# # #

Família porca e tarada na França – parte 1

739 palavras | 4 |4.00
Por

Na França a dois anos, família vive em uma vila de costumes bem liberais. Temas: novinhos, novinhas, incesto, bissexualismo, scat

Meu nome é Camila, tenho 13 anos. Meu pai era segurança de uma boate no Brasil e minha mãe trabalhava na boate como dançarina. Também fazia programa com os clientes da boate e meu pai sempre foi muito legal, sempre dizendo para os amigos que têm três putinhas em casa.

Sou branquinha, cabelo escuro, mais ou menos 1,63m e 45 kg. Seios bem pequenos, ainda sou bem lisinha, sem pelinho na minha pepequinha, toda fechadinha ainda. Meu irmão caçula têm 11 anos, branquinho também mas com cabelos levemente loiros, 1,45m e 36 kg. Como os cabelos são um pouco cumpridos ele parece uma menina. Muitas vezes até se comporta como uma, fazendo meus pais comprarem calcinhas rosa pois ele não gosta de usar cuecas. Em casa, sempre fica peladinho com seu pintinho bem pequeno balançando. Em compensação ele têm mais bunda que eu e tem muito orgulho disse, me chamando de desbundada toda hora.

Meu pai é um gato. Tem 1,80m e 92 kg. Um pouco moreno, cabelo curto tipo militar e bem forte. Quando ele está em casa, sempre pelado, fico sempre olhando e admirando seu pau. Nem sei qual o tamanho mas mesmo quando está mole é bem grande. Os amigos do meu pai têm muita inveja dele e alguns chegam até a pegar e bater punheta nele.

Minha mãe é linda. Pele bem branca e cabelos bem escuros. Seios médios para grandes, com aureólas grandes e bem bicudos. Sempre depila a xoxota e diz que adora deixar ela parecida com a minha. Quando recebe visitas (sempre nua) fica de perna abertas e muitas amigas elogiam minha mãe, dizendo que francesas nunca são tão lindas quanto as brasileiras.

Viemos para a França a 3 anos. Meus pais trabalhavam em uma boate em nossa cidade e o dono dela ofereceu parte da sociedade para meu pai, que era braço direito e segurança dele. Minha mãe também trabalhava lá então ele disse que arranjava tudo para a gente vir. Meus pais toparam na hora.

Minha mãe tinha muitos clientes e ficou um pouco chateada. Ela atendia alguns casais e tinha muitos “praticantes de sado e scat” como clientes.

Meus pais sempre foram muito liberais. Meu pai sempre foi um “putão” e nunca negou o pau para ninguém, homem ou mulher. Minha mãe também curtia coisas exóticas. Ela gostava de praticar chuvas com os clientes e meu também curtia fazer isso com minha mãe. Eles sempre ficavam pelados em casa e nos deixaram nus em casa o tempo todo também. Gostávamos também de fazer xixi pela casa toda e minha mãe adorava me fazer carinho assim. Também fazíamos cocô pela casa mas ela limpava sempre para não ficar tudo fedendo.

Fomos para a França e o patrão do meu pai ofereceu um chalé em uma vila próxima à cidade onde fica a nova boate. A vilazinha é um charme, e o pessoal é bem legal. Na verdade é uma vila bem liberal onde as pessoas andam quase nuas. Crianças e jovens andam nus até mais ou menos os 14 anos e depois, assim como os adultos, têm que andar vestidos ou com no mínimo uma roupa íntima ou tapa-sexo. Para mulheres, o topless é liberado. Quem conhece a França, é mais ou menos como viver em Cape D’age.

Eu e meu irmão perdemos a virgindade bem cedo. Sempre ficávamos pelados e víamos desde pequenos papai e mamãe fazendo sexo. Então foi natural para nós começar a brincar com eles. Aos 9 anos papai de penetrou e foi a melhor sensação do mundo. Já chupava o pinto dele desde bem pequena, bem como meu irmão. Também chupava sempre a xoxota da minha mãe e de minhas amiguinhas. Meu irmão, no mesmo ano perdeu a dele, com 7 anos. Ele cagou tudo no pau de papai que ficou mais doido de tesão até gozar no cuzinho dele. Adoramos tudo isso. Uma pena que o Gui (meu irmão) não chupa minha mãe, ele diz ter nojo de buceta.

Essa foi minha apresentação. No próximo conto vou falar sobre como vivíamos ainda no Brasil e o início da nossa vida na França.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 19 votos)

Por # # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Julio

    Não pode ser serio que vocês gostaram disso!
    Primeiro, parem de feminilizar os garotos, isso tem sido recorrente nos contos, segundo, até curto o scat, mas cagar e mijar a casa inteira não é real, terceiro, não parece uma pre-adolescente escrevendo, quarto, juntou tanta coisa no final onde podia ter desenvolvido melhor a ” estória”. (Cabelos quase loiros, comprido, parece uma menina), parece que to sempre lendo o mesmo conto.

  • Responder Rafaella

    Entao conta pra nós… Beijos

  • Responder OlhosAzuisBnu

    Tirando a parte do scat, esse é o meu sonho de família que queria ter.

  • Responder Mamãe incestuosa

    Sensacional!!!
    Quero muito ler a continuação