# #

Mais uma vez com Lolla 2

1254 palavras | 2 |3.92
Por

Passando se algum tempo após transar com Lolla na sala com sua vó e mãe em casa, nossos encontros começaram a ser rotineiros…

Para quem ainda não me conhece sou Vittors, relato aqui minha histórias reais que vivi em um relacionamento passado. No momento estou contando casos aleatórios que vivi dentro da família da minha ex mulher. Pela terceira vez venho falar sobre Lolla a sobrinha de 12 anos de Dona Nalva.

Após algum tempo já estávamos tendo encontros rotineiros, naquela casa quase abandonada pela família, ali já tínhamos ganhando uma grande intimidade. Não sei dizer se éramos primos, amigos ou amantes, o fato é que estávamos apaixonados de uma forma racional, sabíamos qual era o papel de cada um. Mas como um egoísta eu pedi a ela que se tivesse interesse em ficar com algum rapaz da idade dela que me contasse tudo. Eu por minha vez era noivo e tinha um relacionamento a zelar, pois realmente amava minha noiva e na cama (Leila) era sensacional. Porém eu estava vibrado na minha novinha, vibrado naquilo que criamos. Eu sempre agradava e era gentil com ela na frente dos outros, levamos ela e seu irmão para passear, e ela por sua vez sempre foi discreta e calada. Enfim vamos ao que interessa!!!

Certo dia estávamos fazendo aquele amor gostoso, quando ao ter um orgasmo em cima de mim Lolla, não conseguiu se conter e gemeu mais alto. Eu conseguir abafar sua boca, e ficamos ali grudados por um tempo. Conversamos por algum tempo, sempre cochichando. Nós beijamos novamente e tornamos a nós pegar, derepente eu ouço alguns paços e cochichos na janela, peço para ela ficar em silêncio com um sinal. E ouço algumas risadas que pareciam ser de meninos, assim que eu me levanto, escuto passos mais fortes e vejo pela fresta da janela 3 garotos correndo. Eu consegui identificar 2 eram marcos um primo mimado dela, e Gabriel um mulek falante com um jeito afeminado, mas que era muito gente boa por sinal, ia com a minha cara. Marcos era bem magrelo, de espinha na cara tinha uns 14 anos, típico de mulek punheteiro que fica sempre dentro do quarto. Já Gabriel era um poquinho mais forte, sempre de roupa larga, cabelo arrumadinho, sombrancelha feita e tals. Mas não vou entrar em maiores detalhes por enquanto. O foco aqui ainda é minha princesa Lolla. Eu disse a ela que não era mais seguro ficarmos por ali e que íamos ter que ficar alguns dias sem nós encontramos, mas que íamos dar um jeito. Lolla meio assustada disse que sim sem problemas. Demos um último bjo eu olhei se tinha mais alguém, nos observando e cada um foi para um lado do corredor eu desci para casa de Leila e ela subiu para a vó. Confesso que fiquei preocupado durante uns dias mesmo fazendo fodendo oras com Leila oras com minha sogra eu ficava pensando no que poderia acontecer se aqueles mulek abrissem a boca. Mas aí mesmo tempo eu pensava na minha princesinha e na nossas fodas. Até que depois de umas 3 semanas eu tive uma boa idéia, porém essa ideia seria bem ousada. Eu tinha livre acesso na casa de Leila e sabia onde a chave ficava escondida, sabia 90% dos intinerarios daquela família. Leila trabalhava longe e meu sogro estava trabalhando para o centro da cidade, só voltava junto com Dona Nalva após ela sair do trabalho também, inclusive eu já tinha antecipadamente as folgas semanais da minha sogra. Então por que não arriscar com Lolla também e melhor seria em um lugar confortável limpinho e cheiroso. No dia seguinte eu fui sondar Lolla, a busquei na escola como quem não quer nada e disse da minha idéia, ela apenas sorriu e disse que iria sim. Combinamos o seguinte eu descia pelo corredor de cima e deixaria o portãozinho da garagem aberto para que ela fechasse e trouxesse as chaves. No próximo dia era uma quarta feira, ansioso e aprendi eu saí na hora do almoço e fui para casa de Leila esperar por Lolla. Eu estava ansioso e apreensivo, mas meu pau já pensava em Lolla, sentei no sofá e fiquei esperando como combinado. Assim que ouvi o portão meu coração quase parou, ouvi também o barulho da chaves, e aguardei passo a passo ela subir a escadinha. Quando ela abre a porta eu vejo a princesa, com uniforme da escola Lolla logo encosta a porta solta a mochila e pula no meu colo. Como uma criança pula no colo do pai mas não minha Lolla, ela já não era tão inocente. Começou a me beijar e dizia que estava morrendo de saudades do seu priminho. E que estava louca para gozar em cima de mim outra vez, após ouvir isso todo meu medo e ansiedade foram embora, meu pai começou a estourar dentro da calca, ao perceber isso Lolla disse:

– Parece que sou só eu que estou com saudades?
Eu já todo feliz comecei a beijar Lolla já passando as mãos em seus pequenos peitinhos de adolescente e respondi alguns minutos depois:
-Lolla como alguém não tem saudade desse anjo, dessa princesa que eu amo.
Ela sorriu e enquanto eu tirava sua camisa, seus sutiã e agora beijava, lambia e chupava aqueles peitinhos lindos. Lolla começou a se excitar e foi logo tirando minha camisa. Em poucos minutos estávamos os dois totalmente pelados e Lolla já estava de joelho no chão e olhando para mim disse:
– Hoje vou Fazer igual tia Nalva fez aquele dia, você lembra Vittors?
– Claro que lembro eu respondi!
– Hoje eu sou todo seu minha princesa, chupa o pau do seu macho chupa.

Ela já estava chupando muito melhor do que algumas mulheres com que sai. Ela já tinha aprendido a chupar e lamber minha bolas, que já sabia fazer eu gozar. Então eu fiquei de pé e deixei ela chupar por alguns momentos e a levantei dei um leve beijo na sua boca e a peguei no colo encostei-a na parede e coloquei suas pernas entre minha cabeça e comecei a chupar lá no alto.

Lolla gemia alto dizendo:

Chupa sua princesinha vittors, chupa gostoso!

Meu pau batia na parede como se fosse um pedaço de ferro duro. A coloquei a de quanto e comecei a chupar, ela ficou enlouquecida e pediu para eu pegar ela igual pegava a tia Nalva no sofá então não aguentei logo coloquei a cabeça do meu pau e comecei a movimentar devagarinho.
Ela dizia :

Vittirs mete gostoso, vai que pai gostoso, quero ela para sempre, leiloa vai dividir isso comigo.

Lolla as vezes me assustava diziam algumas safadezas que não convida, mas aquilo me excitava muito.

Então pedi para ela se tar, ela sentou, rebolou kickou quando eu estava prestes a gozar disse que ia fazer igualzinho fazia com tia e ia gozar na tua boca. Eu jorrei porra como tinha jorrado poucas vezes, agora que escrevi isso eu lembro e meu pau fica duro na hora. Lolla até engasgou com tanta porra na sua boca, ela terminou de lamber deixou ele limpinho e fomos para um banho, mas essa parte vai ficar para uma outra hora. Como esse dia ficou marcado na minha vida. Espero que vcs gostem, provavelmente essa semana eu escrevo o próximo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,92 de 12 votos)

Por # #

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Zan

    Estou louco por uma novinha assim!! Continua você escreve muito bem.

  • Responder ORFHEU

    delicia suas historias com essa putinha mirim mas quero saber como tbm vai desenrolar historias com os garotos que pegarma vcs na foda