eu não estava aguentando mais e passei minha perna por cima das dele e colei o pau no seu Rêgo. Ele tremia e eu me aproximei do seu corpo e dei um beijinho no seu cangote. E ele sem nada dizer. Então era tudo ou nada. Coloquei minha mão em sua cintura e trouxe ele pro meu pau. Comecei a me esfregar nele sem nada dizer,apenas os movimentos e como ele ficava quieto, deixando,virei ele de bruços e subi em cima dele. Ele queria que eu pensasse que estava dormindo,que não sabia o que estava acontecendo,e eu fiz o jogo. Comecei a roçar com força e a beijar seu pescoço e foi aí que ele gemeu. Dei uma parada e ele veio com sua mãozinha, segurou o meu pau e colocou no meio das pernas dele. Fui no céu com esse gesto. Arriei a cueca dele e com a mão apalpei uma bundinha minúscula,liza,e com um rego muito quente. Encachei o meu pau alí,pele com pele e fiquei sarrando. Meu pau,já babado, começou a deslizar dentro do seu Rêgo dele e ele arfando de prazer. Fui no seu ouvido e perguntei se ele iria aguentar. Ele fez “huhum”. Falei que era grande e ele disse que não tinha problema. Fiquei em choque e investi. Coloquei a cabeça na entrada e ele mesmo começou a forçar na direção do meu pau. A piroca entrou de uma vez,sem ele reclamar ,pelo contrário, deu um gemido de prazer. Eu estava maravilhado porque,com certeza,mais novo já havia feito festa ali. Ele mesmo ia pra frente e pra trás, trabalhando o meu pau dentro daquele cuzinho quentinho. Me aproximei mais dele e comecei a socar junto com ele. Ele ia se ajeitando e sentindo a vara brincar no seu cu e em dado momento puxei ele pra cima de mim e ele veio de boa, sentando na minha vara e começou a quicar. Eu deixei ele trabalhar o meu pau e ele só gemia,gemia muito e alto. Aproveitei pra perguntar quem foi que ensinou a ele a fazer amor tão bem. Não falava. Apenas gemia. Perguntei se foi mais novo e nada de responder. Falei que mais novo, quando pequeno, fazia comigo. Ele chegou a parar um pouco no meu pau e então disse que foi. Mais novo comia ele quando ele foi morar na casa da avó,mãe de mais novo. Naquele tempo ele tinha sete anos e mais novo 19 ou vinte. Aquela conversa me deu um tesão de cavalo e coloquei ele de lado na cama e comecei a socar com mais força. Porra,se durante esse tempo ele aguentou mais novo,que tem uma piroca de 20 cm, iria aguentar a minha tranquilamente que mede 17/18cm. Me deitei por cima dele e o cobri como um cavalo, só que me estendi por cima dele. Ele sumiu debaixo de mim. E eu enterrava até às bolas escorrerem pro seu Rêgo. Que cu quente. Não estava aguentando mais, imaginando mais novo socando naquele moleque, estourando o cabaço dele,com brutalidade,por que ele é bruto na cama,e dei um grito de prazer e gozei naquele cuzinho delicioso, apertando ele contra meu pau. Fiquei deitado por cima dele e ele em silêncio. Fomos nos acalmando e então sai de dentro dele. Na cara de pau,ele me pergunta se ainda ia ter mais. Perguntei se ele queria mais e confirmou. Falei pra não se levantar,que assim que me recuperasse iria meter no cu dele cheio de porra. Aceitou. Pegou o celular e ficou ali,de bruços, jogando. Achei lindo a tranquilidade dele em aceitar tudo numa boa. Estava todo trabalho na safadeza. Por curiosidade,pedi pra deitar de lado,com a piroca na minha direção. Ele assim o fez. Vi seu pauzinho lindo e com penugem bem ralinha. Ainda estava se desenvolvendo. Fui me deitando e me aproximei do seu pauzinho e caí de boca. Colocava pau e saco de uma vez dentro da boca. Ele começou a se contorcer, dizendo que fazia coçegas. Mais eu não o larguei. Estava decidido a dar prazer pra ele pela frente também. Ele se esticava e começou a sentir prazer. Pegou minha cabeça,segurou com força e socava a vara na minha garganta ou pelo menos tentava chegar lá. Era muito pequena. Gozou em seco. Ficou todo molinho. Já eu estava com a vara pronta pro segundo assalto. Sem mais nem menos,virei ele de bruços e fui com tudo. Mirei a cabeça no seu buraquinho e enterrei de uma vez,estava cheia de leite,foi tranquilo. Ele ficou deitado que parecia que estava tomando sol na praia. Não reclamava. E eu socando no putinho. Mordia o seu cangote, beijava o seu rosto de lado,e ele quietinho. Demorei um pouco pra gozar de propósito,pra ficar alí,me deliciando naquele cuzinho perfeito. Que moleque tesudo. Bem depois dei outra gozada no moleque que reclamou que estava ardendo, tipo,pra gente terminar a fudelancia! Ficamos um pouco deitados e então pedi que fosse no vaso e ele me disse que sabia como era que tinha que fazer. Fui atrás dele pra tomar banho mais ele não deixou. Nossa! Do geito q eu gosto. Sem banho. Só passei um papel higiênico no pau e voltei pra cama. Acendi um cigarro e fiquei esperando ele. Deitou no meio das minhas pernas e ficou chupando o meu pau mole. Limpou ele todo. Deitou do meu lado,pegou o celular e foi jogar. Acabei dormindo. Acordei cinco e meia da manhã,olhei pro lado e ele dormia tranquilo. Fiquei observando ele por um tempo,a vara ficou dura e fui direto na direção do cu dele,deitadinho de lado,com a bunda na minha direção e fui metendo bem devagar. Ele acordou,me olhou meio assustado mais deixou acontecer de novo. Ficou quietinho enquanto eu socava tudo dentro dele,bem lentamente. Ficou curtindo a foda com os olhos fechados e o agarrei e soquei com desejo. Que coisa gostosa. Tão pequeno e já aguentava vara tranquilamente,sentia prazer em dar o cuzinho, gostava de verdade. Dei uma gozada de elite. Descansamos um pouco,e ele com a vara dentro. Quando o pau saiu fui pro banheiro tomar meu banho. Ele entrou e foi pro vaso sanitário. Sai do banho,fiquei de toalha enrolada no corpo,fiz pão com ovo e queijo,café pra mim e pra ele suco. Fomos pra mesa,comemos e depois ele sentou no sofá pra jogar no celular. Deitei no outro sofá e fiquei vendo tv. Depois levantei e fiz frango a parmegiana, arroz e salada de alface. Chamei ele pra almoçar. Mais novo chegou na hora e sentou conosco mais não quis almoçar. Disse que tinha almoçado na casa da ficante e começou a nos contar a sua aventura com a mesma. Perguntou como foi a nossa noite. Disse que tranquila. Ele ficou me olhando com uma cara de safado e com um rizinho no canto da boca. Apenas disse pra ele que era um ótimo professor. Então seus olhos brilharam pois sabia que eu havia enrabado o moleque a noite toda. o moleque se fazia de bobo,tipo, não tava entendendo a conversa. Acabamos de almoçar,mais novo disse que iria embora. Levei eles até o portão e pra minha surpresa o moleque disse que dá próxima vez iria trazer uma peças de roupa pra deixar na minha casa. Eu e mais novo sorrimos discretamente pro moleque não se ligar e entraram no carro do Uber. Foi um belo final de semana. Assim que rolar alguma novidade exponho aqui. Muitos bjs!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,49 de 37 votos)

Por # #

17 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anonimo

    Bacellar, sempre quis conversar com você. Tem telegram???

    • bacellar

      Não tenho telegram. Na realidade não posso me expor tanto. Desculpa.

  • Responder Yuta

    Me chamem no Telegram @yuuutaaa

  • Responder Ash

    Gostei mas fiquei confuso com o título rsrs

  • Responder Mariane

    Eu tenho uma filha e queria alguém pra brincar com ela

  • Responder Mariane

    Alguém telegran

  • Responder JP

    Que tesao esses contos com garotinhos!!! Telegram JP_UK

    • bacellar

      Obrigado JP. Minha vida toda sempre foi movida por sexo, principalmente familiar.

  • Responder Marcelo viúvo

    Começa outra estória. Pq essa já deu o que tinha que dar. Mata todos os personagens… E reinicia a história. Tá igual as novelas da Record. Infinito

  • Responder ORFHEU

    suas historias com seu sobrinho que morreu e seu irmao e agora com o filhos unico de mais novo e o de 11 anos de mais velho sao maravilhosas quero ver o desenrolar com os outros 4 desse que faleceu

    • bacellar

      Obrigado. Os outros quatros são meninas. Não curto meninas.

  • Responder jovita

    essa de mais novo e mais velho do começo atrapalhou a leitura, mas, o conto foi bom,

    • bacellar

      Jovita,se vc acompanhar a saga,vai entender. Para não dar nomes escrevi dessa forma. Sobrinho mais novo e sobrinho mais velho. Todos os meus contos são reais com um pouco de fantasia. Obrigado.

  • Responder Messin

    Continua a contar suas aventuras

    • bacellar

      Obrigado.

  • Responder Anônimo

    Cansativo, enfadonho e… MAIS mal escrito!

    • bacellar

      Desculpa. Vc tem razão. Assim que terminei e comecei a pesquisar os erros de escrita, chegaram muitos amigos na minha casa, que não sabem que escrevo contos eróticos. Fiquei um pouco nervoso com o celular na mão e acabei enviando assim mesmo.